segunda-feira, 13 de maio de 2013

Lá vem mais uma bujarda!

Afinal, não cheira bem...


Regresso a Portugal  com o entusiasmo do costume. Nenhum! É como ir ao velório de um amigo que há muitos anos nos traiu, mas que na hora da morte não resistimos a visitar uma última vez, em sinal de respeito pela amizade que um dia nos uniu.
Não me apetece escrever, mas também não há nada para escrever no epitáfio deste país, que não tenha já sido escrito.
Que “Este país não é para velhos” já  sabia há muito tempo, não era preciso que Hollywood me viesse lembrá-lo, atribuindo aos irmãos Coen a estatueta dourada para o melhor filme.
Também não é para crianças felizes, já que uma em cada quatro  vive em risco de pobreza. Para os jovens também não será muito indicado, a avaliar pelo número  estratosférico de 42% de jovens à procura de emprego, a que se devem acrescentar as dezenas de milhar que emigraram.
 Então para quem é este País? Para os yuppies de meia idade, “yes men and women”, jovens com cartão partidário e um conjunto de incorrigíveis optimistas que acham que este é um país porreiro e está na senda do progresso?  Talvez…
Mas para quem este país é mesmo bom é para os aldrabões e gente sem palavra nem honra, que se acotovela para arranjar um lugar na política 
Este país onde regressei há pouco mais de 24 horas afinal, não cheira bem. Sente-se no ar  o odor da tirania, da humilhação e do desprezo por quem trabalha ou por quem vive de uma reforma suada na labuta de décadas.