domingo, 31 de março de 2013

O verdadeiro coelho da Páscoa (Conto russo)


(Conto recontado por Christa Glass)


Era uma vez um pai coelho de Páscoa e uma mãe coelha de Páscoa que tinham sete filhos. Ao aproximar-se a época da Páscoa, eles resolveram testar os coelhinhos para ver qual deles era o verdadeiro “coelho de Páscoa”.

A mãe pegou uma cesta com sete ovos e pediu para que cada filho escolhesse um para esconder.

O mais velho pegou o ovo dourado e saiu correndo por campos e montes até chegar ao portão da escola, mas deu então um salto tão grande e tão apressado que caiu de mau jeito quebrando o ovo. Esse não era o verdadeiro coelho de Páscoa.

O segundo escolheu o ovo prateado e pôs-se a caminho. Ao passar pelos campos encontrou a raposa. Esta queria comer o ovo e pediu-o ao Coelho. Ele não lhe quis dar. A raposa prometeu-lhe então uma moeda de ouro, conseguindo assim que o coelho a seguisse até sua toca. Chegando lá, a raposa escondeu o ovo e, com cara feia, mostrou os dentes como se quisesse comer o assustado coelhinho que saiu correndo o mais que pôde. Esse também não era o coelho de Páscoa.
O terceiro escolheu o ovo vermelho e pôs-se a caminho. Ao atravessar o campo encontrou-se com outro coelho e pensou: “Ainda tenho muito tempo. Vou lutar um pouco com ele”. Os dois coelhos lutaram e rolaram tanto pelo chão que amassaram o ovo. Também esse não era o verdadeiro coelho de Páscoa.
O quarto pegou o ovo verde e pôs-se a caminho. Quando passava pela floresta ouviu o chamado da Pega  que, pousada no galho de uma árvore, gritava:
“Cuidado! A raposa vem vindo!”. O coelho assustado olhou à sua volta procurando um lugar para esconder o ovo.
- “Dá-me o ovo que eu o esconderei em meu ninho”, disse a Pega. O coelho deu-lhe o ovo mas, percebendo que não havia raposa alguma quis o ovo de volta. A Pega respondeu maldosamente:
”O ovo está muito bem guardado no meu ninho. Vem buscá-lo se quiseres”. Esse também não era o verdadeiro coelho de Páscoa.
O próximo escolheu o ovo cinzento. Quando ia andando pelo caminho chegou a um riacho. Ao passar pela ponte viu-se espelhado nas águas. Ficou tão encantado com sua própria imagem que se descuidou do ovo indo este se espatifar numa pedra. Esse também não era o coelho de Páscoa.
O outro coelhinho escolheu o ovo de chocolate e pôs-se a caminho. Encontrou-se com o esquilo que lhe pediu para dar uma lambida no ovo.
- “Mas este ovo é para as crianças”, disse o coelho.
O esquilo insistiu tanto que o coelho deixou que ele desse uma lambida no ovo. O esquilo achou-o tão gostoso que o coelhinho resolveu dar também uma lambidinha. Lambida vai, lambida vem, os dois acabaram comendo o ovo. Esse também não era o coelho de Páscoa.
Chegou então a vez do mais jovem. Ele escolheu o ovo azul. Quando passou pelo campo, veio-lhe ao encontro a raposa, mas o coelho não entrou na conversa dela e continuou o seu caminho. Mais adiante encontrou o outro coelhinho que queria lutar com ele, mas ele não parou. Continuou caminhando até chegar à floresta. Ouviu os gritos da pega - “Cuidado! A raposa vem vindo!”. O coelho não se deixou enganar e continuou seu caminho. Chegou então ao riacho e cuidadosamente atravessou a ponte sem olhar para sua imagem refletida na água. Encontrou-se mais adiante com o esquilo mas não lhe permitiu lamber o ovo, pois este era para as crianças.
Chegou assim até o portão da escola. Deu um salto nem curto nem longo demais, chegando ao outro lado sem danificar o ovo. Procurou um esconderijo adequado no jardim da escola onde guardou cuidadosamente o ovo. Esse era o verdadeiro “Coelho de Páscoa”!
( Não gostou deste conto? Então que tal experimentar este?)

Le premier bonheur du jour

Páscoa Feliz

sábado, 30 de março de 2013

Humor Pascal


No autocarro, um padre sentou-se ao lado de um bêbado que lia o jornal.

De repente, com a voz "empastada", o bêbado perguntou ao padre:

- "O senhor sabe o que é artrite?"

O pároco pensou logo em aproveitar a oportunidade para passar um
sermão ao bêbado e respondeu:

- "É uma doença provocada pela vida pecaminosa e sem regras: excesso,de consumo de álcool, drogas, maconha, crack, e, certamente mulheres perdidas, prostitutas, promiscuidade, sexo, farras e outras coisas que 
nem ouso dizer."

O bêbado arregalou os olhos, calou-se e continuou a ler o jornal.

Pouco depois o padre, achou que tinha sido muito duro com o bêbado,
tentou amenizar:

- "Há quanto tempo o senhor está com artrite?"

- "Eu?... Eu não tenho artrite!... Diz aqui no jornal que quem tem... é o Papa!

sexta-feira, 29 de março de 2013

Cuidado com as mulheres!

Toma lá que já almoçaste!

Sem papas na língua...

(Im)pressões

Talvez me engane, mas a pressão de PPC sobre o TC não tem como objectivo uma ameaça de demissão, mas sim encontrar uma justificação para remodelar o governo, fazendo crer que não está a ceder às exigências do CDS.
Dentro de duas semanas- ou talvez menos- teremos a confirmação.

quinta-feira, 28 de março de 2013

É sempre bom recordar.

Depois da entrevista  de Sócrates e da chantagem do Coelho sobre o TC,vale a pena ver este video de 5 minutos. Só para aqueles que ainda tenham dúvidas, perceberem quem é o aldrabão e verem a reacção e Merkel ao chumbo do PEC IV.

Danos colaterais de uma entrevista: do congelador ao calorífero



No dia em que Cavaco recomendou que a política fosse metida no congelador "a bem da nação", Sócrates derreteu as audiências, com mais de 1,6 milhões de espectadores ( audiência média, que atingiu o pico com mais de 1,9 milhões sintonizados na RTP 1) . E fez o quê? Falou de futebol, como desejaria Cavaco? Não... falou precisamente de política!Mais: depois de uma entrevista com duração superior a 90 minutos, Sócrates continuou a ser tema central nas televisões do cabo até cerca da uma da manhã. 
Por outras palavras: o país mostrou a Cavaco que se interessa por política e se está marimbando para as suas recomendações. 
Assim que terminou a entrevista,começaram a sentir-se os efeitos colaterais, que serão muito mais duradouros do que o ataque impiedoso a Cavaco.
Os primeiros afectados pelo terramoto socrático a reagir foram os comentadores  dos canais do cabo ( 8 na RTP em dois painéis), 4 na SIC  e 4 na TVI. Salvo uma ou outra excepção, espalharam-se ao comprido.
Com efeito, uma das críticas mais recorrentes feitas a Sócrates foi ter perdido tempo a falar sobre o passado, em vez de se preocupar com o presente e o futuro. Essa crítica é pouco honesta, pois qualquer pessoa minimamente atenta sabia que a entrevista ia assentar na defesa de Sócrates, que nos dois últimos anos serviu de saco de boxe para comentadores e jornalistas pseudo-independentes.  Durante os seus comentários semanais, Sócrates irá ter tempo para analisar o presente. Ontem não era tempo para isso, mas sim para Sócrates se defender das acusações que lhe foram feitas, sem que ninguém saísse a terreiro em sua defesa. Toda a gente o sabia, incluindo os comentadores que o criticaram mas, apanhados de surpresa com a acutilância do entrevistado, apressaram-se a desvalorizar a entrevista.
Acompanhei as reacções dos comentadores nos três canais fazendo zapping e, no final, ouvi separadamente os diferentes painéis (mas não na totalidade). José Gomes Ferreira e Ricardo Costa foram os que ficaram pior na fotografia. Sendo jornalistas e proclamando sempre a sua independência e equidistância partidária, ontem demonstraram a sua afinidade clubística recorrendo à deturpação de factos, manipulando números e mentindo deliberadamente. Chegaram a pôr na boca de Sócrates coisas que ele não disse, como foi o caso do almoço com Teixeira dos Santos no dia em que Sócrates anunciou o pedido de resgate.
É significativo que os “independentes, isentos e apartidários” tenham dado prova inequívoca do lado da barricada em que se colocam.
Só nos próximos dias- quando vierem à liça  Marques Mendes, Santana Lopes e Marcelo Rebelo de Sousa - será possível inferir até que ponto a entrevista de Sócrates provocou mossa nos comentadores fast-food, também conhecidos como comentadores residentes ao serviço do governo.
É  possível adiantar desde já que apoiados pelos jornalistas comentadores, continuarão a pôr em causa a contratação de Sócrates pela RTP. A explicação é simples:  o ex-primeiro ministro vai obrigá-los a mudar de discurso, porque não podem continuar  a fingir que criticam algumas medidas do governo e depois justificá-las com “ os tempos difíceis que vivemos e as imposições da troika”. O embuste vai continuar, mas a sua credibilidade não terá longa vida, porque enquanto Sócrates comenta apoiado em números e factos, os restantes fazem conversa de café, lançam os foguetes e vão apanhar as canas. 
A partir de agora, comentador que pretenda ser respeitado, terá de estudar, fazer o trabalho de casa e apresentar resultados. O comentário político só sairá enriquecido.
Como já referi, Coelho e Seguro saíram muito chamuscados. E se Coelho goza de boa imprensa que serve de almofada aos seus dislates, o mesmo não acontece com Seguro que agora só tem duas hipóteses: ou acompanha o tom de Sócrates ou é deglutido em muito pouco tempo. Dentro e fora do partido, sublinhe-se!
Quanto a Coelho, terá percebido que se acabou o tempo da papa doce. Não vai conseguir fugir ao eco dos comentários de Sócrates e vai ter de enfrentar um Seguro mais acutilante. Se cair na tentação de responder aos dois, vai ter dias muito difíceis pela frente. Tem de resistir a colar os comentários de Sócrates às críticas de Seguro e não pode cair na tentação de ripostar aos comentários de Sócrates, pois será trucidado.
Quanto a Cavaco, Sócrates arrasou a pouca credibilidade que o PR ainda tinha,junto dos que enaltecem  a sua influência de bastidores, na procura de consensos.
Será muito difícil a Cavaco conseguir entendimentos entre “o seu governo” e a oposição, depois da entrevista de Sócrates. O ex primeiro ministro não só arrasou Cavaco, reavivando o  pior do seu carácter ( intriguista, desleal, impostor) como condicionou a acção de Seguro  e reduziu o espaço de manobra a Coelho.
Outros efeitos colaterais resultarão do regresso de Sócrates aos palcos mediáticos, mas hoje fico-me por aqui:  Sócrates afirmou que não voltará à política activa, mas vai ser ele a condicioná-la nos próximos tempos. Quer ao nível da acção, quer nos bastidores, tão caros aos comentadores do regime, sejam eles políticos ou jornalistas “independentes”
Até porque a partir da agora, ele não vai falar mais do passado, mas sim do presente e...do futuro.

KO ao primeiro assalto

Sócrates ressuscitou e voltou a animar o debate político, com a sageza, acutilância e experiência que se lhe conhecem. Mobilizou  mais de uma dezena de comentadores nos três canais que debateram a sua entrevista e deixou muita matéria para outros comentadores ao longo da semana.
Se pela manhã o cadáver de Belém tinha ameaçado ressuscitar, lançando farpas a Sócrates, à oposição e até ao CDS, à noite o animal feroz desferiu-lhe o mais violento ataque que alguma vez alguém teve coragem de lançar contra o PR. Retribuiu-lhe, em dobro, os epítetos com que tinha sido mimoseado e desmascarou a farsa do PR impoluto e imparcial. Que comentador, neste país de gente mole sempre preocupada com o politicamente correcto, teria coragem de chamar a Cavaco trapaceiro e desleal?
Cavaco ficou KO ao primeiro assalto e dificilmente se conseguirá voltar a levantar, pois percebeu que assim que abrir a boca Sócrates voltará a golpeá-lo sem piedade. O PR já estava sobremaneira fragilizado perante a opinião pública, mas Sócrates reabriu-lhe de forma quase cruel as feridas que Cavaco pensava estarem curadas, ao reavivar episódios da mais pura sacanice com origem em Belém. Cavaco bem pode preparar o funeral. Estava moribundo, agora está definitivamente morto.
Apesar de ter sido muito mais brando com Passos e Seguro ( ao líder do PS até estendeu uma mão caridosa) deixou ambos muito mal tratados.
Não precisou de acusar o governo de nada. Limitou-se a apresentar factos e números ( embora alguns pouco consistentes) que desmentem os argumentos do governo em relação  às políticas de austeridade impostas pela troika.
Quanto a Seguro, estendeu-lhe a mão e apenas disse:
" Vês como se faz oposição, Tozé? Estás a perceber o que é a política, ou precisas de um desenho?"
No fim da entrevista, Passos e Seguro ficaram gravemente feridos. Veremos quem melhor interpretou a entrevista e conseguirá recolher os ensinamentos para se safar.
Uma coisa é certa: Sócrates  ressuscitou em muita gente o interesse pelo debate político e vai obrigar alguns comentadores a mudar o tom morno e bocejante do comentário político em Portugal.  As noites de domingo vão passar a ser muito mais animadas eMarcelo vai ter concorrência forte. No entanto, para Sócrates recuperar alguma credibilidade, precisa de ter a humildade de reconhecer os seus erros, o que ontem se recusou a fazer.  Culpar Cavaco da crise, parece-me evidente, mas não assumir os seus erros governativos, retira-lhe credibilidade.

Nota final: os entrevistadores cumpriram o seu papel: foram agressivos e contundentes. No entanto, a partir de determinada altura começaram a atropelar-se um ao outro e não deixavam Sócrates responder às perguntas que disparavam alternadamente. Uma visível falta de coordenação  entre dois jornalistas experientes, mas habituados a trabalhar a solo, que se esqueceram de fazer a necessária preparação de trabalho em equipa.
Os painéis de comentadores escolhidos pela SIC, TVI 24 e RTP Informação ( dois painéis) para comentar a entrevista foram muito pobres. Foi lamentável ver Gomes Ferreira a fazer figura de palhaço faz-tudo e Ricardo Costa exalar tanto ódio, que o levou a mentir várias vezes. O que se lhes pedia era comentários, mas infelizmente os rapazes da SIC/Expresso não são muito dotados nessa matéria.


Duas ressurreições, um funeral e dois feridos em estado grave

O dia que hoje começou com o cadáver de Belém a lançar umas farpas a Sócrates, continuou com o PM a ameaçar o Tribunal Constitucional e terminou com o regresso do animal feroz  aos ecrãs, tem como balanço final duas ressurreições, um funeral e dois feridos em estado grave.
Mais logo explico porquê.

quarta-feira, 27 de março de 2013

Parábola sobre os tugas


Era uma vez uma criança cujo único prazer era consumir. Foi às Disneylandias de todo o mundo, comeu todas as variedades de fast food, encharcou-se em guloseimas,recebeu os brinquedos mais caros, assim que se fartava de um  telemóvel ou de um computador, logo  recebia a última novidade e quando via  um vizinho com alguma coisa que ele não tinha, exigia aos pais que lhe oferecessem uma igual.
Os pais satisfaziam-lhe  todas as vontades, convencidos de que assim ele estudaria com mais afinco. Só que a criança era cabulona, mesquinha e invejosa e nunca conseguiu entrar para a Universidade. Também não arranjava emprego.
 Quando os pais deixaram de satisfazer as suas exigências, começou a culpá-los por não terem insistido com ele em estudar, por lhe terem satisfeito todos os caprichos e não o terem preparado para a vida. Os pais, desgostosos, fizeram um trato com ele: emprestavam-lhe uma determinada quantia mensalmente e logo que ele começasse a trabalhar, pagava o empréstimo. O jovem aceitou  mas, desgraçadamente, não arranjava emprego e a dívida ia-se acumulando.
Um dia conheceu um tipo bem parecido  e bem falante, a quem contou a história da sua vida desgraçada.  O homem  condoeu-se dele e disse-lhe:
-Se trabalhares para mim, pago-te um bom salário, ofereço-te um carro e pago aos teus pais o dinheiro que lhes deves. Aceitas?
- Claro que aceito. O que  tenho de fazer?
- Só tens de entregar todos os dias um saco de cogumelos mágicos a uns senhores e dizeres aí pelo bairro, que sou a melhor pessoa do mundo.
O jovem aceitou. Ao final do mês recebeu apenas metade do salário acordado, porque o tipo bem falante ficou com a outra metade, alegando que era para pagar a dívida aos pais. Assim que a pagasse, passaria a receber o salário inteiro, acrescido de 10%, para compensar o dinheiro que lhe estava a ser retirado.
Três meses depois passou a receber apenas 25% do salário. Ao fim de um ano o tipo bem falante disse-lhe:
- Já não há cogumelos mágicos para distribuir. Estás despedido!
O jovem foi para casa, insultou os pais e acusou-os de serem responsáveis por ter caído na armadilha do tipo bem falante.
Foi também isso que aconteceu com os tugas que se deixaram iludir com o crédito barato, o endividamento fácil  e os cantos de sereia da sociedade de consumo, mas é muito mais fácil culpar os outros...

Renovação da Santa Aliança em época pascal

Esta malta da esquerda tem uns tiques totalitários que me começam a irritar. Esta aliança é absolutamente inacreditável
Ou, pensando melhor, talvez não...o PCP está sempre ao lado do povo e os feirantes do CDS também são povo...
Por outro lado, o facto de o PSD ter votado com o PS, parece ser mais uma prova daquilo que escrevi minutos depois de ter sido anunciado o convite da RTP a Sócrates. Houve dedo do Relvas no convite, mas o PSD não quer ser desmascarado.

É hoje, é hoje!

Que José Sócrates dá uma entrevista à RTP 1 e volta a ser notícia de primeira página em quase todos os jornais.
Ouvi dizer que alguns "democratas" estão a convocar uma concentração à porta da televisão pública para o apuparem e tentarem impedir a sua entrada. Dar-me-ia vontade de rir, se este episódio não fosse um sintoma de esquizofrenia e desprezo absoluto pelas regras da democracia, de que padecem muitos tugas.
Embora nunca tenha ido à bola com Sócrates, logo às 21 horas vou estar atento ao que ele vai dizer. É uma opção pessoal. 
Quem não o quiser ouvir tem a opção de mudar de canal e ignorá-lo ( embora me palpite que muitos dos que assinaram a petição vão estar colados ao televisor), mas não tem o direito de o tentar impedir de falar.
Sócrates tem muitos defeitos, mas reconheço-lhe uma grande virtude: tem coragem e dá o peito às balas. É uma pedrada no charco desta monotonia de pudins flan que enxameiam a vida política  portuguesa e monopolizam o  comentário televisivo. Estou farto da estratégia táctica dos merdosos do politicamente correcto!
Espero que, entre muitas outras coisas, Sócrates recorde aos portugueses que não foi ele quem mandou vir a troika: foi uma coligação bastarda entre PSD/CDS/ PCP/BE. Até prova em contrário, mantenho a opinião de que esses partidos deviam estar sentados no banco dos réus da opinião pública, porque foi o aventureirismo de uns e a gula pelo pote de outros, que conduziu o país à situação em que estamos.
Espero também que relembre aos mais esquecidos que o PSD manifestou diversas vezes o seu apoio ao memorando da troika. PPC chegou a afirmar que o memorando era o seu programa de governo e a enaltecer o papel de Catroga na sua construção.
Diz-se que Sócrates vem colocar dificuldades a Seguro e dividir ainda mais o PS. Conheci-o pessoalmente e não acredito que o faça.A não ser que Seguro y sus muchachos se ponham a jeito...
Nesse caso, terão o que merecem, por não terem sabido honrar o passado do PS. 
Sócrates é arrogante, cometeu diversos erros, mas é bom nunca esquecer que, no primeiro mandato equilibrou as contas e reduziu o défice abaixo dos 3 por cento.
Também foi bom aluno e seguiu as instruções da Merkel, quando ela defendia que a crise tinha de ser combatida com políticas expansionistas. Depois, em 2010, Merkel esqueceu Keynes e enveredou pela austeridade, encontrando em Portugal outro bom aluno a partir de 2011. Aquele que nos desgraçou e empurrou para o abismo, graças à sua incompetência e teimosia.
 Seguro devia ter recordado isso desde o dia em que chegou à liderança do PS. A razão da sua fraqueza passa também por essa omissão. 

terça-feira, 26 de março de 2013

Semana Santa

Não terá sido certamente mera coincidência a Alemanha ter escolhido a Semana Santa para crucificar a Europa. Ontem Schaueble não escondia a sua satisfação pelo facto de a Alemanha ter visto aprovada a sua proposta em relação a Chipre, apenas mais uma etapa na Via Sacra que pretende submeter ao seu jugo despótico os pequenos países do sul da Europa.
Desiludam-se os que acreditam na Ressurreição em domingo de Páscoa, pois são muitas as vozes que manifestam o seu cepticismo. E não é apenas gente de esquerda, como Manuel Alegre, neste texto no i a manifestar a sua apreensão quanto ao futuro. Também o insuspeito Adriano Moreira escreve um artigo nesse sentido no DN, que merece leitura: o pirata de Espronceda 

A saída de Almeida Henriques: um sinal?

Almeida Henriques era, há muito, apontado como candidato do PSD a Viseu mas em Janeiro, depois de Marco António ter anunciado a sua desistência à câmara de Gaia, também ele veio dizer publicamente que se manteria no governo e renunciava à candidatura a Viseu.
Inesperadamente, o secretário de estado de Álvaro Santos Pereira ( um dos melhores secretários de estado deste governo) veio ontem anunciar que afinal vai mesmo candidatar-se a Viseu, pelo que irá abandonar o governo.
Este flic flac quererá dizer que Álvaro Santos Pereira está mesmo de saída, ou que Almeida Henriques também começa a acreditar que este governo tem os dias contados?
Não deixa de ser curioso, por outro lado, que o próprio Almeida Henriques tenha confirmado que não será substituído no cargo, passando as suas funções a ser asseguradas por outros secretários de estado de Santos Pereira. Ora isto coloca outra questão: estará Almeida Henriques a manter uma porta aberta no governo, para o caso de vir a ser derrotado em Viseu e o governo se manter até 2015?

SMS de Bruxelas

Garotices


I
Paulo Portas mandou Pires de Lima “exigir” a remodelação do governo. Depois pediu a Diogo Feio e Telmo Correia que corroborassem a opinião do homem das cervejas, mas manteve-se em silêncio e pirou-se para o Japão. Quase aposto que, ainda no aeroporto telefonou a Passos Coelho dizendo que não tinha nada a ver com aquilo, mas era bom o primeiro ministro ouvir aquelas vozes.
II
António José Seguro anunciou a apresentação de uma moção de censura na sexta-feira. No dia seguinte, o Expresso noticiou que Seguro escrevera uma carta à troika declarando o seu compromisso com o memorando. As pessoas ficaram ainda mais convencidas que a moção de censura tinha apenas objetivos de afirmação  interna e Marcelo, na sua homilia dominical, desancou em Seguro.
Ontem ficou a saber-se que, afinal, a carta de Seguro à troika é bastante dura e nela o líder do PS manifesta o seu propósito de derrubar o governo e exigir a renegociação do memorando.
De qualquer modo, a garotice do Expresso cumpriu o objectivo de enterrar ainda mais o desacreditado Seguro.
III
Sócrates dá amanhã uma entrevista à RTP, que marca o seu regresso a Portugal. Medina Carreira, aproveitou o seu programa “Olhos nos Olhos” para engrossar o pelotão de vozes que pretendem o silêncio do ex-primeiro ministro. Nada de surpreendente. A única surpresa foi o ódio expresso por Medina Carreira nas suas declarações anti-socráticas. Logo aproveitadas por Morais Sarmento, para dizer que Sócrates é um homem sem vergonha. Morais sarmento devia olhar para o seu partido e apontar os inúmeros casos de gente sem vergonha com voz nas televisões. A começar pelo PM, que insiste em manter um aldrabão como Relvas  como seu braço direito no governo.
Os ataques a Sócrates não revelam só medo do que ele possa vir a dizer nas suas intervenções semanais. Revelam falta de carácter e são mais uma garotice do laranjal, cada vez mais acossado e em risco de ser atacado por uma doença degenerativa.

segunda-feira, 25 de março de 2013

Viagem ao futuro

Este fim de semana ficámos a saber que a saída de Portugal do Euro é apenas uma questão de tempo. Talvez se resolva até ao final do ano. De qualquer modo, além dos problemas provocados pelo abandono da moeda única, vamos ter de enfrentar outro problema quiçá ainda mais grave. O presidente do Eurogrupo foi muito claro, não vale a pena o Gaspar vir dizer que essa não é uma hipótese que se coloque em Portugal. 
Só que por cá, não vão ser apenas os depósitos acima de 100 mil euros a ser saqueados... a ladroagem por cá vai começar em montantes muito mais baixos.
A senhora Merkel- agora arranjou mais um capanga holandês- é pior que o Tio Patinhas, o Bafo de Onça e os Irmãos Metralha juntos.Enriquece a Alemanha roubando os pequenos aforradores. Quem acredita que isto ainda pode acabar bem, deve estar a fazer como a avestruz.

O traque de Deus

Miguel Veiga, um dos fundadores do PSD, dá esta semana uma entrevista à revista do Expresso que merece leitura atenta e profunda reflexão, principalmente por parte do votantes no PSD que ainda acreditam que aquele partido é social democrata.
A determinada altura, Miguel Veiga  explica quem fez Pedro Passos Coelho primeiro-ministro:
"Uns tipos do piorio. Um é Miguel Relvas, o outro é Marco António"
A entrevista é esclarecedora e imperdível.Apenas não explica como chegou aos mais altos cargos do partido gente como esta.
Eu explico: foi um traque de Deus! Depois de comer umas tripas à moda do Porto,até Deus pode ter um descuido e colocar no mundo uma mulher como Teresa Leal Coelho, mas só  um problema de gases justifica o elenco governativo que temos. 

Ou, como diria o Relvas, “ambas as três” *



Quando acabei de ler o estudo da MERCER  sobre  a “Análise comparativa das remunerações no sector público e no sector privado”, fiquei a pensar se os tipos que o fizeram são atrasados mentais, apenas incompetentes, ou receberam ordens da empresa para fazer um estudo jeitoso que agradasse ao governo, pois é ele quem paga e convém agradar ao patrão.
Sem resposta ( quem sabe se “ambas as três” não estarão correctas)  e indeciso por onde devia começar a análise das incorrecções, omissões e perversões que produziram aquele dislate, sou salvo por um amigo que teve a amabilidade de me enviar a análise ao documento  feita pelo Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (SQTE).
Assim, limito-me a respigar alguns dos erros mais  gritantes enunciados pelo SQTE.
1- As remunerações de base e o ganho médio mensal dos trabalhadores do setor público estão sobreavaliados (…) porque não contemplam os cortes salariais verificados a partir de 2011
2- Uma comparação credível e rigorosa terá que efetuar uma comparação em termos mensais e anuais ( Nota minha: o sector privado recebe 14  remunerações e o público apenas 13- ano passado apenas 12)
3- Para o setor público, o estudo incluiu as remunerações variáveis mas, para o privado, apenas contabilizou as remunerações fixas, negligenciando o facto de, em muitos casos, as remunerações variáveis no privado serem superiores às  fixas. (Como é que se podem comparar salários com bases diferentes? Alguém me explica?)
4- O estudo diz que, no setor público, a antiguidade é determinante. Mentira! As progressões no público dependem da avaliação de desempenho e estão congeladas há anos!
5- O estudo “esquece” que no público há uma tabela  única de remunerações, enquanto no privado há vários setores com remunerações bem diferenciadas
6- Finalmente, para abreviar, mas clarificar melhor a estupidez, incompetência ou má fé ( ou ambas as três, não é verdade ó Relvas?) os estudiosos compararam funções que só existem no Estado com funções que pura e simplesmente não existem no privado ( Ex: militares, diplomatas, bombeiros…) Refere o SQTE que a MERCER  se baseou na comparação destas funções com funções de idêntico valor no setor privado. Como é que a MERCER fez essa comparação é que seria giro perceber!
É no entanto, com base neste estudo,  baseado em premissas falsas, que o governo se propõe tomar decisões em termos de matéria salarial na AP! Alguém pode levar esta gente a sério?

ADITAMENTO:  Os inúmeros jornalistas que se debruçaram sobre o documento não viram estas incongruências e vomitaram peças propagandísticas sem qualquer rigor. Como vem sendo apanágio do jornalismo hoje em dia, metem-lhes uma folha de papel à frente, telefonam para um assessor ou especialista dos gabinetes e fogo à peça! Sejam decentes, senhores jornalistas! Façam o vosso trabalho com rigor e sem se preocuparem em amplificar os desejos do governo. A Pátria agradece-vos
* Escrevia o Expresso da semana passada que a expressão foi usada por Relvas numa audição parlamentar. Ou seria para lamentar?

domingo, 24 de março de 2013

Tudo tem um fim

Pedro e Paulo: a mesma sina

Pedro  e Paulo são teimosos, obstinados e cegos.  Pedro destruiu um país. Paulo destruiu uma selecção de futebol.
Mesmo a ganhar aos 2 minutos, Portugal conseguiu a proeza de sair de Israel com um empate a 3, com o último golo luso a ser conseguido nos últimos segundos do tempo extra.
Claro que se podem assacar culpas à equipa que  depois de estar a vencer adormeceu, mas o principal culpado foi Paulo Bento, vítima da sua teimosia. Manteve em campo durante 94 minutos um jogador que na véspera ainda se queixava de uma lesão ( João Moutinho) e outro que apesar de ter marcado um golo, falhou escandalosamente outros dois e andou no campo feito barata tonta ( Hélder Postiga).
Da teimosia de Paulo, não vem outro mal senão a vergonha de Portugal não se apurar para o Mundial de 2014 no Brasil. Precisamente  a prova onde todos os portugueses gostariam de estar presentes.
Pedro também tem na sua equipa vários jogadores incompetentes ( Gaspar, Álvaro, Aguiar Branco) e outros lesionados ( Cristas, Crato, o homem da Vespa) mas, teimoso, insiste em mantê-los em campo, recusando substituições.
Da teimosia de Pedro resultaram já danos sociais e patrimoniais irreparáveis para milhões de portugueses. Males que não se curam com tristeza e lágrimas e geram  revolta. No entanto, cada vez que vai a uma conferência de imprensa diz, como Paulo, que estamos no bom caminho. Estamos. No bom caminho para sairmos do Euro e voltarmos a ser um país miserável no contexto europeu.
Impávidos, ambos persistem na sua teimosia. Remetidos à gaiola dourada da sua obstinação, envergonham o país mas reagem às críticas com indiferença e arrogância. Estão bem um para o outro.
Ambos proclamam que é preciso mudar a mentalidade portuguesa. Claro! Eles vão no sentido correcto na auto estrada, os outros todos é que vêm em contramão! 

Le premier bonheur du jour

Tenham um excelente domingo

sábado, 23 de março de 2013

Venha cá, senhor Procurador!

Talvez não fosse má ideia pedir a este Procurador para vir a Portugal. É que anda por aí um gajo que também falha todas as previsões...

Pensando melhor...

Tal como António Costa, também pensei  que aceitar o convite da RTP foi uma má ideia de Sócrates. Depois de ver as reacções de ódio que provocou, mudei de opinião. Afinal é capaz de ter sido uma boa ideia, porque o ódio que move os que pretendem impedir os seus comentários na televisão pública é simplesmente MEDO!
Se o homem põe a boca no trombone, muita gente vai ficar com a orelhas a arder e com a credibilidade de rastos...
Entretanto, a canalhada com carteira de jornalista continua a fingir que é gente séria!

sexta-feira, 22 de março de 2013

Sabes quanto vales?

Regabofe é... (10)

Sabem que mais? Vão pedir sacrifícios ao c@&$#$§!

Se é impotente, vá tratar-se!

Por mim, perdoo-lhe a dívida...



Há tempos, Vítor Gaspar afirmou que aceitara ser ministro das finanças para pagar a Portugal o dinheiro que o país tinha investido na sua educação.
Ora, ainda não passaram dois anos e Gaspar não só não pagou a dívida, como ainda a fez subir exponencialmente, depois de falhar previsão após previsão e de cometer erro após erro.
Pela minha parte, perdoo-lhe a dívida e desejo-lhe boa viagem até Bruxelas onde, certamente, desempenhará com desvelo a missão de lambe botas e capacho do Schauble. Ao fim e ao cabo, as mesmas funções que tem desempenhado desde que tomou posse como ministro da delapidação do nosso património.

quinta-feira, 21 de março de 2013

A censura explicada aos ingénuos, ou como o PCP demonstrou que o seu principal inimigo é o PS

Quando Seguro convocou a Comissão Política para esta noite com o objectivo ( segundo a comunicação social)  de discutir a possibilidade de apresentação de uma moção de censura, como reagiu o PCP? 
Na impossibilidade de apresentar outra moção de censura durante esta legislatura, seria expectável e lógico que o PCP apoiasse a ideia. Porém, nada há pior para o PCP do que apoiar alguma iniciativa do PS. A sua especialidade é derrubar governos do PS. Vai daí, recorreu a uma manobra regimental invocou uma interpelação e apresentou uma "resolução" em que censurava o governo. 
O PCP sabia perfeitamente que a sua iniciativa era inútil. No entanto, o seu objectivo não era censurar o governo, mas sim o PS , por não obedecer às suas ordens. Nesse aspecto conseguiu uma vitória porque fragilizou uma moção de censura do PS
Percebe-se o ar feliz dos deputados da maioria esta tarde na AR. Enquanto o PCP tecia ferozes críticas ao PS, o governo passava incólume à putativa resolução que visava censurar o governo.
Enquanto a esquerda dava um triste espectáculo, acusando-se mutuamente, eles assistiam ao espectáculo. Divertidos, obviamente!
Bem pode o PCP vir reclamar "Demissão Já". A maioria dos portugueses quer essa demissão, mas quer alternativas e o que hoje ficou demonstrado, foi que não havendo entendimentos à esquerda será difícil haver alternativas.
Resumindo, o que hoje se passou, foi um grande favor prestado pelo PCP ao governo. Exactamente dois anos depois de se ter aliado ao PSD e ao CDS para derrubar o governo do PS.
Foi, portanto, mais uma vitória do PCP esta resolução de censura ao governo, que tinha como único objectivo censurar o PS.

Monopoly Games (4)

Ao aprovar o confisco dos depósitos dos cipriotas, a Europa fez uma jogada precipitada no tabuleiro do Monopólio. 
A decisão foi tomada de madrugada e fez-me lembrar aquele experiente jogador de Monopólio que, preparado para bater a concorrência, reage com irritação às exigências de um parceiro perto da bancarrota, a quem pretende comprar um terreno para construir prédios. Indisponível para aceitar a proposta e ciente do seu poder económico, acaba por recusar as exigências, pensando que na volta seguinte comprará ainda por melhor preço. Juízo no mínimo negligente, pois não pensou que outro jogador pode por lá passar antes dele e comprar o terreno, só para o impedir de construir naquele bairro.
Ao falhar esta jogada, a UE arrisca-se a perder o jogo.
Esqueceu-se que a Rússia também está em jogo e é bem capaz de  comprar por bom dinheiro a dívida cipriota, em troca da exploração do gás.
 Pela terceira vez, no espaço de um século, a Alemanha prepara-se há anos para destruir a Europa. Sem recorrer ao esforço bélico, mas impondo as regras económicas e financeiras neste tabuleiro de Monopólio.
Ora a entrega do gás natural à Rússia não é uma boa notícia para os alemães. E muito menos o será se, por via dessa aproximação do Chipre à Rússia, se começar a inverter o jogo de poderes que permitiu à Alemanha- após a unificação- sonhar novamente com o poder hegemónico na Europa.
Fui dos que sempre defendi que a Europa iria pagar um preço demasiado elevado pela unificação da Alemanha. O maior erro de quem pretende proteger-se de um inimigo, é fornecer-lhe armas. Foi isso que a Europa, ingenuamente, fez.
Ao negligenciar as exigências de Chipre, a Europa esqueceu-se que estava a dar trunfos à Rússia. ( Ou então não acreditou que os cipriotas, esmagados pela crise, voltassem a ver na Rússia a sua tábua de salvação- nesse caso trata-se de erro grosseiro, talvez provocado pelo sono que a decisão tomada alta madrugada indicia).
É cedo ainda para saber como se irão desenrolar as próximas jogadas, mas o jogo que parecia claramente ganho pela Alemanha pode alterar-se profundamente e permitir um reequilíbrio de forças. Com todas as consequências que daí advirão. Por agora, os alemães devem estar a pensar que negligenciar os recursos naturais foi uma má decisão. Principalmente quando, no tabuleiro destes Monopoly Games ainda se movimenta uma China que já comprou recursos naturais estratégicos em todos os continentes.


Os Inquisidores

Assim que foi conhecido o regresso de Sócrates ao espaço do comentário político, virgens ofendidas lançaram uma petição a exigir que o ex-primeiro ministro seja proibido de se apresentar diante das câmaras do canal público.
Entre os peticionários estão saudosos de Salazar e alguns daqueles que no tempo de Sócrates convocaram uma manif  em defesa da liberdade de expressão, por causa do palhaço Crespo.
Nunca gostei de Sócrates e só votei nele em 2011, quando percebi que a golpada desta gente que nos governa, em concubinato com uma esquerda tonta e masoquista, nos iria conduzir a este desastre.
Estes peticionários são gente que não se enxerga. Inquisidores frustrados, para quem a liberdade de expressão termina, quando alguém tem opiniões divergentes das suas. Tirem os fantasmas das vossas moleirinhas!
Será que algum dia aprenderão a viver em democracia? Duvido...
Gostava de lhes perguntar porque não se indignaram quando a AR aprovou uma recomendação à RTP para o regresso da TV Rural. Mas isso é demasiada areia para aquelas camionetas.

Que grande bomba!

Esta é, sem dúvida, a notícia do dia
Cheira-me que aqui anda mãozinha do Relvas para fingir que não interfere na RTP. A seguir com muita atenção novos desenvolvimentos.

Foto do dia (30)

Chegou a Primavera!

quarta-feira, 20 de março de 2013

A culpa

Perante os sucessivos falhanços nas previsões e o descontentamento popular, o governo arranja bodes expiatórios:  
a) a culpa foi de Sócrates ( ainda sou do tempo em que o Pedro dizia que nunca se desculparia com o governo anterior)
b) o memorando estava mal desenhado ( só viram isso ao fim de dois anos, porra? Então ainda são mais estúpidos do que eu pensava)
c) a culpa é da crise internacional ( no tempo de Sócrates não era?)

Todos os dias o governo arranja desculpas para justificar o falhanço da sua política. Lá virá o dia em que dirá que a culpa é dos portugueses.
São assim os incompetentes. Nunca reconhecem os seus erros.

Don't worry, be happy!


Hoje  celebrou-se o Dia Internacional da Felicidade. Isto da felicidade é muito relativo.
“Esta é a vida que eu sempre quis/eu sou cornudo mas eu sou feliz”-  já cantava o Juca Chaves, no que foi no entanto contrariado recentemente por Justin Biber, o jovem cantor canadiano que  abandonou a sua festa de aniversário depois de ter sido encornado publicamente. A cena já se passou há mais de um mês, mas Bieber parece ainda não ter ultrapassado o trauma, o que obrigou mesmo o hotel onde estava hospedado em Paris a pô-lo na rua por indecente e má figura.
O INE  já declarou que em Portugal não haverá um índice de felicidade, mas sim um índice de bem estar.
Serão 90 os indicadores que determinarão o grau de bem estar dos portugueses, mas isso parece-me irrelevante, pois a noção de bem estar é tão subjectiva como a da felicidade.
Assim sendo, sugiro que sigam este conselho que vos proporcionará, pelo menos durante uns tempos, felicidade e bem estar.

Luís Filipe Vieira que se cuide!

Seara está desempregado a partir de Outubro
A não ser que, com a aprovação de uma nova Lei, o governo consiga reintegrá-lo...

Pagliacci à la Putanesca


Um caso de estudo para os que defendem o fim dos partidos


As eleições em Itália foram há quase um mês. Depois do bruáa de espanto  provocado pela expressiva  votação no grupo do palhaço Grillo, a Itália despareceu das primeiras páginas e dos noticiários televisivos, submergida primeiro pelas notícias do Papa e  depois pela abstrusa decisão dos ministros das finanças do Eurogrupo em relação a Chipre.
Os correspondentes enviados a Roma pelas televisões ou estão desatentos ao que se passa em Itália, ou não  dão qualquer importância ao assunto. No entanto, em Itália há mais vida para além do Papa e os últimos acontecimentos têm sido ricos em matéria política.
Colocado perante o problema de não ter maioria para governar e incapaz de conseguir fazer alianças, Bersani jogou uma cartada forte. Propôs a Grillo que apoiasse o candidato do PD ao Senado e, em troca, apoiaria o candidato do Movimento 5 Estrelas à Câmara de Deputados.
Irredutível, Grillo não acatou a proposta e Bersani jogou os seus trunfos. Para já, com sucesso. Beneficiando da maioria da esquerda na Câmara, abdicou do seu candidato e apresentou o nome de Laura Boldrini, reputada funcionária da ONU eleita como independente  nas listas do seu parceiro de coligação ( Esquerda, Ecologia e Socialismo).  A eleição foi pacífica, mas despertou a ira de Berlusconni,  pois Laura apresentou-se às eleições como defensora das vítimas do berlusconismo.
No Senado as coisas estavam mais complicadas para Bersani, pois a esquerda não tem maioria. Berlusconni apresentou o seu candidato ( Renato Schiaffini), suspeito de ligações à Mafia, com fortes possibilidades de ganhar. Grillo recusou apoiar o  candidato do PD e deu ordem aos deputados do 5 Estrelas para votarem em branco, o que abria o caminho para a eleição de Schiaffini como segunda figura do Estado.
 Uma vez mais, o líder do PD apostou forte e  apresentou um candidato independente ( Pietro Grosso)  juiz que se notabilizou pela luta contra a Mafia. Nem o risco de ver eleito Schiaffini demoveu Grillo.  No entanto, uma dezena de grillistas não se conformou. Ignorou as orientações de Grillo e votou em Pietro Grosso, provocando a ira do palhaço que, de imediato, exigiu a demissão dos “dissidentes”,  fazendo tábua rasa das promessas de independência.
Só que escolher deputados através das redes sociais é muito popularucho, mas tem os seus revezes… a expulsão dos deputados  poderia ser o princípio do fim do Movimento  Cinco Estrelas e de Beppe Grillo, o que obrigou o comediante a recuar nas suas ameaças.
A tarefa de Bersani para formar um  governo minoritário, continua a ser ciclópica, mas a  estratégia de explorar as fragilidades de um partido criado sem bases ideológicas nem programáticas poder-lhe-á  trazer dividendos no futuro e contribuir para arrefecer os ânimos daqueles que pensam que a democracia pode viver à margem dos partidos.
No entanto, há um dado positivo que se deve extrair do que está a acontecer em Itália. O aparecimento do Movimento 5 Estrelas obrigou Bersani a regenerar o seu partido, recorrendo a figuras independentes, alheias à lógica aparelhistica. Jogada de risco que talvez não seja bem aceite por aqueles que vivem  e medram à sombra dos aparelhos partidários.
Resumindo: o momento actual em Itália talvez venha a revelar-se como o embrião de uma acção regeneradora da democracia e da lógica actual dos partidos, assente na obediência cega aos aparelhos. Algo que deveria fazer reflectir os partidos portugueses e os autores do Manifesto pela Democratização do Regime ( link)

Foto do dia (29)


terça-feira, 19 de março de 2013

Obrigado,sr.Pedro! Você é um anjo que nos caiu do Céu


Os portugueses  são estúpidos e mal agradecidos. Ainda não perceberam que este governo, apesar de ter acabado com o programa Novas Oportunidades não se cansa de criar condições para que tenham uma vida melhor e  um futuro risonho.
Fez por isso muito bem Pedro Passos Coelho quando ontem, no ISCSP, anunciou que os despedimentos as rescisões amigáveis  na administração pública são uma oportunidade.
Logo no início do seu mandato, vários membros do governo anunciaram que o desemprego era uma grande oportunidade, pois permitia aos jovens emigrar e conhecer o mundo.  Ingratos, os portugueses ficaram ressabiados, porque o governo não lhes pagava a viagem para se pirarem daqui e começaram a denegrir uma medida  visionária só ao alcance de predestinados como Vocelência!
Fez por isso muito bem em anunciar esta nova medida que irá proporcionar a muitos funcionários públicos sem qualificações, começar uma nova vida. 
Esta manhã recebi dezenas de telefonemas de funcionários públicos entusiasmados!
A D. Conceição, auxiliar administrativa numa escola de Ranholas de Baixo, estava  tão eufórica, que pensei que lhe tivesse saído o Euromilhões.  Dizia-me ela:
- Ainda bem que votei no PSD! Agora, com os 4 mil euros de indemnização vou montar uma banca de fruta lá na aldeia. Finalmente, posso tornar-me independente!
Também o senhor Adelino, cantoneiro em Burganhis de Cima,  não escondia a sua satisfação:
- Com estes 5 mil euros de indemnização vou montar uma empresa de construção civil. Não sei ainda é se vai ser aqui na terra, ou no Dubai, que me dizem ser também uma terra de oportunidades. Vou finalmente ser um empreendedor e quem sabe se não vou receber um prémio do sr Cavaco!
As manifestações de regozijo não são, porém, exclusivas de funcionários que ao fim de 30 anos de trabalho vão receber as chorudas indemnizações prometidas pelo governo, que irá alterar as suas vidas. Há também aqueles que vêem, na saída de milhares de funcionários públicos, a oportunidade para arranjarem um emprego. 
É o caso, por exemplo, de Andreia Marlene  cujos pais, com uma extraordinária visão, a inscreveram na JSD no dia em que a miúda  completou o ensino básico. Licenciada em Relações Internacionais com a brilhante média de 11 valores, Marlene foi contratada como especialista para o gabinete de um ministro, mas não teme que a queda do governo a lance no desemprego. 
“ Bem pelo contrário!”- replica entusiasmada. “O senhor primeiro ministro anunciou que a saída desse pessoal secundário irá permitir contratar licenciados e, obviamente, que se não conseguir arranjar lugar numa empresa pública, terei um empregozinho garantido numa qualquer Direcção Geral, porque é para isso que elas existem! São aquilo a que o senhor primeiro ministro chamou lugar de recuo. Um passo atrás hoje, mas dois em frente amanhã, porque com o meu curriculum serei nomeada chefe em regime de substituição num ápice!”
Andreia Marlene até já fez as contas. Se por cada três funcionários não qualificados, for recrutado um licenciado, já dá para meter lá o pessoal todo dos gabinetes que não tenha lugar nas empresas públicas. É uma mais valia para a JSD! 
Tem pois muita razão PPC quando afirma que o despedimento as rescisões amigáveis na função pública são uma oportunidade. Só se esqueceu de explicar quem seriam os beneficiados, mas eu ( e estou certo que também os leitores) sou bom aluno e percebi logo tudo, sem necessitar de esclarecimentos adicionais.

O jogo do empurra

O roubo de uma parte dos depósitos dos cipriotas foi decidido por unanimidade pelos 17 ministros das finanças do Eurogrupo mas agora, que o clamor de reprovação ecoou em uníssono por toda a Europa, todos querem tirar o cavalinho da chuva.
Schaueble apressou-se a dizer que a ideia não foi da Alemanha e se limitou a votar com os outros. Até acredito no homem, mas custa-me compreender como é que ele alinhou no "Maria vai com as outras"...
Por via das dúvidas, deu a entender aos jornalistas que a ideia teria partido do BCE que, através do seu porta-voz, veio descartar essa hipótese, empurrando para uma decisão tomada em Bruxelas pela Comissão Europeia.
O porta-voz da CE, por sua vez, fechou-se em copas e recusou-se a confirmar ou desmentir a notícia.
Ou seja: foi tomada uma medida de extrema gravidade, que pode por em causa o futuro do euro e da própria Europa, mas agora ninguém quer assumir as responsabilidades pela besteira. É tudo da mesma laia!
Percebem agora a razão de Gaspar ser tão apreciado na Europa? Por lá gostam deste tipo de gente  que nunca tem culpa de nada... a realidade é que é uma merda e lhes estraga as previsões.
( ler aqui)


Foto do dia (28)

Foto Thomas Barbey

segunda-feira, 18 de março de 2013

Relvas equiparado a pedófilo!

Pela calada da noite...

Os ladrões do Eurogrupo atacaram os cipriotas e roubaram-lhes parte dos seus depósitos bancários. A credibilidade da Europa atingiu o ponto zero e a confiança das pessoas nos bancos ruiu como um baralho de cartas.
Logo que esteja recuperado vou comprar um colchão à prova de roubo.

domingo, 17 de março de 2013

Momento Gato Fedorento

Pensam que é só o Ricardo Araújo Pereira que faz umas habilidades? Então desenganem-se! Vejam aqui como ele tem forte concorrência

Ouve lá, ó Paulinho!

As últimas sondagens dizem que já só vales 5%. Se não acabares depressa com esta merda e não abandonares a coligação, nem de um taxi os teus deputados vão precisar para ir para a AR. Vão na Vespa do Mota Soares!

sábado, 16 de março de 2013

Mais um que anda nas smartshops!

Momento pornográfico

No momento em que anunciavam mais cortes, mais sacrifícios, mais desemprego, mais miséria e admitiam pela enésima vez que se tinham enganado nas previsões, Gaspar e Moedas riam-se!
É a este tipo de gente que estamos entregues. À escória da sociedade, que Pedro Passos Coelho foi buscar ao cano de esgoto da sua vida. 

sexta-feira, 15 de março de 2013

Gaspar curou-me!

HOJE ÀS 19 HORAS
TRAZ UM AMIGO TAMBÉM

Estou doente desde quarta-feira mas hoje, quando soube das novas medidas de austeridade, das novas previsões que confirmam mais falhanços na política deste governo, com aumento  brutal do desemprego, agravamento da recessão, aumento da austeridade e prolongamento das medidas já tomadas, vi uma luz ao fundo do túnel: o objectivo deste governo não é salvar o país; é destruir as pessoas.
Esta corja de incompetentes agarrados ao pote tomou o freio nos dentes, vive no seu mundinho de compadrios, de trocas de favores, de corrupçõezinhas, de negociatas,de política rasteira e está-se nas tintas para os portugueses. Limitam-se a obedecer cegamente ao trio de agiotas filhos da puta, riem dos seus próprios erros e continuam a construir o seu futuro sobre os destroços do país, à custa da miséria dos portugueses.
Por isso, enquanto o PR foi buscar cogumelos mágicos a Trás os Montes ( o governo fechou as smart shops e Cavaco não teve outra alternativa, senão fazer-se à estrada) eu senti uma revolta a crescer dentro de mim. A febre baixou por encanto, as dores aliviaram e até recuperei as forças. Levantei-me da cama e decidi ir à manif. Antes que eles nos matem!
Como o meu problema é uma gastroenterite, além do lenço branco, vou ter de levar uma rolha mas, quando chegar à porta da residência do coelho tiro-a. Depois, talvez tenha sorte e consiga limpar o rabo a um tufo de relvas que ande por ali.
Em tempo: quem não tiver lenço branco à mão, pode levar papel higiénico!

O Anjo da Morte

O livro de Lawrence Thornton deu origem a este filme. Vale a pena ver. Ou ler

Foram altas as primeiras expectativas em relação ao novo Papa Francisco.
As primeiras notas biográficas sobre Jorge Bergoglio retratavam-no como uma pessoa humilde, defensora dos pobres, que cozinha as suas próprias refeições e anda de transportes públicos.
Pessoalmente, preferia um Papa humano a um Papa humilde.  Ora,de humano, Bergoglio parece ter muito pouco, de acordo com as notícias que vão chegando, passadas as primeiras horas de entusiasmo.
Ultra conservador, Francisco condena a homossexualidade, é contra o uso de preservativo , sejam em que circusntâncias for e defende que o papel da mulher é em casa a ajudar o marido e não deve em circunstância alguma desempenhar actividades políticas, porque é inapta para o fazer!
Ontem deixei aqui algumas reticências à escolha e lembrei  que o arcebispo de Buenos Aires nunca se demarcou das atrocidades cometidas pela Igreja argentina,  pactuou com a ditadura e não vê com bons olhos a democracia. Dei-lhe, no entanto, o benefício da dúvida. Confesso que o seu sorriso me cativou, embora saiba bem como os sorrisos enganam...
Uma leitura dos jornais argentinos, a  pouco entusiasmada reacção popular à escolha de Bergoglio ( que incluiu uma forte vaia quando Cristina Kirchner mencionou ontem o seu nome)  a reacção estupefacta das Madres de Plaza de Mayo e as notícias que o apontam como conivente na morte  de dois padres jesuítas que se recusaram a obedecer  às ordens da ditadura que exigia o abandono das favelas por parte da Igreja, parecem apontar outro rumo. Foi Jorge Bergoglio quem os denunciou aos generais!
A comunicação social não se cansa de repetir que o Papa Francisco parece ter sido investido pelos cardeais com a missão de reformar a Igreja. Na primeira homilia, reforçou essa intenção mas,infelizmente, para além de reformar a Igreja, estará incumbido de uma outra missão:encobrir os crimes da Igreja na América Latina, especialmente na Argentina, onde se têm sucedido as condenações  de membros do clero por crimes perpetrados durante a ditadura.

Haverá quem pense que as notícias sobre o apoio da Igreja  às ditaduras latino-americanas e o seu envolvimento em crimes horrendos são ficção. 
A esses, recomendo vivamente a leitura de dois livros que relatam, de forma muito circunstanciada, o apoio da Igreja  à ditadura e o seu envolvimento com a actividade criminosa dos generais.


No livro El Silêncio ( um trabalho de investigação do jornalista Horacio Verbitsky em 1999 e editado em livro em 2005 ) - podem ler aqui uma sinopse -  ficamos a saber como a Igreja tentou ocultar os crimes da ditadura, escondendo os prisioneiros na ilha de Tigre, recatado local de férias do arcebispo de Buenos Aires. Também ali  se desvendam as ligações espúrias entre o Papa Paulo VI e a ditadura argentina,  os programas de reeducação da ESMA ( a entidade da Marinha que criou os "voos da morte")  ou o envolvimento da Igreja no rapto de bebés.  Não se trata de um trabalho de ficção! Verbitsky recolheu testemunhos vários, inclusívé de um ex-verdugo da ESMA que relatou em pormenor como se processavam os crimes.
Em "Aconteceu na Argentina"  (Campo das Letras 1987)- o livro de Lawrence Thornton que deu origem ao filme com o mesmo nome- a narrativa ficcional baseia-se em factos verídicos, o que não torna a realidade menos pungente.
Das duas uma... ou o Espírito Santo se enganou na escolha de Jorge Bergoglio, ou os cardeais lhe passaram uma rasteira e optaram por continuar com a protecção do regabofe da corrupção financeira e moral que grassa na Igreja.
Até pode ser que Francisco consiga reformar a Igreja mas, ou muito me engano, ou Bento XVI era um progressista, quando comparado com este Francisco, cuja escolha pelos cardeais representa, também, uma derrota de Bento XVI, obrigado a renunciar quando constatou toda a merda porcaria que envolve a Igreja.
Agora, vou ali confessar-me. Tentarei ser breve e voltar logo que possível.



Foto do dia (27)


quinta-feira, 14 de março de 2013

Chegou a hora da mudança?

Durante o período de Sede Vacante ouvi muita gente manifestar o desejo de que o futuro Papa fosse jovem. Sempre acreditei que, cabendo ao Espírito Santo a escolha, ouviria as preces dos fiéis.
Assim foi. Francisco I  tem 76 anos, menos um ano do que Bento XVI quando ascendeu ao cargo.
Embora não esteja familiarizado com estas coisas da Igreja, manifestei logo após o anúncio de renúncia de Bento XVI, as minhas preferências por um latino-americano.
O Espírito Santo também parece ter dado alguma importância ao meu desejo mas, omnisciente, em vez do brasileiro que eu aventara, escolheu um argentino. Segundo me explicaram, o brasileiro é um grande reaccionário, mas a esta hora, no Brasil, devem-se ter reavivado velhos ódios com os vizinhos do sul.
Conheço bem o papel da Igreja argentina no apoio à ditadura, um  grupo de energúmenos e assassinos que perseguiram, torturaram e mataram muitos resistentes argentinos, num miserável apoio à ditadura. Dizem-me que o arcebispo de Buenos Aires nunca se demarcou desse passado negro e tem uma relação difícil com o poder, desde a queda de Menem, por ter alguma dificuldade em lidar com a democracia. A sua faceta mais positiva será a humildade, o desapego pelos luxo e bens materiais e a defesa dos mais pobres.
A escolha de um Papa sul-americano mostra que a Igreja também já percebeu que o mundo mudou e o futuro se desenha a sul. Desde o século VIII que não havia um Papa não europeu e Francisco I é o primeiro sul-americano a ocupar a cadeira de Pedro no Vaticano. Resta saber como regirá a velha e decadente Europa a esta escolha....
Embora seja difícil conceber alguém que defenda que um Papa com 76 anos é novo, o facto de Francisco ser sul-americano pode significar a aposta num processo de  transformação e rejuvenescimento da Igreja. O próprio nome escolhido ( numa homenagem a Francisco de Assis) parece indiciar um desejo de mudança.
Dizem os entendidos, porém, que o Banco Ambrosiano não tolerará um Papa que afronte os seus interesses.
Assim, a grande pergunta neste momento é: será Francisco I capaz de extirpar a Igreja em geral ( e o Vaticano particularmente) dos podres que levaram Bento XVI  a abdicar? Será capaz de acabar com a corrupção, com a pedofilia e os escândalos sexuais que corrompem a Igreja?
Ao fazer estas perguntas lembro-me de uma peça de Kushner (Angels in America) e torço o nariz.Há redes que se vão fortalecendo e cuja influência vai aumentando, quando são atacadas de fora...  E, claro, não esqueço o mistério em torno da morte de João Paulo I...

Foto do dia (26)


quarta-feira, 13 de março de 2013

Para grandes males...


Como já não tenho dinheiro para pagar ao jardineiro, despedi-o e fui comprar um corta-relvas. Poupo, liberto a adrenalina e ainda posso ter a sorte de cortar a relva no local certo.

Desculpem lá a pergunta...

Eu não quero ofender ninguém, e muito menos ser chato, mas se é o Espírito Santo que escolhe o Papa, porque é que nunca se decide à primeira? Gosta de suspense, é?

Valha-nos a Madeira!

Se é verdade que a Madeira sorveu muitos recursos do Continente, agora  está a fazer um esforço para nos compensar, contribuindo para  que fiquemos um pouco mais alegres e optimistas. Basta sintonizar a RTP Madeira e ver uma sessão da Assembleia Regional.
Ontem, com a presença dos  comediantes Jardim e Coelho, assistiu-se no plenário a uma rábula digna dos "Gato Fedorento".
Para quem não viu,  resumo em duas linhas.
O deputado Coelho ofereceu a Alberto João uma indumentária de presidiário, sugerindo que o lider madeirense devia estar na prisão e este retribuiu, entregando ao deputado uma fotografia emoldurada de um burro que, afiançou AJJ, é o retrato do deputado madeirense. Riram-se muito os dois, as câmaras fixaram o momento e depois a oposição abandonou o hemiciclo para não votar a moção de confiança apresentada pelo PSD.
Se andavam tristes por não termos por cá os palhaços Grillo e Berlusconni, animem-se. Eles andam por aí.   

Seguro e os jogos de sombras

Lia-se no Expresso on line ontem: " PS pisca o olho à esquerda nas autárquicas".
Há várias coisas que não percebo.
Em primeiro lugar, um tipo que  pisca o olho a uma miúda e depois lhe escreve uma carta a pedir-lhe namoro, não vive no nosso tempo. Mesmo sendo tímido e não tendo coragem de se declarar de forma frontal, nos dias de hoje não escreve uma  carta. Declara-se através do FB, ou envia um SMS!
Em segundo lugar, o pretendente PS faz a proposta sob reserva. Quer namorar com a esquerda, mas só nos dias em que lhe apetecer.  Pelo menos é o que eu subentendo neste excerto:
"... excecionalmente e nalguns concelhos onde o interesse das populações o justifique"
Aliás, este trecho da missiva leva-nos ainda a outra conclusão: o PS pede namoro à esquerda, mas só para provocar uma cena de ciúmes na namorada de que realmente gosta.
Eu bem sei que, mais adiante pode ler-se ".. com particular incidência nos concelhos  governados pela direita, ou onde esta, através do PSD e do CDS/PP se apresenta em coligação", mas isso só confirma que o PS só está interessado na coligação à esquerda, desde que seja para afastar a concorrência de um outro pretendente. Com o qual, aliás, não enjeita coligar-se a nível nacional....
Resumindo: o PS pisca o olho à esquerda, pede-lhe namoro, mas admite desde logo que, depois de juntarem  os trapinhos, pode dar umas facaditas no matrimónio e namorar com a direita.
Não sei se o PS está a atravessar um período naïf, ou é ingénuo, mas a proposta é pouco séria!
Além disso, alguém (à esquerda ou à direita) estaria interessado em coligar-se com o PS em concelhos como Matosinhos ou Cascais, onde os candidatos socialistas afastam até uma boa parte dos eleitores do PS?
É sério desafiar a esquerda para uma coligação autárquica e depois virar-lhe as costas nas legislativas, para se aliar à direita?
Começo a acreditar que  Seguro, além de naïf e ingénuo, tem também um bom coração. Não pretende infligir uma derrota pesada ao PSD nas autárquicas, por isso apresenta candidatos em quem apenas os militantes acéfalos votarão.
O que leva Seguro a ser tão condescendente com o PSD?  Cá para mim, apesar de estar ferido pelo facto de o amigo Pedro Passos de Coelho o ter enxotado assim que chegou ao poder, Seguro não quer inviabilizar a hipótese de uma reconciliação em 2015.
Acontece é que, tal como PPC, Seguro age como se a esquerda e os portugueses em geral, fossem parvos! Uma aliança à esquerda nas autárquicas é mero oportunismo e, do outro lado, um dos partidos com quem Seguro pretende namoriscar também não está nada interessado no  namorico porque, garante, mais vale só do que mal acompanhado. 
A tendência do PCP para o celibato é sobejamente conhecida e não vale a pena tentar convencê-lo. A não ser, claro, que algum pretendente esteja disposto a abdicar da sua identidade e aceite submeter-se às suas regras.
Assim,  estando visto e "ouvisto" (como diria o nosso ministro Relvas),que a esquerda continua a circular em meios de transporte separados, o melhor teria sido mesmo o PS fazer como os judeus ortodoxos e comprar umas palas para não cair em tentação. 







Foto do dia (25)


terça-feira, 12 de março de 2013

Preferem bem ou mal passado?

Desde o início da tarde,os cardeais estão reunidos em conclave. Todos são papáveis, por isso não vejo razão para se fecharam à chave enquanto escolhem o próximo Papado.
De qualquer modo, bom apetite!

Ao menos tomaram banho?

Neste video é bem visível o entusiasmo das fãs de Justin Bieber que, desde sexta-feira, acamparam à porta do Pavilhão Atlântico para serem as primeiras a entrar.  
Parece que o rapaz canta bem e fala ainda melhor. Aqui ficam alguns excertos de uma  entrevista  a Justin Bieber que ouvi num canal de televisão (SIC)

I- Estudos

- Então como fazes para conciliar os  espectáculos com a tua educação?
- Isso não é problema. Trago sempre comigo um professor e todas as noites estudo três horas.
- Hoje tiveste concerto não estudaste à noite...
- Não, estudei de manhã
- Durante três horas?
-  Sim...
-  E  que estiveste a estudar?
(Pausa)
- Bem isso não interessa nada para a  entrevista....

II-Fãs
- Como lidas com as fãs?
- Gosto muito. É impressionante ver este entusiasmo das fãs espanholas!
- E não te incomoda ter tantas fãs à porta do hotel?
- Não. Eu estou no último andar do hotel e nem as oiço.

Mais vale tarde do que nunca, mas...

Um ex-ministro britânico foi  obrigado a demitir-se do cargo, depois  de ter sido condenado a oito meses de prisão por ter enganado a justiça ao culpar  a mulher por conduzir em excesso de velocidade, quando era ele quem ia ao volante.
A mulher ( agora ex) foi igualmente condenada por  ter pactuado com o marido na obstrução da justiça.
Em Inglaterra faz-se justiça. doa a  quem doer, dirão os leitores. É verdade... mas como no melhor pano cai a nódoa, fica uma suspeita. Tendo o caso ocorrido em 2003, por que razão só foi conhecido em 2012 e só hoje ambos começaram a cumprir a pena?

Daqui não saio, daqui ninguém me tira...

O Tribunal Constitucional acaba de confirmar que Macário  Correia tem mesmo de abandonar a câmara de Faro, por infracções cometidas quando era presidente da câmara de Tavira.
O autarca, porém, continua a dizer que não sai. Esta tendência de os autarcas do PSD resistirem à justiça parece estar a tornar-se viral, mas o mais preocupante é o PSD continuar remetido ao silêncio, como se nada  tivesse a ver com o assunto. Com jeitinho, Macário Correia ainda se volta a candidatar em  outubro, com o inestimável apoio do PSD. Relvas terá, certamente, a última palavra.

Portugal vai entrar para o Guiness


Graças ao portentoso esforço deste governo, empenhado em levar-nos pelo bom caminho que nos conduzirá à salvação, Portugal vai entrar para o Guiness.
A distinção deve-se ao facto de, em menos de dois anos,  Pedro Passos Coelho e a sua equipa maravilha terem conseguido  inúmeros records:
- Com a recessão de 2012, Portugal regressou aos níveis de 1975;
- Desde 1933 que não tínhamos um ministro das finanças com tanto poder;
- Em apenas 18 meses o governo delapidou o investimento feito na educação nos últimos 30 anos, obrigando a geração mais qualificada de sempre a emigrar, o que constitui uma grande mais valia para os países que os acolheu;
- No mesmo período de tempo, o governo reduziu a cacos toda a estrutura do Estado Social;
- A taxa de desemprego cresceu para números anteriores ao 25 de Abril e continua a crescer a bom ritmo;
- Os salários reduziram-se ao nível dos anos 80 do século passado.
Nunca um governo de um país democrático conseguiu regredir tanto em tão curto espaço de tempo.
Os meus parabéns a PPC e sua equipa, por este grande esforço para concretizar o seu programa de empobrecimento em que tanto se empenhou.

Foto do dia (24)


segunda-feira, 11 de março de 2013

Qual é a surpresa?

O que Juncker vem dizer agora, já eu escrevi aqui há três anos

Conversas com o Papalagui (68)

-Sabes como se chamam os assessores do Relvas, Pa?
- Não...
- Ervas daninhas!

Just(in) case...

No caso de os jovens se mobilizarem para outras causas com a mesma determinação, talvez o Pedro começasse a tremer... mas neste momento a única coisa que parece mobilizá-los em política, é a luta contra a "peste grisalha".
Devemos aplaudir este gesto solidário dos jovens portugueses com o Bieber. Eles querem manifestar-lhe o seu apoio, pelo facto de o rapaz ter abandonado há dias a sua festa do 19º aniversário, quando viu a namorada aparecer acompanhada de outro namorado. Ser encornado no dia de aniversário e em nossa própria casa, deve ser bastante duro!
A propósito... não vos impressiona que uma miúda de 16 anos venha do Porto com o pai passar várias noites ao relento em Lisboa para ver o seu ídolo? Eu sei que seria bem pior se viesse sozinha, mas... 

Memórias de Março


O mês de Março tem sido nefasto para a democracia portuguesa.
Há 38 anos era eu um alferes miliciano a cumprir serviço em Tomar. No dia 11 de Março de 1975 o general Spínola , apoiado pela extrema-direita, tentou um golpe militar que não resultou, mas seria o começo do fim das ilusões de Abril.
Trinta e seis anos depois, no dia 9 de Março de 2011, Cavaco Silva  fez um comício populista na AR durante a cerimónia de investidura do segundo mandato . Foi o discurso de um porta-voz do ódio da direita que o elegeu. Nesse dia   lançou o anzol aos jovens, manifestando-lhes o seu apoio a uma manif de protesto contra a classe política,  que  viria a realizar-se três dias depois. 
Na altura, comparei a estranha manif a que aderiu gente dos 8 aos 88, desde a extrema direita, à extrema esquerda, ao Cacerolazzo que derrubou Allende e abriu o caminho a Pinochet.
A esquerda, adormecida, reagiu com excessiva prudência ao discurso de Cavaco e deu o seu apoio oportunístico à geração à rasca. Foi nesse dia que a direita, apoiada por Cavaco Silva e com a conivência de alguma esquerda, ganhou fôlego para regressar ao poder e liquidar os últimos resquícios das conquistas de Abril. Ironias do destino...
Pelos idos de Março, Sócrates dizia "o mundo mudou" e toda a gente se ria. Na verdade o mundo mudou e vai mudar ainda muito mais na presente década, como aliás já diversas vezes aqui anunciei e agora o desgoverno  de súbditos da troika admite.
No último sábado, Cavaco Silva divulgou o prefácio  do seu Roteiros VII, onde parece ter esquecido as palavras e o comportamento indigno no dia da sua tomada de posse. Agora acha que não deve falar, pois não deve perturbar a actividade governativa.
Tozé Seguro reagiu como o menino que quer agradar ao professor para ter uma boa nota e elogiou o escrito presidencial. Ou não percebeu nada, ou endoidou. Vai tudo dar ao mesmo…
Hoje, ou amanhã, Vítor Gaspar dará uma conferência de imprensa onde irá anunciar os resultados da avaliação da troika e, muito provavelmente, mais austeridade. Mais cortes. Mais uma facada na democracia e no estado social. 
Até ao final do mês, deve ser conhecida a decisão do Tribunal Constitucional sobre o OE de 2013. Certamente, será mais benevolente para o governo, do que muitos esperam.
Março é tradicionalmente um mês ventoso, mas não tinha necessidade de ser tão violento a varrer a nossa democracia.

domingo, 10 de março de 2013

Um passeio, um café e depois, logo se verá...

Embora o tempo continue chuvoso,lá fora já cheira a Primavera. Daí, que muitos tenham aproveitado o domingo para dar um passeio. No entanto, ao chegar a casa, há algo que nos pede um café bem quente. Como este...

Uma fotografia inédita

O CR teve acesso ao umbigo de Cavaco, mais parecido com uma cloaca por onde o PR expele a sua vaidade, os seus ódios e a sua incoerência.
Um bonito umbigo, bem feminino, dirão alguns. Um  umbigo de um tipo desfazado do país onde vive, digo eu...

Le premier bonheur du jour

Tenham um domingo maravilhoso! Estes dois minutos talvez ajudem...