sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Nuno Crato em entrevista ( exclusiva) ao CR

CR: Os estudantes queixam-se que depois de terminarem os seus estudos não têm saídas.
Nuno Crato: Isso é completamente falso e lamento que a comunicação social reproduza como verdadeiras afirmações de um pequeno grupo de agitadores que nós temos perfeitamente identificados. Nunca nenhum governo, depois do 25 de Abril, proporcionou tantas saídas aos estudantes! 
CR: E que saídas são essas, senhor ministro?
Nuno Crato: Olhe, assim de repente, menciono-lhe já três: por terra, por mar e por ar...

Linguagem gestual

Subscrevo!

Gente indigna!

O que mais revolta ao ver as reacções indignadas da direita  ao chumbo do TC é o seu absoluto desprezo pelas pessoas. Indignam-se porque o TC impediu o governo de roubar à má fila pensionistas que trabalharam uma vida inteira, mas remetem-se ao silêncio quando o Tribunal de Contas aconselha  o governo a descer à Terra denuncia esta negociata ruinosa para benefício dos criminosos do BPN,  ou alerta  para o "esquecimento" da cobrança de mais de 1000 milhões de euros de impostos  e, escândalo supremo, ocultou  1045  milhões de benefícios fiscais a grandes empresas (SGPS)
Sobre estes roubos a gentalha de direita nada tem a dizer. Provavelmente, porque aplaude!

E se fosse brincar com o que é dele?



Para algumas crianças, o melhor das brincadeiras é desarrumar e estragar tudo. Assim que o quarto dos brinquedos  está inabitável  e os brinquedos mais originais e sofisticados estão destruídos ou, pelo menos, avariados, abandonam a brincadeira. Na minha terra chama-se a este tipo de crianças "a canalha".
Ora Hélder Rosalino deve ter pertencido a esse grupo de crianças mas, por alguma questão mal resolvida, não saciou o seu  espírito devastador quando era puto, pelo que em adulto continua a gostar de destruir tudo em que mexe.
Foi o que fez com a Administração Pública. Destruiu e, ainda por cima, foi incompetente na forma como o fez.  A sua reforma de Estado faz-me lembrar os brinquedos  que, após a intervenção furiosa dos putos, continuam a funcionar, embora de forma deficiente ( aquela boneca que apesar de ter ficado sem braços e sem pernas, continua a dizer mamã e a gastar pilhas) . 
Agora Hélder Rosalino  resolveu fazer como "a canalha". Cansou-se do brinquedo e vai brincar para outro lado, com outros meninos.