terça-feira, 26 de março de 2013

Semana Santa

Não terá sido certamente mera coincidência a Alemanha ter escolhido a Semana Santa para crucificar a Europa. Ontem Schaueble não escondia a sua satisfação pelo facto de a Alemanha ter visto aprovada a sua proposta em relação a Chipre, apenas mais uma etapa na Via Sacra que pretende submeter ao seu jugo despótico os pequenos países do sul da Europa.
Desiludam-se os que acreditam na Ressurreição em domingo de Páscoa, pois são muitas as vozes que manifestam o seu cepticismo. E não é apenas gente de esquerda, como Manuel Alegre, neste texto no i a manifestar a sua apreensão quanto ao futuro. Também o insuspeito Adriano Moreira escreve um artigo nesse sentido no DN, que merece leitura: o pirata de Espronceda 

A saída de Almeida Henriques: um sinal?

Almeida Henriques era, há muito, apontado como candidato do PSD a Viseu mas em Janeiro, depois de Marco António ter anunciado a sua desistência à câmara de Gaia, também ele veio dizer publicamente que se manteria no governo e renunciava à candidatura a Viseu.
Inesperadamente, o secretário de estado de Álvaro Santos Pereira ( um dos melhores secretários de estado deste governo) veio ontem anunciar que afinal vai mesmo candidatar-se a Viseu, pelo que irá abandonar o governo.
Este flic flac quererá dizer que Álvaro Santos Pereira está mesmo de saída, ou que Almeida Henriques também começa a acreditar que este governo tem os dias contados?
Não deixa de ser curioso, por outro lado, que o próprio Almeida Henriques tenha confirmado que não será substituído no cargo, passando as suas funções a ser asseguradas por outros secretários de estado de Santos Pereira. Ora isto coloca outra questão: estará Almeida Henriques a manter uma porta aberta no governo, para o caso de vir a ser derrotado em Viseu e o governo se manter até 2015?

SMS de Bruxelas

Garotices


I
Paulo Portas mandou Pires de Lima “exigir” a remodelação do governo. Depois pediu a Diogo Feio e Telmo Correia que corroborassem a opinião do homem das cervejas, mas manteve-se em silêncio e pirou-se para o Japão. Quase aposto que, ainda no aeroporto telefonou a Passos Coelho dizendo que não tinha nada a ver com aquilo, mas era bom o primeiro ministro ouvir aquelas vozes.
II
António José Seguro anunciou a apresentação de uma moção de censura na sexta-feira. No dia seguinte, o Expresso noticiou que Seguro escrevera uma carta à troika declarando o seu compromisso com o memorando. As pessoas ficaram ainda mais convencidas que a moção de censura tinha apenas objetivos de afirmação  interna e Marcelo, na sua homilia dominical, desancou em Seguro.
Ontem ficou a saber-se que, afinal, a carta de Seguro à troika é bastante dura e nela o líder do PS manifesta o seu propósito de derrubar o governo e exigir a renegociação do memorando.
De qualquer modo, a garotice do Expresso cumpriu o objectivo de enterrar ainda mais o desacreditado Seguro.
III
Sócrates dá amanhã uma entrevista à RTP, que marca o seu regresso a Portugal. Medina Carreira, aproveitou o seu programa “Olhos nos Olhos” para engrossar o pelotão de vozes que pretendem o silêncio do ex-primeiro ministro. Nada de surpreendente. A única surpresa foi o ódio expresso por Medina Carreira nas suas declarações anti-socráticas. Logo aproveitadas por Morais Sarmento, para dizer que Sócrates é um homem sem vergonha. Morais sarmento devia olhar para o seu partido e apontar os inúmeros casos de gente sem vergonha com voz nas televisões. A começar pelo PM, que insiste em manter um aldrabão como Relvas  como seu braço direito no governo.
Os ataques a Sócrates não revelam só medo do que ele possa vir a dizer nas suas intervenções semanais. Revelam falta de carácter e são mais uma garotice do laranjal, cada vez mais acossado e em risco de ser atacado por uma doença degenerativa.