quarta-feira, 29 de maio de 2013

Já não há professores como antigamente!

Ainda sou do tempo em que um aluno que chumbasse três vezes seguidas à mesma disciplina, tinha de mudar de Faculdade.
Os tempos mudaram e o aluno Pedro Passos Coelho, licenciado quando já tinha idade para ser avô, pavoneia a sua incompetência  em discursos carregados de ideologia reaccionária. O Tribunal Constitucional chumba-o três vezes consecutivas e numa resposta em jeito de vingança, o Pedro parte a mobília da sala de aula, bate nos funcionários, no recreio vê uma velhinha e passa-lhe uma rasteira, diz que a culpa do chumbo é dos colegas que lhe passaram mal os apontamentos, mas o professor Cavaco, reitor da espelunca, chama-o ao gabinete para lhe dar miminhos e diz:
- Deixa lá, Pedrinho, és o meu afilhado preferido e sou sensível às cunhas do tio Gaspar. Continua a divertir-te no recreio e não ligues àqueles senhores. Um dia destes serás recompensado.
O Pedro mandou os seus ajudantes dizer que o governo respeita a decisão do TC. Que remédio!
Em tempo: PPC talvez tenha razão em ser cábula. Afinal, ser bom aluno deu nisto!

Caramelos Vaquinha (10)


A frase: "Tribunal Constitucional limita liberdade de deliberação democrática"

Não é qualquer um que aceita um lugar de ministro num governo que desancara  duas semanas antes… por isso, fiquei desde logo com a sensação  de que o novel ministro Poiares Maduro  quer é protagonismo.
Pela minha parte, embora contrariado, aqui estou eu a corresponder ao seu desejo, atribuindo-lhe um lugar na galeria dos Caramelos Vaquinha.
Não tanto por ter  proferido a frase acima ( os Caramelos Vaquinha são como os programas de discos pedidos, onde é preciso dizer a frase..)  mas mais por este belo excerto:


Ou seja,  para o senhor  Maduro, criticar o TC alemão dá  estatuto  para discordar do TC português. Ó senhor ministro! Eu também critico o Schaueble  e o meu patrão, por isso também o posso criticar a si ou ao Gaspar, mas será isso que me dá razão, ( ou à vontade, como o senhor diz) para o fazer,ou serão antes os vossos actos a justificarem a crítica? É que há uma diferença de vulto, sabe?
Sabe que mais… eu estou convencido que, com essa tirada, o senhor queria era que eu lhe arranjasse um lugar na Caderneta de Cromos, mas não tem sorte nenhuma. Entrar para aquela galeria não é para qualquer um, só lá entram pessoas  que são comprovadamente cromos e a si ainda lhe falta bastante para atingir esse estatuto. Aqui não se aceitam cunhas, não se cede a pressões e não gostamos de Consensus!
Fique lá com o Caramelo Vaquinha e não diga que vai daqui. Tenho de ser muito parcimonioso na atribuição deste galardão porque, se  este governo não cai depressa,  arrisco-me a apanhar diabetes com tantos caramelos.

De olhos bem fechados

Em agosto de 2011 Pedro Mota Soares, o ministro da Vespa, anunciava com pompa e circunstância um Plano de Emergência Social (PES) com o objectivo de combater a pobreza. 
Para além de um conjunto de ideias vagas, o PES assentava no assistencialismo. Determinava também que fosse retirado à ASAE o poder de fiscalização sobre as IPSS, uma medida que então caracterizei como " deixem os pobrezinhos em paz,porque qualquer coisinha serve para lhes encher a barriga".
Ainda de acordo com as promessas do ministro da Segurança Social, seria feita uma avaliação semestral do programa. Os portugueses desconhecem os resultados dessas avaliações, mas a realidade é a melhor avaliação que se pode fazer de uma medida. Ora as notícias que ultimamente têm vindo a público, realçam que actualmente há duas mil pessoas sem abrigo, a viver nas ruas de Lisboa e um estudo dos Bancos Alimentares, divulgado hoje, revela que os pobres estão cada vez mais pobres
Ou seja: o ministro da Vespa continua de olhos bem fechados e tudo aquilo que então aqui escrevi se confirma

Regabofe é

Pagar meio milhão de euros a uma empresa e depois resolver o problema com a prata da casa.