sábado, 20 de outubro de 2012

Regabofe é (6)

Pedir sacrifícios aos portugueses e continuar a nomear arrastadeiras para os gabinetes  
E nem sequer se pode dizer que à dúzia é mais barato...

Ler nas entrelinhas

Recorrendo à lengalenga habitual para justificar a aprovação do OE , Paulo Portas apenas disse:
Reconheço que sou um cobarde, o CDS sofreria uma derrota estrondosa se houvesse eleições, tenho que salvar o meu emprego e a minha pele, porque não quero problemas com submarinos
Estejam, porém, descansados porque daqui a uns meses, quando isto der buraco e o governo cair ou for demitido, eu poderei dizer que tinha avisado, mas votei a favor do OE para não criar uma crise política.
Pensavam que eu tinha deixado de ser sacaninha, era? Aprendi muito no "Independente", ninguém me apanha com as calças na mão...

As mulheres e as leis


Há dias um espanhol, cujo nome não fixei, afirmou, quiçá numa tentativa de obter protagonismo, que “as leis são como as mulheres. Nasceram para ser violadas.”
A frase, tão sabuja, não merece sequer réplica, mas levou-me a uma outra comparação entre as mulheres e as leis. Ambas nasceram para ser respeitadas, mas nem a umas nem a outras se pode confiar exclusivamente o papel de defesa da economia e disciplina doméstica.
Como este exemplo confirma...

Por outras palavras*

Morreu um mago das palavras. Além de tudo o que escrevi aqui, Manuel António Pina era um apaixonado pelo Porto, um cidadão a tempo inteiro e... apaixonado por gatos!
* Por Outras palavras é o título do livro onde estão reunidas grande parte das suas crónicas.