segunda-feira, 11 de março de 2013

Qual é a surpresa?

O que Juncker vem dizer agora, já eu escrevi aqui há três anos

Conversas com o Papalagui (68)

-Sabes como se chamam os assessores do Relvas, Pa?
- Não...
- Ervas daninhas!

Just(in) case...

No caso de os jovens se mobilizarem para outras causas com a mesma determinação, talvez o Pedro começasse a tremer... mas neste momento a única coisa que parece mobilizá-los em política, é a luta contra a "peste grisalha".
Devemos aplaudir este gesto solidário dos jovens portugueses com o Bieber. Eles querem manifestar-lhe o seu apoio, pelo facto de o rapaz ter abandonado há dias a sua festa do 19º aniversário, quando viu a namorada aparecer acompanhada de outro namorado. Ser encornado no dia de aniversário e em nossa própria casa, deve ser bastante duro!
A propósito... não vos impressiona que uma miúda de 16 anos venha do Porto com o pai passar várias noites ao relento em Lisboa para ver o seu ídolo? Eu sei que seria bem pior se viesse sozinha, mas... 

Memórias de Março


O mês de Março tem sido nefasto para a democracia portuguesa.
Há 38 anos era eu um alferes miliciano a cumprir serviço em Tomar. No dia 11 de Março de 1975 o general Spínola , apoiado pela extrema-direita, tentou um golpe militar que não resultou, mas seria o começo do fim das ilusões de Abril.
Trinta e seis anos depois, no dia 9 de Março de 2011, Cavaco Silva  fez um comício populista na AR durante a cerimónia de investidura do segundo mandato . Foi o discurso de um porta-voz do ódio da direita que o elegeu. Nesse dia   lançou o anzol aos jovens, manifestando-lhes o seu apoio a uma manif de protesto contra a classe política,  que  viria a realizar-se três dias depois. 
Na altura, comparei a estranha manif a que aderiu gente dos 8 aos 88, desde a extrema direita, à extrema esquerda, ao Cacerolazzo que derrubou Allende e abriu o caminho a Pinochet.
A esquerda, adormecida, reagiu com excessiva prudência ao discurso de Cavaco e deu o seu apoio oportunístico à geração à rasca. Foi nesse dia que a direita, apoiada por Cavaco Silva e com a conivência de alguma esquerda, ganhou fôlego para regressar ao poder e liquidar os últimos resquícios das conquistas de Abril. Ironias do destino...
Pelos idos de Março, Sócrates dizia "o mundo mudou" e toda a gente se ria. Na verdade o mundo mudou e vai mudar ainda muito mais na presente década, como aliás já diversas vezes aqui anunciei e agora o desgoverno  de súbditos da troika admite.
No último sábado, Cavaco Silva divulgou o prefácio  do seu Roteiros VII, onde parece ter esquecido as palavras e o comportamento indigno no dia da sua tomada de posse. Agora acha que não deve falar, pois não deve perturbar a actividade governativa.
Tozé Seguro reagiu como o menino que quer agradar ao professor para ter uma boa nota e elogiou o escrito presidencial. Ou não percebeu nada, ou endoidou. Vai tudo dar ao mesmo…
Hoje, ou amanhã, Vítor Gaspar dará uma conferência de imprensa onde irá anunciar os resultados da avaliação da troika e, muito provavelmente, mais austeridade. Mais cortes. Mais uma facada na democracia e no estado social. 
Até ao final do mês, deve ser conhecida a decisão do Tribunal Constitucional sobre o OE de 2013. Certamente, será mais benevolente para o governo, do que muitos esperam.
Março é tradicionalmente um mês ventoso, mas não tinha necessidade de ser tão violento a varrer a nossa democracia.