segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Da escassez de neurónios no mercado liberalizado

Os leitores que me acompanham há mais tempo sabem que nunca fui à bola com o ex-PM e aqui lhe teci duras críticas.
Apesar disso, a entrevista ao "Expresso" é uma lufada de ar fresco. Não só por ter posto nomes aos bandalhos que nos governaram ( Relvas e Santana), ou ter  lembrado as pulhices de Cavaco - mentor do chumbo do PEC IV e do golpe de Estado constitucional que desde então vem promovendo-  e do colaboracionista Coelho, mas principalmente porque naquela entrevista se pode fazer uma comparação entre o ex e o actual primeiro ministro.
Sócrates é culto,  tem conteúdo político e intelectual. Fundamenta o seu discurso de uma forma rectilínea.
Passos Coelho é o exemplo acabado do nihilismo dos "tipos que nunca fizeram um corno" ( Carlos Silva, líder da UGT, sábado ao Expresso). Uma mente vazia. Naquele neurónio que ocupa a única assoalhada do seu cérebro apenas há espaço para o ódio e vingança. O homem não tem  consistência ( nem competência) para defender o seu processo revolucionário. É uma marioneta dos interesses instalados, de quem espera receber o respectivo tributo. É um idiota investido no assalto ao pote, como chefe de uma cáfila comandada pelo Okupa de Belém. Ali não cabe um pensamento que extravase o universo dos imbecis. Apenas a noção de que é preciso ser servil para alcançar os objectivos que o animam. É desta massa que se fazem os cérebros dos traidores. Cavaco, Coelho, Portas et alii foram fabricados num formato que só conhece duas dimensões: a traição e o ódio. Precisamos, urgentemente, de mudar de forma!
Quanto às reacções da direita, a explicação está aqui. Clarinha como água

8 comentários:

  1. CONCORDO que o José Sócrates é culto, tem conteúdo político e intelectual... e tem muito charme.

    Também gosto do Paulo Portas, sacana ou não, ainda é um dos políticos que tem dois dedos de testa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esqueci-me de lhe dizer, Carlos, que lhe deixei uma pergunta na posta sobre o Bird of Paradise.

      Também respondi no "ematejoca azul" ao seu comentário sobre o Paulo Coelho.

      Eliminar
  2. Carlosamigo

    Tudo ia muito bem para o rapazote(*) PPC e o consanguínio Palhaço, "ocupas" de Belém (criação minha, mas sem copirraite...( quando um malandro maya/azteca inventou uma bandeira "portuguesa" à la mexicana) na frente da qual o puto reguilas botou faladura. Já eram pelo menos dois casos de bandeiras ditas nacionais: primeiro ter sido hasteada ao contrário no dia 5 de Outubro; agora, remendada meide in México.

    E o rapazote nem reparou, crê-se. Para ele, bandeiras, constituições, direitos são todos iguais ao litro da ignorância asinina que já nem precisa de reincidir para se saber que existe.

    A parelha PPC/PR, que já teria saído dos varais, se alguma vez a tivessem metido neles; são duas mulas da cooperativa: eh ó, tás ca mosca ou cheirou-te a palha???... Por isso, repito a minha habitual prece: Deus queira que apareçam uns bisnetos do Buíça... Amen. Ite, missa est

    Abç

    Henrique

    ResponderEliminar
  3. Sócrates é um político, independentemente das críticas que se lhe podem fazer, está a anos luz de Passos Coelho.

    ResponderEliminar
  4. Subscrevo, com uma ressalva. Eu não me importo de ter jogado à bola com ele.

    ResponderEliminar
  5. Obrigada Carlos pelo link! a verdade porém é que não me referia apenas à direita! infelizmente há uma certa "esquerda" com o mesmo tépido de argumentos...
    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Corrijo "com o mesmo tipo de argumentos "

    ResponderEliminar
  7. Entre Sócrates e Coelho, voltamos à ideia de pegar na me#$da pelo lado limpo, Carlos.

    ResponderEliminar