quarta-feira, 21 de agosto de 2013

A Primavera Árabe foi um sucesso... para alguns!

Como estarão lembrados, sempre olhei com bastante desconfiança para a Primavera Árabe. Desde o inicio da revolução de jasmim tunisina, mas principalmente a partir dos acontecimentos da praça Tahrir no Cairo,  fui lançando por aqui avisos aos entusiastas que viam no derrube dos ditadores, a luz da Liberdade e o florescer da Democracia.
Na Tunísia o jasmim murchou rapidamente e uma reportagem da TVI, em Outubro de 2011,reflectia bem o desencanto dos tunisinos.
No Egipto as eleições determinaram aquilo que se esperava: a vitória da Irmandade Muçukmana que-  escrevia eu em  Dezembro de 2011- "ainda vai ser motivo de muitas preocupações futuras"
Da Líbia é melhor nem falar. Ninguém se entende sobre a repartição do poder.Ainda não se percebeu qual o fundamentalismo que sairá vencedor do ajuste de contas que se está a travar, mas é sabido que a Sharia será adoptada como lei fundamental. A nossa  comunicação social, entusiasmada com a primavera árabe, anda agora calada  sobre o assunto, porque emigrou para os gabinetes ministeriais, de onde emite notícias anunciando um futuro risonho para o país. Sabendo-se que são os mesmos que nos prometeram a democracia nos países árabes, bem podemos esperar sentados pela anunciada recuperação.
Talvez seja oportuno lembrar-lhes que no meio da refrega que culminou na morte de Kadhaffi ao mais belo estilo da barbárie, desapareceram cinco mil mísseis terra-ar e a Líbia é hoje um gigantesco supermercado de venda de armamento, onde terroristas da Al Qaeda do Magrebe Islâmico se abastecem livremente. Perceberão eles agora as razões do recrudescer de ameaças terroristas da Al Qaeda?
Nas últimas semanas morreram e ficaram feridas milhares de pessoas no Egipto, Morsi eleito democraticamente foi derrubado pelo exército e preso, enquanto o ditador Mubarak  está em vias de ser libertado e ilibado de todas as acusações.Com jeitinho, ainda entregam o poder a um dos seus seguidores. Ou seja, morreram mihares de pessoas em dois anos, para que tudo fique na mesma.
Então a Primavera árabe  não foi um sucesso? Foi! Para quem andou a vender armamento a ambas as partes.
É precisamente por isso que o Ocidente se mantém mudo e quedo perante o que se está a passar no Egipto

5 comentários:


  1. Enquanto o fundamentalismo religioso dominar as mentes dos homens nunca haverá paz nem entendimento possível.

    Cada vez que "me deixo" abater pelas notícias tristes e duras deste mundo cruel, tento encontrar alguma serenidade escutando ESTA música.


    Beijinhos utópicos e sonhadores
    (^^)

    ResponderEliminar
  2. Já leste "A Grande Guerra pela Civilização"? Um dos livros mais impressionantes e duros das largas centenas que já li!

    Quanto ao post abaixo, claro que o que ceras criaturas pretendenm é o Poder e o dinheiro é tão só uma maneira de o obter.

    Tudo de bom, amigo

    ResponderEliminar
  3. Ao passar pela net encontrei seu blog, estive a ver e ler alguma postagens
    é um bom blog, daqueles que gostamos de visitar, e ficar mais um pouco.
    Eu também tenho um blog, Peregrino E servo, se desejar fazer uma visita
    Ficarei radiante,mas se desejar seguir, saiba que sempre retribuo seguido
    também o seu blog. Deixo os meus cumprimentos e saudações.
    Sou António Batalha.

    ResponderEliminar
  4. A nossa imprensa não está só ocupada em fazer a propaganda do governo, anunciando futuros risonhos, mas envolvendo-se em manobras de (de)informação entrando em especulações sobre medidas a implementar pelo governo. Uma vergonha.
    E o que se passa na Síria? Que dizer?

    ResponderEliminar
  5. Uma Primavera que se transformou num Inverno gélido, Carlos.
    Assustador o que assistimos todos os dias.
    E sem fim à vista.

    ResponderEliminar