terça-feira, 30 de julho de 2013

Moção de (des)confiança

O governo apresenta hoje, na AR, uma moção de confiança. Tendo uma  maioria  parlamentar a suportá-lo, apresentar uma  moção de confiança é como chegar diante de um espelho e perguntar: espelho meu, há alguém mais bondoso do que eu? Perante o silêncio do espelho o próprio inquiridor dá a resposta.
Sabendo-se rejeitado pela opinião pública, o governo optou por reunir os amigos que vivem à sua custa e perguntar-lhes se tinham confiança nas suas políticas. Obviamente que a resposta foi positiva e a consulta serviu para  o governo dizer – pela segunda vez em menos de 15 dias- que a sua legitimidade está reforçada. Porém, todos os dias, ao levantar-se e ver-se ao espelho, percebe que se anda a enganar a si próprio escondendo o essencial:
Quando alguém  precisa de saber se pode ter confiança em si próprio,  é porque não tem auto-estima ,  um problema de personalidade  incapacitante e limitativo que coloca em risco as possibilidades de sucesso. Quem não tem auto confiança tende também a evitar contactos com as pessoas em seu redor- chegando mesmo a repeli-las-  e a exacerbar  as suas capacidades, para  disfarçar a sua falta de auto-confiança. Foi o que aconteceu, por exemplo, com Relvas, e acontece com este governo na generalidade.
Este governo está morto, o povo não o suporta, mas teima em fingir-se de vivo, porque há uma alma penada  em Belém, que lhe vai dando alguns estímulos.

3 comentários:

  1. Ando há muitos dias, muitos mesmo, a arejar a roupa para o funeral deste governo, mas está difícil alguém ter coragem para desligar a máquina...se fosse cobardia...isso já era outra conversa!

    ResponderEliminar
  2. A alma penada de Belém é que tem feito a respiração assistida...se a cor do governo fosse outra, já o moribundo tinha dado um coice..
    Pois eu , no dia em que este governo cair , quero vestir-me de vermelho vivo , bem vivo e dizer como a sevilhana que ficou viúva de um velho , português e bem rico e daqui...as irmãs dele todas de preto e ela de xaile às rosas vermelhas diz " que lho lhorem , eu já o hei lhorado "...está cheio de erros , mas dá para entender.M.A.A.

    ResponderEliminar
  3. A moção de confiança foi um disparate total.
    Pura perda de tempo.

    ResponderEliminar