segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

O mundo mudou!


No meu tempo, eram elas que se queixavam de dores de cabeça.
Ainda sou do tempo em que ver uma maminha num filme era motivo de conversa para um mês e o tipo que tinha um exemplar da Playboy era tão importante como o "dono da bola" com que jogávamos futebol nas traseiras lá de casa.
Será por isso que não me sinto cansado?

A wTVision é do Relvas?


No site da liga Portuguesa de Futebol, o resultado do Benfica- Porto apareceu falseado. Aresponsabilidade- esclarece a Liga- é da empresa wTVision
A wTVision "tem como clientes os órgãos de comunicação social, canais de televisão, empresas de produção técnica e conteúdos, assim como clubes desportivos, academias e federações".
Provavelmente, é isso que explica a intoxicação informativa do governo na comunicação social...

Podiam entender-se, para ver se a gente percebe?

Já só faltam 800 dias ( mais coisa, menos coisa...) para que o PSD volte a ganhar as eleições. Com declarações destas,  ou destas o PS dá mais um tiro no pé e ( mais uma)  boa ajuda ao governo.
Não vale a pena perder tempo com as trapalhadas em que o PS se envolve quase diariamente. O importante é desmontar o que está por detrás deste debate sobre a ADSE e o SNS e saber o que realmente pensa o PS se um dia for governo.
Os caramelos ainda não perceberam que os funcionários públicos descontam para a ADSE e que a existência deste sistema de saúde é do interesse dos hospitais privados? Como é que pensam que Hospitais como o da Luz sobrevivem?
Claro que o Zorrinho também não percebeu os defensores da extinção da ADSE... Pensou apenas: eh, pá, acabar com a ADSE é impopular, porque aquilo vale mais de um milhão de votos. Vou dizer que o PS é contra. 
Já agora, Adolfo, foi uma pena teres metido a viola no saco e, depois de tantas ameaças e escritos no FB, teres-te juntado ao grupo de cobardolas que aprovou o OE 2013. Quem tem telhados de vidro não deve atirar pedras, sabias?

O bode expiatório


Enquanto a austeridade apenas atingiu os funcionários públicos, a maioria das pessoas mostrava-se compreensiva, porque afinal os servidores do Estado são mandriões,ganham muito e é justo que sejam eles a pagar a crise. Em relação aos cortes nas pensões dos reformados, o silêncio da comunicação social e comentadores acoplados era a regra.
Qualquer pessoa com dois dedos de testa e um neurónio sabia que, mais tarde ou mais cedo, a austeridade ia tocar a todos,  mas o acórdão do Tribunal Constitucional veio precipitar os acontecimentos. No dia em que soube da notícia ( não estava em Portugal)  adverti que as ruas se iam animar, mas a intoxicação informativa desencadeada pelo governo acalmaria as hostes. 
Quando o governo aumentou brutalmente os impostos começou a cortar a torto e a direito, respaldando as suas decisões no acórdão do TC ou nas exigências da troika ( este governo tem a peculiar característica de nunca se responsabilizar e culpar outros pelas asneiras que faz...) as pessoas reagiram, mas o governo suspirou de alívio. Desde Maio que sabia ser impossível cumprir o défice e, bem feitas as contas, o TC veio dar-lhe uma ajuda em vez de lhe criar um problema. Como explicaria o governo os cortes, sem a "involuntária ajuda" do TC? Assim, passou a ter mais um bode expiatório para justificar a sua política de destruição do país.
Em 2013, a situação é idêntica. O governo não conseguirá cumprir o défice, as contas vão continuar a derrapar e o governo precisa de um bode expiatório para se desculpar da sua incompetência. Nada melhor do que o chumbo do OE 2013, para que Coelho, Gaspar e comandita venham para a rua dizer aos portugueses que vão ter de aguentar mais sacrifícios, mas a culpa é do TC.