domingo, 22 de julho de 2012

Já vejo duas luas!




Desde que,  há dois ou três meses, acabei de ler o segundo volume de 1Q84, de Harouki Murakami, que todas as noites procuro duas luas no céu. 
A tarefa tem-se revelado infrutífera, mas ontem * finalmente olhei o firmamento e elas lá estavam. Uma é branca, como deve ser a lua, a outra é cor de laranja. A primeira reflecte o mundo real, a segunda o mundo das gentes do PSD que apoiam este governo, vivem à sua  sombra e olham para Portugal como um país de futuro risonho. O  futuro deles, obviamente!
Agora, que finalmente partilho o mundo de Aomame e Tengo, fico apenas com uma dúvida:
Quem vive em 2Q12? Eu,que acho estranho o que se passa no país que me espera dentro de dias  para lá desta fronteira ibérica, ou a tralha laranja que vive no mundo da corrupção, da vigarice e do compadrio e considera tudo isso normal? 
Provavelmente será normal para o governo deste país condenar os portugueses ao empobrecimento, roubar os salários dos trabalhadores, nomear para as comissões de privatizações pessoas com interesses nas empresas a privatizar, roubar quem trabalha para dar aos bancos e a quem explora os que trabalham, etc, etc, etc. 
Assim sendo, quem está a viver em 2Q12 devo ser eu... ainda acredito que os governos que enganam os eleitores devem ser imediatamente demitidos pelo PR e não percebi que em Belém vive um zombie investido no mais alto cargo do Estado, que não respeita os juramentos e está manchado pelo caso BPN até à morte- e para além dela.
Ver um homem que num país decente estaria na cadeia, ser pago pelos contribuintes para desempenhar um cargo que desrespeita todos os dias, é algo tão surrealista que só pode ser vivido no mundo de  Aomane e Tengo. O mundo de 1Q84...

* Ontem, é relativo, pois este post foi escrito em Junho e só será publicado quando Julho se aproximar do fim



Replay

Faço zapping pelos canais espanhóis e sinto-me a recuar um ano. Os argumentos de governo; os avisos da oposição, em relação às medidas de austeridade; os debates no Parlamento parecem tirados a papel químico da vida portuguesa desde o momento em que PPC decidiu que a sua missão no governo seria aumentar o desemprego, diminuir os direitos sociais,empobrecer os portugueses e encher os bolsos dos amigos que lhe hão-de dar emprego quando o tipo se for embora. Bahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!