quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Resumo do dia: o orçamento

Todo aquele que quebra um juramento e ameaça os cidadãos com o homem do saco, para justificar o seu erro, devia ser sodomizado e seguidamente lapidado.

Rosemary's Babies


Um pouco por toda a Europa vão-se ouvindo vozes e  assistindo a manifestações de protesto contra os imigrantes. Acusam-nos de andarem a roubar postos de trabalho.
Há alguns anos os imigrantes eram bem recebidos nos países de acolhimento, era inimaginável que o Mediterrâneo  se tonasse um cemitério  e Lampedusa  uma prisão para  africanos famintos.
Um pouco por toda a Europa, os ciganos tornam-se alvo da ira popular e a justiça  apresta-se a ser conivente.
Há alguns anos nenhum polícia ousaria roubar uma criança aos pais e acusá-los de rapto, apenas porque a criança era loira e os pais  ciganos. Ou, se acontecesse, haveria fortes consequências  para quem cometesse a leviandade. Hoje,  isso é  possível – vejam o que  aconteceu na Irlanda- a reacção popular é de indiferença e  ninguém é aparentemente responsabilizado quando se  prova que a criança é mesmo filha dos ciganos.
Nesta escalada, o próximo alvo serão os velhos. Já há sinais de intolerância aos velhos e é bom lembrar que quem desenterrou o machado de guerra em Portugal, sobre essa matéria, foi o próprio primeiro-ministro.  Hoje,  um qualquer mentecapto como Henrique Raposo ou Duarte Marques ( ex - líder da JSD) escreve nos jornais, ou toma palavra no parlamento para acusar os velhos de serem responsáveis pelo  desemprego.
Há poucos anos, os velhos ainda eram respeitados. Hoje, são apontados a dedo pelos jovens como causa de todos os males que os afectam . Esses jovens estão na comunicação social, são juízes,  estão no poder ou noutros centros de decisão. O ódio que têm aos velhos assusta-me.
Saber que são filhos e netos da minha geração, que  nunca lhes soube dizer não, os apaparicou com toda a merda consumista  e se submeteu aos seus caprichos  por medo, oportunismo, incapacidade ou sentimento de culpa, revolta-me!
Foi muito por culpa do comportamento dos adultos que chegámos aqui. Mas continuamos a não saber dizer NÃO!

Francamente, D. Alzira

Por razões profissionais sou obrigado, com mais frequência do que desejaria, a ver na TV e ouvir na rádio aqueles programa onde os cidadãos são convidados a fazer catarse. Ora criticando, ora defendendo o governo, os cidadãos expressam as suas opiniões que depois são comentadas (?) por convidados/comentadores.
Já me apercebi que há  cidadãos frequentadores de  vários desses programas. Normalmente  são reformados e/ou  desempregados. A maioria, seja formatada para a direita ou para a esquerda, fala com o à vontade de quem está à mesa do café, mas alguns não conseguem esconder a sua militância. Um dos casos mais picarescos a que assisti foi o da mãe do ministro Álvaro,  desmascarada  por um espectador, mas tantos outros poderia relatar, que daria certamente para escrever um livro. Medíocre, como tantos outros que vêem a luz do dia, sem que se perceba a razão.
Hoje vou falar-vos da D. Alzira. Doméstica ( de Gondomar, se a memória me não atraiçoa), revela-se uma feroz defensora do governo e acusa os jornalistas de estarem sempre a denegrir o governo que nos está a salvar do buraco em que Sócrates o enfiou. Numa das últimas intervenções  a que tive a oportunidade de assistir, a D.Alzira revelando um confrangedor desconhecimento da realidade, dizia que os portugueses não querem saber do défice para nada “ porque isso não lhes dá de comer”. Na sua douta opinião o que os portugueses querem é que alguém salve o país, mas os jornalistas e comentadores só estão interessados em denegrir as  boas medidas que este governo tem tomado.
D. Alzira também comentou o OE  e disse, sem papas na língua, que é o melhor que já viu desde o tempo de Salazar.
Não se julgue, porém, que a D. Alzira é exemplar único. Nos últimos tempos tenho ouvido nesses programas muita gente a seguir o mesmo tipo de raciocínio.Isso preocupa-me tanto como aqueles que afirmam, sem papas na língua, que devíamos correr com a troika já amanhã e  não lhes pagar nem mais um cêntimo, porque já nos roubaram que chegue.
A D. Alzira, porém, é especial e, por isso, lançou um desafio.
“ Os senhores jornalistas e comentadores deviam ver isto e elogiar, em vez de criticar. Se o governo corta os salários e as pensões é porque isso é preciso para salvar o país. O país é mais importante que as pessoas”. Por isso, desafiou os jornalistas e comentadores a formarem um partido, ou movimento de opinião de apoio a este governo, em vez de estarem sempre a criticá-lo.
Eu não sei em que país vive a D. Alzira, mas em Portugal não é certamente. No entanto, para nossa desgraça, parece que  vota por cá.
E mais não digo, porque às tantas ainda acabo como aqueles que se opõem ao voto universal.

Dia Mundial da Poupança

Assinala-se hoje, em todo o mundo, o Dia Mundial da Poupança. Por cá, só o governo comemora a data, porque os portugueses andam a fazer poupanças todos os dias há mais de dois anos

Cahiers du cinéma



Criada em 1951, a revista Cahiers du Cinema era uma espécie de Bíblia para quem queria estar a par das grandes novidades da Sétima Arte.
Nos anos 60, era um ícone dos cineclubistas e dos amantes de cinema em geral. Mote para tertúlias, os Cahiers du Cinema foram fundamentais na formação cinéfila de muitos jovens e adultos portugueses. Sem se deixar dominar por lobbies, ou submeter aos ditames da indústria de Hollywood, os CC continuam a ser sessenta anos depois, continua a ser uma revista de referência, o que atesta a sua qualidade e credibilidade.
No dia em que encerro o Mês da Francofonia, presto homenagem a uma revista que sempre me deu bons conselhos.


quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Resumo do dia: o guionista

Se queres transformar um líder partidário defensor dos pobrezinhos, dos reformados e dos desvalidos,num pateta, oferece-lhe um gabinete com vista para o Jardim Zoológico e manda-o fazer um guião.

49-13-64



Não, não são as novas  medidas exigidas a uma top model. Trata-se de uma combinação azarada  para muita gente. Passo a explicar:
Quem nasceu em 1949 completou ( ou vai completar) 64 anos  em 2013. Muitas dessas pessoas esperavam poder pedir a reforma já em Janeiro, pois vão fazer 65 no próximo ano. AZAR! Acabam de ser informadas de que só terão reforma quando o Coelho quiser.
 Porquê?
 Porque o esquizóide que prometeu f...., digo, lixar o país ordenou aos capangas que às vezes sentam o rabo em S. Bento, que aprovassem uma lei  que faz depender o aumento da idade da reforma da esperança de vida- o famigerado factor de sustentabilidade. 
Quer isto dizer que o governo pode acrescentar todos os anos um ano (ou mesmo mais) à idade da reforma, pois o factor de sustentabilidade não assenta em critérios científicos, mas sim político-contabilísticos. In limine, muitas dessas pessoas poderão nunca aceder à reforma ou, na melhor das hipóteses, em 2016 se o PSD não ganhar as eleições em 2015. 
Não pensem que se trata de uma hipótese descabelada. Este governo já no ano passado quebrou a regra do aumento da idade da reforma em seis meses por ano, determinando que a reforma só podia ser pedida aos 65 anos.
Os nativos de 1949 arriscam-se, por isso, a passar o resto da vida como os burros atrás da cenoura. Os  que nasceram depois, também, mas isso já não faz parte da minha história...

Não se zangue, senhor Presidente!



Não vale a pena zangar-se, senhor Presidente.Aquela cena de ontem no Alfeite foi demasiado feia para uma pessoa que se intitula presidente de todos os portugueses. Sabe, tão bem como eu, que é mentira.  O senhor é chefe de governo por interposta pessoa e essa é a maior anormalidade de um país que o senhor quer que seja normal. Há ainda outra singularidade. O senhor patrocina um governo chefiado por um aldrabão de feira e nós não sabemos o que está a receber em troca, para além de alguns silêncios.
Já agora, permita que lhe lembre uma coisinha...
Lamento mas, por muito que insista, bastou-me nascer uma vez para saber que sou mais honesto do que o senhor. Porque sou transparente e não tenho nada a esconder sobre a minha conta bancária.
Lamento, mas continuo a confiar mais nas imagens do que nas suas palavras. Enquanto não me explicar direitinho como ganhou dinheiro com aquelas acções da SLN oferecidas de bandeja pelos seus amigos que roubaram os portugueses, as imagens que ficam para mim são estas. 



E os factos são estes: Vocelência já jurou duas vezes em falso, não cumprindo a Constituição. Logo, é muito mais do que um ALDRABÃO! Por que razão haveria eu de acreditar que o senhor é honesto, se não hesita em quebrar o juramento de defender a Constituição, para proteger os seus amigos?

Kim Jong Un está entre nós. Aleluia!

Funcionária do MAMOT antes de tirar a gravata


Enquanto esteve a dar de mamar à cria, Assunção Cristas  teve tempo para responder ao apelo de Portas que, antes de se declarar “irrevogável”, pedira aos  ministros do CDS que fossem criativos.
É certo que Cristas já dera mostras da sua criatividade ao proibir as gravatas no ministério ( com os resultados que se adivinham através da imagem  captada na Net) ou  dando início a uma série de profissões de Fé  em que este governo é fértil, ao ensaiar a dança da chuva para resolver os problemas da agricultura.
Cristas -  diligente funcionária de Portas- prometeu responder ao desafio do chefe e aproveitou a licença de maternidade para ler livros, onde procurou  ideias.  Para nosso azar, encontrou, mas andou a ler os livros errados...
Cristas terá lido que na China os casais só podem ter um filho ( há sempre livros que deturpam parcialmente a verdade sem mentirem, como faz habilmente o nosso PM)  mas não querendo sugerir uma medida que a penalizaria pessoalmente, optou por limitar o número de animais domésticos por apartamento.
Má ideia! Essa lei já existia e as inovações engendradas por Cristas restringiram-se ao número de animais permitidos, que passou a ser de dois cães e quatro gatos.  Se Cristas tivesse pensado um pouco mais e melhor, teria aproveitado para inovar noutra vertente: estabelecer o número de animais de acordo com a área do apartamento. Isso, porém, só poderia ter alguma lógica, caso o governo não fosse liberal. Assim, limitou-se a interferir na vida das famílias. No entanto, talvez a medida não seja demasiado abstrusa, pois pode indiciar que, a breve prazo, o governo se prepara para aplicar a medida de proibição de fumar em condomínios.
Cristas teve ainda outras ideias. Uma das já conhecidas, visa limitar as promoções comerciais.  Não deixa  de ser curioso ver  um governo que defende a livre concorrência, impor limite às promoções comerciais. Para proteger os produtores- dizem eles.
Obviamente que a razão não é essa mas, por uns instantes, eu finjo que acredito, só para os desmascarar.
Um governo liberal, mesmo  preocupado com os pequenos produtores, não impede os grandes distribuidores  de fazerem as promoções que bem entendam, pois está a prejudicar os consumidores.
Um governo ultra –liberal, se tiver um mínimo de decência, explica aos produtores como se devem organizar para impedir o esbulho dos distribuidores. Infelizmente, Cristas não leu Sérgio!
Admito, no entanto, que  estas medidas anunciadas por Cristas não sejam  totalmente desprovidas de estratégia. Na verdade, podem significar  que este governo de ultra liberais gosta de regimes  totalitários, como o norte coreano. Talvez seja isso a que o João Almeida chama fascismo higiénico...

Passos podia aprender a lição

Achincalhado pelo presidente da FIFA, Ronaldo reagiu à letra. Sem subserviência, mostrou que o rei vai nu. A FIFA é, como a UE, um mero jogo de interesses manipulado pelos poderosos que deturpam a verdade a seu bel prazer.
Com a sua atitude, Blatter acabou por dar  razão a Mourinho, quando ano passado acusou a FIFA de manipular as votações para o melhor treinador do mundo ( Não custa acreditar que o mesmo se passa  com a escolha dos jogadores)
Para além da reacção dura de Ronaldo, também o presidente da FIFA e do Real Madrid exigiram um pedido de desculpas a Blatter e ele retratou-se.
Isto podia servir de exemplo para Coelho e Marilú, mas os nossos governantes optaram por outra estratégia. Chegam a Bruxelas, baixam as calças e convidam os parceiros a servirem-se à vontade. No final, ainda agradecem a generosidade de terem sido enxovalhados.

E vão mais dois...

Play time é, talvez, o melhor filme de Jacques Tati, um realizador que não poderia deixar de constar desta lista de homenagem ao cinema francês.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Quem é que o PCP quer enganar?

Depois do acordo em Loures, a CDU  aliou-se ao PSD em Viana do Castelo. Estas alianças entre os dois partidos começam a tornar-se virais. Como já referi, em relação a Loures, não são no entanto surpreendentes. 
O PCP actual tem, como principal inimigo, o PS. Já foi assim no Porto, quando se aliou a Rio para viabilizara liderança do PSD, foi assim em 2011 quando se aliou com Passos Coelho  para derrubar Sócrates, com os resultados desastrosos que se conhecem para os portugueses. Após as autárquicas, enquanto se alia um pouco por todo o país com o PSD, vai dificultando a vida ao PS em Lisboa. Não fosse a esmagadora vitória de António Costa e o PCP lá estaria, de braço dado, a apoiar o PSD para dificultar a vida ao PS. Como nem aliado ao PSD consegue os seus objectivos, recorre à única forma de diálogo que conhece
Jerónimo de Sousa é uma pessoa generosa e estimável mas, na hora de defender os interesses das populações, opta pela defesa dos interesses do Partido. Um dia as pessoas acordam e percebem que já nem a nível local poderão contar com o PCP.  É difícil a um comunista perceber – e explicar- como é que o partido se alia a nível local, com o partido que combate no âmbito nacional! São coisas diferentes, eu sei, mas se os laranjas são um bom aliado a nível local, como não admitir que um dia venham a ser também o parceiro ideal para uma coligação de governo? O PSD nacional é a soma das partes...
Isso não acontecerá, obviamente, porque o PSD não quer. Já quanto a este PCP, não arrisco afirmar que recusaria essa oportunidade, se um dia lhe fosse oferecida. Vade retro! 
Haverá, eventualmente, quem ache isto bizarro, mas está tudo muito bem explicado aqui

Os videntes

Já sabemos, pelo menos desde 1917, que Portugal é um país de videntes. É no entanto novidade recente, os videntes terem enveredado pela política. Depois de Cavaco, em Maio, ter anunciado ao país o milagre  de Nossa Senhora de Fátima que deixou os infiéis troikanos de cara à banda, hoje foi a vez de  Pires de Lima, o ministro soldado, nos anunciar que viu o milagre económico 
Quem não vai em milagres é PPC que foi lesto a alertar para a necessidade de clarificar essas tretas

Cristas manda João Almeida mudar de elixir

João Almeida acusou Cristas de tomar medidas de fascismo higiénico.
É tudo uma questão de terminologia, mas apesar de tudo é sempre bom saber que no CDS há quem  reconheça alguma inclinação fascista.
Ouvida pelo CR, Cristas sugeriu que João Almeida  arranjasse um novo elixir. Ele diz isso, porque cheira mal da boca!Ou não sabe bochechar, ou usa um mau elixir- respondeu agastada a ministra.

Finalmente! Europa põe-se de acordo sobre um tema importante

                                                         Imagem roubada aqui

Foram chegando em carros blindados, escoltados por seguranças. Uns saíam de rosto fechado, outros acenavam e deixavam escapar um sorriso, enquanto se escapuliam para dentro de uma sala onde garantiam iam discutir  coisas muito importantes para o futuro da Europa.
Alguns milhares de quilómetros a sul, o Mediterrâneo servia de cemitério a  mais umas dezenas de imigrantes.
Milhões de cidadãos são diariamente condenados à fome, oferecidos em holocausto aos senhores do dinheiro.
Uma senhora alemã indigna-se porque está a ser espiada pelos americanos. Um proto socialista francês assina por baixo. Os dois prometem reagir contra a intrusão americana mas, nada de confusões, cada um agirá por conta própria.
Em Inglaterra, Cameron  reage à  divulgação das escutas feitas por Snowden. Ao contrário dos seus parceiros europeus, não se indigna. Prefere atacar o mensageiro. Não é grave que os americanos escutem os lideres europeus, com quem devia estar solidário. O grave é haver alguém a denunciar as escutas. O grande perigo para o mundo é Snowden, o homem que denunciou a sabujice americana.
Dando de barato que os líderes europeus se estão marimbando para a fome que alastra nos países resgatados, estava seguro que a discussão iria centrar-se no Mediterrâneo e seriam tomadas medidas para evitar o cenário de morte ao largo de Lampedusa
Seria uma prova de solidariedade entre os líderes europeus. No entanto, quando entraram para a sala blindada, esqueceram rapidamente os mortos do Mediterrâneo. Ou os famintos, vítimas de bandos de criminosos que os roubam para entregar o seu dinheiro ao sistema financeiro.
Esquecem mesmo as escutas. Para os lideres europeus reunidos na sala blindada, o importante para o futuro da Europa, naqueles dois dias, foi discutir a economia digital. No final foram unânimes em dizer aos jornalistas que a reunião correu bem e se avançou para um eventual acordo sobre este tema tão importante.
BARDAMERDA!


Coisinhas fofas

A proposta de MRS para que Miguel Sousa Tavares seja escolhido pela direita para se candidatar às presidenciais de 2016!
O Marcelo às vezes passa-se, isso é sabido, mas esta foi demais!

A Santa Aliança

Suroreendidos? Tenho a certeza que há por aí quem considere isto normal

Dois em um



Hoje faço duas homenagens em simultâneo. "Les uns et les autres" é indissociável de Claude Lelouch. E vice-versa.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Portas prefere os loiros

Durante dois dias, todo o governo está mobilizado para domesticar qualquer deputado da maioria que, num assomo de consciência, perceba que está a trair quem nele votou e se ponha ao lado da oposição para chumbar o OE.
A abrir, o ministro da irrevogável cabeleira loira, afirmou preferir ser celta  a grego. (Pronto, ficamos a saber que Portas prefere loirinhos nórdicos  a morenos sulistas. Gostos... )
De vez em quando, o bandalho que enganou pobres e pensionistas com a receita da banha da cobra que andou a vender pelas feiras do país, deixa vir ao de cima a sua dupla personalidade. Num dia defende a coesão europeia e no dia seguinte está a denegrir os gregos. Oxalá, para bem de todos nós, que Paulo Portas não tenha de engolir toda a arrogância que tem manifestado em relação aos gregos nos últimos tempos. Um segundo resgate e  vai ver-se grego para explicar o falhanço...

O abanão

O "Expresso" diz que o abanão a Passos Coelho começa em Lisboa. Mas que grande abanão! Vejam só quem é um dos apoiantes do candidato que se opõe a Passos Coelho.

Olha quem fala!

"É um erro grave pensar que tudo é aceitável porque o Estado está falido" ( Leia mais, seguindo o link...)
Quem o diz é Campos e Cunha, presidente da SEDES, associação que ainda há pouco tempo defendia as políticas do governo. Finalmente, perceberam que esta gente é feita da estirpe dos traidores e, além do mais, é incompetente?
 Cavaco e D. Policarpo são, por agora, os dois únicos apoiantes do governo. Compreende-se.O primeiro traiu o povo, o segundo traiu  a Igreja de Cristo, estão entre amigos. Claro que ainda há o Barreto ou o das Neves e mais meia dúzia de trapaceiros, mas esses não têm lugar na História, nem que se ponham em bicos de pés.
A SEDES esqueceu-se de apontar alternativas? Pois é...ninguém é perfeito!

A vogal muda

Francisco Almeida Leite, o ex editor de política do DN  que se vendeu para promover o amigo  Passos Coelho, já foi nomeado para vários cargos, o último dos quais secretário de estado dos negócios estrangeiros de Portas.
Com a passagem do irrevogável das Necessidades para o Jardim Zoológico, FAL ficou desempregado e PPC quis nomeá-lo dirigente de um banco
A princípio pensava-se que seria vogal, mas " o Expresso" veio clarificar, este fds, que afinal o objectivo de PPC era que ele fosse mesmo presidente!
A CRESAP ( comissão que avalia as nomeações do governo) deu parecer negativo, mas PPC não é homem de desistir à primeira e  tentou então nomeá-lo vogal.  A mesma comissão aceitou, mas com a condição de o homem  não mexer uma palha. Ou seja, não participar na tomada de decisões, por não ter aptidões para o cargo. FAL será, pois, uma vogal muda no CA do SOFID.  No entanto, não se importa. Há mordomias que não se rejeitam e o rapaz tem aptidão para capacho.Nós pagamos o preço destas amizades.
Percebem  agora, por que razão há dias  tomei esta atitude? É que não gosto de confusões...

Porque não te calas? ( actualização)



Bem pode o Papa Francisco lançar avisos contra a barbárie e pedir à Igreja que se coloque ao lado dos fracos. Em Portugal haverá sempre canalhas a oferecer resistência, ao lado dos infames!
Além do mais, D. Policarpo mente quando diz que só há dinheiro para mês e meio. Na Igreja pode mentir-se, desde que a mentira sirva para proteger o governo que lhes agrada? Isso já não é pecado?

sábado, 26 de outubro de 2013

Chegou, finalmente, a hora da mudança!

Não se entusiasmem... estou só a lembrar que esta madrugada muda a hora!
Quanto à mudança que o país precisa, ainda temos muito que esperar.

Faltou a canção à Marilú



No espectáculo final da manif de hoje, não ouvi esta canção. Foi pena. A Marilú  talvez gostasse e nós ficávamos mais aliviados...

A escalada

O tom agressivo e a roçar o insulto utilizado por Sócrates na entrevista a Clara Ferreira Alves já fez correr muita tinta. Sucedem-se as interpretações para todos os gostos e não resisto a dar a minha.
Creio que Sócrates não só mediu muito bem as palavras, como estudou previamente o seu impacto.  Ao utilizar expressões como bandalho, estupor, ou filho da mãe, o ex-PM sabia que estava a ser porta voz de um sentimento popular. Mesmo não gostando de Sócrates, muitos se terão revisto nas suas palavras e sentido aliviados ao ver um ex PM utilizar a linguagem que eles próprios usam em privado, quando se referem a alguns membros do governo.   
 Nesse mesmo dia, o líder da UGT, Carlos Silva, acusava PPC de “nunca ter feito um corno(na vida)” e o discurso de alguns comentadores acompanhou a subida de tom. No “Eixo do Mal”, por exemplo, todos “molharam a sopa”. Com especial destaque para Clara Ferreira Alves que chegou  mesmo a sugerir que, em sequência das afirmações que fez, Passos Coelho poderia vir a  prostituir-se para salvar as relações de Portugal com Angola.
O discurso mais inflamado pode servir como terapia para os comentadores, mas é bom não descartar os eventuais riscos.  O insulto pode ter um efeito boomerang. Seria melhor que os descontentes passassem à acção em vez de desperdiçarem munições.

À mesa do café

"Se a vida estiver amarga, mexa nela. O açúcar pode estar no fundo"

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Inconstitucional é...

...  Cavaco ser PR. Está a ocupar um palácio ilegalmente.

À vous, monsieur le Président!

O sr Aníbal não merece que se perca tempo com ele, mas hoje estou com bom coração e envio-lhe esta bela mensagem  de despedida ( Parlez vous franciú, monsieur?)  
Pode pedir ao Portas e ao Lapin que o ajudem  na tradução, tá? Eles  merecem partilhar esta mensagem com vocelência, porque são co-responsáveis por esta bandalheira.

Qual era a pressa, Aníbal?

Lembram-se de o Cavaco andar numa lufa lufa, porque era preciso discutir o pós troika?  O homem é mesmo apressado e um perfeito  nabo, como Passos Coelho fez questão de  provar na AR:
Só depois da troika saberá se é preciso um programa cautelar!

A reforma do aprendiz de feiticeiro

O famoso guião da reforma do estado terá sido discutido ontem em conselho de ministros. Digo terá sido, porque nada me leva a acreditar que isso tenha acontecido. São tantas as patranhas deste governo, que estou cada vez mais como S. Tomé...
Certo, certo, é que depois de PPC ter dito na AR que a partir de ontem a oposição já teria muito para discutir em torno deste tema, a decisão foi mais uma vez adiada. Para a próxima semana é que vai ser, garantem. Aguardemos para ver, mas não espero grande coisa depois de ouvir vários membros do governo dizerem que a reforma já está a ser feita há dois anos e meio. Deve ter sido muito subtil, porque ainda ninguém deu por nada... 
O fulgor reformista deste governo esfumou-se no dia seguinte à instalação dos seus gabinetes, acompanhada da entrega de chaves dos automóveis. Corre por aí, que um ministro terá mesmo dito “ a partir de hoje  passamos a andar  em transportes públicos” numa fina ironia sobre a propriedade dos automóveis, pagos por todos nós.
A tão propalada reforma do Estado  que ia cortar as gorduras do monstro,  resumiu-se a cortar meia dúzia de  chefias, O resto foi corte de salários e pensões. Ou seja, cortar o osso.
A reforma da administração local limitou-se a reduzir o número de freguesias. Sem coragem para mexer no número de municípios- aquela parte saborosa das gorduras que  aumenta o colesterol dos partidos-  este governo reformista optou por fazer um enxerto doloroso:  retirou a muitos municípios as repartições de finanças, os tribunais, os centros de saúde, as escolas,  os correios e …o dinheiro. Ficaram os cargos, porque é preciso saciar o apetite da máquina partidária. As populações são uma coisa de somenos.
Como qualquer cirurgião incompetente, que amputa a perna do paciente que foi internado com uma apendicite, o governo não reconhece o erro. Continua a garantir que fez as reformas programadas.  Quais?  Vender o património do país ao desbarato em leilões de vão de escada?
Pior do que não reconhecer um erro é não ter consciência do erro cometido.
Na próxima semana todos ficaremos a saber que o guião para a reforma do estado é um documento vazio de ideias e de coerência. Uma inutilidade e uma perda de tempo. Uma justificação da preguiça de Portas. Quiçá mais uma lista de cortes. Desta vez de organismos de estado. Com o mesmo critério que presidiu ao corte dos salários e pensões. Ou seja... sem critério.
Para fazer a reforma do estado é preciso conhecê-lo e neste governo ninguém tem a mínima ideia sobre o funcionamento da máquina. Muito menos Paulo Portas, o vice que tem uma ideia sobre tudo, mas não sabe nada sobre nada.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Muito Obrigado!



A todos os leitores/as e amigos/as que aqui, ali, ou no FB tiveram a amabilidade de me dar os parabéns.Calaram-me bem fundo as mensagens que me enviaram e gostaria de vos poder retribuir a amizade e simpatia no mesmo quinhão com que me brindaram.
Incapaz de o fazer, fico-me pelo brinde.  Espero que me continuem a aturar durante pelo menos mais um ano.
O meu sincero e reconhecido OBRIGADO!
Tchim Tchim!

Hora de balanço

Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora.
Tenho muito mais passado do que futuro.
Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas.
As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, roeu o caroço.

Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.

Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos.
Detesto fazer acareação de desafectos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário-geral do coral.
As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos'.

Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos,
Quero a essência, minha alma tem pressa...
Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana;
que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade.
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade,
O essencial faz a vida valer a pena.
E para mim, basta o essencial!

(Mário de Andrade)

Por tudo isto,  o Rochedo hoje vai estar encerrado. Até amanhã.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

E se a moda pega por cá?

Nós, os ricos!



O ministro do Jardim Zoológico vestiu a sua cara dos momentos solenes, arremeteu contra câmaras e microfones com o seu nariz adunco e, do alto da sua irrevogável sapiência, proclamou:
" Os pobres não se manifestam nem vão à televisão!"
Suspirei de alívio. Afinal sou rico. Raras vezes perco a oportunidade de me manifestar na companhia dos ricos como eu.  Abençoado país este, onde os ricos enchem  o Terreiro do Paço para protestar contra um governo indigno que protege os pobres e chantageia os ricos.
Pena que neste mesmo país um pobrezinho se tenha vendido, em troca de um gabinete com vista para o Jardim Zoológico. 
Pensava que Portas ainda era um tipo inteligente mas, muito provavelmente devido à convivência, virou burro de presépio  e gosta de fazer figura de urso

Notícias do novo ciclo (10)

Uma desagradável surpresa?

A Frente Comum dos Sindicatos da Administração Pública convocou uma greve na Função Pública para o dia 8 de Novembro. 
Não restam dúvidas de que os funcionários públicos têm sobejas razões para fazer greve e protestar mas, infelizmente, temo que esta greve seja  um fracasso.
O funcionário público tem um comportamento muito peculiar. Barafusta, protesta, insulta o patrão nos corredores dos serviços e à mesa do café ou ao balcão da cantina, mas na hora de fazer greve a maioria procura justificação para não aderir.
Uma parte diz "ah e tal, eu até fazia, mas o dinheiro faz-me muita falta..." 
Este grupo de funcionários públicos não percebe que, graças a essa justificação, o seu poder de compra, nos últimos cinco anos diminuiu cerca de 25 por cento! Não ter feito greve, para não perder um dia de salário, significou perder todos os anos regalias e dinheiro. Será que perante este ataque  brutal, este grupo de funcionários públicos mudará de posição e aderirá à greve? Duvido.
Há um segundo grupo de conformados, cuja senha é " fazer greve não adianta de nada, porque eles fazem o que querem". Quando é que este grupo irá perceber que está a ver o filme ao contrário? O que na realidade se passa é que "eles" fazem o que querem porque os funcionários públicos cruzam os braços. São um caso perdido. Nunca farão greve! 
Há finalmente um terceiro grupo dos bem instalados que argumenta "não acredito em sindicatos, por isso não faço greve" ( normalmente usa o mesmo pretexto para não ir a manifestações
Este grupo é o dos não assumidos. Os  seus membros vota(ra)m sempre num dos partidos do Centrão, como agradecimento pelo emprego que  o partido lhes arranjou. A maioria também não fará greve.
Por tudo isto, temo que a greve de 8 de Novembro ( apesar de ter sido marcada para uma sexta-feira) seja feita apenas "pelos tipos do costume".  Terá impacto nos transportes,  hospitais, escolas e pouco mais.
Os tipos bem instalados em serviços de faz de conta  cuja maioria já devia ter sido extinta ( mas com os quais o governo não acaba por manifesta falta de coragem, porque  é  nesses  que está a esmagadora fatia dos funcionários públicos afectos ao Centrão e porque atraem uma parte significativa das dotações comunitárias)  não fazem greve.  Esses e os precários a recibo verde que, se fizerem greve, serão despedidos no mês seguinte...
Ao final do dia 8 de Novembro, talvez não se discutam números, mas falar-se-á, indubitavelmente, sobre  ( falta de) consciencialização e responsabilidade.

Desaparecidos

O tipo que aparece às vezes nas televisões, não é o To Zé. É um robot triste. Sem chama, sem garra, sem ideias. Quando voltaremos a ter um líder da oposição?

Jules &Jim

Truffaut não poderia faltar nesta homenagem ao cinema francês. Não só por ter sido um dos fundadores da "nouvelle vague", mas também pela influência que exerceu em grandes realizadores, com Brian di Palma ou Scorsese.
A  morte prematura ( 1984, com apenas 56 anos)  privou-nos, certamente, de mais umas duas mãos cheias de grandes filmes.
Se não me falha a memória, Jules & Jim foi o primeiro filme que vi dele, mas gravados para sempre na minha memória ficarão "Os 400 Golpes", " Beijos Roubados", "Antoine et Collete" (O Amor aos 20 Anos), " O Último Metro", "A História de Adèle", "A Noite Americana" ou "A Idade da Inocência".
Truffaut é um dos meus realizadores de culto.
Foi também colaborador ( não me recordo se também  fundador) dos "Cahiers du Cinema, uma verdadeira Bíblia do cinema nos anos 60.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Meninos prodígio

PSD/CDU: a mesma luta

Admito que Manuel Pizarro  pudesse ser mais ambicioso -  cauteloso-  no acordo que celebrou com Rui Moreira, não expondo tanto o PS. Estou certo, porém, que ao fazer o acordo naqueles moldes, Pizarro colocou os interesses da cidade acima dos interesses partidários.  Se isso é bom, ou mau, o futuro o dirá.
Seja como for, as reacções  da CDU e do PSD ao acordo permitem-nos, desde já,  dar umas boas gargalhadas. Pela  incoerência e pela falta de vergonha de quem as proferiu.
Pedro Carvalho (CDU)  acusou o PS de dar a mão à direita. Eu até escreveria um post a explicar ao candidato da CDU as razões por que está errado, mas não merece a pena. Basta lembrar-lhe que foi o vereador da CDU (Rui Sá) quem viabilizou o primeiro mandato de Rui Rio. Em troca de quê? Se Pedro Carvalho não se lembrar, eu tenho imenso gosto em recordar-lhe.
Ainda mais risível é a posição de Ricardo Almeida, líder demissionário da concelhia do PSD. Para que não haja equívocos, transcrevo as suas palavras a propósito do acordo PS/Rui Moreira:
“ Parece-me que é trair a confiança dos eleitores que até há bem pouco tempo acreditaram num Porto de contas certas”
É preciso não ter um pingo de vergonha para dizer isto. Como é que um tipo  de um partido que venceu as eleições mentindo aos portugueses, que alberga nas suas hostes um grupo de criminosos que criou um banco para burlar 10 milhões de portugueses e cujo dirigente  máximo se alcandorou já ao título do PM mais aldrabão da nossa democracia pode falar nesses termos? 
Como é que o líder da concelhia do PSD Porto, que apoiou o candidato do despesismo e da demagogia, pode falar em credibilidade?
Como é que o membro de um partido que ainda não acertou uma única previsão em três anos de governo, que aplicou uma dose de austeridade inconcebível aos portugueses , mas mesmo assim cometeu a proeza  de aumentar a dívida do país  e se aguenta no poder graças à muleta de um parceiro de coligação cujo  líder é o exemplo acabado da cobardia, pode vir falar de contas certas? Há gente que não se enxerga..
O que não deixa de ser  preocupante, é constatar que a CDU não perde uma oportunidade de se aliar ao PSD, quando se trata de denegrir o PS. Há alianças espúrias- mesmo a nível local-  que deixam transparecer motivações que se pretendem esconder do povo. Vão dar banho ao cão!

Em defesa da honra

Santana Lopes escolheu a CMtv  para responder às acusações de Sócrates. Achei bem. Tendo sido acusado de bandalho, preferiu defender-se junto dos seus.

O Fuinha


O ministro da Vespa, com aquele ar infeliz de sacristão de um padre pedófilo, vai apregoando a bondade das medidas deste governo,  desvalorizando sistematicamente os cortes brutais arquitectados no seu gabinete.
Uma das medidas "positivas" que não se cansou de anunciar foi a da  atribuição de subsídio de desemprego  aos trabalhadores precários ( a recibo verde).
Sabe-se agora que a medida- anunciada há um ano- ainda não beneficiou um único precário e que o valor do subsídio, se algum dia for atribuído,  não ultrapassará os 320€. 
Grande sonso!

Afinal era tanga!

Aquela manif pró troika, a que ontem aqui dei o devido destaque, afinal era tanga! A manif foi organizada pelo movimento anti troika, para publicitar a manif do dia 26. Não sei se terá sido boa ideia...

Sem palavras

Este filme nem precisa de apresentações, pois não?

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Quem se atreve?



A copiar a ideia do escultor checo David Cerny? 
Aceitam-se sugestões para a localização

Da escassez de neurónios no mercado liberalizado

Os leitores que me acompanham há mais tempo sabem que nunca fui à bola com o ex-PM e aqui lhe teci duras críticas.
Apesar disso, a entrevista ao "Expresso" é uma lufada de ar fresco. Não só por ter posto nomes aos bandalhos que nos governaram ( Relvas e Santana), ou ter  lembrado as pulhices de Cavaco - mentor do chumbo do PEC IV e do golpe de Estado constitucional que desde então vem promovendo-  e do colaboracionista Coelho, mas principalmente porque naquela entrevista se pode fazer uma comparação entre o ex e o actual primeiro ministro.
Sócrates é culto,  tem conteúdo político e intelectual. Fundamenta o seu discurso de uma forma rectilínea.
Passos Coelho é o exemplo acabado do nihilismo dos "tipos que nunca fizeram um corno" ( Carlos Silva, líder da UGT, sábado ao Expresso). Uma mente vazia. Naquele neurónio que ocupa a única assoalhada do seu cérebro apenas há espaço para o ódio e vingança. O homem não tem  consistência ( nem competência) para defender o seu processo revolucionário. É uma marioneta dos interesses instalados, de quem espera receber o respectivo tributo. É um idiota investido no assalto ao pote, como chefe de uma cáfila comandada pelo Okupa de Belém. Ali não cabe um pensamento que extravase o universo dos imbecis. Apenas a noção de que é preciso ser servil para alcançar os objectivos que o animam. É desta massa que se fazem os cérebros dos traidores. Cavaco, Coelho, Portas et alii foram fabricados num formato que só conhece duas dimensões: a traição e o ódio. Precisamos, urgentemente, de mudar de forma!
Quanto às reacções da direita, a explicação está aqui. Clarinha como água

Madame Vasconcelos

Uma tal senhora de Vasconcelos, certamente descendente do Miguel defenestrado em 1640, convocou uma manif de apoio à troika. 
Presumo que a senhora esteja a satisfazer um pedido de Passos Coelho que sempre afirmou ter muito gosto em governar com a troika. Cansado de ouvir Paulo Portas a reclamar a expulsão dos invasores em Junho, o nosso primeiro sentiu necessidade de responder à letra, prestando vassalagem aos que governam por ele e sustentam o seu programa de traição ao país. 

Pacto de sangue

Enquanto Marques Mendes apelava ao bom senso dos deputados do PSD, Cavaco Silva respondia em directo do Panamá. Durante uma conferência de imprensa manifestou-se orgulhoso por não ter pedido a fiscalização preventiva dos anteriores OE e deu a entender que este ano faria o mesmo, a bem do país.
Só tenho uma interpretação para as declarações do Okupa de Belém.Cavaco Silva já estará, porventura, arrependido por ter dado posse ao segundo governo PSD/CDS. Percebeu, obviamente, que PPC lhe mentiu quando prometeu que as medidas susceptíveis de inconstitucionalidade seriam apresentadas à margem do OE 2014.
O PR não quer, porém,  reconhecer o seu erro e dar o braço a torcer. Assim, terá feito um pacto de sangue  com PPC , acordando que não pediria a fiscalização preventiva do OE. Resta saber o que terá exigido Cavaco em troca, mas não é difícil de adivinhar...
 Assinado o pacto,  o PM decidiu  jogar no Euromilhões e  avançar com uma série de medidas que sabe serem inconstitucionais. Qual o objectivo?
Não sendo pedida a fiscalização preventiva, o TC demorará muito mais tempo a decidir e o governo espera que acabe por tomar uma decisão idêntica à de 2012. Ou seja, considerar as medidas inconstitucionais, mas aceitar  excepcionalmente a sua aplicação em 2014.
Se o TC só decidir lá para Maio, mas em sentido inverso às expectativas do governo, isto é, chumbando medidas como o aumento do horário de trabalho e os cortes nos salários e pensões então o governo pode tomar a decisão que já aqui avancei, se os resultados das europeias não lhe forem muito desfavoráveis. Se ganhar, fica com mais espaço de manobra para exercer a sua vingança sobre os portugueses. Se perder, quem vier a seguir que se amanhe.

Conversas com o Papalagui (71)

- Ó tuga a vida esta a correr-te bem!
- Porque dizes isso Pa?
- Carro novo, fatinho dernier cri e, segundo me disseste, vais comprar casa nova...
- Eh pá pedi um empréstimo ao banco.
- E como é que vais pagar se estás desempregado?
- Tenho esperança que o dono do meu banco seja  como o Oliveira e Costa e quando a dívida for para tribunal ele já não se lembre...

domingo, 20 de outubro de 2013

O Okupa

Ontem, directamente do Panamá,  Cavaco ganhou direito ao título de "Okupa".
Eleito pelos portugueses para defender a Constituição, o homem que finge ser PR, disse estar muito orgulhoso por não ter pedido a fiscalização preventiva dos anteriores OE, porque isso foi bom para o país. A criatura teve a distinta lata de anunciar que, muito provavelmente, fará o mesmo este ano. Mesmo admitindo que algumas medidas possam ser inconstitucionais, Cavaco pensa que, violando a Constituição e cometendo uma vez mais perjúrio, está a defender o país.
Eu gostaria de pensar que Cavaco endoidou de vez, mas isso não corresponde à verdade. Ele sabe muito bem o que está a fazer: a prática reiterada de um crime de violação constitucional. Uma prática consciente, como o próprio admitiu.
É nojento pensar que Aníbal continua a ocupar ilegalmente o palácio de Belém, onde se aloja à custa do dinheiro dos contribuintes.
Pode dizer-se que a culpa é de quem votou nele, mas não se pode esquecer que as armas com que ele comete repetidamente o crime de violação da Constituição, lhe foram entregues, numa bandeja dourada, por quem chumbou o PEC IV ( PSD, CDS, PCP e BE), embora só os dois primeiros estejam a beneficiar da oferta, com o apoio do Okupa de Belém

Luís Montenegro responde a MM e promove festa Rave em S. Bento

Marques Mendes apelou ontemaos deputados do PSD para que procedam a alterações ao OE. Sugeriu mesmo que exigissem a taxação das PPP e aliviassem os cortes nos salários dos funcionários públicos.
Ele acredita mesmo que os deputados do PSD se arrisquem a perder a sua pensão vitalícia à mesa do pote onde se banqueteiam os chulos? Se acredita pode desde já desiludir-se.
Fontes  normalmente bem informadas garantiram ao CR que, face à resistência ao OE  manifestada por  alguns deputados da maioria,  Luís Montenegro sugeriu  a Passos Coelho a realização de uma festa rave em S. Bento, horas antes da votação  na AR.
As bebidas alcoólicas serão oferecidas por Campos Ferreira e Pires de Lima. Quanto aos fuminhos, o próprio primeiro ministro se encarregará de os providenciar. Quem preferir chutar na veia, também terá à sua disposição material adequado.
Alguns ministros irão animar a festa com actuações que prometem ser surpreendentes
Marilú, por exemplo, já está a treinar a dança do varão.
"Temos de manter o pessoal  animado e distraído, caso contrário alguns deputados ainda se vão lembrar que pertencem a um partido social democrata e podem muito bem decidir votar contra"- lembrou Montenegro, para convencer Coelho.
Marilú, no entanto, levantou uma objecção:
" E quem paga a festa?"
PPC tranquilizou-a, prometendo  "dar uma palavrinha" a Alexandre Soares dos Santos e ao seu padrinho Correia. "Mas se eles não quiserem, não há problema... eu até vendo a minha mãe, se isso for necessário para aprovar este OE tão catita"- garantiu o PM
Mas tu sabes quem é a tua mãe?- perguntou inadvertidamente Luís Montenegro 

Le premier bonheur du jour

Passei uma noite em claro nas  Montanhas  Garavhuska ( Papua Nova Guiné) para ouvir este canto ao amanhecer. Valeu a pena, porque nunca esqueci aquele momento.
Agora tenho-o novamente junto de mim e partilho convosco o canto do Bird of Paradise
Tenham um bom domingo!

sábado, 19 de outubro de 2013

Sócrates é como a Casa dos Segredos

Ninguém vê, ninguém gosta, mas toda a comunicação social o quer entrevistar, porque uma entrevista dele aumenta as audiências e as vendas.
Ontem na Antena 1, hoje de manhã no Expresso, logo à noite no Herman (RTP 1)

Descoberta a linha vermelha do Portas

Afinal, Portas não mentiu quando disse que havia uma linha vermelha que não podia ultrapassar. Referia-se à do Red Light District em Amsterdam.

A Pont(e)a pé



Em 1994, foi aqui que começou a queda do governo de Cavaco. Esperemos que a história se repita, mas desta vez a queda seja mais rápida.

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Je vous salue, Godard!



Jean Luc Godard não foi o fundador da nouvelle vague, mas é um dos seus nomes de referência. " O Acossado"  foi o seu primeiro filme, que logo despertou a atenção da crítica, mas com  "Alphaville",  "Week-End" , " Duas ou três coisas que sei sobre ela" e "Pierrot le Fou"  entrou para a galeria dos grandes nomes do cinema. 
Em Maio de 68 conhece Cohn Bendit  e os seus filmes, a partir daí, ganham uma nova versatilidade temática.
Polémico e provocador, a sua  irreverência em "Je vous salue, Marie" provocou enorme polémica e deixou as beatas portuguesas em transe e desceu na bolsa de cotações dos portugueses
Vencedor de Ursos de Ouro e Prata em Berlim e de um Leão de Ouro em Veneza, os seus filmes nunca foram distinguidos com Césares nem Óscares. Terá sido, porém, dos raros realizadores a receber dois Cesares e um Óscar Honorários.

Paris em Lisboa



Na Avenida Duque de Ávila está  patente ao público, até ao próximo domingo,  uma exposição fotográfica de Paris. Ou melhor. Do Paris moderno e sustentável que se preocupa com os cidadãos e com o ambiente.
Nos últimos tempos, as mudanças têm sido profundas mas, apesar de ir lá todos os anos, não me tinha ainda apercebido de uma grande parte delas.
Enquanto via as fotografias e constatava  que, paulatinamente, Paris vai roubando espaço aos carros para o devolver aos cidadãos, lembrei-me das dificuldades que António Costa tem sentido para fazer algo semelhante em Lisboa.
Não sei se houve uma reacção muito adversa dos parisienses às transformações na cidade, que tornam a vida dos automobilistas cada dia mais difícil, mas lembrei-me do burburinho levantado em Lisboa pelas alterações na Rotunda, especialmente por uma direita retrógrada, conservadora e autista, que continua a imaginar uma cidade feita para os carros.
Pouco lhes importa que as alterações ao trânsito no centro da cidade tenham  por objectivo melhorar a vida dos lisboetas e evitar uma pesada multa por infracção das normas comunitárias de meio ambiente urbano.  Os lisboetas gostam de ir às compras de carrinho, jantar fora ou tomar um copo montados nas  suas  vaidades e ir trabalhar apoiados no comodismo.
Os lisboetas têm de perceber que as cidades modernas são feitas para peões e não para automóveis. Só assim se preserva a qualidade de vida de quem as habita. Não perceber isso é ficar cristalizado no tempo.
Fazia  bem aos lisboetas irem ver a exposição na Duque d’Ávila!
E se é um apaixonado por Paris, não lhe faltam por estes dias oportunidades de observar algumas das afinidades entre Lisboa e a bela capital francesa, visitando esta outra exposição.

Os indignados


Muitos dos que criticam Mário Soares  estiveram  ao seu lado na Fonte Luminosa em 1975. Já esqueceram  que, sem ele , “ os comunas tinham tomado conta do país”- como então dizia toda a direita que pediu protecção a Soares “ para combater os comunistas”.
Esses que hoje criticam Soares  e pedem nas televisões que a sua opinião seja censurada, comportam-se como os actuais governantes. Receberam dos pais, combatentes  em África,  um país democrático e em desenvolvimento  mas, assim que se apanharam com a herança, trataram imediatamente de a delapidar.  
A falta de  memória cultiva a ingratidão e faz medrar no ser humano comportamentos irracionais. 
É o caso, por exemplo, de Helena Sacadura Cabral. Insulta Mário Soares- como há dias também já ridicularizara Seguro-  acusa-o de estar senil e não ter dignidade, por ter dito umas verdades numa entrevista.
A D. Helena   tem todo o direito de criticar e insultar. Não tem é moral, porque tem telhados de vidro!  É seu filho um dos homens  mais indignos, amorais, aldrabões  e intelectualmente desonestos da  cena  política portuguesa nas últimas décadas.  Como mãe, tinha a obrigação de estar calada. Ou então pedir desculpa aos portugueses por ter parido tal figura!
Não percebo a razão de tanta gente escandalizada com a entrevista de Mário Soares. É crime perguntar por que razão Cavaco não foi julgado? Um homem que violou várias vezes a Constituição, cometeu perjúrio, convidou para o seu governo uma trupe de bandidos e ladrões que formaram um banco que levou o país à ruína e lhe encheu os bolsos com lucros relâmpago em acções, está acima de qualquer suspeita, só porque é PR? 
É ofensa dizer que  há delinquentes no governo?  Embora  haja pelo menos um caso visível a olho nu, estou certo  que se os membros do governo fossem sujeitos a rigorosos  exames médicos, haveria algumas surpresas.
Não haja ilusões. Mário Soares está a ser atacado pela direita trauliteira que tem agora como ídolo Marine Le Pen. Por isso pede o  silenciamento de Soares. 
Lendo  Fernando Dacosta  percebe-se ainda melhor porquê.

Há dramas familiares que me comovem!

Só esta manhã pude ver a entrevista de Marilú à SIC.  Sou uma pessoa sensível. Comovi –me. No momento em que ela, comungando as mesmas preocupações de Cavaco,  confessou viver em dificuldades, senti o coração estilhaçar-se  e uma lágrima furtiva correu-me pela face.
Senti também alguma revolta pela  falta de sensibilidade  de Gomes Ferreira perante o caso dramático de Marilú. Tivesse ele a sensibilidade e o sentido de oportunidade do nosso PM e teria reagido como ele no talk show da RTP, quando foi interpelado por uma professora desempregada e com dois filhos:
- A senhora ministra é mãe solteira?
Já não há jornalistas como dantes

Desperdícios

No Dia Mundial da Alimentação, o CRIOC  divulgou um estudo sobre o desperdício alimentar nos supermercados.
Chamo a vossa atenção não só para o estudo, mas também para as sugestões e recomendações aos governos aí feitas. 
Assinalar o DMA e ignorar o desperdício alimentar, é hipocrisia.

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Pedro, o louco: c'est la vie!



" Pierrot le fou" é, provavelmente, um dos filmes mais representativos da "nouvelle vague"e o melhor de Jean Luc Godard.  Tendo como protagonistas Jean Paul Belmondo e Anna Karina,  " Pedro o Louco" é poesia projectada na tela, numa policromia nunca vista até então. Um hino à liberdade, um apelo  à fuga das rotinas. Romantismo e aventura conjugam-se para quebrar  o tédio das vidas  repetidas dos bem instalados e alcançar a liberdade. Coisa que só se consegue tendo a coragem de transformar a vida em linha recta a que nos condenaram, num percurso sinuoso onde possamos escrever a nossa história.
Os diálogos são impressivos e simbólicos. Apaixonados ou coléricos, mas sempre profundos. Eu, pouco dado a fixar diálogos, fixei alguns e deixo-vos aqui um exemplo:
Marianne( Anna Karina): O que estás a fazer?
Ferdinand ( Belmondo) diante do espelho retrovisor: Estou a olhar para dentro de mim
Marianne: E o que estás a ver?
Ferdinand: O rosto de um homem a conduzir em direcção a um penhasco a 100 kms/hora
Marianne ( virando o espelho para si): Eu vejo uma mulher apaixonada por um homem que está a guiar em direcção a um penhasco a 100 kms/hora
Ferdinand: Então beijemo-nos!

Há uma explicação para eu ter fixado alguns diálogos. É que vi o filme  sete vezes. Ou melhor...oito, porque depois de escrever este post, fui vê-lo outra vez. É simplesmente soberbo e um dos filmes da minha vida!
E agora  vou até ao Lux/Frágil, para a festa de encerramento, mas o mês da francofonia continua por aqui até dia 31!

A igualdade segundo Passos de Coelho

Motoristas de Passos  a 1848€/mês   VS  licenciados estagiários na Administração Pública a 691€/ mês
Secretárias de Passos a 1882€/mês    VS  licenciados contratados em outsourcing  na AP a 600€/ mês
60 pessoas a mamar na teta
com cartão laranja no gabinete do       VS   Nº indeterminado de Dir Gerais com menos de 50 funcionários
Passos

E é melhor nem falar daqueles casos em que o Estado contrata  licenciados a 600€ através de empresas e paga mais 600/ mês por cada um,  à empresa que os seleccionou!
Nem dos aumentos dos gastos dos gabinetes ministeriais ( só na Presidência do Conselho de Ministros o aumento das dotações para 2014 foi de 10,2%. OE mais igualitário, só mesmo na Coreia do Norte...)
Ó Pedro! Vai falar de igualdade à Laura, ou  à tua mãezinha como se estivesses a inventar uma  mentira para pedir reforço de mesada , ou mesmo ao c@3#£&#. Agora a mim, não, tá?  

Este castiço deve ter andado na escola do Cavaco

Oliveira e Costa, vizinho de Cavaco na Coelha e amigo dos amigos do PR, foi ontem a Tribunal. As suas declarações seriam hilariantes, se o homem não estivesse a gozar com a justiça.
Para além de providenciais esquecimentos, o cabecilha da trupe laranja que dominava o  BPN e repartia entre si  lucros de proveniência no mínimo pouco clara ( quando qualquer membro do governo ou assessor de gabinete esconde a sua passagem pelo BPN,- provavelmente por ter a consciência pesada-  está tudo dito...) ainda teve o topete de  dizer " eu fui um ingénuo colossal. Eu não sou deste mundo!" 
Um dia destes, ainda vem com a lenga-lenga do Cavaco sobre a honestidade e a necessidade de nascer duas vezes, blá, blá, blá

Pois, pois...

Resumindo...

Isto só lá  vai à Lambada

Un homme et une femme



É um dos mais belos filmes de amor de que me recordo.
Vencedor do Óscar para melhor filme estrangeiro (1966), tem uma banda sonora magnífica, e duas interpretações excepcionais de Anouk Aimée e Jean Louis Trintignant.
Os mais jovens talvez o achem piegas, mas ainda há pouco tempo tive a oportunidade de  o rever no You Tube e continuo a reclamar a sua presença na minha "cinemateca". É um filme intemporal.
Era a bUmanda sEra a banda sonora de um dos mais belos filmes de amor de que me recordo. Vencedor de um Óscar para melhor filme estrangeiro (1966)  tinha, além da música belíssima, duas interpretações excepcionais de Anouk Aimée e Jean Louis Trintignantonora de um dos mais belos filmes de amor de que me recordo. Vencedor de um Óscar para melhor filme estraEra a bEra a banda sonora de um dos mais belos filmes de amor de que me recordo. Vencedor de um Óscar para melhor filme estrangeiro (1966)  tinha, além da música belíssima, duas interpretações excepcionais de Anouk Aimée e Jean Louis Trintignantanda sonora de um dos mais belos filmes de amor de que me recordo. Vencedor de um Óscar para melhor filme estrangeiro (1966)  tinha, além da música belíssima, duas interpretações excepcionais de Anouk Aimée e Jean Louis Trintignantngeiro (1966)  tinha, além da música belíssima, duas interpretações excepcionais de Anouk Aimée e Jean Louis Trintignant

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Gente de bem!

Ângelo Correia, Catroga, Maria João Avillez e uma catrefada de admiradores do regime têm-se desdobrado em elogios à honestidade e honradez de Pedro Passos Coelho. Afiançam mesmo que os membros do governo são gente de bem. Não me gozem, por favor!
Se ainda restassem algumas dúvidas quanto ao perfil canalha  de Passo Coelho, Portas ou Marilú, as medidas que visam proteger as pensões de Cavaco e Assunção Esteves ou o alívio da carga fiscal para as pessoas com rendimentos acima de 80 mil euros,  demonstram bem a índole moral da corja que nos governa. 

Das dificuldades interpretativas do sr. Aníbal

Já quase ninguém liga ao que Cavaco Silva diz. Eu próprio- que gosto de andar bem informado- gasto mais tempo a interpretar as miadelas da minha gata do que os dislates do sr. Aníbal.
O homem que chamou masoquistas aos portugueses por  dizerem que a dívida ( de 127%) é insustentável é o mesmo que derrubou um governo legítimo, com o argumento de que a dívida ( então de 94%) era insustentável. Esse facto é irrelevante. O sr. Aníbal sempre teve algumas dificuldades de expressão e não percebe as vantagens de os portugueses serem masoquistas
Parece-me pois  premente lembrar-lhe que masoquismo é andar a pagar as mordomias de Belém, a um inquilino preguiçoso, que não cumpre as tarefas que lhe foram confiadas pelos portugueses. Ou pagar os vencimentos e mordomias  de ministros que nos andam a roubar. Ou alimentar  centenas de assessores  que se andam a coçar pelos gabintes, cujo único mérito conhecido é ter o cartão de um dos partidos do governo.
Acredite uma coisa, sr. presidente. A sua sorte e a deste governo é os portugueses serem masoquistas.

Bancos portugueses recuperam credibilidade

Os bancos reagiram mal quando souberam que o Estado se apresta  a colocar no mercado uma nova série de certificados de aforro, cuja taxa de juro   será superior a 5%, ao fim de 5 anos.
Segundo os bancos, a rentabilidade deste novo produto  financeiro lançado pelo Estado é muito superior  àquela que os bancos estão autorizados a pagar aos seus clientes, pelo que o governo está a fazer concorrência desleal.
Esta gente dos bancos também já não é o que era!  Ainda acreditam  que os portugueses confiam na palavra de um governo que desfaz os seus compromissos  24 horas depois de os ter assumido? Quem acredita que daqui a 5 anos o governo vai pagar aquilo com que se comprometeu?
Estejam descansados, senhores banqueiros. Este governo é tão desonesto que vos devolveu a credibilidade. Ninguém lhes compra sequer, um alfinete de dama!

Notícias do novo ciclo (9)

1-O governo inventou mentiras novas e nomeou  novos intérpretes para as comunicar
2- Há mais dinheiro para as empresas e menos para quem trabalha ( agora chamam a isso crescimento)
3- Os impostos sobre funcionários públicos e pensionistas passam a chamar-se redução temporária de salários e pensões
4- Justiça social  significa, agora, cortar 82%  na função pública e despesas sociais do Estado e  aumentar em 4% o esforço da banca, petrolíferas ou redes de energia
5- A reforma do Estado  prometida por Portas há seis meses, passou a ser o segredo mais bem guardado do governo
6- O OE já não é apresentado por um tipo com ar  triste de quem está a levar um clister. Passou a ser anunciado por uma fulana  com  ar feliz de quem está sentada em cima de um vibrador.
7- Passou a haver três ministros de cabeleira loira ( Marilú, Teixeira da Cruz e Paulo Portas)
8- Pedro Passos Coelho domesticou  Portas e meteu-o no bolso. Bastou falar-lhe de submarinos e Portas passou de lobo mau a cordeirinho.
9- O novo ministro da Economia é mais bem falante do que o Álvaro, mas a sua  voz no conselho de ministros continua a valer ZERO!
10- Passou a haver o cuidado de dar tratamento especial ao PR, não lhe beliscando a reforma
Só uma coisa não mudou neste novo ciclo: a cegueira e estupidez de Cavaco.

Respigadores



Embora tenha nascido em Bruxelas, Agnès Varda não poderia deixar de estar incluída nesta homenagem ao cinema francês. O filme "Respigadores e Respigadoras" seria suficiente para justificar a escolha, mas  "Les demoiselles de Rochefort", "Cleo", ou  o maravilhoso " Les Plages d'Agnés", ( o seu último filme)  são  filmes que perduram na memória durante muitos anos.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

O vibrador a Marilú

O ar feliz com que Marilú anunciou as brutais medidas de austeridade e a forma como se congratulou pelo facto de o desemprego em 2014 só subir para 17,4%, deixa-me uma dúvida: estaria sentada em cima de um vibrador?

Qual foi a parte que não perceberam?



Se os nossos governantes  não perceberam a causa das palavras de José Eduardo dos Santos, eu faço um esquema:
China Three Gorges +  Poder da China em Angola+ Investigações do MP, a dividir por Embrulhadas de Rui Machete =  Enxovalho do governo português
É simples, não é? Só quem não conhece a forma de pensar e agir dos chineses podia acreditar que a China ia reagir directamente aos anunciados cortes nas rendas da energia, protestando energicamente.
Os chineses são muito mais inteligentes e pragmáticos do que os ocidentais. Não fazem peixeiradas na praça pública, nem precisam de manipular a comunicação social. Basta-lhes    fazer um aviso a quem os enfrenta. Os totós de S. Bento foram papados e agora deve andar tudo em reboliço, com a PT a lucrar  com o tarifário das chamadas  entre S. Bernto,as Necessidades, a Horta Seca e as Laranjeiras , onde Paulo Portas estava descansado  a brincar com os macaquinhos do Jardim Zoológico que lhe serve de vizinhança. Quem será o primeiro a pegar no telefone para falar com a PGR?
Como então escrevi, a  venda da EDP não foi uma privatização. Foi uma nacionalização a favor da China. Os indigentes  que nos (des)governam não percebem nada do que andam a fazer. Venderam a EDP ao estado chinês e pensavam que, em caso de necessidade, iam negociar com uma empresa? Totós!
Esperemos que aprendam a lição para serem mais cuidadosos em futuras privatizações, como a da água. Mas duvido. Esta malta, além de inapta, só vê cifrões!
Sugestão:  Como este governo gosta de sacar dinheiro aos mortos, talvez não fosse má ideia pedir satisfações a António Borges,  conselheiro para as privatizações e co-responsável por toda esta borrada, com o alto patrocínio do fantasma de Belém.

Eles andam aí...

Depois destes Sinais, no domingo houve um novo aviso: a extrema direita conquistou a câmara de Brignoles, vencendo uma aliança entre a UMP e o PS.
Adormecida, a Europa encolhe os ombros e prefere continuar a apaziguar os mercados, oferecendo-lhes em sacrifício milhões de famintos.
Por cá, Cavaco continua a dizer que é preciso "um consenso alargado". Ele sabe do que fala. O consenso entre os partidos do Centrão conduzirá ao regresso a um regime onde ele se sentia confortável, como o demonstra a sua ficha na PIDE.

E é muito bem feito!

Quando é que esta corja de energúmenos  aprende que estar sempre de cócoras e a  baixar as calças, normalmente não dá bons resultados!?

É só fazer as contas...

Sabe para onde vai o dinheiro da sua pensão de sobrevivência? Para os pobrezinhos, claro

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

O Gendarme de Saint Tropez


Normalmente ligado à figura do Gendarme de Saint Tropez, Louis de Funès é, acima de tudo, uma figura incontornável da comédia francesa.
 Nos anos 60, um filme de Louis de Funès- a solo ou na companhia de Bourvil- era um sucesso de bilheteira assegurado. A eles estou a dever muitas gargalhadas em animadas tardes de sábado.