sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Uma dúvida constitucional

Não é líquido que o TC chumbe o OE para 2013. Será até provável que deixe passar as inconstitucionalidades, alegando o interesse nacional.
Se o TC  chumbar o OE, resta saber se obriga o governo a refazer as contas, ou se faz como em 2012 e aceita as medidas para este ano, alegando o...interesse nacional.
Esta merda do interesse nacional, que condena à miséria milhares de portugueses está a tornar-se patética. Propaga-se como uma epidemia. Por isso, não tenham muitas esperanças...

O tuga "à la minute"

Tenho reflectido bastante sobre as razões que  permitiram a esta escumalha chegar ao governo. Creio ter encontrado a resposta.  Gaspar, Relvas e Coelho são, por esta ordem, os três pilares deste governo e pertencem à sub-espécie de portugueses conhecida por tugas. Esta sub-espécie é muito unida e por isso conseguiu eleger os seus representantes em S. Bento.  É oportuno lembrar as características peculiares destes pestilentos seres que abundam na sociedade portuguesa e são co-responsáveis pela situação a que este país chegou. Apresento-vos pois o "tuga" em versão "à la minute", que espero desenvolver ao longo do ano de forma mais pormenorizada.

O tuga é:


Invejoso- não suporta o sucesso dos outros, inventando histórias para o denegrir. Normalmente, justifica o sucesso dos outros por compadrios e cunhas, ou por serem paneleiros ou fufas.
Habilidoso -mexe-se bem nas redes do poder e assim que apanha uma oportunidade para subir na vida, não a desdenha, esquecendo de imediato as críticas feitas ao vizinho.
Oportunista- serve com igual desvelo os partidos do Bloco Central. Cultiva amigos influentes em ambos, de molde a manter-se sempre à tona e pronto para aceitar um convite do que estiver no poder. Chama a isso sentido de dever, mas os portugueses sabem que é oportunismo.
Badalhoco- cospe para o chão, deita a prisca onde calha e vai passear o cão para defecar, mas não limpa os seus dejectos.
Incivilizado- não dá o lugar nos transportes públicos a pessoas idosas ou grávidas, estaciona o carro nos lugares para deficientes ou em segunda ou terceira fila, liga os piscas e vai à sua vida. Quando regressa não pede desculpa, porque se julga superior e com direitos sobre todos aqueles que não fazem parte do seu círculo. Por isso, estica o dedo do meio, lança uns impropérios em surdina e arranca a toda a velocidade.
Justiceiro- reclama contra as injustiças da nossa Justiça, mas adora ditar sentenças e fazer justiça pelas próprias mãos. Elabora juízos definitivos e "fundamentados" sobre um suspeito de corrupção ou da prática de um crime catapultado para as primeiras páginas dos jornais. Se vier a provar-se a sua inocência, acusa os juízes de serem corruptos.
Impostor- critica os corruptos e quem foge aos impostos, mas quando o canalizador vai lá a casa apresentar a conta e lhe pergunta se quer recibo, responde que não, para não ter de pagar o IVA.
Vigarista- critica os gregos e quer vê-los fora da zona Euro, mas comporta-se exactamente como eles, quando se trata de aldrabar o Estado. Quer para receber benefícios a que não tem direito, quer para se eximir às suas obrigações de cidadania.
Cobarde -nunca faz greve nem vai a manifs. Espera que os outros ajam por si e depois colhe os frutos da luta dos portugueses
O tuga é uma sub espécie de portugueses em expansão, com direito a voto. Cuidado com eles…