terça-feira, 28 de maio de 2013

Caderneta de cromos (42)



Há dias estava  a folhear a minha caderneta de cromos e reparei que Vítor Gaspar ainda não faz parte da colecção. Eu próprio me interroguei sobre as razões da lacuna, mas uma pequena nota que escrevi quando iniciei a caderneta deu-me a explicação. Só cá entram homens e mulheres portugueses. 
Ora Vítor Gaspar, embora tenha nacionalidade portuguesa, é um daqueles traidores que se vendeu aos interesses estrangeiros, nomeadamente ao seu ídolo Schaueble, marimbando-se para Portugal e para os portugueses. O seu único objectivo é fazer carreira nas instâncias europeias, pelo que esmifrar os portugueses, não aquece nem arrefece.
Então por que razão acabo de o incluir nesta galeria? Simplesmente porque ontem deu provas de que afinal é mesmo português. Do pior que a Pátria lusa alguma vez conheceu, mas é. A prova é que se irritou com a deselegância de um jornalista que perguntou, na sua presença, ao presidente do Eurogrupo, se Portugal já tinha pedido o alargamento do défice para 2014.
Gaspar, numa de patriotismo, reagiu com veemência. Ele tem toda a razão em dizer que um jornalista que faz uma pergunta a um estrangeiro, na sua presença, é deselegante.Todos sabemos que Gaspar é de uma elegância e educação extremas, pelo que deve ter-se sentido muito ofendido. Salazar, seu grande ídolo, diria certamente o mesmo.
Não querendo enxovalhar o seu mentor, Gaspar fez bem em repreender o jornalista. Fez mal em não apresentar queixa à PIDE ao MP. Seria muito mais elegante.
Para me penitenciar pelo atraso na nomeação de Vítor Gaspar, ele entra directamente para a caderneta como o "carimbado".

7 comentários:

  1. Sem dúvida uma falha na caderneta...com este sr. fica muito mais composta! A coleção de cromos fica quase completa, pois se pensarmos um bocadinho, rapidamente encontramos mais candidatos.

    http://lavarcabecas.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Lacuna imperdoável, porque dos traidores também reza a História. Quem não se lembra de um tal de Miguel de Vasconcelos?!? ;)

    Beijocas!

    ResponderEliminar

  5. :)))) Francamente, Carlos!!! Logo que consiga arranjar-te um, mando-to :)

    Beijo

    Laura

    ResponderEliminar
  6. Quer dizer... chumbado! Nunca mais nos livramos destes fulanos| O Problema é que têm os rabos atados uns aos outros. E nós é que passamos à categoria de cromos...

    ResponderEliminar
  7. "Ele tem toda a razão em dizer que um jornalista que faz uma pergunta a um estrangeiro, na sua presença, é deselegante"

    E tem mesmo, Carlos.
    Que parvoíce.

    ResponderEliminar