domingo, 21 de julho de 2013

Humilhado


No dia 10 de Julho o governo  de iniciativa presidencial PSD/CDS estava morto e desacreditado. Cavaco Silva saiu então em defesa da sua dama e jogou forte para a salvar. Deu uma cenoura a Seguro, mas exigiu-lhe que assinasse com o seu governo um acordo que, na prática, retiraria ao PS a possibilidade de ser alternativa. 
Ao tentar este acordo, Cavaco apenas pretendia recuperar a sua credibilidade junto dos portugueses e fugir à humilhação de ficar na História como pior PR da democracia portuguesa e aquele que, deliberadamente, contribuiu para o pedido de resgate e suportou até à exaustão um governo da sua iniciativa.
Acredito que  PPC e Seguro tenham dado garantias a Cavaco de tudo fazerem por um acordo, mas nenhum deles terá entrado de boa fé  neste espectáculo que manteve o país suspenso até hoje.
Na quinta-feira, PPC fez questão de mostrar ao país que tinha metido Cavaco no bolso. À tarde na AR e à noite na patética comunicação ao país durante o Conselho Nacional, anunciou claramente que não assinaria nenhum acordo e qual seria a decisão de Cavaco.
Derrotada a sua estratégia, Cavaco só tinha duas opções: ou demitia-se ou fazia o que Passos Coelho lhe exigia. Convocar eleições antecipadas significaria ter de conviver com um novo governo PS e o reconhecimento de mais uma derrota.
Foi penoso ver Cavaco esta noite. Como um palhaço que vê o seu número suscitar indiferença nos simpatizantes e pateada nos seus detractores, o PR fingiu que estava a ser aplaudido por todos. No seu íntimo, porém, sabe que todos o apupam.  Ainda ensaiou o número de que a partir de agora, vai ser ele a impor a política que o governo deve seguir. Pobre coitado! Não sabe que as regras constitucionais do circo, não lhe permitem essa veleidade.
A humilhação de ser obrigado a manter em funções este elenco, sem sequer ter o alibi de ter conseguido o tão propalado consenso com o PS, foi o preço que teve de pagar por ter afrontado PPC. Mas nem tudo será mau. Resta-lhe a consolação de o caso BPN continuar remetido a um silêncio ensurdecedor. Caso contrário, a humilhação poderia ser ainda maior...

Adenda: Vale a pena rebobinar estes 20 dias e recordar alguns episódios que já terão caído no esquecimento de alguns. Amanhã, depois de regressar a Lisboa, tentarei esse exercício de memória.

Um Anjo desceu sobre Belém

Cavaco bem rezou, mas desta vez não houve milagre de Nossa Senhora de Fátima. No entanto ontem, durante a sesta do presidente, um anjo desceu sobre Belém e deixou-lhe esta mensagem. 
Cavaco meditou bastante,rasgou o discurso que tinha preparado para a noite de sábado e preparou um outro para hoje.
Decidiu perdoar as ofensas de Passos, desistiu de se vingar de Portas e vai aceitar a remodelação que guindará o líder do CDS a vice primeiro ministro. Só ainda não decidiu é se vai ser por um ou dois anos...

O benefício do infractor

Por estes dias alguns comentadores comportam- se  como os juízes do Dubai.

Le premier bonheur du jour

Neste domingo deixo-vos com Eduardo Galeano.
Tenham um bom domingo e, se tiverem tempo, pensem durante uns minuto nas suas palavras, porque todos temos direito ao delírio e à utopia.