sábado, 1 de setembro de 2012

Morreu a "Rainha da Noite"


A partir de hoje as lâmpadas incandescentes, inventadas em 1879 por Thomas Edison, deixam de ser fabricadas na União Europeia.
Durante mais de um século foram as rainhas da noite. Iluminaram casas, ruas, estradas e cidades. Animaram discotecas, romarias e noites natalícias com a sua multiplicidade de cores. Velaram doentes, crianças e velhos. 
Acusadas de serem demasiado energívoras, foram  sendo substituídas por outras mais poupadinhas e com maior longevidade. 
Foram hoje executadas e banidas das cadeias de produção na Europa, pena a que tinham sido sentenciadas há cerca de uma década.
Durante alguns anos ainda sobreviverão nos Estados Unidos, América Latina, Ásia e África mas, dentro de uma década, terão  igual destino noutras latitudes e desaperecerão definitivamente do nosso panorama visual. 
Obrigado por tudo o que nos deram  enquanto foram vivas. Paz às vossas almas!

Ainda as Pussy Riot

Ponto prévio: considero escandalosa a pena aplicada às Pussy Riot. Isso não invalida que considere  inapropriada a escolha do local para a sua(salutar) manifestação de rebeldia. Deveriam ter tido em consideração o facto de poderem ser ofensivas para os praticantes.
Posto isto, passemos aos finalmentes. Como nunca tinha ouvido falar das meninas, fui tentar saber se já tinham editado algum disco, ou poderia descarregar (legalmente) alguma das suas músicas. Népia! Ora se as meninas nunca editaram um disco e, ao que me disseram, nunca fizeram uma gravação, ou deram um espectáculo, que raio de banda são? Alguém me explica?
Pronto, continuem lá a conquistar gente para a vossa causa, mas deixem lá esse epíteto de banda musical punk ou lá o que seja, tá? É que assim as coisas ficam mais claras...

Ambrósio, apetece-me algo!


Hoje acordei assim... Com uma vontade enorme de estar aqui. Ora digam lá, sem fazer batota, onde é que eu gostaria de estar!