domingo, 30 de junho de 2013

A escolha certa

Por cada opção que fazemos há sempre uma porta que se abre e outras que se fecham. É uma questão de escolha mas nem sempre a escolha certa leva aos resultados pretendidos. Como neste caso...

O meu contributo para o defeso

Estamos em pleno defeso futebolístico em Portugal. É um período que alguns diretores dos jornais desportivos dizem apreciar muito, porque  vendem mais jornais do que durante a época.
Cá para mim não é esse o motivo. Eles gostam é de dar rédea livre à sua criatividade, criando notícias e falando de transferências que os dirigentes dos clubes e os próprios jogadores desconhecem, mas que animam os adeptos.
Resolvi dar o meu contributo para esta silly season futebolística divulgando em primeira mão, aos leitores do CR, uma notícia bombástica: os dois clubes da segunda circular vão participar na próxima liga com nomes diferentes dos que sempre lhes conhecemos.
Assim, depois de reforçar o plantel com seis jogadores sérvios ( pode vir  ainda mais um a caminho), o Sport Lisboa e Benfica vai passar a chamar-se Sport Lisboa e Belgrado.
Já o rival Sporting Clube de Portugal, depois de penhorar o estádio, entregou a um grupo angolano mais de 20 por cento do capital da SAD e passará a chamar-se Sporting Clube de Angola.
Posso adiantar que Pinto da Costa, furioso com este golpe publicitário dos clubes de Lisboa, anda desesperadamente à procura de um novo nome para o Futebol Clube do Porto. Os nomes discutidos pela administração da SAD portista não têm agradado ao presidente dos azuis e brancos, pois envolvem nomes de  árvores  de frutas ( como Pereira) ou fazem alusão a bebidas à base de café e leite ( Pingo, Galão, etc).

Le premier bonheur du jour

Lembra de mim? Em breve estou de regresso. Tenham um bom domingo

sábado, 29 de junho de 2013

Vem aí um best seller

Tenho a impressão que está a ser fabricado um novo best seller. Será um livro de aventuras escrito por este homem
Resta saber se poderá gozar em liberdade os proventos que irá auferir do seu relato rocambolesco.

O que a gente aprende viajando...

Junto ao edifício da ERT (Atenas)
- Então és português?
- Sou
- Vens cá ver o teu futuro, é?
- Não estou a perceber...
- É fácil! Sabes o que nós dizemos quando encontramos um português?
- ???
- Ó miúdo! Connosco vens sempre atrás!

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Peço desculpa por ser curioso...

... mas alguém me sabe dizer onde é que o governo vai  reunir passar este fim de semana? 

O grumete

A história está cheia de grumetes e moços de recados que subiram na vida, fizeram grandes fortunas e desempenharam cargos políticos importantes, chegando mesmo a presidentes da república ou chefes de governo.
Caso raro é o que se passa em Portugal, onde um presidente da república acabou como grumete de um grupo de inconscientes impreparados, que fizeram dele um joguete.

Desintoxicação é...

Ligar o televisor e não ver a cara de nenhum membro do governo há quase uma semana!

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Noites de cinema


Com a exibição de Tabu, começa hoje a VI edição do Cine Conchas. Ver cinema ao ar livre em tempo de Verão é sempre apetecível, desde que o vento e a chuva não atrapalhem. Este ano o programa é apetecível, como podem ver aqui.
"Argo", "A Vida dos Outros" ou "Amigos Improváveis" estão entre as propostas aliciantes para uma noite ao ar livre. Só é preciso que S. Pedro colabore.

O menino dos balões

Paulo Portas decidiu fingir que faz exigências ao governo, no intuito de se posicionar para as próximas legislativas. No entanto, o que está a fazer com estas pretensas exigências e ameaças é a dar balões de oxigénio a este governo.
Já ninguém acredita no líder do CDS. Ele quer o poder a qualquer preço e é o seu ego que comanda a estratégia que vem sendo seguida. Inteligente, Portas sabe que, se jogar bem em todos os tabuleiros, até pode ver cair-lhe no regaço o palácio de Belém.

Fantasias sexuais

O problema de Gaspar e de Coelho é que gostam de fantasias sexuais e agora estão a experimentar  BSDM com os portugueses. Socorreram-se de Cavaco e do Kama Sutra e já nos fornicaram de todos os modos e feitios e em todas as posições, já nos algemaram e deixaram a escorrer sangue. O pior é que até parece que os tugas gostaram da experiência sado e já se  habituaram às perversões sexuais desta dupla de tarados.
Acordem, PORRA! É altura de perceber uma coisa:
Não perder um dia de salário, pode significar perder um salário para toda a vida.
A DEMOCRACIA corre perigo.Ou a defendemos ou pagaremos as consensequencias.

Está na hora...

Espero que a greve geral marcada para hoje tenha uma fortíssima adesão, especialmente dos funcionários públicos.É a última oportunidade que têm de dizer ao governo que estão dispostos a lutar pelos seus direitos e não se resignam, nem aceitam ser tratados como trabalhadores de segunda, ou parasitas. Como ficou demonstrado com a greve dos professores, quando a luta é justa e os trabalhadores se unem, o governo não tem outro remédio senão recuar.
Ir trabalhar, significa aceitar as regras que o governo pretende impôr. Depois não se queixem...
Vou tentar acompanhar à distância.

Parabéns!

Como receio não poder ir  à Internet, opto por esta via para enviar um abraço de parabéns a dois amigos, pelos seus aniversários.
O Luís completou hoje ( dia 26) 60 anos e o Pedro, bastante mais jovem, celebra o seu aniversário hoje ( dia 27)
Um post à meia noite, creio ser suficientemente abrangente para abraçar os dois e fazer votos que continuem pela blogosfera durante muitos anos

quarta-feira, 26 de junho de 2013

La honte



Com a bonomia que lhe é conhecida, Jorge Sampaio disse em 2004 que a nomeação de Durão Barroso para presidente da Comissão Europeia seria uma honra para Portugal. Aceitou, por isso, que o mordomo de Bush e Blair se pirasse de Portugal e entregasse a Pedro Santana Lopes os destinos do país. Os resultados são conhecidos. Ferro Rodrigues sentiu-se enxovalhado, bateu com a porta e abriu o caminho a José Sócrates.
Portugal poderia ser hoje um país diferente se Sampaio tivesse convocado eleições e Ferro Rodrigues tivesse sido eleito primeiro ministro em 2004.
Hoje, temos um país destroçado e um presidente da comissão europeia enxovalhado, por se ter vendido uma vez mais aos americanos. Em vez da honra prevista por Sampaio, Durão é hoje a vergonha ( honte) de Portugal.
Não se pode confiar nestes maoístas  convertidos aos prazeres do capitalismo. A culpa  não pode, porém, ser atribuída exclusivamente a Jorge Sampaio. Recuando aos anos 70 vamos encontrar a verdadeira responsável da ascensão de José Manuel Durão Barroso. Foi Maria José Morgado que, iludida com o discurso fácil do Zé Manel o convidou a entrar para o MRPP.
Vale a pena lembrar este episódio, para que em futuras eleições não nos deixemos iludir por  uma certa esquerda que facilmente se deixa seduzir pela direita das ideias ultra liberais e é capaz de vender a mãe para chegar ao poder.
Como muitos esquerdista reconvertidos, Durão Barroso não presta.É peixe podre na lota de interesses do grande capital.

Há coisas fantásticas, não há?

Pequeno contributo para a tentativa de enriquecimento cognitivo dos ilustres membros deste governo que decidiu escolher os funcionários públicos como alvo a abater.


 "A falsa idéa de que o funccionalismo concorreu para a, situação deploravel da fazenda publica, por ter absorvido por muitos annos grande parte das rendas do estado, levantou no paiz um antagonismo de classes, que em circumstancias menos pacificas do que as que vamos atravessando poderia trazer comsigo bem graves consequencias. 
Uma parte da imprensa, como se pretendera lisongear paixões, tem appoiado as manifestações contrarias ao funccionalismo. Faz n'isso um mau serviço, porque é do desacato àquelles que exercem funcções publicas que resulta o abatimento da auctoridade e a quebra do respeito pelas diversas gradações da hierarchia politica. 
As breves considerações que ahi vão escriptas têem por unico fim mostrar a absurda jurisprudencia com que se pretende julgar os direitos dos empregados; a injustiça das arguições que se fazem ao funccionalismo portuguez ; e a sem razão com que algumas classes acintemente lhe estão movendo guerra. 
Ergue-se uma voz, ainda que fraca, do seio d'esta grande corporação chamada os servidores do estado unicamente para ir chamando ao bom caminho a opinião desvairada, e com o fim de protestar contra a perseguição ; não em nome de falsas vaidades, ou de interesses illegitimos, mas em nome de um principio sagrado nas sociedades civilisadas - em nome do direito. 
Na sua curta vida de empregado publico o auctor tem cumprido sempre religiosamente os deveres que a lei lhe marca;nem os seus, bem que insignificantes, trabalhos litterarios ; nem emfim outras applicações a que se tem dado, o distrahiram nunca do cumprimento d'elles ; e ahi estão para attestalo os homens honrados que têem sido seus chefes. 
Estribado, pois, na força da sua consciencia, e nos argumentos copiosos que o assumpto fornece, é que dá à estampa estas ligeiras considerações, precipitadamente escriptas, . que o auctor se honra de offerecer ao illustrado funccionalismo portuguez". 


A.deOliveira Pires in O Funccionalismo
Typographia Universal
29 de janeiro de 1869
Vale a pena ler este pequeno opúsculo de 24 páginas.Talvez esteja  disponível numa biblioteca perto de si.

Espera aí...

Não era aquele tipo à direita na foto, que convidava jornalistas disfarçados de bloggers para bem regados repastos e lhes dava uns guiões sobre as notícias que deviam publicar no DN? E desse guião não fazia parte um ataque a Sócrates por andar a negociar contratos com um ditador, o que era uma vergonha para o país?
E o tipo da esquerda não é o presidente do tal país que tem um governo ditatorial, com o qual o tipo da direita assinou mais uns acordos comerciais?
A minha memória visual é fracota, mas tenho a certeza que sim.
Bem, mas não me vou espantar com essa ninharia do cumprimento, bem visível na foto. Afinal, o tipo da direita é o mesmo que dizia que o TGV era um disparate e fez um guião para os tais bloggers disfarçados de jornalistas, onde dava ordens para eles alertarem os portugueses para o despesismo que era o TGV. E não é que agora anuncia que o TGV vai mesmo avançar?
O tipo da direita não tem nome. Ou melhor... tem, mas não posso dizer, porque me arrisco a pagar uma multa!

Última oportunidade!

(Amplie a imagem para ler)


Ainda vai a tempo de se candidatar. Aproveite! Quem sabe se não vai ter oportunidade de conviver  com este monitor?

terça-feira, 25 de junho de 2013

Ronda da Noite

Num centro comercial em Breda, na Holanda, os clientes foram surpreendidos pelo soar do alarme e um fugitivo à solta. Estupefactos e meio assustados, ninguém estava a perceber o que se estava a passar, enquanto várias personagens do século XVII surgiam.
No final, tudo ficou explicado. Tratava-se de um flash mob que serviu para celebrar o retorno do quadro «A ronda nocturna», uma das mais famosas obras do pintor holandês Rembrandt, pintada entre 1640 e 1642, ao museu Rijksmuseum

O betinho da Ponte Vecchio


Cada vez que abre a boca, Miguel Poiares Maduro faz questão de demonstrar que é o Relvas dos Betinhos. Com os trejeitos de intelectual da Ponte Vecchio, vai debitando uma parafernália de disparates. Após a reunião do conselho de ministros de Alcobaça, abotoou o casaco cor de alpista para dizer que o governo estava empenhado em facilitar a mobilidade social. 
Ó Maduro, mas qual é a novidade? Desde que o governo entrou em funções, a mobilidade social tem sido uma constante, com a classe média a migrar para a pobreza! 
No dia seguinte, numa visita à feira do granito, em Vila Pouca de Aguiar, o ministro pretendeu mostrar que era dialogante e ao ouvir um cidadão ( desta feita a organização esqueceu-se de contratar umas loiras para figurantes) que se lamentava de ter de dormir na empresa, por não ter casa, respondeu"Eu sei, eu sei!", uma frase tipo de quem não está a prestar a mínima atenção ao seu interlocutor.
Maduro ainda disse mais umas banalidades que podem ouvir/ver aqui, sem perder a compostura de Relvas dos Betinhos

Homenagem a João Villaret


Hoje, às 18h30m,  no auditório Frederico de Freitas ( Av Duque de Loulé), a SPA assinala o centenário do nascimento de João Villaret.
Durante 50 minutos, Carlos Paulo e Ana Lúcia Palminha, acompanhados pelo músico Hugo Franco, vão recriar alguns números de revista criados por João Villaret e recordar alguns dos poemas escritos para ele  por diversos poetas.
Uma boa oportunidade para recordar aquelas noites de domingo em que Villaret prendia aos televisores milhares de pessoas ( eu incluído).
Se estivesse em Lisboa, não faltaria.
O preço da entrada é 5 €.

Distraídos!

Enquanto o senhor Aníbal confia no consenso, o sr Hollande se vai esquecendo do socialismo e os líderes europeus lamentam o desemprego com um bocejo, uma mulher vai emergindo.Preparemo-nos para o pior

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Ainda o concerto do Lisboa em Si

Partilho a opinião da maioria dos leitores. Foi uma boa ideia, mas saiu furada. O tempo não ajudou, por causa do vento, os sinos quase não se ouviam. Para a próxima talvez resulte melhor. E, se houver próxima, em vez de ir para o Terreiro do Paço, vou para S. Pedro de Alcântara.
Agora, vou ali e venho já, mas vou tentar manter-me em contacto convosco. Até já!

Discos pedidos

No sábado, o governo invadiu a auto estrada com os seus carros de luxo(  terão pago portagens?)  e gasolina paga por todos nós ( não podiam ter alugado um autocarro e ir em grupo para poupar?), e reuniram-se no mosteiro de Alcobaça.
Era suposto Paulo Portas apresentar o guião para a reforma do estado mas, como já aqui escrevi, Paulo Portas não faz a mínima ideia sobre o que deve ser essa reforma, por isso entregou um documento envergonhado a Passos Coelho.
O primeiro- ministro terá olhado para aquilo como um boi para um palácio e remeteu-se ao silêncio. Conclusão? Os ministros foram passear até Alcobaça, desperdiçaram gasolina, pagaram horas extraordinárias aos motoristas e, no final, não se passou nada. Quer dizer... alguma coisa se passou, mas foi a divulgação de uma pouca vergonha.
O ministro Maduro, quiçá inspirado no seu homónimo venezuelano, propôs em conselho de ministros a realização de conferências de imprensa diárias,o que  não deixa de ter um cariz picaresco, mas também preocupante...
Ao contrário do que ouvi por aí, não me parece que a estratégia seja fazer passar a mensagem do governo. Maduro parece-me ser suficientemente perspicaz para perceber que ao fim de uma semana muitos jornalistas, cansados de não ver respondidas as suas perguntas, vão deixar de aparecer. Passam a comparecer apenas os engajados com o governo que depois difundirão, ao bom estilo do SNI do Estado Novo, a mensagem que o governo pretende transmitir. Esse é o objectivo do governo. Passar a ser uma central de informação manipuladora, com a colaboração de meia dúzia de funcionários com cartão dos partidos do governo.
Aquilo não foi um conselho de ministros informal, foi um programa de discos pedidos onde todos queriam ouvir o " Ó tempo volta p'ra trás"

Zangaram-se as comadres...

O FMI reconheceu os seus erros em Portugal, como já fizera em relação à Grécia. As acusações mútuas dentro da troika não se fizeram esperar e já se fala numa saída do FMI. 
Venha o que vier, ninguém conseguirá reparar os efeitos do desemprego que lançou milhões de europeus na miséria. A recuperação da economia nos países sob resgate está longe de ser um dado adquirido nos próximos anos.
Os lideres europeus parecem baratas tontas, incapazes de encontrar uma solução para o desastre em que a Europa está mergulhada. Durão Barroso procura desesperadamente uma oportunidade para voltar a fazer de faxina de alguns líderes mundiais e receber um cargo internacional de relevo, como recompensa. Uma guerrinha  estilo Iraque, fazia-lhe imenso jeito 
No que concerne a Portugal, bem pode o governo vir culpar o FMI, mas a verdade é que Pedro Passos Coelho e Paulo Portas são igualmente responsáveis pelo descalabro do país. Foram eles que quiseram cá o FMI e a troika. 
Era bom que Seguro pensasse um bocadinho nisso, porque também ele deu lastro ao PSD e a Passos Coelho, para que o PEC IV fosse chumbado.

domingo, 23 de junho de 2013

Quem não experimentou, não sabe o que é bom!



A noite de S. João pode não ser a melhor noite do mundo mas uma vida nunca fica completa sem uma ida ao Porto nesta noite. Andar de nariz no ar a ver os balões, dar e levar com o alho porro, ou mesmo com o irritante martelinho, é uma experiência que merece ser vivida. Foi para viverem essa experiência que milhares de turistas invadiram o Porto este fim de semana, ocupando 95% da capacidade hoteleira da cidade. 

Luas e alhos porros



O Verão começou na sexta –feira e chegou cheio de força. Na próxima semana as temperaturas vão subir muito acima dos 30 graus e as noites prometem sensações tropicais.
Hoje haverá Lua Cheia, com a particularidade de ser a mais brilhante e maior do ano. Lua igual à desta noite - dizem os especialistas- só daqui a 18 anos.
Facto também a considerar, particularmente para quem se encontra a norte, é que hoje é noite de S. João.
Que a noite dure até às tantas, com muita alegria e muito alho porro. Como eu gostava de ver o Pedro na noite de S. João! Dava-lhe o alho a cheirar e umas boas marteladas na mona. Ai dava, dava!

Le premier bonheur du jour

Porque ainda temos direito de rir, escolhi para este domingo um momento de boa disposição. Espero que se divirtam.
Tenham um bom domingo. O primeiro de Verão.

sábado, 22 de junho de 2013

Sete minutos

Qual a vossa opinião sobre estes sete minutos?

Um bom pretexto para ir a Sintra

Imagem daqui


Não faltam pretextos para ir até Sintra mas, a partir de hoje, e até dia 12 de Julho, há mais um motivo. Durante este período realiza-se o 48º Festival de Sintra, este ano dedicado especialmente à juventude, mas onde adulto também entra.
Pode consultar o programa aqui

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Invejosos do caraças!


Além de ser mentira ( muitos contratos colectivos de trabalho contemplam 25 dias de férias para o privado, podendo o trabalhador auferir dias suplementares em função de diversos factores) este título é muito esclarecedor quanto ao espírito mesquinho do tuga. 
Enquanto tivermos jornais e jornalistas que são o espelho fiel do tuga, reflectindo a sua inveja e mesquinhez, podemos estar tranquilos: o tuga aguenta tudo o que lhe impuserem, desde que ao lado não veja um tipo com um carro melhor do que o dele, a passar férias num sítio  melhor do que el, ou que ganhe um salário superior ao dele.  Se alguma situação destas ocorre, o tuga  não procura esforçar-se para ter as mesmas condições. Acciona a má língua, o vitupério, a intriga, para que o privilegiado perca as suas regalias. 
Este título foi feito por um desses tugas, de certeza. Não esclareceu os leitores, no entanto, que muitos jornalistas  - além dos 22 dias de férias -  vão acumulando ao longo do ano dias de folga suplementares que podem atingir 10, 15, ou mesmo 20 dias. 
Esclareço, desde já, que durante vários anos também eu coleccionava folgas por trabalhar ao fim de semana. A diferença é que, naquela altura, as folgas tinham que ser gozadas na semana seguinte ao fds de trabalho e não se podiam acumular! 

Cavaco convoca novamente o Conselho de Estado

Em 1994, os EUA começaram a construção de um muro ao longo da fronteira com o México, a fim de evitar a entrada de imigrantes ilegais.
Ontem, a Casa Branca anunciou  que vai proceder à construção de um novo muro com os mesmos objectivos  mas,  desta feita, ao longo da fronteira  com Portugal.
Alertado pelo aviso de Obama, Cavaco já anunciou que vai convocar o Conselho de Estado para debater o problema de Portugal no período pós  Berlengas e Costa do Estoril
É muito importante que haja consensos na sociedade portuguesa sobre o futuro de Portugal, pois o fim das praias na costa oeste e a perda da zona económica exclusiva atlântica, colocam problemas de vária índole. Não mais ouviremos falar do canhão da Nazaré, o que será uma contrariedade para o desenvolvimento do surf e, no âmbito das pescas, deixaremos de poder comer os jaquinzinhos de que a Maria tanto gosta e nos eram trazidos por um pescador amigo do Oliveira e Costa (…)” – lê-se no comunicado hoje divulgado na página do FB da presidência da república.  
Estejam descansados, porque vai ser só daqui a 200 milhões de anos.



What a beautiful... night!



Um “very-ligth” disparado do Terreiro do Paço sobre o Tejo anunciará às 22 horas de hoje, o início de um concerto inédito e único.
Uma centena de músicos irá tocar em mais de cem sinos de 16 igrejas da zona ribeirinha, 25 embarcações, 6 viaturas de bombeiros, 6 eléctricos e 2 comboios. 
É o “Lisboa em Si”, que irá transformar os sons da cidade numa orquestra original, tocando uma partitura da autoria do compositor Pedro Castanheira, que também irá dirigir, a partir do topo do arco da Rua Augusta. 
Serão sete minutos de música, em homenagem às sete colinas de Lisboa e a recordar os sete minutos do terramoto de 1755.
Um dos palcos privilegiados será o próprio Terreiro do Paço. 
Esta noite de solstício de Verão promete ser uma noite muito especial!...
Para mais informações, nomeadamente sobre locais onde pode desfrutar melhor este concerto singular  vá aqui!
concerto,


Por amor da Santa!

O que mais me chateia nisto, é que um dia destes o tipo volta para casa e a inteligência tuga, babada com o seu pedigree, ainda o instala em Belém.
Por amor da Santa, livrem-me deste animal 

quinta-feira, 20 de junho de 2013

É de ir às lágrimas!



Ontem, Cavaco foi cavar para descontrair. A assinatura supersónica do despacho que autoriza o pagamento do subsídio de férias de funcionários públicos e reformados em Novembro/Dezembro deve tê-lo deixado exausto. 
Victor Moura Pinto, no Jardim das Notícias, abrilhantou o momento com alguns comentários apropriados e apimentados. Sigam aqui o link, vejam e descontraiam também. Fixem aquela menina que saudou  o PR com um animado "Bom dia, Cavaco Silva!". Tem futuro!

O Pedro ainda tem dentes?

Pedro Passos Coelho afirmou hoje, em Viena, que no próximo ano os subsídios de férias e de Natal serão pagos nos meses habituais. 
Para não variar, justificou com mais uma peta o método de pagamento utilizado este ano. Sem se rir, disse que foi culpa do TC! 
Ó sr Pedro, pensa que temos a memória curta e já não nos lembramos que a decisão de pagar o subsídio de  Natal em duodécimos aos funcionários públicos e reformados foi  incluída no OE 2013, antes de o TC o obrigar a devolver aquilo que lhes pretendia roubar?
Esteja onde estiver, a sua mãezinha deve ter vergonha de si. Ninguém gosta de saber que tem um filho aldrabão!


Quanto custou a queca?

Depois de o deputado Hugo Soares, com o apoio dos restantes sete deputados da JSD, ter perguntado ao governo quanto custa o sindicato dos professores, abre-se um manancial de hipóteses para perguntas idiotas.
Só para começar, lembrei-me destas:
Quanto custou ao pai de Hugo Soares a  queca que lhe deu vida?
ou então:
O pai de Cavaco frequentava casas de meninas?
Ou ainda:
Quanto custa ao país aquela rapaziada que anda a vender o país a retalho?

Adenda: emendado o nome do deputado calinas , depois de uma chamada de atenção de um leitor a quem agradeço o reparo. 

Errar é humano, mas o escurinho é um animal, por isso, não tem perdão!

A troika chega segunda -feira a Portugal, para preparar a 8ª avaliação, que começa a 15 de Julho. Diz o "Expresso" que vem adiantar trabalho.
Cá para mim vem mas é gozar os dias de calor que se anunciam para a próxima semana!
Entretanto, o escurinho  foi ao confessionário e reconheceu que  o FMI se enganou também em relação a Portugal. Se eu fosse o confessor, o gajo levava uma penitência tal, que passava o resto da vida de joelhos, mas como o papel de padre cabe a Gaspar, é melhor estarem preparados para mais austeridade, mais despedimentos, mais desprezo pela vida das pessoas.
É melhor prepararmo-nos para o pior, porque  no dia seguinte a ter reconhecido os erros na Grécia, mandou fechar a televisão pública e despedir mais de dois mil trabalhadores.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

O parágrafo

Sempre contundente, BB foi  desta vez generoso com Crato. O homem não é um parágrafo, é um erro de palmatória num ditado!

E se não puder, arreia!

O governo andou duas semanas a alegar que não podia alterar  a data dos exames de Português e Latim do 12º ano, porque aquilo era uma coisa muito séria  e era preciso defender os interesses dos alunos. Com a sua teimosia criou um imbróglio de todo o tamanho, havendo muitos alunos que não sabem se o exame realizado no dia 17 foi válido, ou terão de o repetir no dia 2 de julho, por terem sido detectadas irregularidades.
As associações de pais andam às aranhas, porque não sabem o que é melhor para os alunos. 
Não sei se o governo aprendeu com o erro ou se rendeu à evidência. Certo é que, face à greve geral marcada para dia 27,está a estudar uma data alternativa  para os exames de Matemática, do 6º e 9º anos que se deveriam realizar nesse dia. A data dos exames não pode ser alterada? Ai pode, pode! 
Quem não está pelos ajustes e insiste que os exames devem realizar-se dia 27 é a ex- ministra da educação, Maria do Carmo Seabra. Não  é por acaso que, até à chegada de Nuno Crato, ela era considerada a pior ministra da educação depois do 25 de Abril.
Vai ser o bom e o bonito se o governo insistir na realização dos exames naquela data. O pandemónio inerente a um dia de greve geral agravará o stress dos alunos e muitos ficarão impedidos de comparecer nas escolas, por não terem transporte assegurado. Como descalçar esta bota?
A balbúrdia está instalada e o ministro da educação disse que, ainda hoje, vai comunicar a decisão ao país. Obviamente que haverá sempre gente insatisfeita com o adiamento. Aqueles que não terão problemas em levar os filhos de carrinho às escolas, mesmo que tenham de sair de casa às 6 da manhã.  

Quem diz o que pensa não merece castigo?

Estes idiotas dizem o que pensam e, como tal, não merecem castigo. Preocupante  é saber que há políticos que pensam exactamente o mesmo em relação ao progresso dos seus países!

As virtudes de Maria

Quais são as suas virtudes, Maria?



Maria Luís Albuquerque, secretária de estado do tesouro escolhida e mantida por Gaspar é, certamente, uma mulher cheia de virtudes. Só isso justifica que ainda se mantenha no cargo, enquanto outros secretários de estado foram  corridos logo que cheirou a esturro nos contratos swaps. 
Alguns especialistas classificaram os contratos assinados por Maria Luís Albuquerque na REFER, como exóticos.  Provavelmente essa classificação deve-se ao facto de Maria Luís ter conseguido a notável proeza de colocar dois organismos sob a sua alçada a investigar  os contratos por ela assinados. Elementar, não é? Outro exotismo é renegociar um contrato com a JP Morgan e, de caminho, entregar ao mesmo JP Morgan a assessoria na privatização dos CTT.
Esta técnica de contratar o assaltante para vigiar a casa é nova, mas deve ser eficaz, porque Maria Luís continua firme no seu lugar. Inamovível, mas não distraída. No mesmo dia em que o assunto era discutido na AR, conseguiu desviar as atenções para Sócrates.
Com efeito, sensivelmente à mesma hora, o grupo parlamentar do PSD divulgava um relatório sobre as PPP em que (quase) todo o governo de Sócrates é posto em causa.
Se a fundamentação for tão rigorosa como a escrita do relator, Sócrates e os seus ex-ministros podem estar descansados. O relatório final parece ter sido escrito por um aluno da 4ª classe com dificuldades de aprendizagem.
De qualquer modo, não deixa de ser curioso constatar que quando o governo está em apuros, salte logo para as primeiras páginas dos jornais algo relacionado com as malfeitorias de Sócrates. Certamente, também por coincidência, quando Portas questiona de forma mais viva algumas opções do governo, lá vem uma notícia sobre os submarinos. O caso BPN é que parece ter sido definitivamente enterrado. Cavaco também tem sabido apadrinhar este governo, portanto... agora que Relvas está fora, as virtudes da Maria Luís serão bastantes para assegurar o expediente.

Se eu tivesse uma varinha de condão...

... satisfazia de imediato este desejo  de Manuela Ferreira Leite
Malgré tout, é minha convicção que, tal como ela, alguns milhões de portugueses ficariam felizes.

terça-feira, 18 de junho de 2013

A(s) lista(s) de Schindler

O ministro desmentiu, mas a realidade é lixada e confirmou que Gaspar se quer ver livre de pelo menos metade dos  funcionários públicos  com contratos a prazo, até final do ano.
Torci o nariz, porque me pareceu que  havia algo escondido naquela notícia. Fui investigar e deparei com uma situação ainda mais mal cheirosa. Acontece, quando se mexe  na m.....
E o que é que encontrei? Nada de palpável, apenas um testemunho de um director -geral, porque aqui não haverá papéis, apenas palavras.
Segundo aquele responsável, o governo terá dado ordens aos serviços públicos para indicarem, até final de Julho, 15% dos funcionários dos quadros dos serviços que dirigem, que devem ser despedidos requalificados.
Ou seja: até final do próximo mês, os directores gerais e equiparados terão de elaborar uma lista com nomes  de funcionários que irão alimentar os Oliveira e Costa,  Dias Loureiros, Ulrichs  e demais banqueiros,  instituições financeiras e administrações de empresas públicas que andam a roubar os contribuintes, com a aquiescência do governo.
 Competirá a esses funcionários abdicarem dos seus salários para que o dinheiro vá directamente dos seus bolsos para os de um grupo de gatunos encartados e licenciados com alvará, por Vitor Gaspar y sus muchachos.
Não queria ser director geral por estes dias. Por amor à minha consciência recusaria elaborar uma lista de Schindler de funcionários públicos e condená-los ao desemprego, para satisfazer os apetites vorazes do etíope escurinho e sua comandita de agiotas.Teria de me recusar a fazê-lo e, obviamente, ser-me ia apontada  a porta de saída por desobediência. 
Tenho a certeza que muitos directores gerais terão os mesmos problemas de consciência. Tentarão tornear a questão o melhor que puderem, mas acabarão por obedecer às ordens superiores. Muitos passarão muitas noites intranquilas, com a consciência a provocar-lhes insónias por serem responsáveis pelo aumento do número de famílias em dificuldades. Outros, rejubilarão. Com um brilhozinho nos olhos aproveitarão a oportunidade para se desfazerem de funcionários incómodos, ou de quem simplesmente não gostam, por não serem suficientemente bajuladores, ou simplesmente " porque não vão com a sua cara".
Uns e outros contribuirão à sua maneira para aquilo a que Pedro e Gaspar chamam eufemísticamente " Reforma do Estado".
O cristão novo Portas aparecerá compungido, diante das câmaras de televisão, a lamentar a ocorrência, mas a dizer que a apoia em nome dos superiores interesses do país. Ou, por outras palavras, o interesse em manter-se agarrado ao pote, à custa de um exército de desempregados.
Para que a declaração produza mais efeito, encomendou previamente a Pires de Lima e outras personalidade do partido (onde se incluem dois membros do governo) uma moção de estratégia cheia de frases misericordiosas, assentes numa compungente vacuidade
Hitler  enviou os judeus para as câmaras de gás, para defender a raça. Paulo Portas envia funcionários públicos para o desemprego, em nome da sua estratégia pessoal: manter-se à tona, custe o que custar. A diferença entre os dois é que Paulo Portas gosta de se fazer passar pelo homem bom que quer sempre o melhor para os portugueses e finge estar em desacordo com o governo. Uma Comédia de Enganos, onde só os parvos se deixam enganar.

Peixinhos de aquário


Quase todos os  meses há uma revista, uma agremiação desportiva, um canal de televisão, um site, ou uma  esconsa associação de moradores, que escolhe Portugal  como melhor destino turístico do mundo, melhor destino para viajar, melhor destino  de praia, ou qualquer coisa que o valha.
Não deixa de ser curioso que, à medida que os portugueses empobrecem, Portugal se torne um destino turístico cada vez mais apreciado, apetecido e distinguido.  De qualquer modo não me surpreende, pois a experiência  ensinou-me que  há  hordas imensas de turistas que adoram viajar para ver os pobrezinhos e deles se condoerem no regresso a casa. Adiante…
Voltando às distinções que nos últimos meses têm enchido os portugueses de orgulho, são variadíssimos os justificativos para a escolha. Desde as paisagens à hospitalidade,  passando pela qualidade das unidades hoteleiras  e razoabilidade dos preços, ou pelas praias e belezas naturais, abundam os encómios dos promotores  destas iniciativas para o nosso país.  
Merece no entanto  especial destaque, a deferência  com que  o portal internacional  de viagens Globe Spots   nos trata, ao  justificar a escolha de Portugal como melhor destino turístico 2013. Pois é, caros leitores.  A coscuvilhice, o mexerico , a bisbilhotice , a intriga  ( em inglês, uma única palavra resume tudo isto: gossip) são consideradas  características “very typical” dos portugueses.
Aliás, na perspectiva da maioria das organizações e publicações que nos atribuíram a distinção de melhor destino 2013, somos um povo porreiro para ser admirado como os peixinhos num aquário.
Há  apenas um “porém”.  Muita gente  gosta de peixinhos, mas não gostaria de viver num aquário, ou gosta  muito de animais mas prefere aqueles que se podem deixar ao vizinho quando vai de férias.
Talvez seja por isso que a maioria dos turistas que nos visita olha para nós com admiração. Somos porreiros para ser vistos do lado de lá do vidro, mas não muito aconselháveis para companhia. Tal como os peixinhos, a nossa manutenção é dispendiosa.
Qualquer dia, um turista da escola de Calvino chega aí, esvazia o aquário e leva consigo os peixinhos mais valiosos. Quer dizer... isso já está a acontecer, mas muitos pensam que se trata de emigração. Outros acreditam que vivem e respiram porque ainda têm água, mas esquecem que a água precisa de ser mudada com frequência, para que os peixinhos de aquário não morram envenenados...



Às vezes chegam cartas...

Já  me tinham falado desta carta mas, como nos últimos dias andei arredado da blogosfera  e das redes sociais, só hoje a pude ler, graças a uma leitora que teve a amabilidade de me enviar um link.
Há textos que nos reconciliam com a esperança, porque revelam que alguns jovens vêem o futuro para além do seu umbigo.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Quem ganhou e perdeu com a greve de hoje?


No final do post dou a minha opinião mas,  antes,  peço-vos que me acompanhem num pequeno exercício.
Não pretendo aqui  discutir  de que lado está a razão na greve  dos professores aos exames, pois  colocar a questão nesses termos levará sempre a opiniões apaixonadas. Cinjo-me pois aos factos e os leitores que tirem as suas conclusões.
Em Maio o governo apresenta uma proposta aos sindicatos que viabiliza milhares de despedimentos e alarga o horário de trabalho para 40 horas.
Os sindicatos reagem e, após várias reuniões em que o governo permanece inflexível, decidem marcar greve às avaliações. Marcam também um dia de greve para o dia 17 de Junho, que coincide com exames de Português e Latim do 12º ano.
O governo não cede e pede à Comissão Arbitral que defina os serviços mínimos.  Esta decide que não há razão para estabelecer serviços mínimos e sugere que o governo remarque os exames a essas disciplinas para o dia 20 de Junho, data em que não há provas marcadas.
O governo recusa-se a aceitar a decisão, acusa os professores de fazerem os alunos reféns e insiste que os exames se realizarão no dia 17, como previamente estabelecido. Para o efeito, convoca 115 mil professores, que terão de vigiar 75 mil alunos ( mais de um professor por aluno).
Os sindicatos retribuem a acusação e dizem que é o governo que está a utilizar os alunos como armas de arremesso contra os professores.
Aumenta a instabilidade entre os alunos por não saberem se poderão fazer exame no dia 17.
O governo procura cativar a opinião pública para o seu lado, dizendo que propôs uma nova data para a realização dos exames de Português e Latim, mas os sindicatos recusaram.
Os sindicatos acusam o governo de estar a mentir e pedem a divulgação das gravações das reuniões.
Dia 16, véspera de realização dos exames, o governo recruta comentadores e jornalistas para amplificarem a sua posição.
Chega o dia dos exames.  Algumas escolas recorrem a todos os expedientes para garantirem a sua realização. Pervertem as regras, realizando as provas em cantinas e ginásios.  Cerca de 90 por cento dos professores ( números divulgados pelos sindicatos)  não comparecem. Mais de 22 mil alunos ( cerca de um em cada três) não conseguem fazer exame. Um número  de alunos ainda não determinado fez as provas num ambiente de turbulência, porque muitos dos que não conseguiram fazer exame se revoltaram.
O governo avança com a data de 2 de Julho para a realização de novas provas para os alunos que não puderam fazer exames. Quanto aos que as prestaram em circunstâncias anómalas e ambiente de perturbação, o governo diz que caberá ao  Júri Nacional de Exames decidir se podem ou não repetir o exame no dia 2 de Julho.
Analisados os factos, vejamos as consequências:
Para além de quebrar  outras regras, o governo quebrou a regra da equidade e acrescenta aos exames do 12º ano um novo elemento de avaliação: a sorte. 
Fosse porque tiveram profs para os vigiar, fosse porque o critério escolhido pelas escolas para decidir quem ia a exame os beneficiou, dois em cada três alunos puderam prestar provas  na data agendada pelo governo. Um terço terá de as fazer em julho.  Há uma desigualdade objectiva que ninguém de boa fé pode escamotear.  Os alunos foram joguetes na luta entre governo e sindicatos e isso pode influenciar o seu futuro.
Cada aluno terá reagido à sua maneira mas só por má fé se pode dizer que todos estiveram em condição de igualdade no momento de prestar provas.
Perante isto, dou finalmente a minha opinião :  O governo sofreu uma pesada derrota. Usou todas as aramas ao seu dispôr para que os exames se realizassem, perverteu as regras, desrespeitando o interesse dos alunos, a quem obrigou a fazer exame sob coação e só faltou requisitar os militares para vigiarem os exames.
 Os profs deram uma grande manifestação de unidade e civismo. 
Tudo se podia ter evitado se o governo não persistisse na sua teimosia e não se  marimbasse para os interesses dos alunos. 
Aos profs cabe o direito de fazer greve, seja em que dia for, porque em causa está o seu posto de trabalho.
Cada um terá a sua opinião mas colocar-se ao lado dos alunos, com o argumento de que é o seu futuro que está em jogo, é esquecer que os profs também têm direito ao futuro e esse passa pela defesa do seu emprego. 
Defender os alunos, esquecendo que muitos deles são filhos de professores, correm o risco de ver os pais desempregados e sem possibilidade de lhes custear os estudos ( para além de outras privações)  parece-me  maniqueísmo e desprezo absoluto por quem luta pelo direito ao trabalho.
Atribuir aos profs a culpa pela não realização dos exames é, no mínimo, redutor. Claro que compreendo a posição do governo, mas é sempre bom não esquecer um pequeno pormenor:
A democracia tem regras. Os professores respeitaram-nas, enquanto o governo não só se recusou a aceitar a decisão dos árbitros, como decidiu continuar o jogo com regras por ele elaboradas à última da hora.
Poderão dizer-me que a razão está do lado do governo. Aceito. O que não aceito é que me digam que,depois deste episódio, continuamos a viver em democracia, porque isso é mentira. Só mesmo Cavaco Silva é que acredita que as instituições continuam a funcionar. Mas isso também não espanta… ele vive num mundo virtual, rodeado de bobos da corte que lhe dizem o que ele gosta de ouvir.
Quando foi diagnosticado Alzheimer ao meu avô, os  filhos e netos também se esforçavam por não o contrariar… 

Lições do Borda d'Agua

A comunicação social passou dois dias a anunciar  aos portugueses que uns franceses garantem que este ano não teremos Verão. Qual é a novidade?
Em Setembro de 2012 comprei  o Borda d'Água, e lá estava essa previsão. Além  de prever um Verão muito curto, mas bastante quente e um Outono seco ( eu bem vos disse em Dezembro que o melhor este ano era marcarem férias para Setembro e Outubro...) também  lá se podiam ler previsões sobre as tempestades do último  Inverno e a escassez da produção agrícola. Só que isso não foi notícia, porque a comunicação social tuga está mais vocacionada para traduzir e amplificar notícias vindas de fora, do que em dar destaque ao que é nacional.
Já agora, graças ainda ao Borda d'Água, o CR está em condições de vos adiantar algo sobre a personalidade da filha de Assunção Cristas, que deverá nascer durante o Verão. De acordo com aquela prestigiada publicação, que muitos teimam em não levar a sério...


" Os que nascerem sob o domínio de Marte ( ncr: planeta que domina o ano de 2013) serão inimigos da paz e cheios de ira vivendo sem piedade, mentindo e enganando, pelo que se exige particular atenção a seus educadores, pois são crianças difíceis de educar mas também um desafio para a própria sociedade. A sua fisionomia será de rosto grande e com bastantes sinais, pouco cabelo,olhar espantado,pescoço comprido, nariz grande e largo, dentes largos e afastados, poucas barbas no sexo masculino, pés largos e grandes.( tenho a impressão que o Gaspar nasceu num ano  regido por Marte).
A garota sairá à mãe, ou ao pai?

Judite e Marcelo deram um espectáculo degradante ao validarem a mentira do governo

Miguel Poiares Maduro, fazendo jus a sucessor de Relvas, prestou-se a ser porta voz de mais uma mentira do governo. Segundo afirmou, o governo estaria disposto a alterar a data dos exames, mas os sindicatos não deram garantia de que não fariam greve nessa data.
Os sindicatos desmentem o ministro, garantem que nunca foi proposta uma data alternativa e, em defesa da honra, pedem a revelação da gravação.
Obviamente que o governo não respondeu ao repto e pediu apoio a Marcelo Rebelo de Sousa.  
O professor não se fez rogado e na sua homilia dominical atingiu o grau zero da decência, ao garantir que o governo propôs uma data alternativa, mas os sindicatos recusaram. Para dar um tom de seriedade à sua afirmação, criticou o governo por não ter sabido denunciar o comportamento dos sindicatos.
Judite de Sousa sabia perfeitamente que Marcelo estava a mentir, ( os telejornais não se cansaram de dar a notícia da patranha do governo) mas deixou-o desbobinar a sua teoria conspirativa contra os sindicatos. Terminada a prédica, Judite deu a homilia por terminada. Logo de seguida, vê-se a imagem de Judite de Sousa a rir à gargalhada. Não percebi se a sua felicidade se devia ao facto de se sentir orgulhosa por ter participado neste embuste que terá enganado alguns milhares de portugueses, ou se estava deleitada porque, minutos antes, Marcelo lhe disse que tinha trazido uns chouriços para lhe oferecer.
Depois daquela cena no final da entrevista com Manuela Ferreira Leite, durante a campanha eleitoral para as legislativas de 2009 Judite voltou a denegrir o jornalismo. 


domingo, 16 de junho de 2013

Obrigado!

Muito obrigado a todos/as os/as leitores/as que responderam ao meu apelo. Felizmente, a esmagadora maioria não tem dificuldades em entrar aqui. Havendo, no entanto, algumas dificuldades para alguns, vou tentar compactar um pouco mais a imagem, para que todos possam aceder sem dificuldade. Sei que isso irá piorar um bocadinho a qualidade, mas os leitores que me visitam merecem.
Muitos leitores não tiveram dificuldade em identificar a foto. Tirei-a em Miranda do Douro, em 2011, mesmo junto à Pousada de Santa Catarina.
Mais difícil será adivinhar onde tirei a fotografia da filial, que está aqui ao lado, mas aceitam-se sugestões.
Mais uma vez muito obrigado pela vossa colaboração. Estou quase de regresso a Lisboa e a retomar a actividade blogueira normal.

sábado, 15 de junho de 2013

Help me, please!

Alguns leitores queixaram-se que têm muita dificuldade em entrar aqui no CR, porque a foto do header é muito pesada. Já a compactei, mas pelo menos uma leitora continua a dizer que sempre que aqui tenta entrar, o computador dela vai abaixo.
Agradecia que me dissessem se têm as mesmas dificuldades e, em caso afirmativo, se a situação piorou depois de eu ter mudado o visual
MUITO AGRADECIDO!
Já agora, muito obrigado pelos elogios que têm feito à foto que escolhi para o header. Sabem onde é que a tirei?

sexta-feira, 14 de junho de 2013

A Fórmula do sucesso


Goste-se ou não dos seus livros ( e eu não gosto...)  é imperioso reconhecer que José Rodrigues dos Santos  é, hoje em dia, um dos escritores portugueses com maior sucesso de vendas lá fora.  Não é fácil a nenhum escritor entrar para os tops dos mais vendidos em França, mas JRS está lá com dois livros: "A Fórmula de Deus" e "O Último Segredo" conquistaram os leitores franceses. Chapeau!

Relvas II

Se andavam com saudades do Relvas, animem-se. O homem já tem substituto à altura. Mais lambidinho  e   mais blasé, Poiares Maduro pensa e age dentro dos parâmetros do ministro que abandonou o governo "por já não ter condições anímicas".
Tal como Relvas, Maduro tem dificuldades em expressar-se em português e pratica a política do "cada cavadela cada minhoca". Ainda não acertou uma, está cada vez mais colado a PPC e já se esqueceu das críticas que tecia ao governo até duas semanas antes de ser convidado para ministro. Além de ser uma decepção, é um embuste. Não tardará a regressar a Florença, de onde nunca devia ter saído.
Claro que o inefável professor Marcelo lhe encontrou uma virtude: pôs Passos Coelho a falar de política!
Para Marcelo, falar de política é fundamental ( quiçá suficiente) para resolver os problemas do país. Estamos mais descansados.

Em defesa de Cavaco

Cavaco defendeu o investimento na agricultura e as pessoas espantaram-se, mas não têm razões para isso. Cavaco foi sincero. Ele próprio se fartou de investir na agricultura, construindo auto-estradas. O Oliveira e Costa convenceu-o  que os pórticos das portagens nas auto-estradas eram árvores das patacas.

Ainda sou do tempo...

... em que Pedro Passos Coelho dizia que o Estado era uma pessoas de bem , cumpria os seus compromissos e pagava as dívidas.
Em pouco tempo passou de honesto a caloteiro e de cumpridor a violador da lei, recusando-se a pagar os subsídios de férias aos funcionários públicos e reformados no prazo previsto na lei. Para já, apresentou Cavaco como seu fiador.
Vamos ver se quando os funcionários públicos e os reformados começarem a pedir em tribunal o pagamento de juros de mora, se apressa a pagar ou nomeia o gabinete de S. Bento à penhora. 

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Virgens fora da política. Já!

Desde que Cavaco convocou a Virgem de Fátima para justificar a avaliação positiva da troika, que as Virgens não param de interferir na política portuguesa.
Agora, serviu para o governo justificar a marcação das eleições autárquicas para o dia 29 de Setembro.
A oposição queria que as eleições tivessem lugar em Outubro ( 6 ou 13), enquanto os partidos do governo preferem setembro para que se realizem antes da apresentação do OE 2014  Obviamente que ganhou o governo, mas vale a pena lembrar os argumentos invocados pelo PSD. 
Explicou Macedo que a 13 de outubro não se podiam realizar, porque até os partidos da oposição concordam que é um dia muito especial para os portugueses ( o PCP foi o único partido da oposição a invocar esse argumento, o que não deixa de ser muito curioso!)
E porque não podiam as eleições realizar-se a 6 de Outubro? O mesmo Macedo explicou que sendo a véspera (dia de reflexão) o 5 de Outubro, isso inviabilizaria as comemorações dessa data "tão importante na História do nosso país!"  Macedo só não explicou uma coisa: se o PSD considera o 5 de Outubro uma data tão importante, porque é que o governo acabou com o feriado?
Tenho de reconhecer que os argumentos invocados pelo PSD são plausíveis e concordo com eles, mas não deixo de lembrar que, mais uma vez, foram os desígnios de Deus, ao elaborar o calendário para 2013,  a determinar que fosse feita a vontade ao governo. É no mínimo preocupante, mas não tanto como os argumentos invocados pelo CDS, pela voz  de um deputado cujo nome se me esvaiu:
"O importante é que a campanha eleitoral seja curta para não  desperdiçar dinheiro.Os contribuintes não aceitariam isso" - esclareceu o deputado da Opus Dei CDS.
O melhor era acabar com eleições, não lhe parece, senhor deputado? Esteja descansado, porque para si vão mesmo acabar no próximo acto eleitoral. O seu partido voltará a ser o partido do táxi e creio que quando o senhor lá quiser entrar, a lotação já estará esgotada.

Quadras de Santo António

Ó Santo António, meu velho,
Sei que gostas de animais
Pede lá ao coelho
Que não nos roube mais

Anda daí bailar
Nesta noite de folia
Ma não queiras p'ra teu par
O marido da Maria

És um santo popular
Tens fama de casamenteiro
Serás capaz de casar
O Portas trampolineiro?

Já não posso mais rimar
Estou muito mal disposto
Avistei ali o Gaspar
Vem aí mais um imposto...


O triste espectáculo de Tugalândia

Pedro Passos Coelho foi à Feira de  Santarém. Pisou uma poia, tagarelou  para as televisões com umas loiras contratadas que lamentaram a sua magreza, confirmou que é caloteiro e se está nas tintas para as decisões do TC e depois, sem se rir e  com uma lata indescritível, saiu-se com isto
Horas antes, Cavaco fazia de indignado e deixou o PE a rir baixinho
Ainda lá por fora, perante o encerramento da televisão grega, o cherne remeteu-se ao silêncio e foi enxovalhado por uma ex-ministra de Sarkozy.
Na AR o ministro Álvaro vestia o fato de oposicionista ao governo e  ria à gargalhada, enquanto  um deputado achincalhava Gaspar, naquele que terá sido um dos mais violentos ataques feitos a um ministro na AR. 
A imagem da Tugalândia, por estes dias, anda pelas rua da amargura.

quarta-feira, 12 de junho de 2013

A Lei não nos obedece? Mude-se a Lei!

Já não precisávamos de mais provas sobre a estirpe de PPC.  Já sabíamos que ele age como os velhos colonialistas a quem os pretos tinham de obedecer, nem que fosse à força da chibata. PPC não é primeiro ministro dos portugueses. Chegou ao poder para servir outros interesses que nada têm a ver com o país. Não foi por acaso que chumbou o PEC IV, embora seja surpreendente que a esquerda não tenha percebido a jogada. Não foi por acaso que foi buscar um trambolho para as finanças. Faz tudo parte de uma estratégia europeia bem urdida, da qual ele sairá como um dos principais beneficiados.  PPC tem as costas quentes quando desafia o TC e todos os que se opõem à sua política de terra queimada. Cavaco não risca nada e faz o que PPC lhe manda, como o prova o facto de o governo ter dado como certa a aprovação da lei que viola a decisão do TC, ao diferir para Novembro o pagamento dos subsídios de férias a uma parte dos funcionários públicos.
É por isso que, aproveitando a conjuntura, PPC zomba dos tribunais e se recusa a cumprir as suas decisões. Se a Lei não obedece à vontade do PM, então ele muda a Lei.  Conta com o beneplácito de Cavaco, que trata como refém.É desta massa que se fazem os ditadores. 

O insulto

De forma muito discreta, soube-se que um jovem de 25 anos tinha sido constituído arguido por ter insultado Cavaco Silva. Segundo a TVI- onde ou vi a notícia- desconhece-se qual foi o insulto, mas o CR foi investigar e descobriu. O jovem atreveu-se a chamar a Cavaco Silva, Presidente da República! Espero que seja exemplarmente condenado, porque chamar Presidente da República a Aníbal Cavaco Silva, é  insultar todos os portugueses.

É preciso ter lata!

Este caramelo que mandriou a vida inteira e se licenciou aos 40 anos, vem falar da complexidade dos exames e de estabilidade? 

Terrorismo de Estado

Depois disto, o sr Aníbal continua a afirmar que as instituições funcionam e há coesão social?
Como é que não há dinheiro, se ainda há dias o taralhoco das finanças garantia que havia dinheiro para satisfazer as obrigações do estado até meados de 2014?
O governo prepara mais uma golpada para ludibriar a decisão do TC, mas só a revelará depois das eleições autárquicas. Os funcionários públicos vão mesmo ficar definitivamente sem subsídio de férias. É bom que percebam isso e no dia 27 dêem a resposta adequada.
A coesão social de que o trambolho de Boliqueime fala é entre ele e o lambidinho de Massamá!
O governo está a fazer um braço de ferro com o Tribunal Constitucional e tem o apoio de um senhor que se proclama presidente da República, mas ignora o juramento que fez de cumprir a Constituição.
Em Portugal as instituições não funcionam. Foram tomadas de assalto por um grupo de terroristas. 

Aceitam-se candidaturas

para o spot mais estúpido do ano. Aviso que vai ser difícil bater este australiano...

terça-feira, 11 de junho de 2013

Fora o árbitro!

E agora como vão descalçar a bota?
Pelo menos, espero que os comentadores que sempre defenderam o direito dos professores à greve e consideraram a sua luta justa, mas criticaram a greve em dia de exames, percebam o que está em causa: não são os professores que têm de ceder ao governo, mas sim o governo a ceder nas  medidas que visam escravizar os professores.
Crato já veio dizer que não se conforma com a decisão do tribunal arbitral e diz que vai recorrer. Para quem,não sei. Será para o taralhoco de Boliqueime?
Entretanto, seguindo a bitola do governo, Crato explicou o recurso, invocando uma série de aldrabices. Não se coibiu, também, de se escudar no facto de as medidas aplicadas aos professores atingirem todos os funcionários públicos. Mas então explique lá sr Crato... se os professores não têm razão na sua luta, por que razão o próprio PM lhes reconheceu esse direito, criticando apenas o facto de a greve ocorrer em dia de exames?
O desnorte no governo é total e, se os funcionários públicos fossem na generalidade gente com coragem, adeririam em massa à greve geral do dia 27. Temo, porém, que isso não aconteça e os fora da lei levem os seus propósitos por diante. Os funcionários públicos acabarão por ser vítimas da sua própria indiferença.


Vales de desconto

Como então escrevi, Dilma Rousseff veio às compras a Portugal. Na lista trazia a compra da TAP, dos CTT, dos Estaleiros de Viana do Castelo, Águas de Portugal e mais umas miudezas.
Foi-se embora sem dar notícia das compras que fez em pouco mais de 24 horas de permanência em Portugal. Ficámos também sem saber se recebeu vales de desconto, como prémio de compras por atacado, ou se o desconto foi debitado em cartão.
Seguro manifestou a sua felicidade pelo facto de os produtos terem ficado em boas mãos ( tal como Otelo dizia das armas, lembram-se?)
Eu também prefiro que as empresas portuguesas fiquem nas mãos de brasileiros, do que na de uns agiotas sem pátria. É mais agradável ver a  TAP gerida por brasileiros do que por um Effromovitch que se assemelha a uma multinacional de nascituros. 
É mais fiável ver as Águas de Portugal nas mãos de brasileiros, do que nas dos chineses.O que não me conformo é que empresas estratégicas que prestam serviços de interesse público, como os CTT ou as Águas de Portugal, sejam esbanjadas por um governo que renegou o seu país. Quem faz isto, não governa. Age como empresa liquidatária de um país.

A mão atrás do arbusto (rewind)

Paulo Portas aprendeu a lição de Sócrates sobre Cavaco Silva ( a mão atrás do arbusto, lembram-se?) e resolveu aproveitar a sugestão. Com o terreno a fugir-lhe debaixo dos pés e prevendo a hipótese de o CDS voltar a ser o partido do táxi, o líder do CDS mandou os seus deputados perguntarem a Vítor Gaspar, aquilo que ele não pode perguntar em público: porque razão não acerta uma previsão?
Portas é useiro e vezeiro em atirar pedras e esconder a mão e, desta vez, sabe que o pode fazer com total impunidade, porque Pedro Passos Coelho não quer tirar as mãos do pote e perdoar-lhe-á todas as traquinices
Portas sabe que esta diatribe não terá consequências na coligação e espera conseguir a simpatia dos eleitores nas próximas eleições ( Afinal ele até discorda da política do governo, mas está a defender os interesses do país- pensarão os eleitores segundo Portas).
Talvez lhe saia o tiro pela culatra. PPC não anda a dormir e, numa primeira oportunidade, mais próxima de uma ida a votos, fará reverter a seu favor as manobras de Portas, armando-se em vítima. A última oportunidade de Portas poder sair por cima será em Outubro. Um desaire da coligação nas autárquicas e a discussão do OE 2014 podem ser um pretexto para bater com a porta. Está a preparar o terreno, mas talvez não tenha percebido que o terreno está armadilhado e quanto mais tempo aguentar a coligação, menos espaço de manobra terá para sair ileso.
Dar tempo a PPC é aceitar as regras do adversário, mas Portas parece ainda não ter visto a evidência...

E a declaração de interesses, Rosalino?

Hélder Rosalino, em entrevista ao DN/TSF garante que Vítor Gaspar é um patriota e um dia o seu trabalho vai ser reconhecido.
Lamento que Hélder Rosalino não tenha feito uma declaração de interesses, para que todos os portugueses ficassem a perceber melhor o que o move, mas um dia vai ficar-se a saber tudo sobre as relações entre Vítor Gaspar e Rosalino. Perceberemos, então, os motivos que levaram o sec. estado da administração pública a elogiar o seu ministro das finanças.
Mais difícil vai ser desvendar as razões que levaram HR a afirmar que a maioria dos trabalhadores que vai ser atirada para o eufemístico processo de requalificação, vai encontrar emprego dentro da função pública.
Sabendo-se que todo o processo de requalificação é uma farsa e não vai melhorar as competências dos funcionários públicos, se a convicção de Rosalino vier a confirmar-se, a única conclusão plausível a tirar é que o governo pretendeu poupar, durante um ano, metade dos salários de dezenas de milhar de funcionários públicos. Se isso vier a acontecer estaremos, então, perante mais uma fraude deste governo que não hesita em roubar os cidadãos para equilibrar as contas.

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Rescaldo do 10 de Junho

As vaias de grande dimensão hoje ouvidas em Elvas-  numa cerimónia onde só entravam pessoas por convite muito escrutinado- era algo que preocuparia qualquer PR ou PM numa democracia, desde que fossem sérios. Os nossos,porém, têm como única preocupação tratar  da sua vidinha. Terão ficado mal dispostos no momento, mas amanhã estão os dois a confortar-se mutuamente.
Em matéria de discursos, registo especial para Silva Peneda. Fez um discurso de PR, enquanto Cavaco se assumia, definitivamente, como o patrono deste governo.Não precisava era de ter sido tão asquerosamente cínico e mentiroso, nem criticar-se a si próprio. Ao afirmar que um PR não devia agir,exactamente como ele agiu para derrubar o governo Sócrates, Cavaco foi ridículo e não teve bom senso.
Na passerelle, gostei muito da madame Bokassa. Um primor!

Já chegou o 10 de Junho...

... com a Valsinha das Medalhas.
Não será o desporto ideal para seguir os conselhos do senhor Aníbal. Vou optar por tiro com arco 


Dilma em Portugal



Dilma Rousseff escolheu o dia de hoje para vir a Portugal. Ouvi dizer que ela vem às compras e os patrões daqui da loja entraram em paranóia  quando se aperceberam de que a visita da presidente brasileira pode representar um bom negócio.

domingo, 9 de junho de 2013

Atenção Elvas


Por causa das coisas, o melhor é que entre hoje e amanhã , enquanto vêem os aviões,estejam todos com um olho no burro e outro no cigano...

Tal pai, tal filho

Há dias, o pai de Passos Coelho dizia ao jornal "i" que o filho estava morto por se ver livre disto e que no dia em que ele saísse do governo, iriam todos fazer uma festa.
Ontem, PPC garantiu ao "Expresso"  que se vai recandidatar em 2015. desmentindo as declarações do pai.
Moral da história: está descoberta a razão de PPC ser um mentiroso compulsivo.É um problema genético.

Gaspar vai comprar carros novos

Há dias foi notícia que o governo, cumprindo a sua promessa de reduzir a frota automóvel, abateu, até final de Maio três viaturas.
Fonte normalmente  bem informada garantiu ao CR  que os três carros foram abatidos por Vítor Gaspar, após cada uma das derrotas do Benfica.
A mesma fonte admitiu que, após a vitória do SLB  na Liga dos Campeões em hóquei em patins, Vítor Gaspar mande comprar viaturas novas para o seu gabinete, para repôr o stock

Le premier bonheur du jour


Paul Gauguin - Natureza morta com leque (1889)

Às vezes, em dias de  luz perfeita e exacta,
Em que as cousas têm toda a realidade que podem ter,
Pergunto a mim próprio devagar
Por que sequer atribuo eu
Beleza às cousas.
Uma flor acaso tem beleza?
Tem beleza acaso um fruto?
Não: têm cor e forma
E existência apenas.
A beleza é o nome de qualquer cousa que não existe
Que eu dou às cousas em troca do agrado que me dão.
Não significa nada.
Então por que digo eu das cousas: são belas?
Sim, mesmo a mim, que vivo só de viver,
Invisíveis, vêm ter comigo as mentiras dos homens
Perante as cousas,
Perante as cousas que simplesmente existem.
Que difícil ser próprio e não ver senão o visível!
(Alberto Caeiro)

sábado, 8 de junho de 2013

A explicação do Nobel


Hoje percebi, finalmente, por que razão o homem foi para o jornalismo e garante que vai ganhar o Nobel da Literatura.

Limpinho, limpinho!

Francisco José Viega teve alguns programas na TVI. Não comentava política, mas falava sobre livros e outras culturas.
Se bem se lembram, FJV foi secretário de estado da cultura, cargo que abandonou alegando razões de saúde. Entrementes, autorizou a venda para o estrangeiro de um quadro protegido que, portanto, não podia sair de Portugal, mas passou a poder.
 De quem era esse quadro? De Paes do Amaral.... E quem é Paes do Amaral? Pois, exactamente... TVI, o tal canal onde o Viegas debitava umas coisas...
Claro que foi tudo legal. Transparente. Foi só uma coincidência. Não se ponham para aí a imaginar coisas, tá bem?

Memories

Com a morte de Esther Williams, morreu também um bocadinho das minhas memórias das tardes de domingo, na RTP 1.

Vizinho de Álvaro Cunhal

A partir de hoje sou vizinho de Álvaro Cunhal. A Câmara Municipal de Lisboa atribuiu o nome do grande  homem e grande político a uma avenida que (quase) conflui com aquela onde vivo e foi hoje oficialmente ignorada. Fico em boa companhia.

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Depois da Virgem, é a vez de o Espírito Santo entrar na política

Nuno Cardoso anunciou a sua candidatura à câmara do Porto, de que já foi presidente. Diz ele que se candidata em resposta a um "conflito interior". 
Presumo que esse conflito seja entre o Espírito Santo e Satanás. É que a inesperada candidatura de Nuno Cardoso só tem um objectivo: enfraquecer as candidaturas de Rui Moreira e Manuel Pizarro e dar a vitória de mão beijada a Luís Filipe Meneses. 
O  "conflito interior" do (ex?) socialista é simples de explicar. Umas vezes ouve o Espírito Santo dizer que a sua candidatura é uma traição, mas quando está quase a ceder à voz da razão, começa a ouvir Satanás " É altura de te vingares, não percas esta oportunidade! Além disso ajudas o teu amigo a ser presidente e eu vou compensar-te por esse favor que nos fazes"
Satanás venceu o Espírito Santo. É a vida... só nas séries americanas e nas telenovelas, é que os bons ganham sempre!

Pedro é o OMO dos portugueses

Sobre a prestação de PPC ontem, na Amadora, só queria lembrar mais uma coisinha. Quando ele diz  "hoje, os portugueses são vistos como trabalhadores, cumpridores e honrados", não está apenas a divagar.
Um drogado que  acabou de chutar na veia, ou um jovem no Bairro Alto após o terceiro shot, poderá raciocinar exactamente como ele, porque já está incapaz de pensar.
Parto no entanto  do princípio que, ao fazer aquela afirmação, PPC estava sóbrio, por isso considero as suas palavras uma ofensa.
Há tempos, Cavaco fez um número semelhante ao dizer que era preciso nascer duas vezes para ser tão honesto como ele. A realidade desmentiu-o...
Com aquela tirada néscia, PPC quis auto elogiar-se  e proclamar-se o OMO  dos portugueses, a quem lavou a honra. Para que saiba, senhor PPC, estou-me CAGANDO para o que pensam de mim lá fora. O que eu quero de um governo é que me permita ter uma vida digna cá dentro e deixe de me roubar o fruto do meu trabalho. É bom não se esquecer que anda a viver à custa dos portugueses e a brincar com o nosso dinheiro.O resto, senhor Pedro, é conversa de bordel que não me interessa nada!