quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Por favor, tenham vergonha!

Em virtude de a minha passagem pela blogosfera nestes dias ser esporádica, agradecia aos meus leitores o favor de me informarem se naqueles blogs de apoio ao Coelho as pessoas que criticavam os negócios de Portugal com o governo totalitário da Venezuela, no tempo de Sócrates, e escreviam posts inflamados contra o ditador José Eduardo dos Santos ( alguns chegaram mesmo a reclamar o corte de relações entre Portugal e Angola)  já manifestaram a sua indignação pela admissão, na CPLP, da Guiné Equatorial.
O pais governado pelo senhor Obiang  -uma das mais antigas e torcionárias ditaduras africanas- é um paraíso para a corrupção. Deve ser por isso - e por lá se falar o mais refinado português- que messieurs Lapin et Porte votaram a favor da admissão daquele país na CPLP.
Pelo sim, pelo não, precaveram-se e exigiram que antes de ser admitida, a Guiné Equatorial acabasse com a pena de morte. Não vá o diabo tecê-las...
Chega a ser exasperante- além de vergonhosamente ridículo- ver o governo português criticar duramente a ditadura ucraniana e, no dia seguinte, votar favoravelmente a admissão no seio da CPLP de um ditador execrável.
Eu sei que estamos no Carnaval, mas mesmo assim, eu levo a mal o silêncio dos blogueiros passistas e a falta de vergonha de quem nos governa!
PS: antes que alguns venham à caixa de comentários perguntar se eu acho que a Venezuela e a Ucrânia são países democráticos, eu respondo desde já: não, não são, mas ao contrário do que acontece com a Guiné Equatorial, os líderes  destes dois países foram democraticamente eleitos. Venezuelanos e ucranianos enganaram-se? muito provavelmente... mas os portugueses também se enganaram ao eleger este governo e não  vieram para a rua armados ou a exibir  símbolos nazis, exigindo a queda deste governo. Ah, pois, é Carnaval... 

5 comentários:

  1. Apoiado em todos os aspectos.
    A admissão da Guiné Equatorial na CPLP é pura prostituição política.

    ResponderEliminar
  2. Como pode fazer parte da CPLP um país onde não se fala português?

    ResponderEliminar
  3. Força, Carlos!! É preciso dar-lhes sem apelo nem agravo!! Essa da Guiné Equatorial integrar a CPLP é de bradar aos céus!!! E na Coreia do Norte também se fala português?

    ResponderEliminar
  4. E porque não juntar a libia o egipto e convidar a coreia do norte para observador comopção de entrada controlada

    ResponderEliminar
  5. A ideia de admitir a Guiné equatorial na CPLP é uma ofensa a todos os níveis, Carlos.
    Só não percebe isso quem não quiser.

    ResponderEliminar