quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Grandes autores (3)

Albert Camus (1913-1960)


Curta foi a vida de Camus, mas extensa a matéria de reflexão que nos deixou nos seus livros. Entre eles, dois que todos os jovens deviam ser obrigados a ler: “ O Estrangeiro” e “A Peste”. 
Mais de meio século passado sobre a sua publicação e a morte de Camus, “O Estrangeiro” continua a ser um sucesso de vendas e a sua leitura recomendada por muitos professores.
A classificação de romance  como existencialista sempre desagradou a Camus, o  jornalista  breve militante comunista que sempre rejeitou as modas dos tempos e desconfiava de todos os poderes, independentemente  da  sua marca ideológica. 
Em “A Peste” , Camus evidencia os males pestíferos do século XX. Se ainda fosse vivo, talvez o reescrevesse, apenas com umas ligeiras diferenças.  
Li estes dois  livros na adolescência. Ficaram para sempre gravados na minha memória, com a anotação de que os deveria voltar a ler em adulto.  Com outro olhar. É o que estou a fazer neste momento.  Comecei por “A Peste” e seguir-se-á  “O Estrangeiro”.  Se tiver oportunidade e o encontrar por aí à venda, ainda vou revisitar " O Mito de Sísifo", um notável ensaio filosófico sobre o homem fútil que procura um sentido na vida.
Para trás fica uma pilha de livros ainda por ler, mas  há alturas em que é melhor optar por voltar ao passado,  para melhor podermos compreender e interpretar o presente e percepcionar o futuro.
Albert Camus recebeu o Prémio Nobel em 1957. O próprio terá ficado surpreendido, porque André Malraux e Jean Paul Sartre eram apontados como os favoritos.

Vê lá se te decides pá!

Those were the days (5)

 Em Esquel, momentos antes de embarcar no Patagonia Express

São tão básicos, que até metem nojo!

Finalmente o Pais Jorge arrumou a cesta e lá regressou à sua profissão, onde irá em breve encontrar novas vítimas para esmifrar. 
Palpita-me que se não fosse a reiterada insistência da SIC e da Visão em desmontar o esquema urdido pela Marilu na reunião que teve ontem à noite com o secretário de estado, Passos Coelho o manteria em funções. 
Aquele comunicado que nunca chegou às redações, os telefonemas afogueados para jornais, rádios e televisões ao bater da meia noite, anunciando o envio de um comunicado que não chegou, a vitimização, a intriga e a conspiração  são parte de um argumento talhado para os filmes que esta gente que nos desgraça viu em abundância durante a adolescência. 
Foram assim criadas as condições para que o secretário de estado anunciasse o seu pedido de demissão, vendendo a imagem de uma pessoa digna e honesta, vítima de uma terrível conspiração. Foi um plano tão básico e pueril  que até mete nojo. 
O governo não tinha necessidade de encenar estes enredos. A substituição de um secretário de estado não é um problema. A lista de vigaristas do PSD é extensa e ainda há muitos à espera que o telefone toque...

Palhaçadas! (Em actualização)

Actualização às 11h.05m 
Director da Visão demonstra como o governo está a tentar encanar a perna à rã e se enrolou numa teia de mentiras 

Pais Jorge começou por negar ter estado presente nas reuniões com assessores de Sócrates, depois disse que não se lembrava, mas ontem à noite acabou por confessar que realmente tinha estado presente. 
Ontem, o Lomba anunciou praticamente a demissão de Pais Jorge até ao final do dia.
Ao princípio da madrugada de hoje veio a notícia bombástica: o governo garante que o documento que comprova a presença de Pais Jorge nas reuniões com o gabinete de Sócrates foi manipulado.Ou seja: Pais Jorge reconheceu que esteve presente nas reuniões mas isso foi apenas para esconder que o documento tinha sido  manipulado! É o que se depreende deste número de malabarismo, já que o governo não desmente a presença de Pais Jorge nas referidas reuniões. Nem o podia fazer, obviamente...
Esta malta está a querer enganar quem? As mentiras sistemáticas para encobrir a podridão moral  já entram no foro da psicopatia. Tornaram-se perigosos e entraram numa escalada imparável que nos conduzirá à desgraça.
O Aníbal vai nesta treta?  Continua a confiar na palavra desta gente e a aparar estes jogos de palavras e números de circo?
Ah, pois, já me esquecia... o BPN é uma chatice, não é?
E o Lomba? Demite-se ou continua a fazer figura de idiota?

Em tempo: o comunicado que o governo  - poucos minutos depois da meia noite- garantia ter enviado às redacções ainda não tinha chegado a nenhum órgão de comunicação social às 2 da manhã. ( Provavelmente extraviou-se...)
José Gomes Ferreira garantia às 2 da manhã, na SIC Notícias, que  nada se alterava com esta palhaçada, e reafirmava  que pode confirmar Pais Jorge esteve nas reuniões com assessores de Sócrates.
O governo continua a mentir. E Cavaco a tomar banhos de sol, como se tudo isto fosse normal!