sexta-feira, 26 de julho de 2013

O crescimento começou hoje

Gaspar disse há umas semanas que tinha chegado o momento do crescimento. Portas exigiu crescimento e Coelho prometeu que essa seria a aposta deste governo daqui em diante.
Empossados esta tarde os secretários de estado, o elenco ficou completo e Coelho pode dizer, sem mentir,  que começou hoje a cumprir a promessa. Cresceu o número de ministros, secretários de estado, assessores, secretárias, especialistas e demais apêndices dos gabinetes.
A vida está  boa para os boys.

O novo ciclo, afinal, é uma golpada para derrotar as forças de bloqueio



Falhada a tentativa de amarrar o PS a um compromisso que o obrigava a aprovar incondicionalmente o OE 2014,  Passos Coelho contou com a colaboração de Cavaco para criar a ideia, na opinião pública, de que o governo vai mudar de rumo e entrar na fase de crescimento.
Persiste, porém, um  problema. Sem a anuência do PS ao acordo, é mais difícil  condicionar o TC  na decisão sobre normas inconstitucionais que o governo se prepara para introduzir no OE 2014.  Entrou então em acção o novo Relvas e “o Sol”, na sua edição de hoje, começou a fazer o trabalho de sapa ( ver capa) . 
O semanário do arquitecto aspirante a prémio Nobel noticia que o governo vai avançar com os cortes e alterar as regras de aposentação dos pensionistas do Estado.  No núcleo duro do ‘passismo’ há plena consciência de que os cortes nas pensões do Estado representam uma enorme dificuldade, desde logo no plano constitucional” escreve o Sol.
O semanário tem ainda o cuidado de informar que “o governo não tem opções, no caso de haver dois ou três chumbos do TC”. 
É esta frase que deixa perceber a golpada que Passos terá congeminado com Cavaco.
Em primeiro lugar, colocar a toda a hora, nas televisões e imprensa, comentadores do regime a enaltecer este governo e a entrada num novo  ciclo, de modo a criar na opinião pública a sensação de que finalmente temos um governo credível, apostado no crescimento e em amenizar as medidas de austeridade.
Se, daqui a uns meses, o TC chumbar algumas medidas do OE, o governo demite-se alegando que o TC não o  deixa governar. Está assim criada a “força de bloqueio” , imagem tão cara a Cavaco.  
Demitido o governo  e convocadas novas eleições, a campanha eleitoral dos partidos da coligação assentará na vitimização:
 Estão a ver ?  Agora que  íamos começar um novo ciclo de crescimento, o TC opõe-se a que apliquemos as medidas necessárias para o conseguir. Quem fica a perder são os portugueses, vítimas dacegueira dos juízes, amarrados à Constituição e incapazes de perceberem os problemas do país. Precisamos de uma vitória claríssima nas próximas eleições, para impedir o PS de vir estragar aquilo que construímos ao longo destes dois anos com muito esforço e muitos sacrifícios dos portugueses, que não terão  valido de nada se  o PS vencer as eleições.
No governo há muita gente que aposta nesta estratégia. E se tiverem razão?

Juca Chaves era um visionário


Há dias escrevi um post a anunciar que o paraíso estava mesmo ao virar da esquina. Não esperava era encontrá-lo tão depressa, nem  saber  a notícia durante uma viagem de metro.
Com efeito, quando ontem abri o jornal Metro, deparei com a notícia:
País é “paraíso” da infidelidade.
 Fui de imediato ver qual era o país e, surpresa, não é que é mesmo Portugal? Somos os campeões dos/as cornudos/as e, o que é mais importante, gostamos.
Uma sondagem  revela  que 56% das mulheres e 68% dos homens portugueses são danadinhos por umas facaditas matrimoniais.   Para os interessados há um site que dá uma ajuda, incentivando os relacionamentos extra conjugais . O mercado português é, segundo a mesma fonte, um dos mais procurados para as cerimónias do encornanço, estando o site a ter imensa procura.
Na opinião de Noel Biderman, fundador do Ashley Madison, esta apetência deve-se à acrise “ causadora de insatisfação e mal estar entre os casais, o que leva ( os cônjuges) à procura de novos estímulos” ( para se sentirem mais felizes).

Razão tinha o Juca Chaves quando há mais de 50 anos cantavaesta canção. Era um visionário!

Miguel Relvas deixou crescer a barba e...



... está com ar betinho, mas o discurso é o mesmo: o elogio da javardice, o jogo de palavras, a desculpabilização da mentira, a chicana. Poiares Maduro não tem dignidade, nem honra, nem pinta de vergonha na cara. É mais um dos garotos sem coluna  vertebral que conspurca as instituições e delas se serve única e exclusivamente por interesse pessoal.
Com que então não interessa se a loira mentiu numa Comissão Parlamentar, srMaduro?
(Foto Via Vaivem)