terça-feira, 22 de abril de 2014

Bolhas de ar


Em média um homem precisa para sobreviver, em condições ditas normais, de cerca de um quilo de alimentos e mais de 1 litro de água por dia. Compreende-se, pois, que haja uma grande preocupação com a qualidade dos alimentos que ingerimos ou da água que bebemos. Mas precisamos também de 25 quilos de ar!
Todos sabemos que ninguém vive apenas de ar... no entanto, a  sua importância para a nossa sobrevivência é tão determinante, que se estivermos apenas alguns minutos sem respirar morremos, mas poderemos sobreviver alguns dias sem nos alimentarmos ou sem beber qualquer líquido.
A má qualidade do ar urbano é um dos maiores problemas que se depara aos responsáveis políticos das grandes cidades, principalmente naquelas cujo desenvolvimento tem acarretado um aumento exponencial do tráfego.
Nos últimos anos é recorrente falar das cidades chinesas como exemplos de metrópoles cujo desenvolvimento as tornou irrespiráveis. Apesar da poluição insuportável, Pequim não é a cidade com piores condições atmosféricas na China. No entanto, o facto de ser a capital tem levado as autoridades chinesas a preocuparem-se especialmente com a melhoria da qualidade do ar.
A boa notícia, neste Dia da Terra, é que uns cientistas inventaram umas bolhas que podem contribuir para atenuar um problema que afecta todo o mundo: a deterioração da qualidade do ar.
Normalmente, quando se fala de bolhas, adivinha-se logo uma crise qualquer. Neste caso, porém, é diferente. Estas bolhas podem ajudar a tornar o ar mais respirável.

3 comentários:

  1. A ser exequível é uma boa forma de minimizar os danos do progresso.

    ResponderEliminar
  2. A poluição em Pequim é assustadora.
    E sou bem capaz de ter que ir para lá em Outubro :(

    ResponderEliminar