sábado, 12 de janeiro de 2013

Foi você que pediu um abate?



Pensei escrever um post sobre a morte de um bebé, em Beja, provocada  por um pitbull (arraçado). Sobre o que penso dos cães ditos perigosos e suas relações com os seres humanos já escrevi  várias vezes, a última das quais aqui
Tencionava, por isso, escrever sobre as razões que me levam a assinar a petição onde se pede a suspensão do abate do cão.
Comecei o post( que nunca será escrito)  invocando o facto de o cão ser mais vítima do que algoz em toda esta trama ( se alguém deve ser punido é o avô do bebé, cujas declarações às televisões me deixaram agoniado). Foi então que me lembrei de um comentário feito pela Patti  (sim, eu lembro-me de muitos dos vossos comentários, mesmo alguns  meses depois...)  naquele post,  que enuncia todas as razões que eu poderia invocar. Por isso, limito-me a reproduzir o que a Patti escreveu: ( os sublinhados são da minha responsabilidade)

"Os animais, primeiro que tudo são irracionais. Não se pode esperar um comportamento sempre igual, coerente e ordenado da parte deles.
Há raças mais indolentes, outras mais agitadas, outras tímidas, outras nervosas, outras dominantes e por aí afora.
 Ora da irracionalidade de um animal, há que esperar tudo, e aqueles cuja raça é mais agitada, enérgica, dominante ou como lhe queriam falar, é preciso ter cuidado redobrado. O inesperado acontece um dia. Ou nunca.
Aqui falham os donos, os "criadores" e a legislação. E as desgraças, como as que o carlos fala, acontecem.
 Agora que muitos destes bichos, devido às características próprias da sua raça, são instigados à agressividade gratuita, isso é um facto. Eu testemunho isso todos os dias.
 Assim como é um facto, ainda mais vergonhoso, que não há legislação eficaz que puna verdadeiramente este comércio escandaloso e desumano, de lutas de animais de raça potencialmente perigosa, às nossas portas.
Não há legislação que puna os donos de cadelas enjauladas, unicamente parideiras de cachorros que logo desde bebés são ensinados a matar.
Não há legislação que os salve, às mãos, destes donos, eles sim verdadeiros assassinos! E racionais, ainda por cima.
 Assim como não há legislação, neste país vergonhoso, onde um animal de estimação é ainda considerado como "coisa", e que quem abandona, maltrata e mata, sai completamente impune.
 Há toda um código civil obsoleto, pré-histórico que tem de ser mexido, no que diz respeito aos direitos dos animais nesta terra terceiro mundista!"

Indignação na capoeira



O PS decidiu - e bem- levantar a imunidade parlamentar à deputada Glória Araújo que bebeu uns copos ( digamos mesmo, bastantes, porque 2,4 g/l  é sinónimo de depósito bem atestado) no dia do seu aniversário. Por isso, nada escrevi sobre o assunto. 
Mudei de ideias ao ver que umas garotinhas adeptas da maioria, daquelas que engravidam ao som do hino do PSD, pedem a demissão da deputada do PS. Se quem faz estas exigências não tivesse cérebro de galinha, eu perguntar-lhes-ia quando é que pedem a demissão dos deputados do PSD e do CDS  que votaram a favor do OE 2013, violando os mais básicos princípios da ética republicana. Ou, para recuar ainda mais, quando é que estas galináceas exigem a demissão do trambiqueiro Relvas.
Assim, não vale a pena perguntar-lhes o que quer que seja.  Limito-me a traçar uma linha recta no chão com um pau de giz. As galinhas gostam e sempre anima a capoeira.

Arte Urbana (16)