quarta-feira, 12 de junho de 2013

A Lei não nos obedece? Mude-se a Lei!

Já não precisávamos de mais provas sobre a estirpe de PPC.  Já sabíamos que ele age como os velhos colonialistas a quem os pretos tinham de obedecer, nem que fosse à força da chibata. PPC não é primeiro ministro dos portugueses. Chegou ao poder para servir outros interesses que nada têm a ver com o país. Não foi por acaso que chumbou o PEC IV, embora seja surpreendente que a esquerda não tenha percebido a jogada. Não foi por acaso que foi buscar um trambolho para as finanças. Faz tudo parte de uma estratégia europeia bem urdida, da qual ele sairá como um dos principais beneficiados.  PPC tem as costas quentes quando desafia o TC e todos os que se opõem à sua política de terra queimada. Cavaco não risca nada e faz o que PPC lhe manda, como o prova o facto de o governo ter dado como certa a aprovação da lei que viola a decisão do TC, ao diferir para Novembro o pagamento dos subsídios de férias a uma parte dos funcionários públicos.
É por isso que, aproveitando a conjuntura, PPC zomba dos tribunais e se recusa a cumprir as suas decisões. Se a Lei não obedece à vontade do PM, então ele muda a Lei.  Conta com o beneplácito de Cavaco, que trata como refém.É desta massa que se fazem os ditadores. 

O insulto

De forma muito discreta, soube-se que um jovem de 25 anos tinha sido constituído arguido por ter insultado Cavaco Silva. Segundo a TVI- onde ou vi a notícia- desconhece-se qual foi o insulto, mas o CR foi investigar e descobriu. O jovem atreveu-se a chamar a Cavaco Silva, Presidente da República! Espero que seja exemplarmente condenado, porque chamar Presidente da República a Aníbal Cavaco Silva, é  insultar todos os portugueses.

É preciso ter lata!

Este caramelo que mandriou a vida inteira e se licenciou aos 40 anos, vem falar da complexidade dos exames e de estabilidade? 

Terrorismo de Estado

Depois disto, o sr Aníbal continua a afirmar que as instituições funcionam e há coesão social?
Como é que não há dinheiro, se ainda há dias o taralhoco das finanças garantia que havia dinheiro para satisfazer as obrigações do estado até meados de 2014?
O governo prepara mais uma golpada para ludibriar a decisão do TC, mas só a revelará depois das eleições autárquicas. Os funcionários públicos vão mesmo ficar definitivamente sem subsídio de férias. É bom que percebam isso e no dia 27 dêem a resposta adequada.
A coesão social de que o trambolho de Boliqueime fala é entre ele e o lambidinho de Massamá!
O governo está a fazer um braço de ferro com o Tribunal Constitucional e tem o apoio de um senhor que se proclama presidente da República, mas ignora o juramento que fez de cumprir a Constituição.
Em Portugal as instituições não funcionam. Foram tomadas de assalto por um grupo de terroristas. 

Aceitam-se candidaturas

para o spot mais estúpido do ano. Aviso que vai ser difícil bater este australiano...