sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

O que está a dar é...

Criar uma  instituição social com objectivos  assistencialistas. Não pagam IMI nem IVA e têm boas reduções no IRS. É aproveitar, empreendedores! ( Eles sabem do que estou a falar!)

Kung Hei Fat Choi

Começa hoje o Ano do Cavalo. Boa sorte para todos os cavalos consortes, porque as mulas já estão no governo.

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Receita para se livrar do marido/mulher

Está farto de aturar o seu cônjuge?  Então vou ensinar-lhe um método eficaz para se ver livre dele/a.
1º Passo- Endivide-se.
2º Passo- Deixe de pagar impostos
3º Passo-  Leve o seu cônjuge a uma sessão pública onde esteja a Marilú e sente-se na primeira fila
4º Passo- Faça os possíveis para que ela centre a atenção sobre si
5º Passo- Quando tiver a certeza que ela está a olhar para si vire-se para o cônjuge e diga: "Meu bem, você é meu único tesouro!"
 De imediato a Marilú mandará um fiscal confiscar o único bem que lhe resta

A esquerda e a Europa

Quando vejo a direita toda unida e a esquerda a desagregar-se numa multitude de candidatozinhos, sou obrigado a reconhecer que afinal a esquerda se identifica totalmente com esta Europa  onde cada país luta por si e se está borrifando para o bem comum.
Em Maio assistiremos, irremediavelmente, a mais uma derrota da esquerda e à ascensão de partidos da direita radical na Holanda, Inglaterra, Hungria, Alemanha e em França onde as sondagens indicam uma vitória de Marine Le Pen.
Nada de mais. No dia 26 de Maio os partidos de esquerda acusar-se-ão mutuamente pela derrota,enquanto
o PPE abre garrafas de champagne para celebrar a vitória. Se alguma preocupação houver no seio do PPE, será com a ascensão da extrema-direita. Mas será que isso lhes tira o sono? Afina, PPE e extrema-direita europeia são as duas faces de uma mesma moeda, com objectivos muito comuns. A diferença é que os social democratas não têm coragem de assumir a ruptura com a democracia.

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Ai acredito, acredito!

Há quem recuse liminarmente a ideia de reencarnação. Eu não só não a recuso, como acredito firmemente que um dia hei-de voltar a este (ou outro...) planeta para desempenhar outro papel no Teatro da Vida. É difícil encontrar argumentos para defender a reencarnação mas, por vezes, surgem exemplos irrefutáveis. Como o caso deste c..... que voltou a repimpar-se em Belém, trajando agora à civil e com BI falso. 

A arte do desenrascanço

Demos então de barato aquilo que a direita, apoiada por uma comunicação social serôdia e manipuladora, vem afirmando até à exaustão: Sócrates levou o país à bancarrota ( nem vale a pena lembrar que, antes da crise, o défice tinha baixado para 2,8%, porque isso não interessa nada) e é o culpado de todas as desgraças que vieram a seguir.
Que se esperaria de um governo de direita? Que tirasse o país da situação em que o malvado do Sócrates o deixou e lutasse, junto dos nossos credores, para que a dívida fosse paga de forma a não obrigar os portugueses a uma austeridade ignóbil. Que fizesse ver aos credores que Portugal, para  pagar a dívida, não poderia entrar em recessão nem destruir a sua economia. 
Mas o que fez a direita? Viu uma bela oportunidade para arranjar emprego nas instituições europeias, obedecendo cegamente às ordens dos credores. Tratou da vidinha e dos interesses próprios e marimbou-se para os portugueses, condenando-os definitivamente à pobreza. Desbaratou o nosso património, vendendo-o a preços de saldo, obrigou-nos a pagar os desmandos e vigarices dos amigos do sr. Aníbal e, do alto da sua imensa hipocrisia, insensibilidade e desdém pelos portugueses, disse:
" Nem sonhem em voltar a viver como antes da crise. Isso só é possível para nós e para os que nos forem fiéis".
Os portugueses amouxaram e, felizes da vida, acreditam que melhores dias hão-de vir e se hão-de desenrascar, porque há sempre maneira de fugir ao fisco ou de enveredar pela economia paralela. Um português nunca se atrapalha. Como povo é inexistente. É uma abstracção. Mas quando trata de defender o seu território de influência, o tuga não vacila. Seguindo a metodologia  do "Cada um que se safe por si", entrincheira-se na defesa dos "exlusivamente seus" direitos e, de dedo em riste, dispara em todas as direcções,  acusando os outros de serem responsáveis pelo estado a que isto chegou. 

Conversas com o Papalagui (71)

- Olá tuga! Parabéns por se estarem quase a ver livre da troika!
- Uma grande vitória do Passos Coelho, sem dúvida!
- E agora vão ter um programa cautelar, ou uma saída à irlandesa?
- Ó Pa, ainda é muito cedo para se saber!
- Cedo? Mas a troika não se vai embora já em Maio?
- Vai... mas até lá ainda falta muito tempo e o governo pode decidir da melhor maneira, adiando a decisão.
- Falta muito tempo? Mas um assunto tão importante para Portugal não devia ser planeado com antecedência?
- Ora, ora! Nós também vamos ao Mundial do Brasil em Junho e só em meados de Maio é que o Paulo Bento divulga os 23 seleccionados...

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Açoitem-me!

O meu pai  educou-me para ser feliz e não para ser  rico. É uma dívida de gratidão que tenho para com ele. A educação que me deu não me permitiu acumular uma conta bancária choruda, mas deu-me a hipótese de criar  o meu próprio banco. Um banco onde não se pagam juros, mas se aforram recordações. É um banco de imagens e de memórias dos 98 países que visitei, dos sete onde vivi tempo suficiente para criar raízes.
É certo que o meu pai nunca me disse que deveria aforrar para a velhice. (Tal como eu, devia  confiar nas promessas dos governos e nunca lhe terá passado pela cabeça que, no dia de receber a reforma nos termos acordados com o Estado  há 41 anos, viesse um grupo de ladrões, democraticamente eleitos para governar o país, dizer " Não pagamos!").Se alguma vez mo tivesse dito, o mais provável é que eu nunca tivesse ousado fazer da minha vida uma aventura para ser feliz. Talvez tivesse uma conta bancária choruda, mas não tinha o meu banco de imagens tão enriquecido de memórias inolvidáveis, que nenhum dinheiro pode pagar.  O meu pai não me avisou para ser prudente e me precaver para a velhice.(Nem  precisava, porque a morte prematura de três dos meus irmãos fez-me perceber melhor a transitoriedade  da vida e ensinou-me  a relativizar a importância dos bens materiais). Apenas me disse que o mais importante na vida é ser feliz.  Estou-lhe grato por isso. 
Hoje, infelizmente,  muitos jovens - quiçá a maioria- não poderão dizer o mesmo. Vivem para acumular dinheiro e olham para os mais velhos como um empecilho descartável. Uma herançazita vinha mesmo a calhar, mas o velho nunca mais morre... Os velhos deixaram de ser fonte inspiradora para os jovens, exemplo de sabedoria, passaram a  ser vistos como um entrave ao progresso.
Claro que isto não tem nada a ver com um sistema educativo que despreza a solidariedade e promove o individualismo, nem com a formação adquirida nas Jotas partidárias, nem com a desestruturação familiar e, muito menos,  com a ascensão do jovem ao centro nuclear da família outrora ocupado pelo "pater familiae". Tampouco tem a ver com a inversão da pirâmide da sabedoria. A minha geração olhava para os pais e avós e via neles exemplos de saber; os jovens de hoje são a sabedoria. Olham para os pais e avós com condescendência- às vezes até com carinho- mas no íntimo pensam Coitados! Estão velhos... não se adaptaram  à vida moderna. Vivem no mundo deles e não percebem nada do que se passa cá fora!
No meu tempo,  os jovens olhavam para os pais como um exemplo a seguir. Agora, são os pais que devem seguir o exemplo dos filhos, para não serem  vistos  como botas de elástico ou caretas. 
Talvez os jovens de hoje sejam mais felizes do que eu mas, muitos deles, nunca conhecerão o prazer de comprar um carro, uma casa, ou fazer uma viagem de sonho com  dinheiro ganho à custa do seu trabalho, porque desde cedo se habituaram a  explorar a separação dos pais para os chantagearem  com exigências, que trocam por afectos plastificados de circunstância.
Nunca perceberão o prazer de uma conquista, porque nasceram e cresceram  habituados a exigir.
Nunca conhecerão o significado da palavra Liberdade porque, desde cedo, na Universidade, nas Jotas, nos locais de trabalho, lhes ensinaram que vergar a espinha perante o superior, é o caminho para o sucesso.
Quando estes jovens forem velhos, talvez sejam - como eu- surpreendidos pela evolução dos tempos. A diferença é que, muito provavelmente, a maioria não terá o prazer de sentir  uma dívida de gratidão pela educação que receberam.

Dura lex, sed lex!

Através dos comentários de alguns leitores, apercebi-me que se passava alguma coisa de anormal com as praxes académicas em Portugal. Fui tentar saber o que se passou. Pelo que li, parece que há suspeitas de que os seis mortos na praia do Meco terão sido vítima das praxes na Lusófona, mas que a direcção daquela Universidade  assobia para o ar como se não tivesse nada a ver com o assunto.
Li também que um professor da Universidade do Minho terá sido praxado mas, reconheço, não consegui perceber bem o que se passou.
De uma coisa, no entanto, tenho a certeza. Há tempos vi um documentário no Doc Lisboa sobre a praxe nas universidades portuguesas. Quando acabei de ver senti asco. Se estes jovens são o futuro, prefiro que Portugal não tenha futuro. Aqueles jovens são fascistas  mas- admito- a maioria deles não sabe. As práticas que presenciei indiciam actividades que, noutro contexto, seriam consideradas criminosas. Por isso, pergunto: se as praxes configuram práticas fora da lei, por que razão os autores não são julgados e ( se for caso disso) condenados?
Ah pois, a juventude, o nosso futuro, a garantia de um Portugal moderno. Deve ser isso. Eu é que, certamente, estou velho e não consigo acompanhar a evolução dos tempos. Resta-me, pois , pedir desculpa pela minha tacanhez. Acontece, porém, que nunca gostei de praxes. Feitios...

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Às vezes, gosto de me fazer de parvo!

Igreja del Pilar ( La Recoleta- Buenos Aires)


Quando me chegaram os primeiros ecos da euforia que vai por aí, com o sucesso das políticas deste governo, comecei a fazer as malas disposto a regressar à minha zona de conforto. Sempre gostei de estar presente nos bons momentos do país e decidi que iria para o Marquês de Pombal celebrar a vitória sobre a troika invasora e pedir perdão ao governo por ter duvidado da sua eficácia. Persignei-me e fui à Igreja del Pilar, em La Recoleta, pedir perdão pelas ofensas a este governo que, na minha ignorância, acusei de estar a destruir o país e a dizimar os portugueses. 
Antes de regressar pedi conselho a pessoa amiga que me enviou esta notícia por mail, acompanhada do seguinte texto:
" Como vês, meu caro, as notícias do sucesso são manifestamente exageradas. Antes de decidires regressar à tua zona de conforto, permite-me que ilustre o sucesso deste governo com um exemplo. Imagina que pediste um empréstimo ao banco e, a determinada altura, deixaste de o pode pagar. Um dia recebes uma carta do banco informando-te que, por falta de pagamento, te irão ficar com a casa. Obviamente que irás reagir mal. Não só porque não queres ficar sem a casa, mas também porque não suportas a ideia de passares a ser visto, no teu círculo de amigos( e inimigos) , como um caloteiro. Arquitectas então um plano. Pela calada da noite, com a colaboração de uns amigos, praticas diversos assaltos e dedicas-te à extorsão, até conseguires reunir o dinheiro suficiente para pagar a dívida ao banco. Ao fim de uma semana diriges-te ao gerente do banco com o dinheiro e liquidas parte substancial da dívida. 
O gerente do banco percebe logo que o dinheiro que lhe estás a entregar deve ser proveniente de actividades ilícitas mas como para ele o mais importante é receber o dinheiro, fecha-se em copas e sugere-te  que permitas ao banco utilizar o teu exemplo de bom cumpridor para fazer uma campanha subordinada ao lema: quando o cliente e o banco têm os mesmos objectivos. todas as dificuldades são ultrapassadas.
E é assim que, apesar de seres um ladrão, apareces na campanha publicitária como um cidadão exemplar e no teu círculo de amigos  passas a ser olhado com mais respeito. 
O que este governo está a fazer é exactamente o mesmo. Roubou funcionários públicos, pensionistas e contribuintes para reduzir o défice e agora ufana-se de estar a seguir a política correcta para pagar a dídida de Portugal aos agiotas. Os amigos da UE, como Oli Rehn ou Durão Barroso, mais preocupados com  a vitória da direita nas eleições de Maio, do que com o problema dos portugueses, entraram na campanha, tecendo inúmeros elogios ao governo português, apesar de saberem que o dinheiro angariado pela dupla Passos/Portas resultou de roubos por esticão, assaltos a residências onde vivem casais de reformados  e furtos selectivos nos bairros da classe média. Nunca se aventuraram, obviamente, a assaltar o património das classes abastadas. Não só porque são uma cambada de cobardes, mas também porque sabem que isso não seria bem aceite pelos amigos europeus. 
Como podes constatar se leres a notícia que te envio em anexo, estamos pior do que há um mês, mas importa manter os eleitores europeus na ilusão até Maio, altura em que se realizarão as eleições europeias.Depois, voltarão as notícias sobre os perigos de incumprimento e a austeridade continuará a ser a política seguida obedientemente por este governo, com o apoio dos amigos europeus. 
Espero ter-te ajudado com esta explicação mas, fica a saber, que gostava de te rever na zona de conforto, porque todos aqui sentimos a tua falta. Abraço".
Adenda: Aos meus caros leitores:
 Percebi tudo direitinho mas, se para tal tiver autorização, vou regressar à zona de conforto na próxima semana. Nem que seja apenas por uns dias, para matar saudades.

Uma boa alma

Depois de conquistar o direito a um lugar no Eliseu,  o socialista François Hollande começou a despojar-se das coisas supérfluas.
Começou por deitar fora o socialismo, porque só lhe trazia problemas e depois dispensou uma mulher que tinha a mais. Dizem-me fontes normalmente bem informadas, que o próximo passo será ver-se livre da presidência e oferecê-la a Marine Le Pen.
À guisa de experiência, deu-lhe uma vitória nas europeias de Maio...

domingo, 26 de janeiro de 2014

Boa pergunta!...


Os 3 Porquinhos e as gerações futuras

Num futuro ainda muito distante, quando Crato estiver a ser sovado no Inferno pela sua cabulice, nas escolas portuguesas hão-de ensinar aos nossos bisnetos  que também por cá tivemos, pelo menos entre 2011 e 2015 , 3 Porquinhos que destruíram um povo com nove séculos de História. 
Os nossos descendentes perceberão então que os dois manos danados para a brincadeira, sempre que eram apanhados pelo Lobo Mau, pediam auxílio ao mano Prático que, por acaso, também era um grande aldrabão, como se pode constatar no final da história....

sábado, 25 de janeiro de 2014

A farsa


Sou  a favor da nomeação das chefias na Administração Pública.  Pelo menos  somos  poupados  ao triste espectáculo das farsas dos concursos.  Estes só servem para que os escolhidos se convençam que chegaram ao lugar por mérito próprio e não através de uma farsa concursal que legitimou a atribuição de um lugar de confiança. Apesar de tudo, a nomeação é mais transparente do que exigir experiência no governo. Isso é trafulhice mas, nessa matéria, a escumalha é imbatível.

O mapa europeu da pobreza

A Europa continua no bom caminho, como bem se percebe pela leitura deste artigo do La Nacion 

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Eu, homofóbico, me confesso!


O casamento entre estes dois gajos mete-me nojo!

A maçã de Eva

Eva Brunne

Na Suécia há mulheres padres desde 1960, mas  só em 1997 foi eleita a primeira mulher bispa da Igreja Luterana. 
Em 2013, são várias as mulheres bispas na Suécia mas Eva Brunne,  bispa de Estocolmo desde 2009, quebrou  mais um  tabu ao tornar-se a primeira lésbica a ser eleita bispa.
Trago este assunto à colação, só para  assinalar que, não obstante o discurso desempoeirado  do Papa Francisco, a Igreja Católica ainda tem um longo caminho a percorrer para se adaptar à realidade dos tempos modernos.  
Em relação à Igreja luterana sueca  - e no que concerne ao sacerdócio feminino- já leva um atraso de mais de meio século.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Late night wander (102)

Ser ingénuo é pensar que  a política deste governo pode fazer emergir um líder populista de extrema-direita em Portugal. Acordem, por favor! Esta gajada que se apoderou do poder já é de extrema-direita! 

Xutos e Pontapés

Uma pessoa está  três ou quatro dias alheado das notícias, começa a sentir-se descompensado, decide investir uns minutos na Net e arregala os olhos de espanto.  É o minorca , grande noia Mentes, acusado de ludibriar o fisco, são as trapaças do Branquinho denunciadas pelo Cerejo ( tivéssemos uma centena de jornalistas com a coragem e profissionalismo dele e a comunicação social seria mais respeitada) e, cereja no topo do bolo, a notícia de que Marcelo levou tampa do Pedro Passos Coelho, que prefere ter Durão Thomaz Barroso como candidato a Belém em 2016.
Se em relação às duas primeiras notícias encolho os ombros, (apesar de me dar um gozo particular pensar no que Isaltino estará a pensar das palavras do Mendes quando era lider do PSD e  há muito tempo   Branquinho ter mostrado a sua estirpe, ainda estou à espera de encontrar o primeiro gajo do PSD que apoie este governo e seja honesto),  já  quanto ao desaguisado entre Passos e Marcelo a coisa fia mais fino.... 
Ou o Pedro teve outra crise e voltou a perder a noção da realidade, ao ponto de acreditar que os portugueses caem no embuste de colocar em Belém uma réplica do Thomaz Cavaco, com PHD em trafulhice obtido em Bruxelas,  ou os tugas ensandeceram de vez e enveredaram pela via masoquista do "quanto mais me bates mais gosto de ti".
Sinceramente, não acredito que Passos tenha descartado o professor. Seria demasiado estúpido. Mais...acredito que se trata apenas de uma manobra de diversão- possivelmente até arquitectada entre os dois - para distrair o pagode dos verdadeiros problemas que preocupam os portugueses.  Daqui a um ano, vamos voltar a ver Pedro e Marcelo, lado a lado, sorridentes, jurando ambos que aquela moção foi um mal entendido e a garantir que estão umbilicalmente ligados pelo desejo de salvar Portugal. Até Portas engolirá a vichyssoise e voltará às feiras de braço dado com o professor, para o fazer eleger.
Mas se Marcelo não vier a ser o candidato da coligação, a alternativa será Rui Rio e não Durão Barroso. PPC é um artista, mas não é burro!

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Late night wander (101)

Não são as pessoas que pensam de forma diferente de mim que me irritam... são as que não conseguem pensar!

Até à última gota!

Há 50 anos uma guerra abjecta, patrocinada por um poder vesgo e demente, ceifou a vida de centenas de jovens, mandados para a frente de combate  africana, como carne para canhão. Muitas famílias foram amputadas e o Estado Novo consolava-as, enviando a Supico Pinto para as confortar, alegando que os jovens tinham morrido em defesa da Pátria e por isso deviam estar orgulhosas.
Muitos jovens recusaram servir às ordens dos carniceiros e emigraram, aumentando o contingente dos que abandonavam o país em busca de melhores condições de vida.
Cinquenta anos depois, os números da emigração revelam que já foram ultrapassados os dos anos 60. Os que agora emigram são mais qualificados do que os seus pais e avós mas partem, como os seus antepassados, para fugir a um grupo de terroristas que invadiu o país e os pretende dizimar, condenando-os a trabalho escravo e à fome.
Cinquenta anos depois, volta a ser uma guerra a provocar a debandada de milhares de portugueses ( mais de 120 mil só em 2013!) É uma guerra sem balas  e onde os terroristas inimigos não estão em África, mas dentro do país.
Ao contrário dos anos 60, os terroristas que os portugueses se vêem obrigados a combater não são apoiados pelos imperialismos soviético ou americano. São apoiados por um patrão que não conhecem, a que chamam mercado e que nos apresentam como o "homem do saco" do século XXI. Se não lhes obedecermos, eles castigam-nos, roubam-nos e mata-nos- dizem
Os terroristas que hoje dirigem o país não combatem  um poder intrusivo. Lutam, exclusivamente, pelos seus próprios interesses: um lugar bem remunerado nas fileiras do exército do deus dos mercados. Para isso, comprometeram-se perante o seu amo e senhor a sacrificar o seu povo à miséria, expulsando os jovens e dizimando os velhos.
Estes terroristas são mais sádicos do que aqueles que o Estado Novo acusava de serem comunistas ao serviço da URSS. Estes terroristas que nos governam  também fazem emboscadas aos portugueses, mas o tratamento dado aos prisioneiros é bem diverso. Em vez de os fuzilarem, torturam-nos lentamente e , em simultâneo, aplicam-lhes um programa de acção psicológica que visa conduzi-los à loucura, ou à morte. 

Despachar portugueses: modo de usar

As pessoas são o único  empecilho que impede  a dupla Passos/Portas de governar com sucesso. O povo até se porta bem, é cordato e está disposto a imolar-se pela dupla que, acredita, irá salvar o país da bancarrota em que o sacana do Sócrates o meteu ( sim, meus caros leitores, vocês vão ter uma grande surpresa em 2015, quando perceberem que os tugas não puniram este governo e ainda vão agradecer à dupla PP ter-se sacrificado para salvar Portugal.  Mas que esperavam vocês de um povo que não mexeu uma palha para conquistar a Liberdade e continua a suspirar pela ressurreição de Salazar que vê como salvador em vez de  algoz?)
No entanto, a este governo não chega ter um povo dócil, analfabeto e mesquinho.  Tampouco o satisfaria  um povo   padronizado  pelos exemplos do idiota Ulrich, do benemérito  Alexandre Pingo Doce, do Abominável sacristão das Neves, da  blasfema Helena,  ou da tia  Avillez .
O problema deste governo é  ter gente a mais. Funcionários públicos e pensionistas em excesso é algo que atrapalha  e, nos últimos dias de 2013,  a notícia  de que aquele foi o ano onde se registaram menos mortes na estrada, deixou S. Bento e Belém  em polvorosa.  Pedro Passos Coelho convocou de imediato o conselho de ministros, que reuniu clandestinamente  no apartamento devoluto de Massamá. A decisão foi lesta: no dia 1 de Janeiro de 2014 entraria em vigor o Código de Estrada mais imbecil e mortífero do mundo civilizado que tem como  objectivo  fundamental, facilitar a morte de ciclistas e aumentar a sinistralidade mórbida.
Houvesse em Portugal apenas  idiotas como os que pariram um Código da Estrada assassino, e logo os problemas deste governo estariam resolvidos.

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Governo tem razão quando diz que Portugal é um caso de sucesso

Portugal deve ser o único país do mundo ocidental onde os trabalhadores do sectpr públco são obrigados a trabalhar mais horas por semana e mais dias  por ano, recebendo em troca uma redução de salários e um corte nos dias de férias
Se tudo isto foi conseguido sem grandes protestos, quem se admira quando o governo e a troika  garantem que Portugal é um caso de sucesso?


O louco de Santa Fé

Num final de tarde, cansado do assédio do calor e da humidade elevada, procurei refúgio num velho café da Avenida  Santa Fé, junto ao Museu da Água.
Liguei-me à internet para saber notícias de Portugal. A determinada altura senti uma mão pousar no meu ombro e alguém perguntou em português com sotaque:
- Es português?
 Olhei por cima do ombro para ver quem me interpelava. Dois olhos alucinados encimavam um corpo envelhecido e cambaleante denunciando excesso de álcool e alguma perturbação mental.
-Sou!- respondi já com os olhos de novo fixados no ecrã.
- País lindo, Portugal! Que saudades! Vida barata, governo forte como deve ser, para vergar o povo e não o deixar levantar a espinha.
- Quando estiveste em Portugal?
-  Vivi em Lisboa quase 10 anos. Depois vocês fizeram a revolução e eu voltei para a Argentina...
- E poucos anos depois a ditadura chegou aqui..
- Ditadura na Argentina? Isso é mania da imprensa e dos comunistas. Aqui nunca houve ditadura. Tínhamos um governo forte, como devem ser os governos, porque isso da Democracia só interessa a quem não gosta de trabalhar e prefere viver de subsídios do Estado.
- E como explicas as pessoas raptadas, os desaparecimentos misteriosos, os voos da Morte? 
- Tudo feito pelos comunistas e pela extrema esquerda para culpar o nosso governo...
Não me apetecia entrar em diálogo com um tipo semi ébrio e com ar de louco, que ainda por cima começava a desconfiar ter pertencido ao execrável regime, por isso virei-lhe as costas e voltei a concentrar-me nas notícias. O homem não desarmou
- Os melhores anos da Argentina foram os dos governos militares, mas as coisas boas acabam depressa. Depois vieram o Menem e o Caballo e a corrupção estragou tudo. Tivemos depois uma enorme crise. Ouviste falar do Corralito?
- Estava cá quando rebentou...
- Aquilo foi tudo mal feito. Os miltares não tiveram cojones para tomar conta disto outra vez e vieram os Kirchner que deram cabo da Argentina. Recusaram pagar a dívida ao FMI, os caloteiros, mas dizem que está tudo bem. 
- Bem melhor do que há 10 anos, pelo menos...
- Esta vaca da Cristina está a preparar-se para nacionalizar empresas europeias...
- Lá em Portugal, temos um governo que faz exactamente o contrário.Vende todo o património do país a chineses, árabes, angolanos...
- Deve ser um bom governo, o de Portugal. Aqui  o desemprego aumenta, fecham empresas todos os dias, sem trabalho as pessoas emigram, aumentam os impostos, cortam os salários, a dívida argentina não para de aumentar e o governo diz que está tudo bem! Deviam dar mas era um tiro na louca da Cristina ,prender os comunistas e os juízes corruptos que a apoiam.
Resolvi dar por terminada a conversa, alegando que estava atrasado para um  encontro. Soubesse eu o que sei hoje e ter-lhe -ia dito que em Portugal tínhamos um governo com o mesmo discurso, mas apoiado pela direita e criticado pela esquerda, ao contrário do que acontece na Argentina. Só que esta conversa decorreu em 2007, ou 2008, ainda nada fazia prever que uma dupla de  escroques, apoiada por um chefe de circo sem vergonha, viria a destruir Portugal.

Vida real

Pires de Lima é contra as bolsas de estudo longe da vida real. 
Nuno Crato deve considerar os escritores uns ociosos. E a Marilú? Protagoniza o encarceramento de quem se dedique às Belas Artes?
Neste governo não haverá um único ministro que tenha uma cabeça mais dotada do que uma lagosta?

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Apoiado!

Eu já tinha defendido o mesmo. Pelo menos D. Januário ouviu-me..

Quanto vale um deputado?

Na sexta-feira, a AR foi palco de um número circence da mais fina estirpe. Um grupo de deputados  do PSD ( ao que me apercebi, a maioria mulheres) votou contra a sua consciência e teve o descaramento de fazer uma declaração de voto, confirmando que não votou de acordo com aquilo que pensava, mas sim em obediência ao que o partido lhes impôs.
A maioria destes/as arrependidos tem certamente formação cristã, pelo que estou em crer que fizeram a declaração de voto com o mesmo arrependimento com que se dirigem ao confessionário para pedir perdão por terem encornado o cônjuge eleitor. Sabem perfeitamente que irão continuar a cometer adultério, mas  inspirados na sabedoria popular " o bem que sabe, pelo mal que faz", pediram a absolvição cientes de que serão perdoados pela justiça terrena.
Gostava que alguém me explicasse o que ganha o país, quando paga chorudos salários a gente sem princípios, sem ética e sem moral, cujo único objectivo é apascentar-se à mesa do orçamento, enquanto corta nas pensões e nos salários dos funcionários públicos. Deputados desta estirpe não valem um chavo e deveriam ser obrigados a restituir os seus salários, desde o dia em que foram eleitos, antes de serem expulsos do Parlamento.Emporcalham a democracia, a vida partidária e o país.
Casos há em que os deputados podem argumentar que votaram contra a sua consciência, porque puseram à frente das suas convicções o interesse do país. Não foi o caso de sexta-feira. Aqueles deputados que garantem ter violado a sua consciência, em obediência aos interesses do partido, apenas tiveram um propósito: defender o seu tacho de deputado, à custa do qual alcançam outras prebendas. E, por favor, não me venham dizer que uma  gaja  que afirma isto é muito séria e honesta. Se fosse, tinha extremado a sua posição e tinha-se demitido do cargo de vice-presidente do partido se, por acaso, tiver votado contra  a proposta de referendo ( o que parece não ter acontecido)  Mas como pode uma ex-colaboradora de Vale e Azevedo, que rasgou as vestes em público para defender a honra do ex-presidente do SLB, ser uma pessoa honesta, quando admite quaisquer sevícias, a troco da protecção de quem lhe paga o salário ao final do mês?

domingo, 19 de janeiro de 2014

Mi Buenos Aires querido

Morreu esta semana Juan Gelman, um poeta argentino, grande resistente da ditadura. Nascido em Buenos Aires, em 1930, Gelman escreveu muitos poemas sobre Buenos Aires, cidade que tal como eu amava desmesuradamente.
Aqui vos deixo um excerto de Mi Buenos Aires querido:
"Sentado al borde de una silla desfondada, 
mareado, enfermo, casi vivo, 
escribo versos previamente llorados 
por la ciudad donde nací.(...)" 

E remato com uma pergunta: não vos faz lembrar ninguém?

Desculpem se me enganei...

Soube de fonte fidedigna que no último domingo na Luz, no intervalo do Benfica- Porto, uma filha de Eusébio se deslocou à sala onde estava a comitiva do FC do Porto, para apresentar  cumprimentos a Pinto da Costa e lhe agradecer a simpatia com que o presidente dos Dragões tinha tratado Eusébio e a forma como se tinha referido ao pai, após a sua morte.
Apesar de andar um pouco afastado da leitura de jornais e não ver televisão há mais de duas semanas, não li nada sobre este gesto.Pelo contrário, li notícias criticando as palavras de Pinto da Costa, acusando-o de  ter tratado o Pantera Negra como analfabeto e alcoólico.
Se por acaso algum jornal referiu a situação e me passou despercebido, apresento desde já as minhas desculpas.

sábado, 18 de janeiro de 2014

É preciso dizer-se o que acontece no meu país de sal


Nos 30 anos da sua morte


OS SAPATOS


Enfio os mocassinos do meu tempo nos pés
e piso a senda lenda dos meus antepassados.
Hoje, sou eu que passo o cabo das tormentas nos cafés
quando vomito a Índia nos lavabos.

Se Egas Moniz foi herói
duma bravata bonita
eu sou quem paga o resgate
da história que me limita.

A linda Inês dos meus olhos
foi reposta em seu sossego
não há hidroenergia
que ressuscite o Mondego
não há barragem que estanque
o sonho que é hoje infante
na ponta de um pesadelo.

Ai flores Ai flores de lapela
flores de plástico e de feltro
filigrana caravela
que estás cada vez mais perto
filha de Vasco da Gama
dado como pai incerto.

Partem tão tristes os pés
de quem te arrasta consigo
tão andados      tão modernos
tão vazios de sentido
tão queimados deste inferno
que têm as solas gastas
e o caminho puído.

Partem tão tristes os pés
de quem te arrasta consigo
passeiam
     andam
          desandam
                  param
                    Perseguem
                         persistem
                              caminham
                                      calculam
                                             correm
doem      detêm      desistem.
Partem tão tristes os tristes
tão fora de chegar bem

           

José Carlos Ary dos Santos, “Adereços, Endereços” (1965)

Culpas repartidas

Não culpem só os políticos pela situação a que chegámos. Os vigaristas e corruptos  não se passeariam por aí, de forma altiva, nem chegariam ao poder, se a justiça cumprisse os seu papel.

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Late night wander (100)

 Seguro não faz a mínima ideia onde anda o socialismo. Hollande escondeu-o entre as pernas e anda a distribuí-lo pelas francesas.

O sucessor




No rescaldo do congresso dos javardos do CDS  leio que Pires de Lima, Nuno Melo, Filipe Anacoreta Correia, ou mesmo Nobre Guedes, poderão vir a suceder a Paulo Portas, quando ele for para Hollywood.
Creio que os analistas políticos em Portugal andam um bocado distraídos. O homem no CDS com melhor perfil para suceder a Portas é Pedro Mota Soares. O cretino  da Vespa é a alma gémea de Portas. Explica as medidas que afectam os pensionistas com uma desfaçatez de fazer inveja a um vendedor de banha da cobra na feira de Carcavelos. Mente com a mesma naturalidade do actual líder e acompanha-o no prazer de  se persignar e de papar hóstias para se aliviar dos pecados. Quando profere  aqueles discursos à filho da puta, mantém o facies de santo, defensor dos mais desfavorecidos. Só lhe falta a cabeleira loira do Portas e aquele jeito maneirinho das mãos mas, com o tempo, isso também se há-de arranjar.
Estejam confiantes, centristas. O vosso sucessor está encontrado. Já não se passeia de Vespa e aderiu definitivamente ao fascínio do carro preto com motorista. 

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Rumo certo?

A maltosa do governo já começou a campanha eleitoral  e todos os dias leio notícias eufóricas de um porta-voz de ocasião, garantindo que o governo está no rumo certo. A lenga-lenga vai durar, pelo menos, até às eleições de 2015.
Convém por isso, desde já, esclarecer que ir no rumo certo não significa ir pelo bom caminho. Veja-se este exemplo:
Dois grupos de adolescentes  querem ir do ponto A ( a sul)para o ponto B ( a norte). Ambos sabem que há uma boa estrada que os conduzirá ao ponto onde querem chegar mas  isso obriga-os a percorrer vários quilómetros em torno de uma zona verde preservada que não pode ser violada.
 Um dos grupos opta por atalhar caminho. Traça as coordenadas do ponto B, mune-se de uma bússola e segue através da zona verde.Destroem tudo o que se lhes atravessa no caminho. Estrilhaçam plantas, derrubam árvores, matam alguns animais, mas acabam por chegar ao ponto almejado antes do outro grupo que seguiu pela estrada, para não causar danos na zona verde. Eufóricos, dizem: ganhámos! 
Têm razão, mas deixaram no caminho um rasto de destruição, enquanto o outro grupo, apesar de demorar mais tempo, respeitou a zona preservada. O grupo dos chicos espertos seguiu o rumo certo, mas o outro é que foi pelo caminho certo.
Foi isso que se passou em Portugal nos últimos anos. Sócrates pretendia ir pelo caminho certo e por isso optou pelos PEC para evitar o resgate e fazer um ajustamento menos doloroso para os portugueses.
O governo dos estarolas Passos/Portas optou por cortar caminho. Chegou primeiro, mas fez batota e deixou um rasto de destruição atrás de si. Delapidou o património, destruiu a vida de milhares de famílias condenou à miséria milhares de portugueses e matou a esperança de uns quantos mais.O rumo certo deste governo foi baseado na mentira, na destruição, no compadrio, no favorecimento dos ricos e no desprezo pelos pobres, no constante descartar das pessoas em detrimento da adoração ao dinheiro. Não vejo razão para se sentirem eufóricos mas, desgraçadamente, estão porque conseguiram chegar primeiro. O objectivo, no entanto, não era esse...

Ainda havia dúvidas?

Trichet veio ontem confirmar que se o PEC IV não tivesse sido chumbado, Portugal teria evitado muitos problemas e ( subentende-se...) não teria precisado de um resgate.  Por outras palavras: se a aliança espúria entre esquerda e direita não tivesse derrubado o governo do PS em 2011, os portugueses estariam hoje melhor. Por muito que a comunicação social continue a diabolizar Sócrates ( e eu relembro que aqui no CR  lhe teci duríssimas críticas, mas sempre considerei criminosa a aliança para o chumbo do PEC IV)  a verdade é que ele não pode ser responsabilizado pela política de terra queimada protagonizada pela esquerda, que conduziu este grupo de fanáticos ao poder. Por quanto tempo? Não sei... mas à distância parece-me que a reabilitação da imagem de Coelho que começa a ser feita por alguma comunicação social, só pode ter o objectivo de ajudar a reconduzir o Pedro. 
Para os mais  esquecidos, aqui fica um avivador de memórias 

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Coisas do Diabo

Há dias uma leitora do CR, assumidamente de direita, escrevia na caixa de comentários que, se houvesse eleições, votaria no PC e não no PS.
Conheço várias pessoas de direita, desiludidas com este governo, que dizem a mesma coisa.
 Comove-me este fascínio de muitas pessoas de direita pelo PCP e o ódio que nutrem ao PS. Ainda me lembro de muitas dessas pessoas irem para a Fonte Luminosa apoiar Mário Soares no combate aos "perigosos comunistas" que comiam criancinhas ao pequeno almoço e matavam os velhos com injecções atrás da orelha. Passado o "perigo" comunista, essas mesmas pessoas insultam Mário Soares e acusam-no das maiores barbaridades. Como acusam Sócrates de nos ter conduzido à bancarrota embora, lá no íntimo, saibam que não é verdade.
Estando a direita no poder, essas pessoas já não se impressionam com o facto de o governo estar a condenar à morte lenta milhares de reformados e pensionistas. Eu sei que estão a defender os seus, por isso os compreendo...Custa-me mais a perceber é o ódio ao PS, a quem devem a sobrevivência e a possibilidade de hoje estarem no poder. 
É certo que votar neste PS de Seguro é, além de inútil, apoiar a reconciliação dos amigos circunstancialmente desavindos. Como não vejo qualquer utilidade num bloco central, mas não me passa pela cabeça votar em qualquer um dos partidos de direita... acabo por reconhecer que, afinal, alguém está a escrever direito por linhas tortas, contribuindo para que pessoas com posturas tão diferentes, acabem por convergir nas suas opções, no momento de ir a votos. Pelo menos nas declarações... porque, no dia das eleições,  alguém ( quiçá o padre durante a missa dominical) lembrará o "perigo comunista"  aos habituais eleitores de direita  que ( com pequenas excepções) darão uma segunda oportunidade aos partidos da coligação.
Há coisas do Diabo!  

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Regresso ao futuro


No rescaldo da reunião de iluminados em Oliveira do Bairro, quero prestar homenagem à juventude centrista, pela sua capacidade em demonstrar que já é possível reclamar abertamente o regresso ao Estado Novo e garantir, no mínimo, o silêncio cúmplice dos parceiros da Laranja Mecânica e, muito provavelmente ( mas isso não posso garantir, porque ando longe das televisões) a bovinidade dos comentadores.
Não consigo esconder a emoção quando ouço os nossos governantes  exigir à geração dos avós solidariedade, abdicando das suas reformas e pensões para garantir o futuro aos jovens. Emociono-me, porque estes jovens merecem toda a minha consideração e respeito, pela defesa das conquistas de Abril.
 A redução da escolaridade obrigatória do 12º para o 9º ano e a alteração profunda da Constituição, de molde a extirpar os maus cheiros de Abril e introduzir o perfume do texto constitucional do Estado Novo, são medidas muito sensatas que garantem o regresso ao passado que centristas e laranjinhas tanto anseiam.
Ou seja... é para apoiar  filhos da puta que cospem nos pais e avós que lhes custearam os estudos e satisfizeram todos os caprichos, sem nunca saberem dizer não, que este governo me rouba quase metade da reforma a que eu teria direito? Vão bardamerda! Vão defender os jovens chulos e sem memória para o C@r#£&%! Se eu tivesse um filho nas juventudes governativas que me fizesse isto, obrigá-lo-ia a restituir-me todas as despesas com a sua educação. Vão trabalhar!

O ano de ouro de Passos Coelho

Este ano promete correr às mil maravilhas a Passos Coelho. A primeira semana foi a de Eusébio. A segunda vai ser a de Cristiano Ronaldo. A terceira continuará a ser do bi-bola de ouro, graças à condecoração com que será agraciado por Cavaco.
Logo a abrir Fevereiro, haverá um Benfica- Sporting e, entrementes, outros derbies escaldantes se antevêem para a Taça da Liga, Taça de Portugal e Campeonato. Com sorte haverá polémica nas arbitragens e, se não as houver, lá estará Gomes da Silva para as inventar, ajudando a distrair os portugueses.
Segue-se pausa para a Páscoa e logo de seguida as emoções com as últimas jornadas do Campeonato, as celebrações dos benfiquistas no Marquês, a final da Taça de Portugal e, quem sabe, a presença de uma equipa portuguesa na final da Liga Europa. Temos Carnaval assegurado até meados de Maio.
Esse será o mês em que o relógio de Portas chegará a Zeros e todos celebrarão a saída da troika, ( será que o governo dá tolerância de ponto para festejar?).
Junho e Julho serão animados pelo Mundial de Futebol e, se as coisa não correrem mal, toda a gente estará durante todo esse período distraída diante do televisor. 
Chegaremos finalmente a Agosto e o pessoal vai todo para férias.
Resumindo: até Setembro o país andará entusiasmado com a bola e uma derrota estrondosa da coligação governativa nas eleições europeias, não fará grande mossa. Se o TC chumbar algumas medidas, o governo também não terá razões para se preocupar. Toma outras mais gravosas e ninguém dará por isso.
Com este panorama, por que raio é que Seguro se há-de preocupar em fazer oposição? Como ninguém o ouve, decidiu entreter o pessoal com uma Convenção qualquer, cujos princípios programáticos são tão inteligíveis e vagos como os discursos de Portas.
É provável que lá para Setembro, os eurocépticos estejam em maioria no Parlamento Europeu mas who cares? A Europa é uma coisa distante e a Marine Le Pen uma camarada de extrema-direita  que não colocará em risco a nossa soberania, porque isso é um problema dos franceses. 
Com um ano tão radioso em perspectiva, Passos Coelho deveria ir a Fátima a pé  agradecer à confidente da D. Maria as boas graças com que brindou o governo. Podia até convidá-la para uma aparição na Cova da Iria, agora que se aproxima o centenário da sua primeira vinda a Portugal. Quem sabe se ela não o aconselharia a antecipar as eleições? É que em 2015  as coisas podem não correr tão de feição ao desgoverno...

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Reacções do governo à Bola de Ouro de CR 7

"Incentivado pela conquista  de CR 7, o governo irá discutir, no próximo conselho de ministros, a privatização da selecção nacional, que passará a ter a sede em Madrid"- anunciou  Passos Coelho
"A vitória de Cristiano Ronaldo é a demonstração de que a iniciativa privada serve melhor os interesses da selecção nacional e do país"- disse um Marques Guedes emocionado aos jornalistas. 
" Cristiano Ronaldo veio provar que o governo tem razão quando incentiva os jovens a emigrar"- declarou o sucessor de Relvas 
" Não há razão para o governo gastar verbas no fomento da prática desportiva. Quantos jogadores da selecção nacional jogam em clubes portugueses?"- perguntou Pedro Mota Soares
" CR 7 antecipou a devolução da soberania que estava prevista só para Maio. Vou mandar a JC por o relógio a zeros. Foi uma grande vitória para Portugal a saída antecipada do programa de resgate e devemos agradecer a esse grande patriota que é Cristiano Ronaldo"- disse Paulo Portas enquanto fazia trejeitos com as mãos e piscava o olho a um jornalista.
"Agora temos de investir mais no futebol feminino e incentivar as nossas jogadoras a emigrarem"- opinou Paula Teixeira da Cruz
" Vou propor ao conselho de ministros a criação de uma taxa extraordinária sobre a bola de ouro do Cristiano. Um economista meu amigo disse-me que aquela coisa vai gerar lucros de 7 milhões de euros!"-  anunciou Marilú
" Ao menos ao Cristiano Ronaldo, não é a troika que lhe paga o ordenado"- sentenciou Teresa Leal Coelho

Heróis do Mar ( A epopeia dos Descobrimentos- Parte II)

Hoje quero manifestar a minha gratidão a todos os portugueses que nos últimos dias colocaram os interesses de Portugal à frente dos seus interesses pessoais e, manifestando um espírito de sacrifício notável, aceitaram desempenhar altos cargos em instituições internacionais, para melhor poderem defender o nosso país. Estou certo que a maioria o fará com o mesmo denodo e espírito patriótico de Durão Barroso à frente da Comissão Europeia.
Num futuro próximo, historiadoras de grande reputação como Helena Matos ( ou uma das suas inúmeras descendentes - as cabras e os coelhos reproduzem-se com muita facilidade...) não deixarão de exaltar os feitos destes novos heróis lusos, comparando-os aos grandes descobridores. Não omitirão, certamente, a mais valia do trabalho escravo em ambas as situações, nem deixarão de enaltecer o empreendedorismo e espírito de missão destes nobres portugueses que  orientaram superiormente as hordas de escravos dentro do país e souberam  indicar o melhor caminho  aos que preferiram emigrar.
Presto por isso honra aos nossos futuros heróis nacionais e atrevo-me a sugerir ao presidente Aníbal que os condecore a todos por antecipação, no próximo dia 10 de Junho. Sem esquecer, claro, Oliveira e Costa, Dias Loureiro, Duarte Lima e porque não ele próprio? Há alguma lei que impeça o PR de se condecorar a ele mesmo? ( A vergonha não conta, porque isso é coisa que o sr Aníbal nunca teve)
Aqui fica a lista provisória
José Luís Arnaut andou a vender o património do Estado dos portugueses. Com grande espírito de sacrifício esteve em todas as  operações de delapidação do nosso património, merecendo por isso uma condecoração. Não sei se  terá recebido uma percentagem dos negócios, mas um alto cargo na Goldman Sachs é já uma excelente recompensa.
Vítor Gaspar cumpriu fielmente a função que lhe foi confiada pelo paraplégico Schauble e empobreceu os portugueses. Foi compensado com um alto cargo no FMI.
Hélder Rosalino, responsável pela destruição da Administração Pública, deverá estar na calha para um lugar ao lado de Gaspar.
Suspeito que  à Marilú já tenham prometido um lugar na cama no BCE,  Passos Coelho seja contratado para gerir o FSE ( ele foi exímio a desbaratar os Fundos Europeus na Tecnoforma) e os Angels,  com quem Paulo Portas deverá ter criado fortes laços de amizade nas suas sucessivas viagens a Washington, não deixarão de lhe arranjar um lugar compatível. A vender submarinos? É uma hipótese. Ele é bom nisso, mas acredito que a intenção dos Angels seja outra. Conhecedores do fascínio do líder centrista pelo cinema e da sua capacidade para criar enredos, talvez lhe arranjem um lugar em Hollywod. Quiçá para desempenhar o papel de Catherine Deneuve, que ele tanto ensaiou noutros tempos.
Fica assim demonstrado que o pote de que Passos falava, só será realmente alcançado depois desta escumalha ter destruído o país e vendido os portugueses aos agiotas amigos. Nada que eu não tivesse previsto aqui no longínquo ano de 2011 quando, apesar de tudo, vivíamos melhor.  Mas, nesse tempo, o trabalho escravo era ilegal e até os filhos da puta tinham vergonha na cara!               

domingo, 12 de janeiro de 2014

URGENTE: Vendo apartamento com excelente localização e em óptimo estado

Caros leitores:
A crise também me atingiu e sou obrigado a vender o meu apartamento modesto, mas confortável. ( O automóvel não está incluído, porque não é meu).
Aceito proposta interessante.

sábado, 11 de janeiro de 2014

A prova do crescimento económico

Os números do desemprego dizem que havia menos 0,1 de desempregados em Novembro, do que no mês anterior.
" Se o desemprego baixa há nove meses consecutivos isso quer dizer que a economia está a crescer, há empresas a recrutar jovens e isso é um bom sinal"- pensei eu de imediato, antes de ler a notícia. Depois constatei que afinal o desemprego jovem continua a aumentar e deixei de alimentar ilusões. 
Como também não acredito que as potenciais novas empresas estejam a recrutar para os seus quadros trabalhadores com mais de 40 anos, só posso concluir que há batota nos números. Ou porque omitem os  que estão a frequentar cursos de formação, ou os que emigraram ou, ainda.. os que morreram ou passaram à condição de reformados.
Sobre isto, a comunicação social não investiga. Engole todas as patranhas que lhe impingem e servem de correia de transmissão da trupe de aldrabões.


sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Post dedicado aos tugas

Faz muito bem à saúde mental viver na ignorância do que se passa em Portugal, mas tal só é aconselhável a quem decidiu abandonar a zona de conforto. 
Se o povo é manso - e adora ser manso, para ouvir elogios dos políticos- o problema é dele, não de quem foi obrigado a sair da zona de conforto para ganhar a vida, ou porque não suportava a tacanhez dos seus compatriotas.
 Se os tugas estão dispostos a entregar os seus bens, parte dos seus salários e das suas pensões a um grupo de agiotas e ainda se sentem orgulhosos, por saberem que estão a ser roubados,não tenho nada a opôr. Também há fiéis que entregam os seus bens e parte do seu salário a seitas religiosas, para garantir a salvação da alma. Há idiotas para tudo, mas os  tugas ultrapassam todos os limites da decência!

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Um consenso preocupante

O PR tanto pediu consenso, que  foi ouvido. E por todos os partidos, o que é obra!
Pena foi que esse consenso se tivesse estabelecido para levar Eusébio para o Panteão Nacional. Tenho o máximo respeito e imensa admiração pelo Pantera Negra, mas constatar que num país a caminho da calamidade social, onde aumenta exponencialmente o risco de pobreza, os partidos se tenham posto de acordo sobre Eusébio por mera táctica eleitoral e nenhum tenha tido a coragem de levantar a voz para dizer que o rei vai nu, é algo que me preocupa. Muito!

Mudemos então de Povo

Reflecti um pouco sobre o post anterior e acabei por dar razão ao Lomba: precisamos mesmo de mudar de povo, mas talvez  valha a pena mudar outras coisas.
Sabem mesmo do que eu gostaria?
Gostaria de ter um governo de gente honesta que defendesse os portugueses dos agiotas que nos condenaram ao empobrecimento e governam o país a seu bel-prazer.
Gostaria de ter um governo que não fosse constituído por gente cobarde e traidora, que está vendida aos interesses alemães. É, no entanto, mais fácil acreditar que me vai sair o Euromilhões, do que na possibilidade de os portugueses acordarem e votarem em gente honesta apostada em defender os interesses do país.
Gostaria de ver o povo português reagir, denodadamente, contra a invasão estrangeira, mas isso é tão lírico como acreditar no Capuchinho Vermelho
Gostaria que os portugueses fossem civilizados e conscientes, defendessem os seus direitos e lutassem contra a degradação da sua qualidade de vida, mas isso é tão idiota como pedir a Alexandre Soares dos Santos que volte a pagar impostos em Portugal, ou a Cavaco Silva para ser Presidente da República e cumprir o juramento de respeitar a Constituição.
Por isso, o único desejo que formulo vai de encontro ao do Lomba, mas parte de outros parâmetros. Eu gostaria que o Criador desse um Povo a Portugal, com consciência cívica, capaz de lutar e de perceber que a leitura do Correio da Manha faz mal à saúde.Um povo que compreenda que mudar o país depende dele e não de um grupo de aldrabões a quem deu permissão para se apropriar do pote e distribuir o conteúdo por um grupo de rapazolas amigos.



quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Diário de um idiota (s/n)

Leitor atento enviou-me um mail, avisando-me que Pedro Lomba respondera a este meu post
Como eu temia, o homem  confirmou as minhas suspeitas, mas ultrapassou as minhas expectativas na sua lata argumentativa, ao dizer- ainda que por outras palavras- que a solução para Portugal está em recrutar um  povo decente, porque este não presta

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

O avalista

Só hoje soube que Cavaco não pediu a fiscalização sucessiva do OE. Compreendo. Para Cavaco, o respeito pela  CRP  está subordinado aos mesmos princípios  de aplicação do Código da Estrada. Não se pode estacionar em segunda fila, mas a polícia fecha os olhos porque a madame que estacionou o jeep em segunda fila é familiar de ministro e só foi à farmácia  comprar a pílula para não engravidar.
Para Cavaco, a CRP só deve ser respeitada se não puser em causa os interesses dos amigos do BPN e outras trutas vigaristas que se têm locupletado com o dinheiro  roubado aos portugueses, por iniciativa da dupla Passos/ Portas.
O senhor de fato azul que se faz passar por PR limita-se, pois, a ser avalista de roubos por esticão, mediante a garantia que nenhum dos  entes queridos do BPN e similares - que lhe encheram os bolsos com dinheiro roubado aos portugueses- seja molestado.
O futuro esclarecerá se o sr Aníbal  (não) vai pedir o seu quinhão na repartição de lucros, como recompensa pelo comportamento cúmplice neste forró governativo que legalizou o roubo.

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Fora o árbitro! ( ou um exercício em torno do Coiso)

Vendo na RTP Internacional um resumo do Coiso lembrei-me do Almada e do Mário.
Sigam o link, substituam o Dantas pelo Coiso e outros artistas por outros Coisos e vejam como bate certo.
PQP o(s) Coiso(s). PIM!

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Hoje acordei a pensar...

.. na alegria com que se terão levantado  as pessoas que fazem 65 anos este ano e pensavam que a reforma estava quase a chegar. Não só a sua produtividade ao longo do ano deve ser elevadíssima, como a alegria no local de trabalho, contagiante!

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

É preciso manter as tradições de Ano Novo



Apesar de estar longe, não esqueço as tradições que os meus pais me ensinaram. No dia de Ano Novo devemos mandar fora o lixo e a tralha inútil que só ocupa espaço, dá despesas e atrai bichos que provocam doenças. Desfaçam-se de toda a merda que vos pode encanitar a vida. Depois, não digam que não avisei!