quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Sobre a mentira ( to whom it may concern)

Vejamos o que dizem psicólogos e  psiquiatras sobre a mentira.
Começo pela psicóloga brasileira  Erica Priscila Zia:
"O medo da revelação da verdade e de suas consequências negativas pode levar uma pessoa a mentir.
Muita gente pensa que mentiroso é mentiroso em qualquer situação e momento, mas existem diferentes mentirosos: o mentiroso patológico e o mentiroso comum.
Segundo Erica, o mentiroso patológico, também chamado de mythomaniacs, diz mentiras involuntariamente e cria uma falsa sensação de realidade em sua própria mente, e acredita que todas as mentiras que ele esta dizendo é realmente verdade. Já o mentiroso comum muitas vezes quer somente alegrar alguém, se inserir em algum grupo ou sociedade e por isso acaba mentindo, já que tem vergonha ou mesmo não tem a capacidade de assumir quem realmente é.
Em alguns casos, a mentira se torna preocupante quando traz prejuízos às outras pessoas e aí sim há a necessidade de tratamento.
 A mentira passa a ser preocupante quando a pessoa acaba perdendo o controle do que diz e passa a não medir as consequências, prejudicar outras pessoas além de si mesma. A melhor forma de uma pessoa que mente se tratar é, em primeiro lugar, ela estar disposta a cuidar de sua auto-estima e auto-aceitação, processo que se realiza em terapia”, explica Zia.

Já segundo Adriano Resende Lima, mestre de psiquiatria  da universidade de S. Paulo:
"Viver em um ciclo de mentiras e fazer delas um modo de viver é um problema. 
A pessoa cria situações falsas, vivencia a mentira, cria uma realidade paralela e acredita nela", explicou Lima. Os sintomas podem se assemelhar aos da esquizofrenia, mas enquanto na mitomania a pessoa se sente confortável e realizada com a realidade paralela, na esquizofrenia ela sofre de paranoia. "Os funcionamentos são muito distintos, a esquizofrenia está ligada ou neurodesenvolvimento e tem vários estados de delírio, a mitomania é mais ligada ao funcionamento psíquico", disse ele.

Uma duvida que me atormenta

Tenho ligado pouco o televisor por estes dias mas, quando o faço, vejo sempre o Coelho a falar entre sorrisos sibilinos que me soam estranhos. Tenho dúvidas se é o sorriso dos idiotas ou dos néscios... mas esta enrevista do padrinho à TSF, de que só tomei conhecimento ontem à noite, faz-me acreditar que seja um sorriso néscio.
É melhor para o Pedro, mas não me deixa nada descansado...