quarta-feira, 15 de maio de 2013

E dura, e dura, e dura...



Em 1962, quando foi despedido após ter ganho a segunda Taça dos Clubes Campeões Europeus, Bela Gutmann rogou uma praga: sem mim o Benfica nunca mais ganhará nenhuma prova europeia.
Desde então o SLB foi a 7 finais e nunca mais ganhou. Hoje, foi manifestamente superior ao Chelsea e perdeu nos descontos. Cinismo puro de Gutmann?
Já passaram 51 anos e a praga continua a produzir efeito. Já era tempo de perder a eficácia e deixar de fazer concorrência à Duracell!

Conselho de ministros extraordinário discute luta de classes



Passos de Coelho e José Sócrates viajaram no mesmo avião. Facto que não seria notícia, salvo se os dois se envolvessem numa acesa discussão ou numa briga.
Como não aconteceu uma coisa nem outra, a imprensa resolveu criar um facto para entreter as redes sociais:  Sócrates, o malandro, viajou em primeira classe, enquanto Passos, o puro, viajou em turística.
Escândalo! Como é que um ex-primeiro ministro que arruinou o país viaja em primera e o homem que nos vai salvar da ruína viaja em  turística?  Presumo que, ao ler a notícia, Nuno Crato tenha de imediato pensado em incluir este episódio nos conteúdos da disciplina de Educação Cívica para servir de exemplo às criancinhas, mas terá sido travado na intenção por Vítor Gaspar, com o argumento da necessidade de conter a despesa com professores. Logo, o melhor, é mesmo acabar com a disciplina.
Poder-se-iam invocar inúmeros argumentos para justificar as razões da diferença de estatuto entre Sócrates e Passos, mas não quero maçar os leitores e por isso apresento apenas uma: Sócrates viajou a expensas suas ou pago pela empresa farmacêutica, enquanto a viagem de Passos foi paga pelos contribuintes.
O governo preferiu, porém, optar por outra via e, depois de uma reunião extraordinária do conselho de ministros, ordenou aos assessores de imprensa que enviassem um comunicado à comunicação social, lembrando que os membros do governo viajam sempre em turística. A ordem foi cumprida e alguma imprensa acéfala reproduziu de imediato.
Azar! Vítor Gaspar foi encontrado a viajar em executiva, mas isso já ninguém quis noticiar, porque   estragava o ramalhete...

A oposição democrática na Síria

O segundo cisma

Depois do cisma grisalho do Portas, Coelho criou um novo cisma: o que divide os funcionários públicos dos trabalhadores do privado.
Dizer que não se trata de medidas de austeridade, porque não se aplica à generalidade dos cidadãos, mas apenas a funcionários públicos, reformados e pensionistas ( no total cerca de 4 milhões de portugueses) é raciocínio próprio de um indigente intelectual, ou de um perverso.
No entanto, o PM quis deixar bem claro que quando Deus andou a espalhar inteligência pelo mundo, se esqueceu dele e, vai daí, acrescentou esta pérola da ignorância:
Para PPC  um casal com dois filhos e a sogra a cargo não sentirá quaisquer efeitos sociais se um dos cônjuges for funcionário público ou reformado da CGA? Mas que raio de país é este que tem um PM cujo padrão de raciocínio está aquém de um  merceeiro analfabeto? 
Já agora, também gostaria muito que PPC fundamentasse em que medida é que o despedimento de um funcionário público, ou o corte na reforma de um pensionista, têm efeitos positivos no médio e longo prazo!
Ouvir este homem é pior do que ser obrigado a tomar óleo de fígado de bacalhau em jejum!