segunda-feira, 8 de julho de 2013

O vomitório


Foto roubada ao der terrorist

Depois destas cenas deprimentes,  a tarde de domingo presenteou os portugueses com um espectáculo degradante!
A missa de entronização de D. Manuel Clemente como cardeal patriarca de Lisboa, foi um momento vergonhoso da nossa História democrática e coloca muitas reticências em relação à "vontade" de D. Manuel pretender demarcar-se do seu antecessor.
O poder político foi prestar vassalagem ao clero, a nobreza aplaudiu o poder político ( não sabia que na casa de Deus se permitiam essas manifestações) e no final, depois de receberem a bênção do clero, nobreza e poder político reuniram para castigar o povo, impedido de entrar na casa de Deus.  Vão mas é todos rezar para a casa de Irene!

(In)coerências

A última impressão digital deixada por Paulo Portas no MNE, foi a proibição de autorizar uma escala técnica do avião de Evo Morales, que regressava à Bolívia depois de uma viagem à Rússia.
A decisão  deixa antever em boa parte, a actuação do futuro vice-primeiro ministro que Cavaco empossará sem vergonha e, quiçá, um sorriso nos lábios. 
Mas, por agora, não é isso que interessa. O importante é lembrar que o governo de coligação PSD/CDS que agora barrou a passagem a Evo Morales é o mesmo ( embora com um protagonista diferente- Coelho substitui Barroso) que autorizou a escala técnica de aviões norte-americanos que levavam presos para Guantanamo, numa violação clara do direito internacional.
Ou seja, PSD e CDS autorizam o abastecimento em território nacional de voos que conduzem homens para a morte ou apodrecimento em Guantanamo, mas proíbem que o avião de Evo Morales  aterre em Portugal,ou sobrevoe  o nosso espaço aéreo, por suspeita  de transportar um homem  ( Snowden)para a liberdade.
É a estas coisas que Durão Barroso chama sentido patriótico e de estado e Cavaco sublinha como garantia da estabilidade necessária para a credibilidade externa do país.
Foi por este acto digno e condizente com o amor e fé cristãs,  que ontem um grupo de notáveis cristãos, amantes do próximo e tementes a  deus, aplaudiu Coelho e Cavaco nos Jerónimos.



A farsa continua...

Cavaco tenta aproveitar a crise para recuperar a sua imagem. Com o apoio dos meios de comunicação social, vai fazendo passar a mensagem de que será ele a decidir e ter a última palavra. Mentira! Cavaco já decidiu na sexta-feira aprovar a mixórdia governativa engendrada por Portas e Passos e os encontros que entre hoje e amanhã vai manter com partidos políticos e parceiros sociais não passam de uma farsa.
Amanhã à noite, ou o mais tardar na quarta-feira, Cavaco vai fazer uma comunicação ao país, onde não deixará de sublinhar a sua actuação durante a crise. Os comentadores do costume rodarão pelos vários canais de televisão a enaltecer a actuação do presidente e alguns jornais publicarão editoriais e artigos de opinião, onde se garante que a imagem de Cavaco Silva sai reforçada. Muitos tugas acreditarão.
No final da semana, Cavaco e Maria irão para a Coelha. Na piscina, a primeira dama desabafa:
- Gostava tanto de ir a Dubrovnik! 
Cavaco deixa escapar um sorriso complacente e responde:
- Amanhã eu trato disso com o Pedro. A Croácia acabou de entrar para a UE, é capaz de ser altura de ir lá em visita oficial.

Rescaldo de uma noite de Verão

Passei o fim de semana no meu Rochedo, com o mar no horizonte e o lamento pela falta de um esplendoroso luar.
No sábado, depois de jantar no Guincho e enquanto percorria a estrada até Cascais, tentava lembrar-me de uma noite em que, a poucos minutos da meia noite, as esplanadas de todos aqueles restaurantes estivessem a abarrotar.
Sinceramente, não me lembro.