quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Noite de cinema: crónica dos abutres


Num cinema perto de si está a ser exibido, em sessões contínuas, o filme de terror "Assalto Final". O argumento deste "thriller"  narra  o assalto final à democracia  planeado por um trio de bandoleiros  num país de totós. 
Tendo como protagonistas principais Gasímpar, Láparo Boca de Brioche e Michael  Relvas, "Assalto Final" tem suscitado mais vaias do que aplausos, mas ninguém é indiferente a esta trama bem urdida, realizada por Hannibal Silva e com Francis Louca e Jerónymo Sousa como assistentes de produção.   
Do elenco fazem parte actores secundários como Moedas Judas e  Alvarito ,o Gordo, sendo ainda de registar a  participação de Paulo Doors como actor convidado.
O filme- marcado por cenas de violência nunca vistas desde "A Laranja Mecânica" de Kubrick-  suscita  a atenção dos espectadores, que ficam presos às cadeiras até à cena final.
O clímax surge quando os bandoleiros começam a apreciar o plano para o "Assalto Final" elaborado por um etíope filho da puta que trabalhou com base em dados falsos que lhe foram fornecidos pelos bandoleiros. 
Paulo Doors- que desempenha o papel de "Bom Ladrão"- parece não estar de acordo e ameaça desistir do plano, por  o considerar demasiado sangrento.Os restantes elementos do grupo de bandoleiros procuram dissuadi-lo e ameaçam lançar contra ele dois submarinos  se desistir do plano.
Entre o dilema de evitar um banho de sangue e salvar a sua imagem de Bom Ladrão, laboriosamente construída durante anos no mundo do crime, Paulo Doors vacila. Qual será a sua decisão?
Não vou desvendar o final do filme, obviamente, mas devo dizer-vos que em alguns países onde já foi exibido,  espectadores irados revoltaram-se, provocaram desacatos, ameaçaram matar os bandoleiros e pegaram fogo às salas de cinema.
Um filme a não perder numa sala perto de si. Sem pipocas, claro, mas com muita chama!


8 comentários:

  1. A ameaça dos submarinos é infalível, para entalar qualquer Doors... :P

    Mas detesto filmes de terror, este não é exceção!

    ResponderEliminar
  2. Caro Carlos Barbosa
    "Temo" que o final seja esse...
    Abraço
    Rodrigo

    ResponderEliminar
  3. Há graças
    Que tem uma graça do caraças
    Há graças que não têm graça alguma
    Há graças que parecendo o que não são
    Perdem a graça
    E acabam por não ter graça nenhuma...

    ResponderEliminar
  4. Carlos, um filme macabro com qualquer coisa de Pulp Fiction à mistura!
    Esperemos que o final não seja o previsto no guião!
    Sempre preferia as pipocas às labaredas...

    ResponderEliminar
  5. Isto não vai acabar nada bem, não vai não

    ResponderEliminar