terça-feira, 18 de junho de 2013

Peixinhos de aquário


Quase todos os  meses há uma revista, uma agremiação desportiva, um canal de televisão, um site, ou uma  esconsa associação de moradores, que escolhe Portugal  como melhor destino turístico do mundo, melhor destino para viajar, melhor destino  de praia, ou qualquer coisa que o valha.
Não deixa de ser curioso que, à medida que os portugueses empobrecem, Portugal se torne um destino turístico cada vez mais apreciado, apetecido e distinguido.  De qualquer modo não me surpreende, pois a experiência  ensinou-me que  há  hordas imensas de turistas que adoram viajar para ver os pobrezinhos e deles se condoerem no regresso a casa. Adiante…
Voltando às distinções que nos últimos meses têm enchido os portugueses de orgulho, são variadíssimos os justificativos para a escolha. Desde as paisagens à hospitalidade,  passando pela qualidade das unidades hoteleiras  e razoabilidade dos preços, ou pelas praias e belezas naturais, abundam os encómios dos promotores  destas iniciativas para o nosso país.  
Merece no entanto  especial destaque, a deferência  com que  o portal internacional  de viagens Globe Spots   nos trata, ao  justificar a escolha de Portugal como melhor destino turístico 2013. Pois é, caros leitores.  A coscuvilhice, o mexerico , a bisbilhotice , a intriga  ( em inglês, uma única palavra resume tudo isto: gossip) são consideradas  características “very typical” dos portugueses.
Aliás, na perspectiva da maioria das organizações e publicações que nos atribuíram a distinção de melhor destino 2013, somos um povo porreiro para ser admirado como os peixinhos num aquário.
Há  apenas um “porém”.  Muita gente  gosta de peixinhos, mas não gostaria de viver num aquário, ou gosta  muito de animais mas prefere aqueles que se podem deixar ao vizinho quando vai de férias.
Talvez seja por isso que a maioria dos turistas que nos visita olha para nós com admiração. Somos porreiros para ser vistos do lado de lá do vidro, mas não muito aconselháveis para companhia. Tal como os peixinhos, a nossa manutenção é dispendiosa.
Qualquer dia, um turista da escola de Calvino chega aí, esvazia o aquário e leva consigo os peixinhos mais valiosos. Quer dizer... isso já está a acontecer, mas muitos pensam que se trata de emigração. Outros acreditam que vivem e respiram porque ainda têm água, mas esquecem que a água precisa de ser mudada com frequência, para que os peixinhos de aquário não morram envenenados...



3 comentários:

  1. E tal como os peixinhos, há muitos portugueses com memória curta...

    ResponderEliminar
  2. Os tubarões não escolheram o aquário (muito pequeno para espécies de grande porte!)...rumaram para outras águas...correntes!

    http://www.lavarcabecas.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Elogio fácil é sempre de desconfiar, Carlos

    ResponderEliminar