quarta-feira, 5 de março de 2014

Corrupção má e corrupção boa

A corrupção é como a moeda. Há a boa e a má ( pelo menos na douta opinião das autoridades europeias, presididas pelo cherne caniche Barroso).
A UE apressou-se a congelar as contas dos membros do governo ucraniano, que se encheram de guito enquanto geriram os destinos da Ucrânia. Não me consta, porém, que a UE tenha tomado idêntica medida em relação à  impoluta democrata Yulia Timoschenko.
Não tenho quaisquer dúvidas que Barroso, Merdel, o BCE e toda a tralha de eurocratas tem a certeza absoluta que Yulia Tomoschenko foi uma pessoa muito séria quando dirigiu os destinos da Ucrânia. Qual o fundamento para esta crença? Simples... É que quando Timoschenko chegou ao poder tinha apenas uma conta no exterior de cerca de 100 mil euros e, quando foi presa, o montante da sua conta bancária depositada em países europeus e off shores ascendia "apenas" a 49 milhões de euros.
Só tenho uma dúvida: a UE pensa que Timoschenko roubou pouco os ucranianos,  acredita que aquela fortuna foi ganha à custa do seu trabalho, ou reconhece que é o pagamento justo a uma amiga da Europa?
Em tempo: confirma-se o que já era previsível, mas a baronesa apenas acha isso um bocado chato.
Sigam o link, mas não se deixem iludir pelo título..

3 comentários:

  1. Isto da política é mesmo difícil de perceber!!!
    Obviamente que não há corrupção boa ou má.
    Há corrupção e ponto final.
    Desejo que esteja bem.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  2. Nunca entenderei a política e os políticos.

    beijinho amigo Carlos

    ResponderEliminar
  3. A cachopa é muito poupada, Carlos.
    Só pode.
    Quanto à notícia, esperando para ver os desenvolvimentos

    ResponderEliminar