segunda-feira, 28 de abril de 2014

E o idiota sou eu?

Quando a comunicação social andava eufórica com a Primavera Árabe e tecia loas aos movimentos cívicos que derrubavam os ditadores, escrevi que não demoraria muito tempo até o Ocidente perceber que estava a apoiar tiranos ainda piores do que os que no momento detinham o poder.
Um jornalista editor do internacional de um jornal diário, deslumbrado com a Primavera Árabe, chamou-me idiota.
Ao ler esta notícia lembrei-me dele. Não para lhe devolver o epíteto, mas para lamentar que a nossa comunicação social continue a ser tão tosca e seguidista, escolhendo para lugares onde se devia exigir qualidade, discernimento e mundividência, gente que apenas se limita a papaguear  os comunicados das agências noticiosas internacionais.  

2 comentários:

  1. Meu caro Carlos de Oliveira,como se diz na minha terra:No ponto certo, como o caramelo, para cobrir Pudim Abade De Priscos!

    As marés,serão sempre mais do que os marinheiros!(...)

    ResponderEliminar
  2. Uma primavera que, como a que se vive em Portugal, está muito cinzentona, Carlos :(

    ResponderEliminar