segunda-feira, 8 de abril de 2013

Sorry!...




Morreu esta manhã Margaret Thatcher mas, embora isso possa chocar alguns leitores,fiquei mais consternado com  a morte desta senhora.

Cavaco Silva apoia Bashar al Assad

Ao defender que este governo tem legitimidade para governar, Cavaco Silva deu razão a Bashar al Assad. O presidente sírio também foi eleito democraticamente, por isso, tem toda a legitimidade para governar e os rebeldes devem ser severamente punidos, por quererem derrubar um governo legítimo e implantar a democracia no país.

Ódio, mentiras e video


Ao  ver ontem PPC fazer o seu discurso vi-lhe estampado no rosto o único sentimento que possui: ÓDIO.
Ódio pelas instituições que o contrariam e ódio pelos portugueses. Talvez os meus leitores não se recordem deste post que aqui escrevi, por isso, recomendo que o leiam, para melhor perceberem  as razões do ódio que o move. Um primeiro ministro que declara guerra ao seu povo, prometendo vingar-se contra ele de uma decisão que contraria os seus objectivos, não pode ser respeitado!
O discurso de PPC foi o de um homem que vive num mundo de fantasia, por si criado, e se recusa a enfrentar a realidade.
Quando a realidade atrapalha o mundo de fantasia, a etapa seguinte é a mentira. Prenhe de mentiras foi, por isso, o discurso de PPC. Disse que recusava aumentar impostos mas, logo de seguida, anunciou que iria fazer cortes na saúde, na educação  e na segurança social. Ora esses cortes não são, senão, impostos encapotados, pois obrigarão os portugueses a pagar mais por serviços que o Estado lhes presta.
PPC também mentiu ao atirar para cima do TC a responsabilidade por um mais que previsível segundo resgate. Já há muito que se fala dessa possibilidade, mas PPC utiliza agora esse alibi para esconder mais um falhanço do governo.
É sintomático que PPC não tenha feito qualquer referência a cortes nas PPP, ou nas rendas excessivas. Pretendeu , com isso, dar a garantia de que o seu inimigo de estimação é o povo português e não os grandes interesses económicos e financeiros. 
É preocupante termos em Portugal um PR que encoraja um PM  a prosseguir a sua política e legitime um governo baseado no ódio e na mentira, que viola sistematicamente a Constituição.
É preocupante que o PR escute o PM insultar o TC e não tenha uma palavra a dizer. Isso só é possível, porque são os dois farinha do mesmo saco.
É intrigante o silêncio de Paulo Portas. Acreditará o líder do CDS que isso  lhe permitirá manter, junto do seu eleitorado, a ideia de que é um fiel da balança do actual governo e com isso evitar a sangria que se adivinha no CDS em eleições futuras? As autárquicas darão a resposta. Fulminante, se Meneses ganhar no Porto!
É lastimável o silêncio de Seguro. Ou tem alguma coisa bombástica para anunciar ao país, ou perdeu o tempo de tomar a palavra, como líder da oposição.

CR tinha um gravador escondido em Belém e revela a conversa entre Passos Coelho e Cavaco

Quando Pedro Passos Coelho pediu a audiência urgente a Cavaco, disse aos seus colegas de governo que ia a Belém desancar o PR.
E, com efeito, assim foi. Logo que entrou em Belém desatou aos gritos:
- Vês o que arranjaste com essa ideia de pedir a fiscalização ao TC, Aníbal? 
- Desculpa lá, Pedro, mas não tive outra alternativa. O Marcelo até queria que eu pedisse a fiscalização preventiva e nem imaginas como foi difícil resistir aos apelos que ele fazia todos os domingos na TVI!
- Lérias! És um fraco... já se viu algum PR  ceder a comentadores? Qualquer dia também estás a dar ouvidos ao Sócrates! 
- Não sejas injusto, Pedro! Eu nem sequer pedi urgência na fiscalização, porque convenci-me que os tipos só iam decidir lá para Julho e deixassem passar as inconstitucionalidades como ano passado, só com uma advertência. Tenho culpa que tenhas mandado o Marques Mendes reclamar pela demora?
- Eh, pá, comecei a ficar nervoso, que queres? Já sabes que não tenho experiência de governo...
- Pois, esse é que é o problema!
- Problema? Então tivesses pensado nisso antes de me dizeres para avançar com uma moção de censura ao governo em 2011 para derrubar o Sócrates!
- Tu disseste que já tinhas estudado tudo e sabias como resolver o problema e eu confiei em ti!
- E sabia! Só não sabia é que havia essa coisa do TC que podia colocar-me entraves. Eu nunca li a Constituição, porra! Bem me podias ter avisado. Sabes o que vou fazer agora?
- Não...
- Vou demitir-me!  
- Tu não faças isso!
- Ai faço faço! Aguenta-te tu à bronca que já estou farto disto. O Relvas já disse que me arranja um emprego jeitoso no Brasil e vou emigrar.
- Não faças isso, Pedro! Por favor! Se te fores embora o que é que eu faço?
- Problema teu! Como diz o Seguro, quem arranjou os problemas é que os deve resolver, por isso, aguenta-te à bronca!
- Não, Pedro, não me podes fazer isso. Diz lá o que tenho de fazer para  continuares no governo e eu não ter de aturar o Seguro. Prometo-te que peço à Maria para reforçar a dose de bolos nos nossos chazinhos de quinta feira, em que fingimos estar a discutir os problemas do país.
- Bem, se insistes muito, talvez dê um jeito, mas tens de me declarar a tua confiança no meu governo.
- Está descansado! Não há problema nenhum...
- E tens de receber agora o Gaspar. O miúdo está inconsolável com a desfeita do TC e quer demitir-se. Depois de perder o Relvas,  se perco o Gaspar, como é que me aguento?
- Receber o Gaspar? Mas eu não percebo patavina do que ele diz...
- Não tem problema. Basta que lhe digas que ele pode cortar à vontade na educação, na saúde, na segurança social e em todos os direitos que esse povoléu conquistou em 1974.
- Isso até me parece uma boa ideia... e com o pretexto do chumbo do TC os tugas vão aceitar isso sem pestanejar.
-Então eu vou chamar o Gaspar e amanhã faço uma comunicação ao país para anunciar aos tugas que se acabou a mama do 25 de Abril. 
- E assim cumpres o nosso programa de governo, não é, Pedro?
- Estou a ver que estás a ficar esperto, Aníbal. Desta vez percebeste à primeira!
- Pronto, manda lá entrar o Gaspar!
- Ah, só mais uma coisa... vê lá se convocas o Conselho de Estado, para que eles me apoiem também.
- Não sei se consigo que eles te apoiem, Pedro... isso é capaz de ser má ideia!
- Quero lá saber se eles me apoiam! Quero é que no final faças um comunicado a dizer que o CE se manifestou contra a ideia da realização de eleições antecipadas e reiterou a necessidade de garantir a estabilidade do governo. Pede ao Lima, que ele faz um comunicado jeitoso... o tipo já está habituado a inventar coisas como as escutas. Para ele, deturpar tudo o que se possa passar no Conselho de Estado é canja...
- Não percebes nada de governação, Pedro, mas em estratégia política és mestre!
- É para que saibas que não era o Relvas quem me dava conselhos.Sei muito bem o que devo fazer para que este país entre nos eixos e voltemos aos tempos do Estado Novo, quando éramos todos tão felizes.
- Lá isso é verdade...
- Bem, Aníbal, adeus. Na quinta -feira cá estarei para o chazinho. Os mesu cumprimentos à D. Maria...
( PPC abandona o gabinete de Cavaco e dirige-se a Gaspar, que está a roer as unhas sentado num banco, com ar de menino à espera de uma reprimenda depois de dar 20 erros no ditado)
- Vai lá, Gaspar. Desta safaste-te.Convenci o velhadas a fazer tudo o que queríamos.
- Podemos baixar o salário mínimo para 400 euros?
- Sobre os pormenores a gente depois conversa.
- Obrigado, Pedro. Beijinhos à Laura!