terça-feira, 11 de março de 2014

Memórias de Março: Alzheimer visita Belém

No dia em que se assinalam os 39 anos do 11 de Março, não será totalmente descabido relembrar que Março tem sido um mês nefasto  para Portugal.
Este ano, o 11 de Março ficará assinalado por um manifesto de 70 personalidades que pedem a reestruturação da dívida porque, como quase toda a gente já percebeu, não será possível pagá-la.  Mas  o dia fica também  assinalado pela visita que Alzheimer fez a Belém para cumprimentar Cavaco Silva e apagar  uma parte da memória no risco rígido do senhor de Belém.
A visita foi um sucesso. Cavaco esqueceu-se  que foi ele quem, em 1985, destruiu o Bloco Central em vésperas da adesão de Portugal à CE; apagou-se da sua memória  a  recusa ao diálogo enquanto foi PM, sendo até agora o único que se recusou a fazer debates com os partidos da oposição; Alzheimer apagou da memória do senhor de azul  o seu discurso de tomada de posse em  Março de 2011, onde deixou claro que o objectivo do seu mandato era derrubar o governo do PS; um ano depois divulgava os Roteiros VII que, estranhamente, receberam um forte aplauso de Seguro e onde garantia não interferir na actividade do governo
 Esquecido de todo o passado por obra do senhor Alzheimer, este ano Cavaco fez publicar no Expresso excertos dos Roteiros VIII onde apela mais uma vez ao consenso para que possamos viver tranquilamente até 2035, sob o protectorado dos agiotas que ele, muito provavelmente, desejará ainda servir com toda a sua experiência, quando deixar de ter a mesada paga pelos contribuintes portugueses.
Cavaco garante que escreveu a sentença de condenação dos portugueses a 20 anos de trabalhos forçados e a emulação de uma geração, porque estuda muito. Acredito. O problema de Cavaco é ter estudado pela cartilha errada. A que recusa o progresso e enaltece a falta de vergonha na cara como um atributo.
Cavaco precisa de um programa Novas Oportunidades, para reciclar o disco rígido e recuperar a memória. Porque, quanto à vergonha, foi algo que já perdeu há muito e jamais recuperará.

5 comentários:

  1. Ainda alguém 'passa cavaco' a este Cavaco?

    ResponderEliminar
  2. Vivemos tempos de conspurcação,provocados por alimárias que outra coisa não são do que intestinos em diarreia permanente cuja infestação se vai adensando a cada movimento que fazem ou arroto que emitem.Coletivamente,estamos sendo arrastados para a choldra em que pereceremos imundos, conformes e à semelhança dos ideólogos da revolução em curso.

    Não acordemos,depressa e em força e esta gajada dará conta de nós mais cedo do que tárde!

    ResponderEliminar
  3. ... ou nunca teve! O que ele sempre teve foi a esperteza dos saloios, que saloio ele é! E foram os saloios, com a mania que são espertos, que o puseram lá há trinta anos votando nele sempre e sempre. Eu não votava nele nem para chefe de turma! SALOIO!

    ResponderEliminar
  4. ...ainda há mais buracos escuros na memória da criatura!

    ResponderEliminar
  5. O homem começa a parecer-me insuportável.

    ResponderEliminar