quinta-feira, 26 de setembro de 2013

O exemplo destes jovens deixa-me mais descansado em relação ao futuro!



Isto passa-se na Guarda ( durante as praxes académicas).Europa. Século XXI. Inimaginável!

É muito difícil acreditar que esta gente vai um dia estar à frente de turmas de crianças ou de jovens, à frente de serviços públicos ou de empresas. Ou sentada na mesa de um tribunal. Ou nas cadeiras da Assembleia da República. Ou dos destinos das autarquias. No Governo, já não custa tanto a imaginar.

"...Os caloiros são obrigados a comprar leite, farinha, ketchup, maionese, ovos, etc. Levam com papas k contêm urina, fezes, vomitado e por aí adiante... É mt mt mt vergonhoso! A maioria das vezes praxam os caloiros no chafariz da Dorna por ser um sitio escondido..." - (num post de Maria Helena Dias Loureiro)
Roubado no FB 
PS: São estes jovens que vão para as Universidades de Verão das Jotinhas ouvir tipos como este dizer que andam a ser roubados pelos velhos?

Obscenidades


Estou cada vez mais conformado. Já nem considero que a obscenidade esteja na reforma de Rui Machete. Verdadeiramente obsceno- para além da promiscuidade entre poder político e financeiro- é acumular cargos em 31 instituições. Cinco das quais eram concorrentes...

O que nos distingue dos gregos

Os tugas deixam-se conduzir por este governo para o matadouro, como cordeirinhos. Quando nada tiverem, vão começar a balir, mas ninguém lhes dará atenção. Fazem figura de idiotas.  Ao menos os gregos dão luta e tentam resistir. Com dignidade.

Domingo à noite: o cenário das vitórias de Pirro

Abstenho-me de fazer prognósticos sobre as autárquicas, ou cogitações prévias sobre o que será uma vitória e uma derrota  de partidos do governo e da oposição. 
Creio que muito mais interessante do que esse raciocínio especulativo  dos comentadores encartados, é tentar – com base nas sondagens conhecidas-  antecipar o cenário pós eleitoral  em alguns concelhos, onde os independentes vão baralhar as contas e atrapalhar a vida aos  vencedores e/ou aos seus partidos de origem.
É muito provável que no domingo à noite  haja vencedores com sorriso amarelo e vencidos com um sorriso de orelha a orelha.
Escolhi para amostra os concelhos de Porto, Matosinhos, Gaia,  Sintra, Loures  e Oeiras.
Porto-  A vitória de Luís Filipe Meneses parece  certa  mas - tudo indica - será escassa. O PSD irá, muito provavelmente, cantar vitória , os holofotes televisivos  vão incidir sobre ele na noite de domingo, mas na segunda-feira vai ter um grande problema para resolver. Com quem se vai coligar para garantir a governabilidade da Câmara? 
Partindo do princípio que Nuno Cardoso  não elegerá nenhum vereador ( ele só está na corrida para fazer o jeito a Meneses e atrapalhar a vida do PS) LFM terá de se coligar com o PS ou com o independente Rui Moreira (apoiado pelo CDS). Seria a aliança natural, pois repercutiria a nível local a aliança governativa.  No entanto, se Rui Moreira – há muito bastante crítico deste governo-  tiver algumas ambições políticas que extravasem a cidade do Porto, uma aliança com LFM é pouco provável. 
E que fará  nesse caso o PS? Dará a mão a Meneses?  Seria um suicídio para um partido que está a perder  influência no Norte- principalmente no Porto e em Braga, velhos bastiões socialistas. 
Estou convencido que a aliança entre PSD  e os independentes de Rui Moreira será a solução mais provável mas, para isso, LFM terá que fazer bastantes cedências. 
A alternativa – improvável, mas nem por isso impossível  - seria uma aliança entre PS e Rui Moreira . Poderia funcionar como balão de ensaio para uma aliança governativa entre socialistas e centristas após 2015 e deixaria de fora o vencedor laranja. Mais credível será a hipótese de- caso LFM não consiga fazer alianças- novas eleições para o Porto a breve prazo.

Gaia- Na outra margem do rio Douro o cenário é idêntico, mas a correlação de forças é diferente. O PS deverá ser o vencedor e o independente Guilherme Aguiar  ficará em segundo, completando-se o pódio autárquico com  o candidato do PSD, Carlos Abreu Amorim.
Também aqui  não haverá maioria absoluta e os independentes servirão de charneira a uma solução governativa em Gaia. Para que lado cairá Guilherme Aguiar- candidato rejeitado pelo PSD local?  
Tenho poucas dúvidas. Aliar-se-á mais facilmente ao candidato do PSD- apesar das fortes marcas  provocadas pelo processo pré-eleitoral- do que ao PS. Poderemos estar, por isso, perante o caso de um outro concelho onde o vencedor  não irá ter a vida facilitada e o cenário de novas eleições poderá ser encarado. Há, porém, uma nuance interessante. Caso  o PS não consiga alianças e a câmara se torne ingovernável, obrigando a novas eleições, é muito provável que o candidato escolhido pelo PSD seja… Guilherme Aguiar!

Matosinhos- Apesar de uma grande recuperação nos últimos dias do candidato do PS ( o inenarrável Parada) as sondagens indicam que  Guilherme  Pinto - actual presidente da Câmara eleito em 2009 pelo PS-  será o vencedor, seguido de Parada.   
O PS viabilizará o mandato do actual presidente, aliando-se a Guilherme Pinto? Se o não fizer estará a dar mais um tiro no pé e, a norte, os socialistas já se auto flagelaram demasiadas vezes. É altura de ganharem juízo. 
Apesar de as coisas estarem mais clarificadas em Matosinhos, do que em Gaia ou no Porto, as contas podem complicar-se se Parada for o vencedor.
( Amanhã farei a análise de Sintra , Loures e Oeiras)