quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Kim Jong Un está entre nós. Aleluia!

Funcionária do MAMOT antes de tirar a gravata


Enquanto esteve a dar de mamar à cria, Assunção Cristas  teve tempo para responder ao apelo de Portas que, antes de se declarar “irrevogável”, pedira aos  ministros do CDS que fossem criativos.
É certo que Cristas já dera mostras da sua criatividade ao proibir as gravatas no ministério ( com os resultados que se adivinham através da imagem  captada na Net) ou  dando início a uma série de profissões de Fé  em que este governo é fértil, ao ensaiar a dança da chuva para resolver os problemas da agricultura.
Cristas -  diligente funcionária de Portas- prometeu responder ao desafio do chefe e aproveitou a licença de maternidade para ler livros, onde procurou  ideias.  Para nosso azar, encontrou, mas andou a ler os livros errados...
Cristas terá lido que na China os casais só podem ter um filho ( há sempre livros que deturpam parcialmente a verdade sem mentirem, como faz habilmente o nosso PM)  mas não querendo sugerir uma medida que a penalizaria pessoalmente, optou por limitar o número de animais domésticos por apartamento.
Má ideia! Essa lei já existia e as inovações engendradas por Cristas restringiram-se ao número de animais permitidos, que passou a ser de dois cães e quatro gatos.  Se Cristas tivesse pensado um pouco mais e melhor, teria aproveitado para inovar noutra vertente: estabelecer o número de animais de acordo com a área do apartamento. Isso, porém, só poderia ter alguma lógica, caso o governo não fosse liberal. Assim, limitou-se a interferir na vida das famílias. No entanto, talvez a medida não seja demasiado abstrusa, pois pode indiciar que, a breve prazo, o governo se prepara para aplicar a medida de proibição de fumar em condomínios.
Cristas teve ainda outras ideias. Uma das já conhecidas, visa limitar as promoções comerciais.  Não deixa  de ser curioso ver  um governo que defende a livre concorrência, impor limite às promoções comerciais. Para proteger os produtores- dizem eles.
Obviamente que a razão não é essa mas, por uns instantes, eu finjo que acredito, só para os desmascarar.
Um governo liberal, mesmo  preocupado com os pequenos produtores, não impede os grandes distribuidores  de fazerem as promoções que bem entendam, pois está a prejudicar os consumidores.
Um governo ultra –liberal, se tiver um mínimo de decência, explica aos produtores como se devem organizar para impedir o esbulho dos distribuidores. Infelizmente, Cristas não leu Sérgio!
Admito, no entanto, que  estas medidas anunciadas por Cristas não sejam  totalmente desprovidas de estratégia. Na verdade, podem significar  que este governo de ultra liberais gosta de regimes  totalitários, como o norte coreano. Talvez seja isso a que o João Almeida chama fascismo higiénico...

5 comentários:

  1. Só faltou legislar o limite máximo de animais nomeados para o governo. Ficavamos sem governo em minutos...

    ResponderEliminar
  2. Só faltou legislar o limite máximo de animais nomeados para o governo. Ficavamos sem governo em minutos...

    ResponderEliminar
  3. É com preocupações deste calibre que se ocupa uma pasta ministerial. Surreal. É que nem percebo o objectivo. Não me parece que seja proteger os animais, já que estão a condenar alguns que poderiam ser resgatados por pessoas que lhes pudessem garantir comida e cuidados de saúde. Protecção dos vizinhos também não será com certeza porque se um dono é porco, é porco tendo um cão ou cinco cães. E se três cães ladram, dois cães ladram igual. Se calhar deviam ir todos ao Reino Unido e passar algum tempo com a RSPCA e aprender o que é legislação e fiscalização da legislação sobre o tema. Ou melhor, e mais barato, iam todos para casa mandar no que é deles em vez de vir meter o bedelho na vida das pessoas. A estupidez é uma coisa dolorosa, Carlos. Jesus!

    ResponderEliminar
  4. Veja o que deixei no Facebook, Carlos :))

    ResponderEliminar