quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Do desempenho dos papagaios

Como já disse, aquilo ontem foi um cocó.  Vou tentar explicar  rapidamente porquê...

Não é todos os dias que um PM tem direito a um talk show de duas horas na televisão, mas isso demonstra que os assessores de PPC aprenderam com o exemplo de Chavez ( tão criticado por Lombas e similares) e Paulo Ferreira fez-lhes a vontade ( não foi em vão que  Relvas o colocou lá, no lugar do Nuno Santos).
  Voltando ao talk show
1-  Os perguntadores foram pouco incisivos e, principalmente, nada concisos. Exigia-se-lhes perguntas directas, mas os portugueses, infelizmente, gostam mais de se ouvir do que fazer perguntas.
2-  Esta falta de assertividade foi música para Pedro Passos Coelho.Permitiu-lhe ser evasivo nas respostas e centrar-se naquilo que lhe era mais favorável.
3- Passos Coelho aproveitou bem as suas capacidades de papagaio/actor. Levava as respostas engatilhadas ( fez  bem o trabalho de casa) e a espaços conseguiu ser convincente e enganar espíritos mais distraídos. Foi o que aconteceu, por exemplo, no caso da pergunta sobre o IVA da restauração.
4-  A espaços demonstrou a sua capacidade de desenrascanço. Foi o que aconteceu numa resposta  sobre o QREN. Com aquele estilo Marco do Big Brother que lhe é tão peculiar, explicou que não permitiria que se cometessem erros dos anteriores Quadros Comunitários de Apoio, em que o dinheiro era dado a fundo perdido.Se o Relvas estava a ver deve ter dado umas boas gargalhadas e dito para os seus botões: " Grande safado, Pedro! Não te fez jeito aquela formação de pilotos que fizeste na Tecnoforma? Não foi um excelente negócio? Não sejas mal agradecido, pá!"
5- La Feria deve ter ficado arrependido ( ele já pediu desculpas aos portugueses pelo erro) por nunca ter descoberto as capacidades ocultas daquele barítono que um dia foi a um casting.
6- Já na parte final, em resposta a uma pergunta de Carlos Daniel sobre Rui Machete, mostrou bem o carácter que o enforma e, a propósito de Paulo Portas, não deixou de dar uma facadinha no parceiro de coligação.
E, claro, como ontem já vos tinha dito lá deixou cair "distraidamente"  o anúncio de que vem  aí um Orçamento Rectificativo ainda para 2013.
No cômputo geral, foi hora e meia de tempo de antena. PPC poderia tê-lo aproveitado para disfarçar toda a sua incoerência, inconsistência (no caso das pensões de sobevivência) e o espírito vingativo que o anima. ( O TC obrigou a devolver os subsídios de férias aos funcionários públicos? Não faz mal, nós cortamos-lhes esse valor nos salários)
Não conseguiu. O que demonstra que poderia ter sido um excelente barítono ou vendedor de banha da cobra, mas nunca saberá desempenhar o papel de primeiro-ministro

4 comentários:

  1. Cá em casa há duas televisões e eu mudei de sala.
    O meu parceiro, às tantas, veio informar-me que aquilo era só propaganda e que as pessoas nem sabiam fazer perguntas!
    Pelos vistos não perdi nada!

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Nem me fales da Tecnoforma porque os Municípios do Médio Tejo também se lixaram com essa "firma" e os seus projectos de formação...onde eu estava inserida como formanda e depois formadora informal! :(

    ResponderEliminar
  3. A somar a tudo o resto(desgraça completa)o sr Coelho acabou por responder à pergunta acerca da queda abrupta da natalidade com "não há solução",ou seja além de sabotar o presente ainda diz que não há futuro.Pois que é mais importante para o futuro de um povo e país que a natalidade??

    ResponderEliminar
  4. O que nasce torto.....
    A ideia do programa parece-me perfeitamente disparatada

    ResponderEliminar