terça-feira, 4 de setembro de 2012

PSD e CDS desentendem-se por causa da RATA

Como já escrevi aqui, uma das grandes animações políticas deste Verão tem girado em volta das autarquias. Depois de o TC admitir os referendos à RATA ( Reorganização Administrativa Territorial Autárquica), no seio da coligação governamental instalou-se algum mal estar, agravado com a pretensão de o PSD, na alteração à lei eleitoral autárquica, pretender incluir a possibilidade de o presidente eleito poder recrutar para vereadores, pessoas  que não tenham sido eleitas para a assembleia municipal.
Embora esta pretensão do PSD torne mais explícita a frase de PPC " Que se lixem as eleições", o CDS não está pelos ajustes e recusa liminarmente a proposta do seu parceiro de coligação.
A alteração à lei eleitoral autárquica não avançará e os executivos monocolores, pretendidos pelos laranjas ( há também socialistas que vêem essa medida com bons olhos) não vão ser ainda uma realidade em 2013.
É certo que não será por causa deste desacordo com a RATA do sr. Relvas que a coligação irá tremer.  Tampouco a RTP ou a ANA a porão em causa. Estes desacordos pontuais apenas abrem algumas brechas, mas são sanáveis porque ambos os parceiros põem a ida ao pote no topo das prioridades.
O edifício poderá ruir é se continuarem a surgir na comunicação social notícias arrelvadas sobre os submarinos, que põem em causa Paulo Portas. Entalado, o lider do CDS poderá mesmo dar um murro na mesa e a coligação, então, afundar-se-á- imagine-se!- por causa  dos submarinos...

Esta cara não me é estranha (5)

Esta é fácil, não é?

Caderneta de cromos (35)



Senhora Procuradora, Drª Cândida Almeida:
Não é por aquela frase sobre a inexistência de políticos corruptos em Portugal que a incluo nesta categoria. Isso mereceria, quando muito, a sua integração na galeria dos Caramelos Vaquinha, onde poderia compartilhar espaço com o dr. Duarte Lima.
Se a partir de hoje lhe concedo a suprema honra de passar a integrar a Caderneta de Cromos do CR é simplesmente porque ao ter decidido abrilhantar uma Universidade de Verão, escarneceu da justiça em Portugal e chamou burros a todos os portugueses com pelo menos meio dedo de testa.
Não interessa o partido a que partido emprestou a sua graça, senhora procuradora… o erro foi ter contribuído para alimentar as suspeitas de que a justiça e a política andam de mãos dadas. 
Não mediu os efeitos da sua decisão? Então pior ainda… porque  a senhora não é uma cidadã qualquer. Tem estado ligada à investigação de alguns casos mediáticos envolvendo políticos, é apontada como candidata a substituir Pinto Monteiro e não pode permitir que sobre si caia a mínima suspeita de envolvimento político. 
Acedeu ao convite, porque pretende mesmo ser PGR? Tiro no pé a fazer jus ao nome que ostenta no BI Se um dia vier a ser nomeada por este governo, não se livrará da fama, embora admita que até nem tenha o proveito.
A senhora também insultou os seus colegas do Ministério Publico. Ou, se não insultou, pelo menos deu mais um pretexto para que as vozes que afirmam que o MP está instrumentalizado pelo poder político, ganhem mais aderentes. Lamento dizer-lhe, mas perdeu duas belíssimas oportunidades: estar calada e ficar no seu gabinete a estudar os intrincados dossiês, envolvendo políticos, que tem entre mãos.
Ficámos também todos a saber que a senhora conhece a vida de Sócrates em Paris. Faustosa, como V.Exª admitiu. Mas como o sabe, senhora doutora?  Porque priva com o ex-primeiro ministro, porque  acredita no que lê nos jornais, por fezada, ou porque está a fazer alguma investigação à vida de Sócrates em Paris? Muitos portugueses agradeceriam um esclarecimento da sua parte…
Já agora, poderia informar-nos quantas vezes saiu de casa aquele senhor careca ( isso, o Duarte Lima…) que é suposto estar em prisão domiciliária e pulseira eletrónica?  E, se não for pedir demais, pode dizer-nos as razões por que está putativamente preso? É que eu pensava que ele era suspeito de corrupção…mas deve ser invenção dos jornais!

Uma proposta indecente!



Desengane-se quem pensa que esta malta da troika é burra! A proposta de aumentar a semana de trabalho para seis dias na Grécia,  faz parte de um plano perverso que inclui também a redução do período de férias e a diminuição dos salários.
Não pensem, também, que se trata de um plano a aplicar apenas na Grécia, pois o objectivo da "mão invisível" que comanda a troika é alargar o modelo a outros países europeus.
Esta gente da troika é um grupo perigoso que tem  para a Europa, o mesmo objectivo de Pedro Passos Coelho para Portugal: o empobrecimento.
O mercado consumista europeu atingiu  um ponto próximo da saturação, pelo que o interesse dos grandes grupos económicos e financeiros  é entrar nos mercados dos países emergentes como a China, o Brasil, ou a Índia. Ora se os salários dos europeus não baixarem drasticamente, esse objectivo é inatingível.
Esta gente que está a governar a Europa também é perigosa.  Se ninguém lhes  puser a mão no pescoço e der o mesmo destino que se dá às galinhas, a Europa será, em breve, o continente da miséria e esse grupo de gentalha abjecta, formado na universidade da Goldman Sachs,  continuará a encher os bolsos à custa da exploração de quem trabalha.
Pedro Passos Coelho não é suficientemente inteligente para perceber o que está em jogo e nem sequer aprende com o exemplo que está a ser dado pelo governo espanhol. Apesar de pertencer à mesma  família política Rajoy sentiu o rabo a arder e já terá visto o filme todo: a Europa está interessada em descartar-se dele.
António José Seguro e os partidos socialistas europeus deixaram-se ir no engodo da terceira via de Tony Blair e  continuam a ver passar os comboios; a esquerda parece uma barata tonta sem outras soluções  para além  da gritaria nas ruas;  a escumalha de dirigentes europeus, de joelhos perante o FMI e os "mercados", não passa de junk poltics
A globalização- que desde a primeira hora apontei como a grande desgraça mundial, por ter apenas uma visão economicista- foi o engodo com que o poder financeiro, aliado ao poder político, comprou a submissão e o silêncio dos cidadãos/consumidores.
Seduzidos pelo crédito fácil que tudo permitia comprar, deslumbrados com a ideia de enriquecimento fácil, os cidadãos/consumidores demitiram-se de exercer a cidadania e entregaram-se nas mãos dos políticos que lhes prometiam o paraíso. Agora, estão a pagar o preço da sua incúria e do seu laxismo.
Que se desiluda quem pensa que os problemas da Europa se resolvem pela via democrática das eleições. Não basta substituir caras, é necessário alterar profundamente o modelo social em que vivemos, mas isso não se fará  pacíficamente. Vêm aí dias difíceis. Até a senhora Merkel já percebeu isso...

Ó Xico, francamente!...

Então só agora é que percebeste? Já o devias saber muito antes de fazeres a grande borrada que nos conduziu a esta situação. Agora é tarde!