terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Brandos costumes

Em Itália, as sondagens desfavoráveis ao partido democrático, no poder, resultaram num golpe palaciano, com o PM  a ser destituído pelo seu próprio partido.
A entrada a pés juntos de Matteo Renzi sobre Letta, pode não ser um exemplo dignificante em política mas, pelo menos, permitiu clarificar posições.  
Por cá, continuamos situacionistas. Como sempre. No PS toda a gente está farta de Seguro, mas ninguém ousa avançar. Em vez de o enfrentarem, os seus adversários multiplicam-se em ameaças na comunicação social, provocando o desgaste do (fraco) líder, quiçá na esperança de que ele resigne. 
No PSD o panorama não é muito diferente. Os social democratas  que ainda existem no partido tecem severas críticas à governação, dizem que o partido foi assaltado por um grupo de rapazolas mal intencionados que o descaracterizou e eliminou a matriz social democrata, mas ninguém ousa colocar em causa a liderança de Passo Coelho, bem protegido por um bando de cretinos acéfalos, mas que souberam comprar os seus lugares no momento próprio para executar o assalto ao pote.
Em Portugal, é assim. Espera-se que o líder sofra uma derrota clamorosa e se demita, para depois avançar com uma corte de apoiantes fiéis, venerandos e obrigados, dando início a um novo ciclo que não é mais do que a repetição do anterior. Ninguém enfrenta o líder, ou ousa tentar derrubá-lo. 
Em Portugal não faltam apenas políticos. Falta gente com coragem, capaz de arriscar para defender os interesses do país. É tudo planeado ao milímetro, com o rigor de uma calculadora. 
É também  por isso, que a democracia começa a estar desacreditada...

9 comentários:

  1. Um país de brandos costumes ou um país com os costumes 'em lume brando'?

    ResponderEliminar
  2. Absolutamente de acordo. Assim vivemos nesta paz podre a ver passar a banda e a empobrecer este pequeno país, cada vez mais. Como no norte diriam "são um bando de pandegos" Mas, tudo bem: Não somos um povo de brandos costumes?
    Hélder Gonçalves

    ResponderEliminar
  3. Respostas
    1. É isso mesmo, Rosa dos Ventos, quem se lixa é o povo, seja o nosso povo, o italiano ou o alemão.

      Evito escrever sobre política no "ematejoca azul", por isso, despejo no CR toda a minha raiva sobre a política actual, espero que o nosso amigo Carlos não me leve a mal.

      Eliminar
  4. Não sei, Carlos, se tens inteira razão. Dizes tu, logo à cabeça, que "no PS toda a gente está farta de Seguro". Infelizmente, não me parece que seja o caso. Não é verdade que o elegeram e o reelegeram como secretário-geral?. Os militantes do partido estão, julgo eu, à espera que chegue a sua vez de lamber o pote e, para eles, enquanto essa expectativa não se esfumar está tudo bem. Não deixa, no entanto, de ser verdade que somos um país de brandos costumes. Basta ver como suportamos os estupores que nos (des)governam.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É raríssimo concordar com os comentários, mas desta vez concordo em absoluto o o seu comentário, Francisco, embora eu cá de longe tenha pouco voto na matéria.

      Eliminar
  5. "A era Matteo Renzi começa hoje. Se será longa ou fugaz, destinada a mudar a Itália ou terminar apenas num jogo de poder, nós não podemos saber", afirmou o analista politico Stefano Folli no jornal italiano Il Sole 24 Ore.

    ResponderEliminar
  6. Por falar em brandos costumes,acabo de me lembrar meu caro Carlos Barbosa,da última aparição pública do fascista de serviço,FERNANDO ULRICH,e,novo ou velho,travestido de comunista ou trajado de reles banqueiro,um fascista é sempre um fascista!Não é que o salafrário,acaba de descobrir que Portugal é governado por um Governo COMUNISTA e que nós(Devia estar a pensar nele e na corja por si representada)não sabíamos?Só uma pergunta:Não há quem,numa rua ou avenida de Lisboa, ao cruzar-se com o sujeito em apreço lhe enfie um valente par de estalos com o recado incorporado de que o maior sem vergonha é ele com o seu aparvalhado e miserável comportamento quando tenta,sistematicamente,tratar os Portugueses como se tratando de descerebrados.Lembrando Jorge de Sena,Portugal,continua um País de SACANAS!

    ResponderEliminar
  7. A política em Itália é algo que já há muito tempo deixei de tentar entender.
    Quem consegue eleger Cicciolina, Berlusconi, e outras pérolas que tais, só pode mesmo andar a brincar com o pagode

    ResponderEliminar