quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Não se iludam...

Os funcionários públicos, reformados e pensionistas que foram espoliados dos subsídios de férias e Natal exultaram com a decisão do Tribunal Constitucional.
Hoje, ao lerem esta notícia do i, alguns mais ingénuos terão suspirado de alívio e pensado que em 2013 terão os seus salários de volta.
Não se iludam! Os funcionários públicos e os reformados são os maiores inimigos deste governo, onde não faltam artistas capazes de driblar a decisão. Quando em Outubro for aprovado o OE para 2013, vão ver como o governo é expedito em matéria de gamanço! 
Contem, pelo menos, com mais 10% de redução nos vossos salários ( já ninguém se lembra que Sócrates cortou "temporariamente" os salários em 2010, pois não?). Depois, quem tiver casa própria, conte com um agravamento do IMI na ordem dos 100% ou...mais! E quanto às contas da luz, água e gás, esperem pela volta!
Isto é como no mundo do crime... quando os governos aprovam leis para combater a fraude, já os prevaricadores encontraram novos estratagemas para ludibriar os consumidores. E esta gente sabe muito bem como funciona o mundo do crime, porque não há nada melhor para um partido do que ter conselheiros do gabarito de Oliveira e Costa,  Duarte Lima et tutti quanti

Caderneta de cromos (37)

Francamente, João Proença, você tem uma lata do caraças! Então depois de assinar o acordo do novo Código de Trabalho, vem dizer que o PS deve chumbar um OE que ainda ninguém conhece
Apanhou sol a mais durante o fds, foi? Então o melhor é ir descansar, para não dizer mais asneiras, tá? Para a caderneta de cromos do CR, sem passagem pela casa da partida.

À atenção da CM Lisboa


Alguém por aí é capaz de me explicar a razão de a CM Lisboa  não permitir a instalação de aquecedores nas esplanadas da Duque d'Ávila durante o Inverno?
Vá lá, sr. vereador Sá Fernandes, não seja casmurro! Lisboa tem um clima ameno e as esplanadas são uma mais valia para quem nos visita, mas também para quem cá vive. 
Eu sei que o senhor até foi um dos grandes impulsionadores das esplanadas na zona e a Câmara deu incentivos aos estabelecimentos de restauração para que abrissem esplanadas, por isso ainda me custa mais a compreender esta medida que não agrada a ninguém.
Eu sei que o Inverno ainda vem longe, mas mais vale lançar desde já a sugestão para que acabem com esse impedimento, do que chegar a Novembro e ver as esplanadas fechadas, só porque não podem proporcionar esse conforto aos clientes.
Se em cidades europeias como Paris, Londres, ou Amsterdam, com Invernos muito mais rigorosos do que o  de Lisboa, as esplanadas se mantêm abertas durante todo o ano, por que razão não há-de acontecer o mesmo na Duque d'Ávila? 

Passado e futuro

                                Nadia Comanecci                                     Rebecca Andrade

A ginástica proporciona habitualmente grandes espectáculos e revela ao mundo grandes nomes.
Quando se fala desta disciplina olímpica, o nome que vem à memória da maioria dos leitores da minha geração é, certamente, o da romena Nadia Comanecci que nos JO de 1976 ( com apenas 14 anos) deslumbrou o mundo inteiro e gerou também grande controvérsia no mundo ocidental que acusava o seu treinador de utilizar métodos esclavagistas. Enfim, a conversa do costume…
Maldicências à parte, Nadia Comaneci encantou o mundo com a sua graciosidade e talento e conquistou em Montreal a primeira nota 10 atribuída pelo júri a uma ginasta pelo seu desempenho.
Em matéria de medalhas, a jovem romena obteve 9 ( 5 de ouro), mas é curioso lembrar que, pelas regras actuais, Nadia Comaneci não poderia ter participado nos JO de Montreal em 1976. Com efeito, o COI impede a participação de ginastas com menos de 16 anos – Nadia Comaneci tinha então 14.

Vítima desse impedimento, a talentosa e promissora ginasta brasileira Rebecca Andrade, que ainda recentemente venceu as credenciadas Daniele Hipólito e Jade Barbosa, não pode estar presente em Londres pois tem apenas 13 anos. Poucos duvidam, no entanto, que ela será a grande revelação da ginástica mundial nos JO de 2016 que se realizarão no Rio de Janeiro.
No sector masculino, o  ginasta russo Nikolay Andrianov tem um lugar especial na história olímpica. Ele detém o recorde de medalhas – 15 no total, sendo que 12 em compeições individuais. Nas Olimpíadas de 1976, em Montreal, ganhou cinco medalhas de ouro em vários aparelhos, sendo com Nadia Comaneci uma das grandes figuras dessa edição.

O bom aluno com orelhas de burro

                                ( Com os meus agradecimentos ao We Have Kaos in the Garden)

Eu já avisara aqui e aqui, que isto de ser bom aluno não era um bom negócio. O único que me compreendeu foi o Relvas. Os outros continuaram a ser marrões, a estudar modelos, equações logaritmos e o raio que os parta e lixaram-se
Ainda têm esperança de passar no exame, desde que a gorda lhes permita fazer copianço, mas...
O mestre escola é que não está pelos ajustes e aplicou um chumbo aos bons alunos

Biblioteca de Verão (6)



Num dos contos de Jorge Luís Borges , incluído em “ O Livro de Areia”, a personagem ri-se quando o escritor argentino lhe declara ter mais de dois mil livros em casa e responde:
“Ninguém lê dois mil livros. Nos quatro séculos que levo de vida não terei passado de meia dúzia. Aliás, não é ler que importa, é reler.”
Já reli alguns livros e, com frequência, releio  algumas partes de um ou outro. Guardo muitos livros em casa, precisamente porque gosto de  recordar alguns diálogos, ou algumas frases e refletir sobre elas.
Um bom livro “não passa de moda”. Atravessa gerações. Hoje, nesta rubrica, recomendo-vos a releitura de dois livros que considero eternos (entre muitos outros, obviamente)  e gostaria de saber se costumam reler livros (ou partes).