sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Da definição de roubo

Os grupos parlamentares que suportam os indigentes mentais do governo, indignaram-se porque o PCP apresentou uma proposta conducente à reposição dos feriados "roubados".  Os deputados consideram que eliminar feriados, aumentar  horários de trabalho, diminuir os dias de férias, cortar salários e pensões não é  roubo. Dizem que se trata de interesse nacional!!!
Deve ser também por causa desse interesse nacional que o governo continua a injectar dinheiro no BPN e a perdoar dívidas a algumas empresas, entre as quais se encontra o caso bizarro de uma pertencente a Luís Filipe Vieira  cuja dívida de 19 milhões foi assumida pela Parvalorem que, por sua vez, recebeu  dinheiro do Estado para pagar a dívida.
A noção de roubo desta gente que se instalou na manjedoura do poder é muito sui generis:
Se  um  tipo assaltar um supermercado ou um banco é roubo. 
No entanto, se os ladrões forem  Oliveira e Costa, Dias Loureiro  ou qualquer outro elemento da pandilha de Cavaco, já não se trata de roubo. E se for, deixa-se prescrever para não causar problemas.

4 comentários:

  1. Desde Portas com o "irrevogável" até Assunção Esteves com o "inconseguível" os conceitos da língua portuguesa têm significado diferente para as gentes do Governo. E ainda se diz que o acordo ortográfico é uma violação da génese da língua mãe... isso ainda é o menos grave perante o dialeto de quem está no poder.

    ResponderEliminar
  2. Pelo sim pelo não, não vá o roubo ser mesmo acto ilícito, vão-se fechando tribunais...

    (Boa malha!)

    ResponderEliminar
  3. Degradante o estado deste país!! E triste!

    ResponderEliminar