quinta-feira, 10 de abril de 2014

Eles divertem-se...


Enquanto`o comboio avança para Norte,  termino a leitura de "Os Memoráveis", de Lídia Jorge.
Fico a reflectir um pouco sobre o que acabo de ler e  dou por mim a imaginar o gozo que esta manhã deve ter sido o conselho de ministros, com  todos a celebrarem a estratégia de Maduro para desviar as atenções do essencial do pós troika. 
O governo conseguiu pôr o país inteiro ( leia-se: comentadores, parceiros sociais e comunicação social) a discutir o salário mínimo,. Uma medida que, obviamente, o governo só permitirá que avance se receber em contrapartida a garantia de que os trabalhadores prescindem de mais alguns dos seus já poucos direitos.
 Golpe de mestre, há que reconhecê-lo!

6 comentários:

  1. Será que ainda há quem se deixe enganar e não veja a manobra eleitoralista que está por trás?!

    Não me digam que até esta chantagem a UGT aceitará!

    Que achaste de "Os Memoráveis"?

    Bom resto de dia, amigo

    ResponderEliminar
  2. Eu acho que, por eleitoralismo, vão aumentar o salário mínimo, sem contrapartida alguma. Ou antes com a contrapartida dos votos de mais uns quantos tansos.

    ResponderEliminar
  3. Golpe de mestre ou promessas que a serem cumpridas nos vão sair do bolso?

    ResponderEliminar
  4. Somos mestres em deixar-nos ludibriar... Verdura ou estupidez mesmo?!...

    ResponderEliminar
  5. Talvez... Prescindir do emprego, que tal?

    ResponderEliminar
  6. Vou percebendo uma distribuição de benesses muito curiosa.
    Quando a esmola é grande.....

    ResponderEliminar