quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Resumo do dia: o guionista

Se queres transformar um líder partidário defensor dos pobrezinhos, dos reformados e dos desvalidos,num pateta, oferece-lhe um gabinete com vista para o Jardim Zoológico e manda-o fazer um guião.

49-13-64



Não, não são as novas  medidas exigidas a uma top model. Trata-se de uma combinação azarada  para muita gente. Passo a explicar:
Quem nasceu em 1949 completou ( ou vai completar) 64 anos  em 2013. Muitas dessas pessoas esperavam poder pedir a reforma já em Janeiro, pois vão fazer 65 no próximo ano. AZAR! Acabam de ser informadas de que só terão reforma quando o Coelho quiser.
 Porquê?
 Porque o esquizóide que prometeu f...., digo, lixar o país ordenou aos capangas que às vezes sentam o rabo em S. Bento, que aprovassem uma lei  que faz depender o aumento da idade da reforma da esperança de vida- o famigerado factor de sustentabilidade. 
Quer isto dizer que o governo pode acrescentar todos os anos um ano (ou mesmo mais) à idade da reforma, pois o factor de sustentabilidade não assenta em critérios científicos, mas sim político-contabilísticos. In limine, muitas dessas pessoas poderão nunca aceder à reforma ou, na melhor das hipóteses, em 2016 se o PSD não ganhar as eleições em 2015. 
Não pensem que se trata de uma hipótese descabelada. Este governo já no ano passado quebrou a regra do aumento da idade da reforma em seis meses por ano, determinando que a reforma só podia ser pedida aos 65 anos.
Os nativos de 1949 arriscam-se, por isso, a passar o resto da vida como os burros atrás da cenoura. Os  que nasceram depois, também, mas isso já não faz parte da minha história...

Não se zangue, senhor Presidente!



Não vale a pena zangar-se, senhor Presidente.Aquela cena de ontem no Alfeite foi demasiado feia para uma pessoa que se intitula presidente de todos os portugueses. Sabe, tão bem como eu, que é mentira.  O senhor é chefe de governo por interposta pessoa e essa é a maior anormalidade de um país que o senhor quer que seja normal. Há ainda outra singularidade. O senhor patrocina um governo chefiado por um aldrabão de feira e nós não sabemos o que está a receber em troca, para além de alguns silêncios.
Já agora, permita que lhe lembre uma coisinha...
Lamento mas, por muito que insista, bastou-me nascer uma vez para saber que sou mais honesto do que o senhor. Porque sou transparente e não tenho nada a esconder sobre a minha conta bancária.
Lamento, mas continuo a confiar mais nas imagens do que nas suas palavras. Enquanto não me explicar direitinho como ganhou dinheiro com aquelas acções da SLN oferecidas de bandeja pelos seus amigos que roubaram os portugueses, as imagens que ficam para mim são estas. 



E os factos são estes: Vocelência já jurou duas vezes em falso, não cumprindo a Constituição. Logo, é muito mais do que um ALDRABÃO! Por que razão haveria eu de acreditar que o senhor é honesto, se não hesita em quebrar o juramento de defender a Constituição, para proteger os seus amigos?

Kim Jong Un está entre nós. Aleluia!

Funcionária do MAMOT antes de tirar a gravata


Enquanto esteve a dar de mamar à cria, Assunção Cristas  teve tempo para responder ao apelo de Portas que, antes de se declarar “irrevogável”, pedira aos  ministros do CDS que fossem criativos.
É certo que Cristas já dera mostras da sua criatividade ao proibir as gravatas no ministério ( com os resultados que se adivinham através da imagem  captada na Net) ou  dando início a uma série de profissões de Fé  em que este governo é fértil, ao ensaiar a dança da chuva para resolver os problemas da agricultura.
Cristas -  diligente funcionária de Portas- prometeu responder ao desafio do chefe e aproveitou a licença de maternidade para ler livros, onde procurou  ideias.  Para nosso azar, encontrou, mas andou a ler os livros errados...
Cristas terá lido que na China os casais só podem ter um filho ( há sempre livros que deturpam parcialmente a verdade sem mentirem, como faz habilmente o nosso PM)  mas não querendo sugerir uma medida que a penalizaria pessoalmente, optou por limitar o número de animais domésticos por apartamento.
Má ideia! Essa lei já existia e as inovações engendradas por Cristas restringiram-se ao número de animais permitidos, que passou a ser de dois cães e quatro gatos.  Se Cristas tivesse pensado um pouco mais e melhor, teria aproveitado para inovar noutra vertente: estabelecer o número de animais de acordo com a área do apartamento. Isso, porém, só poderia ter alguma lógica, caso o governo não fosse liberal. Assim, limitou-se a interferir na vida das famílias. No entanto, talvez a medida não seja demasiado abstrusa, pois pode indiciar que, a breve prazo, o governo se prepara para aplicar a medida de proibição de fumar em condomínios.
Cristas teve ainda outras ideias. Uma das já conhecidas, visa limitar as promoções comerciais.  Não deixa  de ser curioso ver  um governo que defende a livre concorrência, impor limite às promoções comerciais. Para proteger os produtores- dizem eles.
Obviamente que a razão não é essa mas, por uns instantes, eu finjo que acredito, só para os desmascarar.
Um governo liberal, mesmo  preocupado com os pequenos produtores, não impede os grandes distribuidores  de fazerem as promoções que bem entendam, pois está a prejudicar os consumidores.
Um governo ultra –liberal, se tiver um mínimo de decência, explica aos produtores como se devem organizar para impedir o esbulho dos distribuidores. Infelizmente, Cristas não leu Sérgio!
Admito, no entanto, que  estas medidas anunciadas por Cristas não sejam  totalmente desprovidas de estratégia. Na verdade, podem significar  que este governo de ultra liberais gosta de regimes  totalitários, como o norte coreano. Talvez seja isso a que o João Almeida chama fascismo higiénico...

Passos podia aprender a lição

Achincalhado pelo presidente da FIFA, Ronaldo reagiu à letra. Sem subserviência, mostrou que o rei vai nu. A FIFA é, como a UE, um mero jogo de interesses manipulado pelos poderosos que deturpam a verdade a seu bel prazer.
Com a sua atitude, Blatter acabou por dar  razão a Mourinho, quando ano passado acusou a FIFA de manipular as votações para o melhor treinador do mundo ( Não custa acreditar que o mesmo se passa  com a escolha dos jogadores)
Para além da reacção dura de Ronaldo, também o presidente da FIFA e do Real Madrid exigiram um pedido de desculpas a Blatter e ele retratou-se.
Isto podia servir de exemplo para Coelho e Marilú, mas os nossos governantes optaram por outra estratégia. Chegam a Bruxelas, baixam as calças e convidam os parceiros a servirem-se à vontade. No final, ainda agradecem a generosidade de terem sido enxovalhados.

E vão mais dois...

Play time é, talvez, o melhor filme de Jacques Tati, um realizador que não poderia deixar de constar desta lista de homenagem ao cinema francês.