segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Quem se atreve?



A copiar a ideia do escultor checo David Cerny? 
Aceitam-se sugestões para a localização

Da escassez de neurónios no mercado liberalizado

Os leitores que me acompanham há mais tempo sabem que nunca fui à bola com o ex-PM e aqui lhe teci duras críticas.
Apesar disso, a entrevista ao "Expresso" é uma lufada de ar fresco. Não só por ter posto nomes aos bandalhos que nos governaram ( Relvas e Santana), ou ter  lembrado as pulhices de Cavaco - mentor do chumbo do PEC IV e do golpe de Estado constitucional que desde então vem promovendo-  e do colaboracionista Coelho, mas principalmente porque naquela entrevista se pode fazer uma comparação entre o ex e o actual primeiro ministro.
Sócrates é culto,  tem conteúdo político e intelectual. Fundamenta o seu discurso de uma forma rectilínea.
Passos Coelho é o exemplo acabado do nihilismo dos "tipos que nunca fizeram um corno" ( Carlos Silva, líder da UGT, sábado ao Expresso). Uma mente vazia. Naquele neurónio que ocupa a única assoalhada do seu cérebro apenas há espaço para o ódio e vingança. O homem não tem  consistência ( nem competência) para defender o seu processo revolucionário. É uma marioneta dos interesses instalados, de quem espera receber o respectivo tributo. É um idiota investido no assalto ao pote, como chefe de uma cáfila comandada pelo Okupa de Belém. Ali não cabe um pensamento que extravase o universo dos imbecis. Apenas a noção de que é preciso ser servil para alcançar os objectivos que o animam. É desta massa que se fazem os cérebros dos traidores. Cavaco, Coelho, Portas et alii foram fabricados num formato que só conhece duas dimensões: a traição e o ódio. Precisamos, urgentemente, de mudar de forma!
Quanto às reacções da direita, a explicação está aqui. Clarinha como água

Madame Vasconcelos

Uma tal senhora de Vasconcelos, certamente descendente do Miguel defenestrado em 1640, convocou uma manif de apoio à troika. 
Presumo que a senhora esteja a satisfazer um pedido de Passos Coelho que sempre afirmou ter muito gosto em governar com a troika. Cansado de ouvir Paulo Portas a reclamar a expulsão dos invasores em Junho, o nosso primeiro sentiu necessidade de responder à letra, prestando vassalagem aos que governam por ele e sustentam o seu programa de traição ao país. 

Pacto de sangue

Enquanto Marques Mendes apelava ao bom senso dos deputados do PSD, Cavaco Silva respondia em directo do Panamá. Durante uma conferência de imprensa manifestou-se orgulhoso por não ter pedido a fiscalização preventiva dos anteriores OE e deu a entender que este ano faria o mesmo, a bem do país.
Só tenho uma interpretação para as declarações do Okupa de Belém.Cavaco Silva já estará, porventura, arrependido por ter dado posse ao segundo governo PSD/CDS. Percebeu, obviamente, que PPC lhe mentiu quando prometeu que as medidas susceptíveis de inconstitucionalidade seriam apresentadas à margem do OE 2014.
O PR não quer, porém,  reconhecer o seu erro e dar o braço a torcer. Assim, terá feito um pacto de sangue  com PPC , acordando que não pediria a fiscalização preventiva do OE. Resta saber o que terá exigido Cavaco em troca, mas não é difícil de adivinhar...
 Assinado o pacto,  o PM decidiu  jogar no Euromilhões e  avançar com uma série de medidas que sabe serem inconstitucionais. Qual o objectivo?
Não sendo pedida a fiscalização preventiva, o TC demorará muito mais tempo a decidir e o governo espera que acabe por tomar uma decisão idêntica à de 2012. Ou seja, considerar as medidas inconstitucionais, mas aceitar  excepcionalmente a sua aplicação em 2014.
Se o TC só decidir lá para Maio, mas em sentido inverso às expectativas do governo, isto é, chumbando medidas como o aumento do horário de trabalho e os cortes nos salários e pensões então o governo pode tomar a decisão que já aqui avancei, se os resultados das europeias não lhe forem muito desfavoráveis. Se ganhar, fica com mais espaço de manobra para exercer a sua vingança sobre os portugueses. Se perder, quem vier a seguir que se amanhe.

Conversas com o Papalagui (71)

- Ó tuga a vida esta a correr-te bem!
- Porque dizes isso Pa?
- Carro novo, fatinho dernier cri e, segundo me disseste, vais comprar casa nova...
- Eh pá pedi um empréstimo ao banco.
- E como é que vais pagar se estás desempregado?
- Tenho esperança que o dono do meu banco seja  como o Oliveira e Costa e quando a dívida for para tribunal ele já não se lembre...