sábado, 30 de novembro de 2013

Uma ideia que merece ser ponderada.

Eu ia poupar imenso dinheiro se alguém abrisse por cá um restaurante destes

É tão simples...

Só quem não sabe a ponta de um corno sobre a História da Europa, ou finge não perceber o que se está a passar, se indigna  com  os avisos de Mário Soares sobre  um crescendo da conflitualidade social que poderá acabar numa escalada de violência.
Mário Soares falou para dentro, mas sabe bem o que se está a passar um pouco por toda a Europa, onde a actuação da classe política e casos como o de Philippe Varin  têm o efeito de bombas ao retardador.
O Papa falou para o mundo. Só aí  reside a diferença entre as palavras de Soares e do Papa Francisco.
Poderá não se gostar de Mário Soares ( eu, apesar de alguns erros que lhe reconheço, gosto e estou certo que a História um dia lhe fará justiça), mas acusá-lo de estar, neste caso, a pensar no seu interesse pessoal é, no mínimo, injusto. Faz no entanto parte de uma manobra orquestrada visando descredibilizá-lo, cujas origens são facilmente localizáveis.

Já não se costura assim...

Madame Yevonde
Costureira no Verão de 1937