quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Olhos nos Olhos

Vi, na madrugada de terça-feira, Ângelo Correia defender com pundonor a honestidade  de todos os membros do governo. Fê-lo no programa "Olhos nos Olhos" da TVI 24, em reacção ofendida a uma afirmação de Medina Carreira que, minutos antes, tecera considerações pouco abonatórias sobre quem nos governa.
Não pensem que vou aqui concordar com Medina Carreira. Quero apenas perguntar a Ângelo Correia, padrinho político de Pedro Passos Coelho, qual é o seu conceito de honestidade.
- É honesto um homem que jura, durante a campanha eleitoral, não cortar os subsídios de férias nem de Natal dos funcionários públicos e, assim que chega ao poder, faz exactamente o contrário do que jurou aos portugueses?
- É honesto um homem que, durante a campanha eleitoral, afirma que o Estado não pode cortar nas pensões, porque isso seria apropriar-se indevidamente de dinheiro que não lhe pertence e quando chega ao poder corta até as pensões de sobrevivência?
- É honesta uma mulher que mente numa Comissão Parlamentar de inquérito, para salvar a pele?
-É honesta uma mulher que acusa os seus colegas de governo de terem cometido erros nos contratos swaps  e omite os seus próprios erros?
- É honesto um homem que se demite irrevogavelmente do governo por discordar de decisões do PM e volta com a palavra atrás, porque o PM o promove?
- É honesto um homem que jura defender os velhinhos e os contribuintes e, quando a sua vaidade e sede de poder é saciada, esquece aqueles que jurou defender?
- É honesto um homem que numa conferência de imprensa anuncia que não haverá mais medidas de austeridade e no dia seguinte manda o seu ministro confirmar o corte nas pensões de sobrevivência?
- É honesto um homem que presta declarações falsas à AR, sobre a sua participação no BPN?
- É honesto um homem que, para defender os interesses dos seus clientes, enxovalha o país  pedindo desculpas a outro estado, por Portugal estar a investigar eventuais actos ilícitos?
- É honesto um homem que defende um ministro mentiroso, recorrendo a artifícios linguísticos?
Já nem lhe pergunto se acha honesto um ministro que tirou uma licenciatura de favor, porque o Relvas já lá vai.
Digo-lhe apenas, Ângelo Correia, que se o seu conceito de honestidade tem como padrão os membros deste governo a que acabo de me referir, então também duvido da sua probidade.

6 comentários:

  1. Carlosamigo

    Excelentíssimo texto tu pariste, camarada. Uma vez mais subscrevo-o sem hesitações, muito menos interrogações. Destas. as que fazes exaustivamente, se pode inferir que este (des)Governo é tudo menos honesto.

    Não vi, nem ouvi - safa! - este desconchavo do sr. Ângelo Correia que levou ao colo o ónestíssimo" chefe do (des)Governo para S. Bento., O que não me fez falta, ou seja tanto me aquenta como me arrefenta... Mais ónesto do que o Sr. PPM só um (que eu saiba...) é o sr.PR Palhaço Retardado, mais conhecido por Imóvel.

    E quanto a ónestidade, estamos conversados.

    Abç

    Henrique

    ResponderEliminar
  2. E não é necessário acrescentar mais nada.

    ResponderEliminar
  3. É honesto o homem por detrás da maçonaria?...tal como o estado civil de cada um, devia aparecer claro nos bilhetes de identidade e identificação, a filiação macónica dos honestos deste país...num país de gente tão honesta, não precisamos de mais nada. Eles governam e governam-se por nós...

    ResponderEliminar
  4. Em cheio...eu ouvi o padrinho palhaço e até fiquei nervosa. M.A.A.

    ResponderEliminar
  5. Já viu o cartoon do Expresso.
    Com o PPC e o Rui Machete aos tiros nos pés?
    Preciso de acrescentar mais alguma coisa?

    ResponderEliminar