domingo, 19 de maio de 2013

Os aperitivos também fazem parte uma boa refeição



Foi um fim de semana alucinante. Começou logo na sexta-feira à noite.
Às 21.30 lá estava eu sintonizado no Porto Canal para assistir ao Porto-Benfica em andebol, no Dragão Caixa. Para se sagrar campeão, o FC do Porto precisava de vencer por 3 golos de diferença. No fim da primeira parte perdia (12-13) mas, nos últimos 10 minutos do jogo os azuis e brancos foram demolidores, chegaram a ter vantagem de 4 golos e acabaram por vencer (26-23). O meu FC do Porto sagrava-se pentacampeão, feito só conseguido pelo SCP nos anos 50 do século passado.
Depois dos festejos, veio o sábado. Às 15 horas, no Dragão Caixa, o FC do Porto recebia o SL Benfica. O empate garantia-lhe praticamente o título, mas uma vitória permitia festejar antecipadamente. Foi o que aconteceu. Aos 5 minutos da segunda parte  o FC Porto já vencia por 7-1 e começou a festejar. Resultado final: 7-3. Os azuis e brancos  conquistaram o 11º título em 12 anos ( apenas não festejaram ano passado, por razões que nem é bom lembrar).
Sou portista do coração. Contido q.b., porque sei desde os 17 anos ( quando vim para Lisboa) que não é ser fácil ser portista em Lisboa, voltei a festejar.
Para o fim da tarde de hoje estavam reservadas as maiores emoções. O FC do Porto ia a Paços de Ferreira e só uma vitória lhe permitiria ser tri-campeão. Sei bem como é difícil ao FC do Porto vencer equipas do Norte no seu reduto, mas o FC do Porto  foi competente e venceu.
Os aperitivos ( andebol e hóquei em patins)  já me tinham deixado satisfeito. Os verdadeiros adeptos são como os bons gastrónomos: o importante numa boa refeição não é o prato principal ( neste caso o futebol). Os aperitivos,quando são de boa qualidade, deixam um apreciador saciado. O prato principal é apenas um complemento da refeição. Que por acaso me soube muito bem!
O Benfica, na Madeira, festejou o repasto antecipadamente, mas veio um Dragão e comeu-o. Jorge Jesus não gostou e recusou-se a dar os parabéns ao treinador do FC do Porto.
Nada de estranhar. Um grunho é sempre um imbecil

17 comentários:

  1. Quando lhe vi a mancha te texto, grande e denso, pensei. Está a falar da sondagem. Não li tudo, só de passagem...

    Bolas!, fala-me de bola...

    ResponderEliminar
  2. E aquele que disse que o campeonato estava perdido por causa da arbitragem ? é o que ?
    E depois de passar para a frente vem elogiar ?
    O que diria ele se o penalty inexistente e a consequente expulsao de hoje em Pacos fosse na Luz ?

    Parabens aos adeptos de futebol que torcem pelo Porto.
    Mas os adeptos da hipocrisia nao merecem quaisquer felicitacoes.

    ResponderEliminar
  3. Um reparo.
    No andebol, e partindo de todos os cenários possíveis, o FCPorto ainda não é campeão.
    Por isso mesmo, não foi entregue a Taça no final da partida.
    Explico o cenário apenas teórico mas decisivo.
    Se o FCPorto fizer falta de comparência na Horta, na última jornada, e se o Benfica ganhar ao Sporting, o campeão será a turma lisboeta.
    O FCPorto vai à Horta mas, pelo sim pelo não, todas as hipóteses deverão ser consideradas.

    Outro reparo, e este não esperava ter que o fazer.
    Chamar grunho, seja a quem for, é de um mau gosto sem limite.
    Poderá, caro Carlos, ter toda a razão do mundo. Que se evapora quando parte à conquista das ofensa.

    O campeonato acaba por estar bem entregue. O Benfica não ganha por culpa própria mas, não fosse o diabo tecê-las, na mata Real o FCPorto consegue o primeiro golo frente ao Paços de Ferreira, com um golo obtido depois de uma grande penalidade inexistente.
    Dupla vantagem para os portistas. O golo e a expulsão de Ricardo, atleta pacence, a fragilizar a equipa.
    O árbitro Hugo Miguel jogou pelo seguro.
    Já ninguém se lembra dos erros à Capela...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Observador, lembrar essas coisas em casa do focuporto é como falar em toucinho em casa de maomé...não vale a pena até porque a fruta deles é sempre melhor que a nossa, têm os campos lavrados com muito mais eficiência. não perdoam.

      Eliminar
  4. Subscrevo os reparos do Observador, principalmente o que reprova a ofensa infeliz e gratuita. Retomando a metáfora do texto, diria que o bom gosto é uma característica dos bons gastrónomos, desejavelmente não apenas no que diz respeito à comida mas principalmente à educação. Tratar os rivais com elevação e sem ódios baixos deve ser uma preocupação de todos. No futebol e na política. Quando não o fazemos, aproximamo-nos perigosamente do ódio irracional que tantos de nós criticámos na política recente. Parabéns ao Porto pelas vitórias deste fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se o Carlos chama-se grunha à minha amiga Angie, o Observador estava-se nas tintas, mas como foi ao Jorginho, ai Jesus, que ofensa grave!!!

      Eliminar
    2. Pensamento errado, Ematejoca.

      Eliminar
  5. Sou eu a única das suas leitoras e dos seus leitores que amam o FCPORTO???

    ResponderEliminar
  6. Parece que para os dois jogos que decidiriam o campeonato foram nomeados os melhores árbitros, claro que foram... Limpinho, limpinho, limpinho...

    ResponderEliminar
  7. Grunho não é própriamente, talvez barrasco seja a palavra mais adequada para este cretino seboso com assento na Assembleia da República :

    http://4.bp.blogspot.com/-dfOdtigRt6U/UZlPmey50BI/AAAAAAAACMw/zJh_uDz6TLc/s1600/carlos.jpg

    ResponderEliminar
  8. Foram os árbitros, os quinhentinhos, "a fruta", as viagens.....a gente já conhece a lenga/lenga, Carlos.
    A incompetência da equipa do Benfica e a competência da equipa do Porto não tiveram nada a ver com o título.
    E o Jorge Jesus fala numa época "muito brilhante".
    Em quê?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que o Pedro também é PORTISTA, mas somos os únicos dos seus leitores, não é verdade, Carlos?

      Eliminar
  9. Não há nada a parabenizar. O fcp fez um época brilhante? Não. limitou-se a esperar pelo erro do rival, que batalhou até ao fim em três frentes. Merece o título? concerteza que sim, se o ganhou, por um se ganha por um se perde. Porque diabo haveria o "grunho" de dar os parabéns à "hiena do pursennide", que nem sequer o nome do Benfica é capaz de pronunciar? ora, ora...

    ResponderEliminar
  10. Não me parece que tenha, eu, colocado em causa a vitória portista no campeonato.
    Ganhou, ponto final.
    Se o Benfica tivesse conseguido/sabido vencer o Estoril, tudo teria sido diferente.

    Já o referi (Domingo, 19 Maio, 2013)

    Reitero, porém, tudo o que disse no mesmo comentário.
    Porque não é mentira.

    O que escrevi foi tudo clarinho, clarinho, clarinho.

    ResponderEliminar
  11. Repiquei isto de um comentário aí de cima:

    "O campeonato acaba por estar bem entregue. O Benfica não ganha por culpa própria mas, não fosse o diabo tecê-las, na mata Real o FCPorto consegue o primeiro golo frente ao Paços de Ferreira, com um golo obtido depois de uma grande penalidade inexistente.
    Dupla vantagem para os portistas. O golo e a expulsão de Ricardo, atleta pacence, a fragilizar a equipa.
    O árbitro Hugo Miguel jogou pelo seguro.
    Já ninguém se lembra dos erros à Capela..."

    Não explica tudo mas ajuda muito!

    ResponderEliminar