quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Mira técnica

O administrador  do CR comunica a todos os leitores que perturbações alheias à sua vontade o têm impedido, desde o final da semana passada, de fazer as habituais visitas aos vossos blogs.
Pelos mesmos motivos, não lhe será possível nos próximos dias aparecer por aqui com a regularidade habitual, pelo que pede desculpa por qualquer incómodo que isso possa causar.
O administrador do CR  promete envidar todos os esforços para retomar as emissões regulares logo que lhe seja possível.
Aviso: Não fugi, como os deputados hoje na AR. A cobardia não faz parte do meu dicionário.

A Magia da Poupança


Não me recordo de um Dia Mundial da Poupança  tão celebrado em Portugal, como este ano.
No tempo das vacas gordas, os bancos emprestavam dinheiro até a um sem abrigo que apresentasse declaração de IRS, o DMP era assinalado pelos bancos  com incentivos ao endividamento e o crédito ao consumo era apregoado como um investimento.
Agora, quando os portugueses mais avisados que resistiram aos cantos de sereia do crédito bancário e às luzes psicadélicas da sociedade  que tudo prometiam sem pedir nada em troca ( à excepção de uns juros “irrelevantes”) são obrigados a recorrer às poupanças amealhadas para fazer face à crise, os bancos  organizam seminários e exposições sobre “Literacia Financeira”, incentivam e dão dicas para poupar.  Entre os muitos discursos, apresentação de casos exemplares sobre educação financeira nas escolas ( matéria que há poucos anos achavam desnecessária) e “feiras”, várias entidades ligadas ao sector financeiro promovem as mais variadas e surpreendentes actividades lúdicas. Entre elas, descubro um espectáculo promovido pela Associação Portuguesa de Bancos com o sugestivo título “A Magia da Poupança”.
Leio, no programa, que se trata de uma “representação de situações de famílias típicas na gestão do orçamento e da poupança”.
Ainda bem que os bancos – mesmo em tempos de crise- não perdem o sentido de humor. Ensinar milhares de famílias no desemprego ou  com rendimentos inferiores a 600 € a poupar, não é apenas um espectáculo de Magia. É, essencialmente, um espectáculo de  humor…negro! 
Adenda: Entretanto, é sempre bom saber que há gente prevenida que gosta de poupar 

Com o freio nos dentes

O ressabiado que ocupa o lugar de primeiro-ministro já tomou o freio nos dentes e está disposto a tudo para atingir os seus objectivos, inclusivé violar a Constituição, se não conseguir o acordo do PS. Em Belém a criatura assiste a tudo isto impávido e sereno, enquanto vai teclando no FB. Cada vez é mais notório que isto já não vai lá com palavras e indignação. Não podemos  deixar que um tresloucado destrua um país e um povo inteiro, a quem mentiu deliberadamente para atingir os seus intentos.