sexta-feira, 29 de junho de 2012

O (duplo) triunfo dos porcos



Polvos, vacas, crocodilos, elefantes e outros animais como Platini previram que a final do Euro 2012 seria Espanha- Alemanha.
Pelo pouco que fui vendo dos jogos da fase de grupos, fui alimentando a esperança que a final fosse Portugal/Itália. Tal como Platini fiquei pela metade, porque os postes impediram a presença da equipa portuguesa em Kiev.
Não vi o Alemanha/Itália em directo e, quando me informaram do resultado, pensei que tivesse sido um jogo equilibrado. Puro engano!  A Alemanha podia ter apanhado 5 ou 6, como pude constatar na transmissão em diferido que vi horas mais tarde.
Confesso que fiquei muito satisfeito com a derrota dos Berliner Schnitzel. Eles já ganham demasiado com os juros dos países em dificuldades, estava na altura de começarem a perder.
Entretanto, chegam-me notícias de Bruxelas anunciando que Espanha e Itália estão a bater o pé à Merkel, bloqueando todas as decisões da Cimeira enquanto a Frau Angie não ceder às suas pretensões.
Já defendi várias vezes que, se os países do sul se tivessem unido desde o princípio, nunca teríamos chegado a esta dramática situação. Foi preciso Espanha e Itália começarem a sentir a água pelo pescoço, para que alguém batesse o pé à Alemanha.
Poderia ser uma boa notícia…mas à distância não sei se é! Espanhóis e italianos estão apenas preocupados em resolver os seus problemas e borrifando-se para Portugal, Irlanda ou Grécia. Esta atitude  confirma que estes dois países merecem bem pertencer aos  PIIGS. Se fossem decentes, seriam solidários com os seus parceiros. Ou, pensando melhor, talvez não precisem, porque pelo menos Irlanda e Grécia exigirão condições idênticas. Temo é que em Portugal isso não tenha efeitos, porque o coelho é um animal que gosta de ser sodomizado e é bem capaz de pedir para continuar a sofrer.
Coelhos à parte, tudo indica que os PIIGS venceram a teimosia da vaca e uma coisa é certa: o Euro da bola irá disputar-se entre dois PIIGS. Exactamente os mesmos que ( pelas noticias que me chegaram durante a noite)  parecem ter nas mãos o futuro do €uro. Um futuro que não será risonho. Em 2016 poderá haver mais um Euro mas, pelo andar da carruagem, já não haverá €. 
Depois, não digam que não se deve misturar futebol com política…
Em tempo: alguém sabe dizer-me se o Coelho continua a beijocar a Angie?

Sucessos da EXPO


Anda tudo tão preocupado com a crise, ou tão entusiasmado com o Euro 2012 e os Jogos Olímpicos de Londres, que ninguém fala da EXPO- 2012 que este ano se realiza na Coreia ( do Sul, claro, que é que esperavam?). Eu sei que é muito longe, mas a de 2010 foi em Xangai - que também é longe- e foram aos milhares os portugueses que lá se deslocaram.
A que propósito vem esta conversa? - perguntarão alguns leitores/as. E eu respondo:
- Porque me lembrei que foi na EXPO 2004, realizada em St Louis, que os consumidores puderam provar pela primeira uma inovação gastronómica de grande sucesso. Sabem qual foi?
Ora então eu digo-vos. Amanhã...
Pensando melhor,digo-vos já.

Pois é, meus caros amigos... apesar de ser mais ou menos aceite que foram os chineses os inventores do gelado, há mais de três mil anos, vejam lá o tempo que foi preciso para alguém inventar o gelado de cone. Já vos tinha passado pela cabeça que havia mundo antes do gelado de cone? Como é que os nossos bi e trisavós  puderam viver sem esta invenção deliciosa?
Este post  está a ser escrito no dia 15 de Junho mas, mesmo assim, digo-vos que é muito provável que, no momento em que vocês o estão a ler, eu esteja a comer um gelado de cone. Ainda mais provável, é que seja de café e limão. E vocês, que paladares preferem? Ou será que não gostam de gelados de cone?