segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Alguma coisa me está a escapar...

Alguma coisa me está a escapar na polémica alvoroçada sobre o Rei Mago escurinho a que se referiu Arménio Carlos. Havia ou não havia um Rei Mago escurinho? A "foto" parece desfazer todas as dúvidas... pelo que não percebo a razão de o líder da CGTP se ter sentido obrigado a dizer que as suas palavras foram descontextualizadas.
Se há alguém descontextualizado nesta história é o Selassié, que deve pensar que os padrões de vida em Portugal devem ser iguais aos da Etiópia, seu país natal que certamente abandonou por ter um nível de vida demasiado elevado. 
Adenda: Já agora, agradecia que os indignados me explicassem se Arménio Carlos foi racista por dizer que o etíope careca é escurinho, ou por afirmar que um dos reis magos é escurinho...

10 comentários:

  1. Que disparate! O que estes parvos deste nossos jornalistas estão a armar! Tal e qual como com a tonteria à volta da malinha Channel da outra.

    So much ado about nothing! É a "nossa" forma de ser, que se há de fazer? Se déssemos mais atenção às questões verdadeiramente importantes, isso é que era!

    ResponderEliminar
  2. Um branco de carapinha ou um preto de cabeleira loura é que é estranho e fica mal! :))

    Dizer que um "escurinho" é negro ou que um negro é preto, não é racismo, é a constatação de um facto. eheh

    ResponderEliminar
  3. Quando não há notícias, inventam-se! Agora "escurinho" também não me parece uma expressão muito feliz: "o sacana do etíope" era muito mais frontal! :)

    ResponderEliminar
  4. Boa malha!
    Mas para certa gente aquela tirada foi indecente... é que elevada que foi a Inter, ao mesmo nível de um órgão do Estado, o protocolo ficou furado e insultou-se uma personagem que devia ser respeitado... (eu sei o que vai na cabeça do Marcelo, mas naquelas outras...)

    ResponderEliminar
  5. Essa é a nova polémica???
    Não há cu que aguente!!!
    Onde é que está o problema?
    O fulano não é preto?
    Ofensa seria chamar-lhe escandinavo.

    ResponderEliminar
  6. E o Marcelo a iniciar a sua crónica com este facto do "alto da sua cátedra"...

    ResponderEliminar
  7. Na verdade ele até podia ter dito o preto. Que na realidade é o que me parece subjacente. E podem existir pessoas que digam o preto e não sejam racistas. Porque naquele caso era referido um preto específico. Se fosse índio ele era até capaz de se ter referido ao cor de rosa escuro, quem sabe?

    ResponderEliminar
  8. Absolutamente anedótico!
    Até o Papa vir dizer que afinal nem houve Reis Magos um deles era preto e pronto!:-))
    Pelo menos foi o que sempre ouvi dizer!

    Abraço

    ResponderEliminar
  9. Achei este comentário muito equilibrado !

    http://samuel-cantigueiro.blogspot.pt/2013/01/armenio-carlos-ponta-do-iceberg.html
    .

    ResponderEliminar
  10. Indignados é exagero, Carlos. Tudo está no contextualizar ou no descontextualizar.

    ResponderEliminar